Lançamento do Modo 501

Uma coisa que sempre repito para os meus alunos e colegas na área de computação gráfica 3d, é que se um dia precisasse comprar um software para trabalhar com modelagem 3d e render, estaria muito inclinado a adotar o Modo. A ferramenta tem uma interface muito bem trabalhada e algumas opções de modelagem 3d inovadoras, que fazem qualquer artista 3d ficar com vontade de experimentar um pouco da sua flexibilidade. O outro lado da história é poder acompanhar a evolução do Modo como ferramenta nascida dentro da Newtek com uma desavença entre parte da equipe que trabalhava no LightWave. Segundo conta a história, os responsáveis pelo desenvolvimento do LightWave queriam fazer uma alteração drástica no software, que foi negada de imediato pela empresa. Como resultado disso, a equipe pediu demissão e fundou a Luxology e criou o Modo.

No início o software estava focado apenas em modelagem usando uma filosofia muito semelhante ao praticamente finado Silo 3D. Mas, com o tempo foram sendo adicionados recursos para renderização e manipulação de materiais avançados. Hoje o Modo é uma ferramenta robusta de criação, mas que ainda está em pleno processo de desenvolvimento. A versão 501do software está focada na renderização e na qualidade com que o render é resolvido, usando poucos recursos de hardware.

Quais são essas novidades? O vídeo abaixo demonstra um pouco dessa qualidade do Modo 501, e já serve como apresentação do software para os usuários e artistas que não conhecem a ferramenta.

Um dos recursos mais comentados nos fóruns da Luxology é o chamado Occlusion Shader que adiciona controles extras sobre oclusão de objetos, para gerar áreas com sombras de contato com grande precisão e qualidade no render. Fora isso a lista de melhorias nessa atualização engloba itens como:

  • Raytracing
  • DoF
  • Displacement Maps
  • Reflexões do tipo Anisotropic
  • Controles de SSS
  • Uso de transparências com RGBA na Viewport e Render
  • Estereoscopia

Pelo conteúdo da lista, fica fácil perceber o motivo dessa atualização estar focada em render. Mais vídeos de demonstração e imagens podem ser encontradas na página do Modo 501. Quem quiser testar o software, existe uma versão de testes que pode ser usada por 30 dias de maneira gratuita e com todos os recursos.

Pesquisa sobre o mercado de computação gráfica 2009-2010

Assim como aconteceu no ano passado o site CG Genie acabou de publicar o resultado prévio de uma pesquisa de opinião realizada com usuários de softwares 3d, com o objetivo de estabelecer um ranking entre as ferramentas e passar uma boa idéia de como os usuários percebem e usam essas ferramentas. É importante ressaltar que esse tipo de pesquisa não tem caráter científico, ou mesmo valor para atribuição de mercados, pois o número de pessoas envolvidas é muito pequeno. Para acessar os resultados da pesquisa que são relacionados ao mercado de computação gráfica de 2009, visite o endereço indicado.

Mas, o que essa pesquisa diz? Como podemos interpretar esses dados?

colors

A pesquisa mostra diversos aspectos interessantes. Abaixo, compilei algumas das observações que fiz sobre a pesquisa e o mercado de computação gráfica:

