TexTools: Add-on gratuito para editar mapas UV no Blender

Uma das características que fazem do Blender ser uma ferramenta poderosa para criação de material relacionado com arte digital, é o fato dele ser ao mesmo tempo versátil e também gratuito. Esses são apenas alguns dos motivos que fazem com que diversos artistas acabem migrando de softwares como o 3ds max para o Blender.

O fenômeno estava restrito na sua maioria aos artistas 3d que gostariam de “fugir” dos polêmicos modelos de assinatura. Para conseguir efetivamente trabalhar, muita gente acaba tendo que se comprometer com assinaturas de software. Então, você perde a “propridade” do software.

Muitos artistas acabavam permanecendo com um software por vários anos, sem precisar efetivamente de um upgrade, pois a versão atual acabava sendo mais que suficiente para que seus projetos fossem finalizados.

O fenômeno que começou com artistas 3d, estando eu incluso nessa lista, agora começa a reverberar entre desenvolvedores de plugins.

Você usa o 3ds max? É bem provável que já tenha tido contato com uma ferramenta chamada TexTools. O plugin é um dos mais úteis para o 3ds max para o gerenciamento de texturas no software.

O autor do plugin TexTools para 3ds max fez a convesão do código de MAXScript para Python, e criou uma versão funcional da ferramenta para o Blender! Seguindo a mesma política em termos de licenciamento, a ferramenta é totalmente gratuita.

Para fazer o download do TexTools para o Blender, você pode visitar esse endereço que leva até os fórums BlenderArtists. O autor do script se chama renderhjs. Além de nos oferecer essa incrível ferramenta, o autor se comprometeu também a converter outras de suas criações para o Blender. São diversos plugins para o 3ds max que podem receber versões dedicadas para o Blender.

Com o TexTools você consegue editar e controlar mapas UV para texturas de maneira rápida no Blender. Essa é uma tarefa crítica para todos os artistas 3d interessados em criar cenas realistas no software, especialmente com o uso de materiais no Blender Cycles. Os mapas UV permitem ter controle total sobre o posicionamento das texturas nos modelos 3d.

Já mencionei que o plugin é totalmente gratuito?

Aprenda a trabalhar com texturas no Blender

O uso do TexTools pode ajudar a configurar texturas em modelos 3d, mas ainda assim é preciso conhecer um mínimo relacionado com o uso de texturas para usar a ferramenta. Você quer aprender como funciona a configuração de texturas no Blender?

No EAD – Allan Brito você encontra diversos cursos e treinamentos que podem ajudar você a editar e criar texturas para o Blender e Cycles:

Guia básico sobre mapas UV no Blender

O complemento perfeito para qualquer modelo 3d criado no Blender ou qualquer outro software 3d é uma boa textura, que ajuda de maneira significativa a contextualizar o objeto dentro de qualquer cenário ou ambiente. O primeiro desafio nesse tipo de operação é encontrar a textura correta para o objeto 3d, ou então produzir a sua própria textura em softwares como o Photoshop. Com a textura devidamente selecionada podemos partir para a parte realmente complicada do processo que é o posicionamento da textura.

A melhor maneira de posicionar texturas sobre qualquer superfície em 3d é por meio dos chamados mapas UV. O mapeamento UV é sempre um processo que exige o máximo em termos de habilidade e paciência do artista 3d, pois requer a marcação precisa das arestas dos objetos 3d que devem ser mapeadas para posterior planificação e ajuste com as texturas.

Quer saber exatamente como funciona uma textura aplicada usando a técnica do mapeamento UV no Blender? O artista Daniel Kreuter famoso por criar diversos guias visuais sobre efeitos e animações no Blender como fluidos, fumaça e tecidos. Agora ele criou um guia rápido e básico sobre como funciona o mapeamento UV no Blender:

O processo de mapeamento UV no Blender é muito parecido com o que ocorre em outras ferramentas 3d, em que é necessário fazer marcações nos objetos 3d chamadas de seams (costuras em inglês) que determinam os pontos em que a malha poligonal deve ser aberta. Com essas marcações feitas, devemos planificar o objeto 3d, para gerar um mapa 2d que pode ser exportado como uma imagem. Essa imagem é pintada em softwares especializados como o Photoshop, GIMP ou até mesmo no próprio Blender.

Esse mapa pode receber as mais variadas texturas com a vantagem de termos controle preciso sobre o seu posicionamento na superfície do objeto 3d. Apesar de ser básico, ajuda a explicar o funcionamento desse tipo de texturas para usuários sem grande experiência com Blender.

Curso sobre materiais e texturas com Blender

Quer aprender mais sobre como funcionam os materiais e texturas no Blender? Recomendo uma visita ao curso sobre materiais e texturas com Blender, que ensina exatamente o funcionamento desses tipos de ferramentas com material dedicado exatamente ao uso de mapas UV no Blender.

Texturas UV no Blender 2.5: Como funciona?

O processo de configuração de texturas em qualquer projeto que envolve a modelagem ou animação é de fundamental importância para conseguir atribuir realismo aos objetos. A escolha das imagens que devem fazer parte da composição geral das texturas é apenas o primeiro passo nesse processo de configuração de texturas. Em todas as ferramentas 3d o processo mais usado e conhecido de ajuste das texturas é o chamado mapeamento UV, que é a técnica que consiste na planificação do modelo 3d para gerar um mapa com a localização de cada uma das faces do objeto. Esse mesmo mapa é exportado como uma imagem em formato bitmap ou vetor, para receber a parte de pintura das texturas.

A grande vantagem dessa técnica é que podemos ter controle absoluto sobre a posição e escala da textura em todas as partes do modelo 3d. Entre os pontos negativos do processo está a parte da planificação, que pode demandar uma boa quantidade de trabalho dependendo da topologia do modelo 3d e também da ferramenta usada para realizar esse tipo de trabalho.

Caso você esteja começando a usar o Blender 2.5 e queira saber como realizar esse procedimento na nova versão do software, encontrei um tutorial que pode ajudar muito nesse tipo de conhecimento. Esse material pode dar o pontapé inicial no seu aprendizado com o Blender 2.5, que está cada vez mais estável na versão 2.56.

O tutorial é bem básico mesmo, e mostra apenas o processo de planificação de um cubo simples com a marcação das arestas que devem ser separadas na planificação com a ferramenta “Mark Seam“. Essa é a base para todos os tipos de topologias no processo de mapeamento UV. Depois que isso é realizado, podemos partir para a configuração das texturas usando a opção Unwrap na janela chamada de UV/Image Editor que tem como objetivo controlar esse tipo de informação no Blender.

No vídeo o autor usa uma textura pronta que é apenas ajustada para abranger a área total das faces que foram planificadas no cubo. Mas, a grande vantagem dessa técnica é a possibilidade de exportar uma imagem com a organização das faces e pintar a textura sobre as mesmas.

Caso você queira saber mais sobre texturas no Blender 2.5, recomendo a leitura do Blender 3D – Guia do Usuário quarta edição que foi reformulado para abranger a nova versão do Blender. Existem dois capítulos no livro que abordam apenas o uso de texturas.

Aproveite e faça a atualização para o Blender 2.56a que corrige alguns bugs sérios da versão 2.56.