Processo de modelagem e render de cenários virtuais

O processo de criação de projetos em softwares 3d é geralmente demorado e requer boa dose de preparação, antes de sentar na frente do computador e começar a criar faces, arestas e vértices no seu software preferido de modelagem. Tudo isso tem o objetivo de evitar o temido retrabalho, que é uma praga em ambientes de produção repletos de profissionais e artistas que ignoram as fases iniciais do planejamento de qualquer projeto. Esse comportamento errado já começa nos estágios iniciais do aprendizado, pois percebo isso nos meus alunos que detestam produzir storyboards e escrever roteiros, querendo passar para o estágio de produção de imediato.

O resultado é que as suas iniciativas resultam em material que precisa de inúmeros retorques e ajustes, para começar a fazer sentido. É como gerar o render para qualquer tipo de projeto, esperar algumas horas pelos resultado final, e depois descobrir que você errou na escala de uma textura no ambiente. Será que isso não poderia ser testado antes?

Mas, esse não é o assunto desse artigo.

Criando cenários virtuais para visualização

Um vídeo interessante chamou a minha atenção hoje pela manha, e ele mostra o processo completo de modelagem, texturização e finalização de um projeto para arquitetura no 3ds Max. Todo o processo de criação e ajustes durou cerca de 20 horas, que o autor do vídeo condensou em 5 minutos.

A velocidade do vídeo é incrível, mas ainda assim é interessante conhecer e perceber que em algumas horas a Viewport vazia de um software, que nesse caso é o 3ds Max, pode gerar geometria 3d e que esses objetos ao serem inseridos dentro de uma cena, acabam servido para representar idéias.

Esse é o tipo de material que ajuda as pessoas que não tem muita experiência com a produção de material em 3d, a entender como funciona o design de cenários e renderização das mesmas. Você vai aprender alguma coisa com esse tipo de imagem? Dificilmente. Mas, será capaz de visualizar de maneira geral o processo de criação de um usuário mais experiente.

Só tome cuidado para não ficar com dor de cabeça, pois o vídeo é muito rápido!

TreeGen: Script gratuito do 3ds Max para gerar árvores

O uso de vegetação em projetos de visualização pode ser desafiador para a maioria dos artistas 3d, pois dependendo da técnica escolhida para adicionar esses elementos no projeto, o resultado pode ser visualmente convincente, mas inviabilizar a edição da cena como um todo. Se você precisa adicionar vegetação no seu projeto, existem basicamente as opções relacionadas com o uso de texturas aplicadas em planos, e com mapas de transparência, podemos simular a vegetação a grandes distâncias. Quando a câmera está próxima desses planos, o efeito é facilmente perceptível pelos usuários.

Outra opção é usar vegetação com base em polígonos, que dá uma excelente volumetria as imagens, mas dependendo do número de faces, pode dificultar muito a edição e manipulação de cena, sendo o caso comentado no início do texto.

E sempre temos a opção de procurar por plugins que adicionam vegetação realista na cena, e em termos de plugins externos o ecossistema do 3ds Max é um dos mais completos.

Plugin gratuito do 3ds Max para criar vegetação

Um plugin publicado nos fóruns do PolyCount chamado TreeGen pode ser a solução paar quem precisar de vegetação baseada em geometria 3d real. O plugin tem como objetivo gerar modelos 3d de árvores com uma boa quantidade de detalhes. O vídeo abaixo mostra o funcionamento desse plugin.

O processo de configuração desse plugin é bem simples e pode ajudar artistas interessados em trabalhar com modelagem para jogos, pois as árvores geradas pelo script podem ter limitações na quantidade de polígonos usada. Os materiais para as folhas e outros elementos da vegetação podem ser definidos pelo usuários com o Bark Material e também os polígonos usados para representar as folhas.

Essa ferramenta ainda está em estágio Beta, mas já mostra uma boa gama de opções nas suas ferramentas. Para usuários que trabalham com desenvolvimento de jogos, visualização para arquitetura e até mesmo animação, a ferramenta pode ser de grande ajuda.

Mas, avalie o peso desse tipo de vegetação no seu projeto, pois dependendo da quantidade de árvores usadas na cena, o seu computador pode não suportar o grande volume de faces desses polígonos, inviabilizando até mesmo a manipulação simples do projeto.

Tecnologia para integrar AutoCAD e 3ds max para arquitetura

A criação de maquetes eletrônicas para arquitetura sempre inicia com um projeto que geralmente é oriundo de softwares de CAD como o AutoCAD. Ainda me lembro das primeiras vezes em que precisei criar uma maquete eletrônica ainda na faculdade, e depois de algumas horas tentando trabalhar com o 3d studio Max 2, isso era na segunda metade dos anos 90, desisti de tentar criar alguma coisa que tivesse um mínimo de precisão e passei logo para o AutoCAD. E ainda hoje a coisa não é diferente, e mesmo sabendo que é perfeitamente possível trabalhar com dimensões e medidas na modelagem poligonal para arquitetura, ainda é tentadora a possibilidade de usar um software de CAD para elaborar os modelos 3d.

Um dos meus primeiros trabalhos na área de computação gráfica era exatamente a finalização de projetos arquitetônicos oriundos na maioria das vezes do AutoCAD. Portanto, a experiência de importar arquivos em DWG para o 3ds Max ainda é bem comum para mim, como o fato de organizar os objetos já em camadas pensando na divisão resultante no 3ds max.

