Teste de materiais com Blender 3D e Indigo

Depois que eu publiquei o artigo falando sobre o teste de materiais com o Blender e YafRay, recebi vários e-mails solicitando o mesmo tipo de arquivo para o Indigo. Eu tinha o arquivo com a cena de teste “oficial” do Indigo, mas acabei perdendo esse arquivo em alguma migração de dados ou BackUp. As mensagens que recebi me fizeram pesquisar um pouco por novas cenas de teste para o Indigo, o que resultou na cena que estarei disponibilizando hoje. Essa cena é de autoria do drBouvierLeduc, o mesmo usuário responsável pelo ótimo tutorial sobre criação de grama com o Blender 3D e Indigo.

Teste de materiais com Blender e Indigo

Impressionante não é? Para fazer o download da cena, visite esse endereço.

Antes que você vá com muita sede ao pote, devo alertar que o processo de renderização com o Indigo é diferente do YafRay, caso você não o conheça. Ele funciona de maneira semelhante ao Maxwell Render, baseado em física real. Isso gera imagens com nível de realismo impressionante, mas que consomem uma quantidade razoável de memória e processamento.

Então, se você quiser fazer o download dessa cena para testar e criar uma pequena biblioteca de materiais, com o Indigo, recomendo que tenha um pouco de paciência primeiro para trabalhar com o mesmo. Outro complicador para o Indigo, você terá que fazer ajustes no XML da cena para gerar o material desejado. Sim! Essa cena foi gerada pelo Blender, mas o autor só disponibilizou o arquivo XML para que os materiais sejam criados. Então será necessário editar o código!

Ficou desanimado? Leve em consideração o resultado final da sua renderização, assim que você contemplar o seu render foto realístico, todo esse trabalho de configuração fica para trás.

Se você quiser uma ajuda, visite esse endereço com algumas ótimas dicas sobre como configurar os materiais do Indigo, diretamente no arquivo XML. Procure pelos links sobre “Materials Settings”.

Aproveitando esse artigo sobre o Indigo, uma nova versão do Blendigo foi lançada recentemente e estou fazendo os devidos testes nessa versão, para poder escrever um pequeno tutorial sobre as melhorias e coisas que ainda não havia divulgado por aqui. Então aguarde por novidades para breve.

Boa renderização!

Tutoriais sobre a configuração de materiais para o Maxwell Render

Eu não sou usuário do Maxwell Render, mas tenho muito interesse nele. O que me faz ter interesse no Maxwell é o fato dele ser o “primo” rico do Indigo. Digo que são primos pelo fato das duas ferramentas usarem o mesmo princípio para renderização, baseando-se em física real para gerar as imagens. E como você deve ter percebido pelos meus últimos últimos artigos, tenho muito interesse no Indigo. Como os dois são parecidos, muito do que é abordado no Maxwell render, pode ser aplicado no uso do Indigo. É como eu sempre digo para os meus alunos, o que muda de ferramenta para ferramenta é a maneira como configuramos os parâmetros. Por exemplo, no Maxwell temos uma interface para organizar os parâmetros, no Indigo precisamos manipular o arquivo XML, mas isso são apenas detalhes.

O embasamento técnico das ferramentas é muito parecido, inclusive com algoritmos que usam as mesmas fórmulas matemáticas às vezes.

Para ajudar nos meus estudos sobre o Maxwell, descobri um excelente recurso para aqueles interessados em aprender mais sobre configuração de materiais. Um artista do Maxwell chamado Mike Verta, produziu uma série de tutoriais em vídeo, explicando como configurar e usar os materiais do Maxwell Render. Ele publicou os links para download, de maneira gratuita nos fóruns do Maxwell Render.

Tutoriais Maxwell Render - Vídeos

Os vídeos estão em alta resolução e são no total 5 vídeos com aproximadamente 150MB cada um! Apesar de deixar bem claro que o vídeo é sobre o Maxwell, o autor usa o Maya como exemplo de integração com a ferramenta. Ele apresenta vários cenários para a configuração dos materiais, em que o artista pode fazer ajustes diretamente na suíte 3D, como o Maya, ou usar a própria interface do Maxwell para os ajustes.

Além dos materiais o autor também aborda alguns aspectos interessantes sobre como conseguir o máximo de realismo, para as cenas que são usadas no tutorial. Quem trabalha com maquetes eletrônicas pode se aproveitar muito dessas dicas.