  • O mercado está polarizado em soluções proprietárias e gratuitas, sendo liderados pela Autodesk e Fundação Blender respectivamente;
  • Entre as pessoas que responderam as perguntas da pesquisa a proporção de profissionais foi de 47%, sendo seguidos por 13% de estudantes e 37% de entusiastas que usam os softwares apenas por diversão;
  • Sobre a evolução dos softwares em relação ao ano passado, uma boa parte das ferramentas melhorou no conceito dos usuários. Mas, algumas delas caíram de qualidade em relação aos usuários. O Softimage, Lightwave, Maya e Cinema 4D estão relacionados entre os softwares que tiveram queda de qualidade;
  • Na análise do Marketshare de cada ferramenta as surpresas são a projeção de crescimento do Blender e do Modo, que devem cada vez mais chegar perto das ferramentas da Autodesk. Hoje os maiores marketshares da indústria são do 3ds Max, Maya e ZBrush;
  • Qual o maior retorno sobre o investimento? Na lista dos softwares que oferecem o melhor retorno sobre o dinheiro investido, temos o Modo e o Blender no topo da lista. Claro que o Blender é listado pelo investimento zero em software, e o Modo pela quantidade das suas ferramentas de modelagem;
  • Sobre a maneira com que as empresas ou instituições gerenciam e atualizam as suas ferramentas, as opiniões são bem diretas. A Autodesk dá muita atenção para o 3ds Max e deixa o Maya e Softimage de lado. A SideFX só não tem um marketshare maior de usuários devido ao alto preço do seu software, pois eles fazem um trabalho incrível. O Terragen é a grande surpresa dessa lista, que traz usuários muito satisfeitos em conjunto com os usuários do Blender. A avaliação da Fundação Blender foi muito positiva.

No geral é possível tirar algumas conclusões da pesquisa:

  • Um dos grandes destaques é o Modo 3D;
  • O Blender teria muito mais usuários se fosse mais fácil e rápido importar e exportar projetos do software para outras ferramentas;
  • A Newtek deve estar furiosa com o sucesso do Modo, já que o software é fruto de uma dissidência interna na empresa;
  • A Autodesk é vista como a grande vilã da pesquisa com usuários do Maya e Softimage insatisfeitos;
  • Se o Houdini 3D fosse mais barato, o Marketshare da Autodesk iria diminuir drasticamente;

E você, o que pensa da pesquisa?

Tutorial de modelagem para maquetes eletrônicas

Qual a melhor maneira de começar a modelagem de uma maquete eletrônica? Certamente é usando um desenho técnico como base, para depois começar a trabalhar nas linhas e levantar as paredes. O processo de modelagem pode ser repetido em praticamente qualquer ferramenta 3D seja o Blender 3D, 3ds Max ou Maya. O importante é entender o processo para poder adaptar o processo ao conjunto de ferramentas de modelagem que você tem a disposição. Uma ferramenta incomum, para esse tipo de tarefa no nosso mercado é o Modo da Luxology. Mesmo assim, muitos artistas fora usam o Modo como base para criar modelos e renderizações voltadas à visualização arquitetônica.

Se você quiser conferir como esse processo de modelagem para arquitetura pode ser realizado no Modo, descobri um excelente tutorial que mostra a seqüência tanto em vídeo como com imagens estáticas.

Modelagem com Modo

O vídeo tem aproximadamente 18 MB e mostra tudo de maneira mais cadenciada. Para quem tem internet um pouco mais lenta, pode ficar com as imagens que ajudam também.

No tutorial, podemos perceber claramente as fases de produção da maquete:

  • Primeiro o autor trabalha a construção das paredes
  • Assim que as paredes estiverem prontas, ele cuida das aberturas. Nas aberturas ele adiciona molduras para janelas e portas.
  • Com as molduras posicionadas é hora de trabalhar nas folhas das esquadrias. O autor mostra no tutorial como é trabalhada e ajustada uma folha na esquadria, com vidro incluso!
  • Por último, a parte mais divertida sempre! O arremate dos planos do telhado. Nas imagens fica complicado de visualizar como ele fechou os planos, no vídeo ele não chega nessa parte. Então você terá que seguir as orientações do texto.

Essa é uma técnica universal que pode ser aplicada em qualquer ferramenta 3D, seja você usuário do Blender 3D, 3ds Max ou outra suíte 3D. Antes de sair seguindo esse tutorial a risca, lembre que o autor ignorou uma premissa básica desse tipo de modelagem. Sempre modele apenas o que será visível pela câmera.

Caso você resolva fazer o modelo todo, na hora de renderizar e usar aquela famosa ferramenta de iluminação global, você precisará calcular reflexões e interações para superfícies que sequer são visíveis pela câmera.