Integrando o AutoCAD com o 3ds max para arquitetura

A Autodesk está com um projeto muito interessante para os usuários e artistas que ainda utilizam o processo de criação para arquitetura começando no AutoCAD e terminando no 3ds max. O nome do projeto é AutoCAD Quick Send to 3ds Max e a sua proposta é bem simples, consistindo em uma maneira rápida de enviar arquivos do AutoCAD para o 3ds max.

Os vídeoa abaixo mostram um pouco de como funciona essa tecnologia:

Você pode fazer o download gratuito dessa extensão para o AutoCAD de maneira gratuita no site do projeto, e a Autodesk garante o seu funcionamento até o dia 1 de Março de 2012. Portanto, corra e garanta a sua cópia!

Modelagem 3d para arquitetura

Uma dica interessante para quem ainda está começando seus projetos em softwares de CAD, é que hoje já existem inúmeras ferramentas de precisão para a modelagem poligonal em ferramentas como o 3ds max, Maya, Blender e outros. A vantagem em criar os modelos para arquitetura no próprio software em que você vai finalizar e renderizar a cena, até para ter facilidade na aplicação de materiais e texturas, e controle total sobre mapas UV e outros detalhes.

Dicas para otimizar o uso 3ds Max 2012

Os usuários mais antigos de vários softwares 3d como o 3ds Max acabam adquirindo uma série de pequenas dicas ao longo do tempo, que ajudam a resolver pequenos problemas no uso da ferramenta. Essas dicas são extremamente valiosas para usuários iniciantes, pois acabam ajudando muito em tarefas de modelagem, animação e finalização de projetos. Para os artistas que utilizam o 3ds Max, encontrei uma lista muito interessante de dicas sobre como usar melhor o 3ds Max, contabilizando um total de 100, que explicam diversos aspectos e detalhes do software.

3ds_max_2012_download-gratuito.jpg

O material é de autoria de um artista chamado Jamie Gwilliam que mantém um blog sobre o uso do 3ds Max. Por exemplo, o artista aborda em várias das suas dicas, procedimentos que ajudam a evitar problemas futuros em projetos de modelagem.

A dica 56 é um excelente exemplo disso! Nessa dica o autor explica como aplicar um modificador Boolean de maneira a garantir um histórico de transformações na modelagem, para garantir uma maior flexibilidade na edição.

Outras dicas são mais elementares, mas ainda assim interessantes como o uso das teclas 1, 2, 3 e 4 para alternar entre modos de seleção de sub-objetos como vértices, arestas e faces.

Apesar da lista ser muito útil, recomendo um pouco de cautela na consulta, pois o material é muito extenso! Para pessoas sem muita experiência com o 3ds Max, é interessante sair pontuando os assuntos que são relevantes para o seu trabalho como o software, pois as dicas acabam tendo um espectro muito amplo de abrangência, o que pode atrapalhar mais do que ajudar.

Problemas na renderização com o V-Ray?

O processo conhecido como renderização em softwares 3d é um dos que mais consome memória e processamento na sua execução, e podemos dizer que para renderizar alguns tipos em particular de cenas é necessário ficar longos períodos renderizando as cenas para conseguir resultados satisfatórios. Isso quando não acontecem problemas no meio da renderização como erros no render causados pelos mais variados fatores, sendo que o mais comum é as falta de memória RAM. Sim, em cenas demasiadamente complexas a falta de memória RAM no computador pode resultar em erros repentinos na renderização e perda de horas de trabalho.

Já recebi vários e-mails e perguntas pelo Twitter de usuários querendo tirar dúvidas sobre problemas relacionados a erros de render no mental ray e V-Ray. Existe alguma coisa a fazer nesses tipos de situação?

The worst blue-screen-of-death ever.

Como solucionar erros de render no 3ds Max e V-Ray?

Para os usuários do 3ds Max que utilizam o V-Ray como software para gerar as suas imagens, encontrei um excelente guia publicado pelos pessoal do Renderstuff. Eles criaram um grande tutorial em texto explicando como resolver problemas de render relacionados a falta de memória RAM no V-Ray.

  • O tutorial é muito bom e ajuda a responder as seguintes perguntas:
  • Como evitar que o 3ds Max trave devido a falta de memória RAM?
  • O que fazer quando o V-Ray parar repentinamente na renderização?
  • Como lidar com a falta de memória RAM no V-Ray?
  • Como renderizar uma cena com milhões de polígonos?
  • Como melhorar o desempenho do computador durante o render?
  • O que é o raycasting e como a aceleração do V-Ray funciona?
  • O que é o BSP tree e como a sua estrutura é organizada no V-Ray?
  • Qual a diferença entre o Raycaster dinâmico e estático?
  • Quando o V-Ray usa a paginação de memória ou o Swap?
  • Como fazer o V-Ray usar o Raycaster dinâmico?
  • O que são os V-Ray buckets?
  • Para que serve o log do V-Ray?
  • Como alterar a prioridade do render no V-Ray?
  • O que fazer quando o V-Ray travar durante o cálculo do Light Cache?
  • Como calcular a melhor quantidade do Dynamic Memory Limit?

O texto do tutorial é longo, mas vale a pena a leitura, principalmente para quem gosta de conhecer os aspectos técnicos de como funcionam softwares como o V-Ray no 3ds Max.