Blender 2.50: Script permite importar cenas do 3ds Max

A primeira coisa que a maioria dos usuários me pergunta quando faço a sugestão para que os mesmos migrem do 3ds Max para o Blender, é se será possível importar os seus antigos projetos para o Blender. Esse sempre foi um ponto relativamente crítico na migração, que até hoje só podia ser contornado com o uso de formatos de arquivo 3d reconhecidos universalmente. A importação direta de arquivos com o extensão max do 3ds Max é praticamente descartada para o Blender, pois o formato é fechado e apenas a Autodesk poderia oferecer as instruções necessárias para converter esse tipo de arquivo em formatos como o COLLADA. Mas, nem tudo está perdido! Um usuário do Blender e 3ds Max e que tem conhecimento sobre programação, desenvolveu um script que permite exportar cenas criadas no 3ds Max para o Blender, usando o formato OBJ.

O diferencial desse script é que o autor promete manter a maioria das configurações e ajustes para animação feitos no 3ds Max, inclusive propriedades como a hierarquia de objetos e até mesmo ajustes do mental ray. O script para exportar do 3ds Max para o Blender pode ser copiado nesse endereço.

O vídeo abaixo mostra um exemplo da aplicação da ferramenta no 3ds Max 2010:

No tutorial podemos perceber que é feito algum tratamento na parte do script executado no 3ds Max, que foi desenvolvido com MAXScript. Essa é a parte que prepara o arquivo para ser recebido no Blender. Assim que o processo termina teremos uma série de arquivos que podem ser importados depois no Blender ou qualquer outra ferramenta. A grande vantagem desse processo é que as relações de hierarquia e keyframes adicionados no 3ds Max foram corretamente transportados para o Blender 2.50. Isso facilita muito a conversão de antigos projetos de animação, em que é preciso continuar o procedimento no Blender.

A desvantagem é que o 3ds Max ainda é necessário para fazer a conversão do material, o que pode acabar limitando um pouco o uso da ferramenta. O ideal mesmo é que usuários do Blender pudessem importar material do 3ds Max sem a necessidade do software. Já imaginou poder usar a grande variedade de bibliotecas de arquivos e mobiliário existente no formato do 3ds Max? Isso para renderização com o YafaRay ou LuxRender. Seria fantástico.

Script permite criar nuvens e fumaça no Blender 2.50

A criação de efeitos atmosféricos sempre foi um problema para a maioria dos softwares 3d, tanto é que apenas nos últimos anos é que essas ferramentas ganharam capacidades e alternativas sofisticadas para simular efeitos atmosféricos. Em produções ou projetos de maior porte, a opção preferida é sempre recorrer as ferramentas especializadas nesse tipo de tarefa como o Vue ou até mesmo o Terragen. Ele tem opções e ferramentas para criar efeitos como nuvens, neblina e muitos outros de maneira rápida e com grande nível de realismo. Em pouco tempo outro software deve começar a chamar a atenção para as suas opções de simulação. Estou falando do Blender 2.50 que recebeu um script que aproveita as opções de simulação física para simular nuvens com grande nível de realismo.

O scritpt para criar nuvens com o Blender 2.50 pode ser copiado nesse endereço, em que também podemos encontrar as instruções para instalação do mesmo.

O autor do script criou um vídeo que demonstra muito bem como a ferramenta funciona:

Cloud Generation Script Tutorial from Nick Keeline on Vimeo.

O funcionamento do script é bem simples, e consiste na seleção de diversos cubos que devem ser organizados para formar o volume da área que será convertida em nuvens. Assim que todos os cubos estiverem criados, podemos acionar o script. Caso o arquivo do script seja copiado para a pasta addons do Blender 2.50, como orienta o texto no vídeo, teremos a opção de acionar o script na janela de preferências.

