Cycles como renderizador independente do Blender?

O surgimento do Blender Cycles como opção para rederizar cenas usando algoritmos avançados é sem sombra de dúvida uma das maiores evoluções em termos de ferramentas e opções que apareceu no Blender. Antes de termos o Cycles disponível, era preciso instalar softwares externos e adicionar plugins ou Add-ons que ajudavam na integração das cenas modeladas no Blender com esses renderizadores, que algumas vezes demandavam conhecimentos intermediários em relação a configuração dos arquivos para fazer tudo funcionar. Hoje é tudo simples, e precisamos apenas escolher o Cycles entro das opções de render do Blender para gerar as nossas cenas com um mínimo de realismo.

Isso foi muito importante para os artistas 3d usando o Blender, e muito em breve deve ajudar também usuários do outros softwares. Uma versão do Blender Cycles chamada de Standalone está sendo preparada para distribuição nesse exato momento. O software seria apenas a parte relacionada com o render de cenas, funcionando de maneira independente ao Blender.

Qual a vantagem em ter o Cycles disponível nesse tipo de plataforma?

Com o software funcionando de maneira independente do Blender, poderíamos ter o Cycles sendo integrado com outros softwares de modelagem 3d que dependem de plataformas proprietárias para renderização. Por exemplo, os usuários do SketchUp não possuem uma plataforma simples de render gratuito. O Kerkythea é uma opção interessante, mas a sensação que tive ao usar o renderizador é que o seu desenvolvimento está meio que abandonado(*versão gratuita*).

E caso o Cycles seja adotado por outros softwares como plataforma de renderização, o resultado disso é que mais pessoas devem contribuir com o desenvolvimento do renderizador. A contribuição de mais pessoas teria reflexo imediato na oferta de novas ferramentas e evolução mais rápida em termos de recursos para todos que utilizam o Cycles, seja com o Blender ou usando o renderizador com outros softwares de modelagem 3d.

Quer testar o Cycles standalone? Uma versão de testes está disponível para download na página do projeto dentro da Wiki do Blender. Mas, infelizmente apenas para plataforma Windows. Assim que mais informações sobre o funcionamento do Cycles Standalone foram divulgadas, aviso aqui no blog.

Aprendendo a usar o Blender Cycles

Quer aprender a usar o Blender Cycles? No EAD – Allan Brito você encontra vários cursos próprios sobre o Cycles, mostrando o funcionamento do renderizador no que diz respeito as suas opções de maneira geral e também materiais avançados. Esses são os cursos:

Ao realizar a inscrição em mais e um curso ao mesmo tempo no EAD – Allan Brito, você ainda pode receber um desconto! Basta visitar a área de combos para receber descontos progressivos na inscrição em múltiplos cursos ao mesmo tempo.

Mitsuba: Novo renderizador unbiased de código aberto

Os renderizadores de código aberto estão cada vez mais próximos em termos de velocidade quando comparamos os mesmos as opções comerciais, devido ao auxílio cada vez maior de renderização por hardware e melhorias nos algoritmos. Até pouco tempo atrás tínhamos opções como o LuxRender e YafaRay se destacando no conjunto qualidade e velocidade de render, mas esse número está aumentando. Podem ser opções derivadas como é o caso do SmallLuxGPU que usa o poder das modernas placas de vídeo, ou mesmo novos softwares. Esse é o caso de uma opção muito interessante de render chamado de Mitsuba Render. O software funciona com os mesmos princípios do LuxRender, apresentando técnicas de render do tipo Unbiased. Com essas técnicas podemos gerar imagens baseadas no comportamento físico da luz.

O resultado são imagens com altíssima fidelidade ao que teríamos no mundo real, mas que por outro lado acabam demandando muito tempo para renderizar. Como funciona essa ferramenta? O vídeo abaixo demonstra muito bem o funcionamento do Mitsuba Render, que funciona em praticamente todos os sistemas operacionais.

Mitsuba Renderer Overview from Wenzel Jakob on Vimeo.

A maneira com que o renderizador carrega e manipula arquivos 3d faz com que ele seja compatível com a maioria dos softwares 3d, pois é necessário carregar os arquivos usando o formato COLLADA. Assim que os arquivos são carregados, podemos começar a fazer ajustes no painel de controle do render e determinar a aparência de diversos elementos na tela.

Em termos de recursos a ferramenta está bem fundamentada, mesmo para a versão 0.1.3 temos:

  • Diversos integradores de render com variantes do Metropolis Light Transport, Photon Mapper e Path Tracing;
  • Materiais com efeitos óticos avançados como simulações de SSS e micro-polys ( Exemplo: vidro jateado).
  • Depth of Field
  • Renderização volumétrica para gerar simulações com fumaça e outros elementos translúcidos;

O renderizador é um projeto do desenvolvedor Wenzel Jakob e pode ser aproveitado por estudantes e artistas, que precisem de uma opção extra de render para softwares como o Blender, SketchUp e outros. No caso dessas ferramentas, o único requisito para que as cenas possam ser renderizadas no Mitsuba é a exportação no formato COLLADA.

O autor já publicou no web site do projeto que está planejamento integrar a ferramenta em softwares de modelagem 3d e animação. Espero que o Blender esteja na lista.