Animação 3D independente Meet Meline com Making Of

Entre os diversos projetos e objetivos que encontro nos meus alunos que estudam computação gráfica 3d, está a criação das suas próprias animações 3d. A grande maioria sonha em criar algo semelhante ao que vemos nos cinemas com as animações da DreamWorks ou Pixar, com os seus personagens cativantes e efeitos criados apenas em softwares 3d. Apesar de ser um objetivo louvável para um artista 3d, a criação de uma animação de qualidade, mesmo que seja uma com curta duração é muito trabalhosa e necessita de dedicação e empenho. O primeiro problema que esses artistas enfrentam é a história e o enredo da animação, pois muitos deles tem uma idéia do que será realizado, mas ao colocar esse enredo no formato de um storyboard animado, o tempo total dificilmente passa de 1 minuto.

Essa é uma das causas que faz muita gente desistir desse tipo de projeto, para acabar se dedicando apenas a cenas mais curtas e que podem ser facilmente usadas em um Demo Reel de animação, sem estar relacionado com uma história em particular. Por isso, sempre que recebo esse tipo de proposta dos alunos como objetivo de projeto, acabo tentando discretamente desencorajar a produção com uma série de perguntas, sobre o enredo e planejamento da produção. Depois da conversa o pessoal acaba deixando esse projeto para segundo plano.

Mas, isso não significa que seja impossível criar esse tipo de projeto. Os leitores mais antigos do blog devem lembrar de uma animação 3d independente chamada Meet Meline, da qual comentei aqui no início do ano. O material foi produzido por um casal de animadores franceses que durante os últimos três anos, usou os finais de semana e feriados para trabalhar em um curta de animação. A animação tem aproximadamente 6 minutos de duração e consumiu todo esse tempo para a produção.

Agora, podemos acompanhar um excelente making of da animação que mostra diversos aspectos da produção como o desenvolvimento do storyboard, modelagem 3d e animação.

MEET MELINE : THE MAKING OF (Sebastien Laban and Virginie Goyons) from Sebastien LABAN on Vimeo.

A primeira parte do vídeo mostra a dificuldade em desenvolver a história e enredo da animação. Depois que o enredo e história estão montados, partimos para a organização do projeto e cronograma. Repare na quantidade de pastas e arquivos necessários para organizar os modelos 3d e cenas da produção. Essa é uma parte extremamente importante no projeto. O cronograma de produção com as suas diversas etapas também é fundamental para organizar o projeto como um todo.

Outro ponto importante sobre a produção é que os artistas usaram apenas dois notebooks para desenvolver o projeto, pelo menos a parte de modelagem e animação, sem considerar a renderização das cenas.

Se você tem interesse em desenvolver projetos semelhantes, esse tipo de material pode ajudar na elucidação de dúvidas e até mesmo servir como motivador para que você desenvolva seu projeto. Os vídeos já estão na lista de materiais que sempre mostro nas minhas aulas, sendo que agora posso mostrar também o “Making Of”.

Para saber mais sobre o Meet Meline, visite o web site oficial da animação.

Tutorial Blender 3D: Criando um ambiente espacial com asteróides em 3D

Uma das melhores maneiras de praticar a modelagem 3d e renderização de ambientes é trabalhar com composição de cenários e projetos, envolvendo diversos níveis e planos de visualização. Como forma de exercitar as habilidades nos softwares 3d, principalmente nos casos em que os artistas não possuem pouca experiência com o manejo das ferramentas 3d, o caminho indicado é escolher cenas e temas que demandem pouco trabalho de composição ou modelagem. Por exemplo, quando o tema da modelagem envolve a criação de paisagens como montanhas e vegetação, o artista tem um grande desafio que é a elaboração de topografia e elementos individuais como árvores para o cenário.

Como esse tipo de projeto pode gerar inúmeros objetos e polígonos, carregando significativamente o arquivo do projeto, o indicado é começar com cenas simples que envolvam poucos objetos no cenário, ou opções que façam uso de elementos como partículas ou instâncias. Isso é essencial para evitar problemas ou decepções com o uso intenso de recursos do computador, que pode inclusive fazer com que o artista desista do projeto pela incapacidade de manipular a cena.

Nesse ponto a criação de ambientes espaciais é excelente para o objetivo de criar cenas simples e com potencial para resultados visuais agradáveis, pois demanda poucos cuidados com a iluminação e modelagem 3d de maneira geral. Os elementos visíveis nesse tipo de cenário podem ser posicionados usando partículas ou outras técnicas para espalhar objetos no plano de fundo da cena.

