Edição de vídeos no Blender

O Blender é uma ferramenta surpreendente por vários motivos, sendo o seu potencial para se transformar em ferramenta principal dentro de qualquer processo de criação em 3d o que mais se destaca. Mas, essa é apenas uma das facetas da ferramenta que oferece inúmeras vantagens para artistas 3d que decidirem usar o Blender como opção principal de modelagem e animação. Entre os atrativos do software temos um sistema excelente de simulação física, game engine integrada e até mesmo um pequeno editor de vídeo. Sim, o Blender possibilita a edição de vários formados de vídeo usando recursos de um editor não-linear como o Premiere.

Claro que para projetos de grande escala e que envolva a manipulação e captura de vários tipos de vídeo, o melhor mesmo é usar o Adobe Premire ou então versões mais antigas do Final Cut Pro. A versão X do Final Cut Pro não ficou muito adequada para usuários profissionais.

Edição de vídeos com o Blender para animadores

No caso do editor de vídeo do Blender chamado de sequenciador de vídeo, podemos trabalhar com diversos tipos de montagem e principalmente utilizar o recurso como auxílio na produção de animações. Por exemplo, um dos recursos mais interessantes é o trabalho com a seqüência de imagens estáticas, que pode servir como base para a criação de storyboards animados. E o editor de vídeo do Blender é capaz de gerar um vídeo desse tipo de material baseado em imagens. Claro que várias ferramentas permitem realizar esse tipo de procedimento, mas a vantagem no uso do Blender é que você não precisa sair do software 3d para procurar outros recursos, já está tudo integrado.

Quer aprender a trabalhar com o sequenciador de vídeo? O tutorial abaixo é uma demonstração rápida de como usar o sequenciador para adicionar imagens, cortar vídeos e fazer diversos tipos de edição:

O material não tem narração e conta apenas com uma música de fundo. O sequenciador de vídeo é tão importante dentro do ecossistema de produção do Blender, que ele foi incluído no meu curso de animação 3d com Blender online, como tema da aula 10 dentro do tópico de finalização de animações.

Se você pretende começar a trabalhar com animação no Blender, recomendo estudar o sequenciador de vídeo.

Making of de Carros 2

A criação de uma animação em 3d é algo relativamente complexo devido a grande quantidade de informações e detalhes, que devem ser pensados e planejados pelo artista responsável pela produção. Um dos maiores erros que vejo em animadores iniciantes é tentar resolver todo o processo de animação já com os modelos 3d finalizados. O ideal mesmo é realizar uma infinidade de testes e estudos, principalmente para validar o enquadramento da câmera e o tempo das ações na animação. Com tudo isso bem definido, os animadores podem simplesmente executar o processo de animação.

Quer um exemplo disso, vindo de uma empresa que conhece bastante de animação 3d? A Pixar divulgou no seu canal no Youtube uma seqüência da sua última animação Carros 2, em que mostra vários estágios do planejamento e execução da animação até o seu produto finalizado.

Esse trecho está bem no início da animação.

No vídeo podemos perceber como o primeiro passo para começar a trabalhar na animação é a criação de um storyboard. A representação da animação como se fosse uma história em quadrinhos permite ter idéia do enquadramento e seqüência de ações na animação. A montagem disso em formado de apresentação de slides, acaba gerando um pequeno vídeo que ajuda bastante na criação do próximo passo que é o chamado layout de animação.

Nesse estágio são criados os movimentos dos personagens, câmeras e objetos em geral no projeto. Por exemplo, um personagem pode se deslocar no cenário de maneira simples, em que não é nem necessário trabalhar com deformações para calcular e avaliar o timing necessário para a maioria das suas ações. No vídeo podemos perceber que esse estágio da animação é realizado exatamente sem iluminação, usando apenas sombreamento simples para esse tipo de estudo.

Apenas no final do processo é que a equipe de animadores coloca em prática tudo que foi estudado, e adicionar efeitos especiais como explosões e a iluminação definitiva.

Mas, você pode até se perguntar se esse tipo de processo de produção não deixa mais lenta a criação da animação? Na verdade, é exatamente o oposto. Sem esse planejamento prévio, o que aconteceria é que a equipe iria perceber os ajustes e correções apenas depois de ficar centenas de horas trabalhando no render e iluminação de seqüências que não seriam aproveitadas no projeto. É como mandar provas de um trabalho para qualquer cliente, para evitar surpresas no momento da entrega.