Mesmo que você não use o Maxwell ou o Indigo, recomendo que assista ao Tutorial. Sempre é possível aprender alguma coisa nova com esses vídeos, mesmo que a ferramenta abordada não seja a que você usa.

Para fazer o download, visite esse endereço. Mas é necessário possuir uma conta de usuário, nos fóruns do Maxwell, que pode ser feita de maneira gratuita.

YafRay no Google Summer of Code 2008

O processo de organização para a proposição de projetos que possam ser desenvolvidos no Google Summer of Code 2008, que acontece no meio do ano, está em andamento para o YafRay! Os desenvolvedores do renderizador que melhor se integra ao Blender organizaram até uma Wiki, para reunir idéias para projetos e tentar melhorar ainda mais a ferramenta. Eu já havia comentado sobre isso aqui, mas a iniciativa de criar um Wiki para reunir idéias da comunidade de usuários mostra a seriedade do projeto.

YafRay Logo

O SoC já trouxe inúmeras ferramentas interessantes para o Blender e agora pode fazer o mesmo pelo YafRay. Como o YafaRay está ainda nas suas fases iniciais de desenvolvimento, alguns recursos interessantes podem ser adicionados a próxima versão da ferramenta.

Infelizmente uma das coisas que o YafRay mais precisa hoje em dia, ao menos no desenvolvimento do YafaRay é a nova API de renderização do Blender, que muito provavelmente só estará disponível no Blender 2.50. Essa é a razão que faz com que o YafaRay seja executado em uma versão especial do Blender, com algumas dessas modificações já implementadas em caráter experimental. Para nós usuários isso é péssimo! Por exemplo, eu não tenho coragem de usar o Blender com o YafaRay para produção de material comercial, em que as tarefas resultam em prazos e retorno financeiro.

Adotar esse tipo de versão em ambientes de produção pode trazer sérios riscos profissionais e financeiros, caso você encontre um bug que impossibilite a conclusão do trabalho, da maneira como você deseja, não haverá garantia que o problema será resolvido a tempo. Por isso é que os desenvolvedores não recomendam o uso do YafaRay para tarefas críticas.

Isso está parecendo enredo de novela, mas é a realidade das ferramentas que tanto gostamos de usar. Veja que o Blender 2.50 passa a gerar mais essa expectativa, em torno da reformulação da interface da ferramenta e dos novos recursos, que podem trazer melhorias significativas e integração facilitada com outros sistemas.

Não podemos esquecer também que o próprio Blender deverá participar novamente do SoC 2008, com projetos submetidos até o meio do ano.

Aproveitando esse texto sobre o YafRay, no último tutorial sobre o YafaRay, fiquei devendo uma explicação sobre os diferentes métodos de GI disponíveis na ferramenta. Bem, usei como referência para a explicação a descrição do próprio Samo, desenvolvedor do YafRay, disponível nesse link. A descrição resumida é a seguinte:

  • Path Tracing: Com esse método os raios de luz são disparados da câmera. Esses mesmos raios refletem nas superfícies até encontrar um ponto de luz. Quando o ponto de luz é encontrado, o software então faz o cálculo da iluminação com base no caminho traçado pelos raios e as propriedades das superfícies.
  • Photon Map: Aqui os raios de luz são disparados das respectivas fontes, até que eles formem um mapa de fótons. Como o importante aqui é a emissão dos raios, a partir das fontes de luz, a posição da câmera não é importante.

Bem, enquanto esperamos as novidades para o próximo YafRay alguns usuários mais experientes do Blender já começam a migrar para outros renderizadores. Por exemplo, o Enrico Cerica que é usuário tanto do Indigo como do YafRay tem postado mais trabalhos com o Indigo ultimamente e muita gente já investe também no Luxrender.

Para você ter uma idéia do que o Enrico está aprontando com o Indigo, confira esse trabalho que ele publicou na galeria da CG Society. O trabalho de texturas e iluminação é fantástico! Tudo modelado no Blender! Claro que muito do apelo dessa imagem está na textura, mas a iluminação também ajuda.

Como é possível perceber, essa novela entre o YafaRay e o Blender 2.50, ainda terá muitos capítulos até que tudo se resolva, mas ao menos com essa perspectiva de uma melhor integração e novas ferramentas, temos esperança que junto com o Blender 2.50, o YafaRay seja lançado oficialmente com uma versão estável ainda esse ano! Isso iria coroar o lançamento do Blender com essa fantástica ferramenta de renderização.

Agora é só ter paciência e esperar!