Novas imagens do ZBrush 4 Release 2

Já faz algumas semanas que a Pixologic publicou uma série de imagens sobre o ZBrush 4 Release 2, que é uma atualização para o consagrado software escultura digital que é considerado por muitos artistas 3d, como sendo a melhor opção para gerar modelos 3d com base em escultura. Essa atualização para o ZBrush deve apresentar algumas ferramentas novas e ajustes em outras já existentes. Mas, a mais notável das modificações no Release 2 do ZBrush 4 ao que parece foi a incorporação de técnicas provenientes do Sculptris. Para quem não lembra, o Sculptris é aquele software de escultura revolucionário, que foi criado por apenas uma pessoa e sem fins lucrativos.

O resultado ficou tão bom que a Pixologic acabou comprando o código do Sculptris e lançou a ferramenta sob o seu selo, e agora emprega o criador do software. E não seria surpresa para ninguém, se em alguma atualização do ZBrush o método de escultura do Sculptris fosse usado. A técnica é bem simples, e consiste na subdivisão seletiva de partes do modelo 3d que são esculpidas. Isso deixa o modelo 3d muito mais leve.

Bem, o ZBrush 4 Release 2 com comportamento semelhante ao Sculptris pode ser conferido nesse endereço, que leva diretamente aos fóruns do ZBrush Central.

zbrush-4-release-2.jpg

Além do novo método de escultura, podemos conferir no vídeo novas ferramentas como operações booleanas, e o novo e avançado modo de render chamado de LightCap. Já falei sobre essa atualização do ZBrush em abril, indicando as imagens desse artigo como referência.

Agora é só esperar!

ZBrush 4 atualizado para versão R2

As ferramentas de escultura digital sempre foram encaradas por artistas como uma forma de gerar modelos 3d para finalização em outros softwares, ficando apenas o software de escultura com a responsabilidade de gerar a malha 3d. Esse é o fluxo de trabalho para os artistas que trabalham com ferramentas como o ZBrush e Mudbox que exportam os modelos 3d para softwares como Maya, 3ds Max ou outros com melhores condições de gerar imagens realistas. Nas últimas semanas a Pixologic lançou uma atualização para o seu aclamado software de escultura, que é a quarta versão do ZBrush. Mas, ainda não estando satisfeita com a atualização, parece que teremos mais uma versão do ZBrush 4 chamada de R2.

Nos fórums de usuários do ZBrush já começam a aparecer imagens de usuários que publicaram amostras do que podemos aguardar em termos de novidades para a versão R2. Essa segunda versão apresenta uma quantidade de melhorias bem menor, pois é apenas uma atualização da versão 4 já lançada, mas ainda assim impressiona.

A imagem abaixo é um exemplo do que poderemos fazer dentro do ZBrush usando um novo recurso chamado de LightCap.

ZBrush-4-R2.jpg

O LightCap é semelhante ao que temos no MatCap que faz a captura de materiais com base em imagens já existentes, mas o LightCap é aplicado diretamente no ambiente usado para renderizar a escultura, ajudando muito na iluminação do modelo e gerando uma iluminação muito boa para esculturas com materiais com reflexão ou transparência.

Isso abre a possibilidade para uso de imagens HDRI dentro do ZBrush 4 R2 para gerar iluminação realista e colocar esculturas em cenários baseados em imagens HDRI. Dentro do link que indiquei no início do artigo existe um exemplo de escultura que foi criada com o uso de imagens HDRI em um porto, resultando em uma imagem com excelente nível de realismo.

Para os curiosos sobre escultura digital, o link que leva para uma mensagem no fórum ZBrush Central ainda mostra exemplos de modelagem mecânica/orgânica com a nova versão do ZBrush. A atualização do ZBrush 4 para a versão R2 será gratuita para todos os usuários que adquiriram uma licença do software. Ainda não existe data para o lançamento, mas assim que for lançado aviso aqui no blog.

Apostila gratuita e oficial sobre escultura digital com ZBrush 4

Essa semana comentei aqui no blog um projeto que pretende levar técnicas de manipulação usando polígonos com grande densidade para o Blender, permitindo criar esculturas digitais com detalhes minúsculos. Isso deve atrair muitos artistas interessados em trabalhar com escultura e que não tenham interessem no investimento em softwares proprietários caros. Mas, e se esse investimento não for questão de escolha, mas sim de necessidade? Como o ingresso em estúdios ou empresas que já usem esse tipo de tecnologia, fazendo com que você precise aprender esse tipo de ferramenta? Nesse caso, o envolvimento prático com o software deixa de ser uma opção e você terá que colocar a mão na massa e esculpir.

A ferramenta mais usada pare esse propósito é o ZBrush, pelo sei pioneirismo e qualidade de ferramentas a maioria dos artistas 3d acaba preferindo o ZBrush ao Mudbox. Até conheço a ferramenta, mas não trabalho com ela diariamente e fico impossibilitado de emitir uma opinião baseada em prática. Todos os artistas que conheço e que trabalham com escultura, preferem o ZBrush.

A Pixologic é a desenvolvedora do ZBrush e eles querem ajudar você a estudar e aprender o funcionamento do ZBrush, com o lançamento de um guia ilustrado e de excelente qualidade sobre conceitos básicos do ZBrush 4. O download do guia que está disponível em PDF é gratuito e acompanha diversas ilustrações e diagramas da interface da ferramenta.

Guia-gratuito-ZBrush-Escultura.jpg

O material tem 52 páginas de conteúdo e está organizado em cinco capítulos:

  • Capítulo 1: Começando com o ZBrush
  • Capítulo 2: Iniciando uma escultura
  • Capítulo 3: Pintando esculturas
  • Capítulo 4: Adicionando vida as esculturas com ZSpheres, TransPose e mais.
  • Capítulo 5: Finalizando uma escultura

Tomei a liberdade de traduzir os títulos dos capítulos para que você tenha condições de avaliar o conteúdo de cada capítulo melhor, caso exista alguma dificuldade com o inglês. Esse é o único ponto negativo do material, a disponibilidade do guia apenas na língua inglesa.

Os textos são bem resumidos, mas apresentam de maneira clara o ZBrush para artistas que nunca tiveram contato com o software, permitindo começar a trabalhar na interface e gerar esculturas em pouquíssimo tempo.

Já mencionei que é gratuito?