Planejando uma animação 3d com storyboards e vídeos

Qual é a fase mais importante produção de uma animação 3d? Sem sombra de dúvida que é o planejamento e preparação da equipe para trabalhar com o roteiro e conceito da animação. Na maioria das animações 3d, mesmo as que tema penas como propósito a ilustração ou ambientação do público para jogos, o processo de criação desse tipo de material se assemelha em muito ao que acontece com estúdios tradicionais de animação. Boa parte da animação, mesmo as que tem menos de 10 minutos de duração, envolvem em alguns casos o uso de tomadas de câmera complexas e uso de veículos de transporte futuristas, que exigem do diretor do projeto vários estudos de câmera e posicionamento dos atores.

Caso você tenha curiosidade de comparar o processo de planejamento de uma animação, com o resultado final de um desses vídeos, vários trechos de documentários sobre a produção das animações para o jogo Resident Evil 5 da Capcom foram disponibilizados no youtube, como forma de divulgar o jogo. No vídeo abaixo o pessoal do estúdio, assim como parte da equipe responsável pela animação explica os procedimentos e passos necessários, antes de começar efetivamente a trabalhar na animação.

Repare que dentre todos os aspectos da preparação da animação, um deles é bem ressaltado pela equipe: custo. Sim, com a visualização prévia do material, a empresa responsável pela produção da animação pode diminuir os custos da produção, oferecendo soluções mais fiéis para a produção e evitando os desperdícios. Esse é o vídeo:

No processo de preparação do material, a equipe do estúdio Third Floor prepara animatics e story boards em vídeo. Veja que interessante o processo deles, que faz o caminho inverso de muitas produções: usar atores reais para simular as cenas de uma animação 3d. Nesse caso, o uso dos atores é mais barato que a execução da animação.

Essa foi a preparação, mas e o resultado final? Olhe só como ficou:

É interessante identificar as partes da pré-produção como vídeo finalizado e visualizar a evolução do material. Esse é mais um exemplo de que sem planejamento e principalmente, o dimensionamento correto dos custos, um projeto de animação pode naufragar feio o estúdio. Principalmente nesses tempos de vacas magras, em que vários artistas 3d estão perdendo cargos em estúdios de animação. O melhor mesmo é planejar para não passar por problemas.

Animações para visualização de projetos arquitetônicos: Como fazer?

Uma das coisas que um artista 3d, interessado em trabalhar com animação precisa aprender o quanto antes é o processo de manipulação de câmeras. Estou falando sobre as técnicas de enquadramento e montagem de seqüências de vídeo, pois isso é que dá vida e pode ajudar muito na narrativa. Dentre os tipos de animação comerciais, uma das mais comuns é a visualização de projetos arquitetônicos, que exigem requisitos bem específicos dos animadores. No projeto de animação para arquitetura, o diretor do vídeo deve seguir uma regra de ouro que é “não enquadre paredes”.

Só por não enquadras paredes, você consegue um ótimo resultado. Parece simples, mas não é tão fácil assim, principalmente para quem tem pouca experiência com esse tipo de animação. Quer um exemplo de como se faz? Procure por vídeos da Neoscape no Youtube, que é uma das maiores empresas de visualização de projetos arquitetônicos do Mundo.

O vídeo abaixo, mostra um exemplo do que eles fazem. Mesmo tento apenas 3 minutos aproximadamente, a animação é uma pequena “super-produção”, com direito a atores reais e até mesmo helicóptero.

Sim, esse vídeo foi encomendado por uma empresa interessada em realizar a obra. Pelo tamanho do empreendimento, acho que o orçamento da animação não foi problema para eles.

Essa é a maneira “tradicional” de apresentar. Existem outras técnicas, que misturam gráficos 2d e animação 3d para mostrar uma obra.

Um vídeo de uma empresa Britânica, mostra um projeto arquitetônico, com uma mescla de história em quadrinhos e animação 3d. Os personagens da história em quadrinhos mostram a vivência nos ambientes do projeto. Assim que o personagem passa por algum tipo de experiência no ambiente, o vídeo passa para uma visualização do ambiente em 3D.


CGarchitect.com 3DAwards – Uniform (UK) from Jeff Mottle on Vimeo.

O método é muito inteligente e evita o uso de atores reais. Na verdade, com esse tipo de abordagem, qualquer artista com conhecimentos em composição 3d, pode fazer esse tipo de trabalho. O uso de atores para ambientar e humanizar as animações 3d, sempre foi um grande problema. No caso da Neoscape, eles têm recursos financeiros suficientes para contratar atores, mas com orçamentos menores, outras empresas acabam fazendo animações sem humanização.

Qual o segredo para criar esse tipo de animação? A resposta é simples; planejamento.

Ambos os vídeos devem ter passado por várias fazes de planejamento, desde a criação de um roteiro que descreve o posicionamento das câmeras até o storyboard. Sem falar nos animatics, que são fundamentais para decidir o melhor posicionamento das câmeras e cortes no vídeo.