Depois, um botão chamado Generate Cloud deve aparecer no Toolbar na esquerda da 3D View. Com os cubos selecionados, basta acionar esse botão e o resultado será uma simulação realista de nuvens. A imagem abaixo é um exemplo exibido na página do Script e que mostra muito bem o nível de detalhamento do script para gerar esse tipo de efeito atmosférico.

script-nuvens-blender-atmosfera-250.jpg

Até pouco tempo atrás a única opção que tínhamos para criar esse tipo de elemento no Blender, era com a mistura de partículas e materiais do tipo Halo. Existe até um exemplo bem detalhado desse tipo de simulação no Blender 3D – Guia do Usuário. Com esse novo script do Blender 2.50 as simulações atmosféricas devem ficar muito mais simples e fáceis de criar.

Surface Sketching ajuda na modelagem orgânica com Blender

A modelagem orgânica de objetos é sem sombra de dúvidas o tipo de criação em 3d que exige mais disciplina e habilidades artísticas. Se o objeto da modelagem ainda precisar passar por softwares ou ambientes de escultura digital, a necessidade de algum tipo de habilidade ou experiência com escultura é ainda maior. Uma das ferramentas usadas para facilitar a criação de versões e correções em modelos 3d orgânicos é a chamada retopologia, presente em boa parte dos softwares 3d que trabalham com modelagem orgânica. A retopologia pode funcionar de várias maneiras, sendo a mais comum a interseção de superfícies com modelos 3d prontos, que geram novos objetos 3d com estrutura mais organizada.

Um artista e usuário do Blender conhecido como Eclectiel, desenvolveu um pequeno script que deve ajudar significativamente o trabalho de retopologia, e também de modelagem orgânica com o Blender 2.50. A ferramenta se chama Surface Sketching e como o nome mesmo diz, o seu objetivo é desenhar superfícies em 3d de maneira automatizada. O script aproveita as opções de desenho existentes no Grease Pencil do Blender, especializado em desenhar sobre objetos na 3D View, fazendo a ligação entre as linhas e criando superfícies em 3d.

Depois que as linhas são desenhadas sobre a 3D View ou sobre outros modelos 3d, podemos acionar um pequeno botão chamado Add Surface, que cria superfícies 3d baseadas em Meshes ligando as linhas. Bem, explicar com palavras é uma coisa, melhor mesmo é visualizar a ferramenta em funcionamento:

Surface Sketching for Blender (timelapse demo) from Blend_Ideas on Vimeo.

Como fica claro pelo vídeo o processo de criação de superfícies 3d, seja para retopologia ou para modelagem 3d mesmo, fica muito simplificada. Basta criar algumas linhas e deixar que o script faça as ligações entre os objetos. Além da facilidade em criar modelos 3d com esse tipo de ferramenta, o que chama a atenção no script é a elegância com que as superfícies são criadas. Repare que em momento algum são adicionadas faces triangulares ou arestas cruzadas na superfície. O resultado é sempre uma malha regular e bem organizada.

Caso você queira fazer o download da ferramenta do Surface Sketching para o Blender 2.50, visite esse endereço. Será necessário usar uma versão de testes do Blender 2.50 superior a Rev 27974 que é posterior a ao Blender 2.50 Alpha 2. Essas versões são encontradas no graphicall.org.

Tutorial Blender 3D: Criando um ambiente espacial com asteróides em 3D

Uma das melhores maneiras de praticar a modelagem 3d e renderização de ambientes é trabalhar com composição de cenários e projetos, envolvendo diversos níveis e planos de visualização. Como forma de exercitar as habilidades nos softwares 3d, principalmente nos casos em que os artistas não possuem pouca experiência com o manejo das ferramentas 3d, o caminho indicado é escolher cenas e temas que demandem pouco trabalho de composição ou modelagem. Por exemplo, quando o tema da modelagem envolve a criação de paisagens como montanhas e vegetação, o artista tem um grande desafio que é a elaboração de topografia e elementos individuais como árvores para o cenário.

Como esse tipo de projeto pode gerar inúmeros objetos e polígonos, carregando significativamente o arquivo do projeto, o indicado é começar com cenas simples que envolvam poucos objetos no cenário, ou opções que façam uso de elementos como partículas ou instâncias. Isso é essencial para evitar problemas ou decepções com o uso intenso de recursos do computador, que pode inclusive fazer com que o artista desista do projeto pela incapacidade de manipular a cena.

Nesse ponto a criação de ambientes espaciais é excelente para o objetivo de criar cenas simples e com potencial para resultados visuais agradáveis, pois demanda poucos cuidados com a iluminação e modelagem 3d de maneira geral. Os elementos visíveis nesse tipo de cenário podem ser posicionados usando partículas ou outras técnicas para espalhar objetos no plano de fundo da cena.

Caso você seja usuário do Blender 3D, existe um tutorial detalhado e muito interessante sobre a criação de cenários espaciais com o uso de asteróides e outros elementos para simular anéis e detritos espaciais. O tutorial está em vídeo o mostra várias dicas para criar um ambiente composto por partículas simulando um cinturão de asteróides.

“Asteroid Belt” Video Tutorial (for Blender 2.49) from Konrad Haenel on Vimeo.

O foco do tutorial é mostrar como criar asteróides usando um script próprio para elaborar asteróides e rochas, próprias para esse tipo de ambiente. Na primeira parte do vídeo podemos acompanhar a elaboração do sistema de partículas que serve como base para distribuição dos asteróides. As partículas são organizadas sobre um plano curvo, simulando a borda de um sistema em anéis semelhante aos que circundam Saturno.

Assim que os asteróides estão criados na cena, podemos perceber como o processo de iluminação e composição para esse tipo de cena é simples e com apenas alguns ajustes na iluminação, podemos adicionar elementos esparsos no ambiente para somar na composição total.

Tutorial de modelagem para topografia com o Blender 3D

A cada nova versão do Blender 3D são adicionados novos recursos e ferramentas que facilitam muito o nosso trabalho de modelagem e animação. Mas, alguns desses recursos não ganham tanto destaque no lançamento pelo simples fato de serem scripts desenvolvidos em Python. Como esses recursos não estão totalmente integrados ao sistema do Blender, mas são executados como ferramentas auxiliares acabam ficando de fora da lista de recursos. Desde que o Blender 2.49a foi lançado, tenho pesquisado os diversos scripts que foram adicionados ou atualizados para aprender o que cada um deles pode fazer.

Um desses scripts ajuda na modelagem para topografia e criação de paisagens ou cenários virtuais. O script se chama Landscape generator e pode ser copiado nesse endereço, caso você não tenha o mesmo instalado na sua versão do Blender. Na atualização de software do Blender, alguns scripts podem não ser atualizados e também nas versões copiadas no formato zip.

O tipo de modelagem realizada pelo script é um combinação de modelagem 3d poligonal e escultura, para adicionar detalhes as superfícies. Para demonstrar o funcionamento do script, gravei um pequeno tutorial em vídeo mostrando o que é necessário para começar a elaborar as suas paisagens virtuais com o Blender 3D.

O segredo para usar esse script é conseguir realizar uma boa quantidade de testes, para identificar o conjunto de configurações ideal para o terreno que você precisa criar para seu projeto. Como é possível perceber pelo vídeo, a quantidade de informações e personalização que podemos realizar na ferramenta é muito grande.

Para criar terrenos com mais detalhes e suavização, aumente a resolução do grid inicial que precisamos adicionar a cena, com o cuidado de não usar valores altos demais para não travar o computador. Os terrenos são gerados com uma combinação entre a aba Noise e a Effects, que determinam a maneira como o terreno será exibido.

A melhor parte desse tipo de ferramenta é que os modelos 3d gerados são totalmente compatíveis com renderizadores externos que funcionam com o Blender 3D. Portanto, os terrenos gerados com ele podem ser renderizados com o LuxRender e YafaRay sem maiores problemas. Se você precisa criar cenários e paisagens virtuais com o Blender, esse script vai ajudar muito nos seus projetos.