Caso você seja usuário do Blender 3D, existe um tutorial detalhado e muito interessante sobre a criação de cenários espaciais com o uso de asteróides e outros elementos para simular anéis e detritos espaciais. O tutorial está em vídeo o mostra várias dicas para criar um ambiente composto por partículas simulando um cinturão de asteróides.

“Asteroid Belt” Video Tutorial (for Blender 2.49) from Konrad Haenel on Vimeo.

O foco do tutorial é mostrar como criar asteróides usando um script próprio para elaborar asteróides e rochas, próprias para esse tipo de ambiente. Na primeira parte do vídeo podemos acompanhar a elaboração do sistema de partículas que serve como base para distribuição dos asteróides. As partículas são organizadas sobre um plano curvo, simulando a borda de um sistema em anéis semelhante aos que circundam Saturno.

Assim que os asteróides estão criados na cena, podemos perceber como o processo de iluminação e composição para esse tipo de cena é simples e com apenas alguns ajustes na iluminação, podemos adicionar elementos esparsos no ambiente para somar na composição total.

Apostila gratuita de 3ds Max e Mental Ray para arquitetura e render

O Mental Ray é um excelente renderizador para produções que demandem grande quantidade de informações e manipulação de dados, sem falar no excelente nível de realismo alcançado nas suas renderizações. Mas, assim como acontece com a maioria dos softwares envolvidos na produção de imagens 3d, ele é uma das diversas opções existentes para renderizar imagens com o 3ds Max. Quando o assunto descamba para a visualização de projetos arquitetônicos é que a coisa acaba ficando ainda mais confusa para os usuários, pois o V-Ray é a escolha da maioria dos artistas 3d para produzir imagens para arquitetura. Eu mesmo estou considerando adquirir uma licença do V-Ray Standalone para usar junto com o Blender 3D e passar a escrever artigos e material, sobre como usar o V-Ray com o Blender 3D. Todos os relatos que li sobre o uso dele em conjunto com o Blender são positivos, e isso adicionaria o V-Ray ao conjunto de renderizadores que uso nos meus projetos.

Mas, e o Mental Ray? Muitas vezes usar o Mental Ray junto com o 3ds Max é a melhor escolha, mesmo que a escolha seja condicionada por fatores financeiros. Como o software já acompanha o 3ds Max, ao comprar uma licença do software o renderizador já está lá.

Nesse caso, como fazer para conseguir gerar imagens realistas com ele para arquitetura? Para ajudar artistas que estejam interessados em aprender o Mental Ray para esses fins, um artista 3d chamado Pierre-Felix Breton escreveu uma apostila sobre o Mental Ray e 3ds Max para maquetes eletrônicas para a Autodesk. O artista mostra o processo de produção no 3ds Max para arquitetura, com o foco na renderização com o Mental Ray.

apostila-gratuita-3ds-max-mental-ray-arquitetura.jpg

O material está disponível em PDF com um total de 35 páginas muito bem ilustradas e explicadas. O artista começa abordando as configurações gerais do Mental Ray e os materiais próprios do renderizador, assim como lista os diversos efeitos e fenômenos óticos que podem ser gerados com esses materiais.

Agora, o mais interessante dessa apostila é a análise que o artista faz de diversas imagens e pequenos problemas que acontecem na renderização, fazendo a indicação de como resolver e remover os defeitos. Por exemplo, sombras que ficaram com pouca definição ou texturas com defeitos de exibição ou reflexão.

O download é mais que recomendado para os usuários do 3ds Max e Mental Ray, sendo inclusive uma excelente base de estudos para os artistas interessados em aprender como solucionar problemas na criação de imagens em 3D.

Animação 3D forense: LightWave 3D usado para investigação sobre o voo 1549

O uso de softwares 3d para produção de material relacionado com entretenimento é amplamente conhecido por todos, inclusive pelas pessoas que começam a trabalhar com animação e modelagem 3d. Como esse tipo de conteúdo é bem comum na TV e cinema, fica difícil não usar ele como referência e almejar uma carreira nessa área. Mas, ainda existem diversas aplicações de softwares 3d que não são óbvias ou mesmo famosas a ponto de despertar interesse em artistas 3d iniciantes. Por exemplo, uma outra área em que podemos usar esses softwares é na investigação forense, com a simulação de incidentes ou acidentes. Quem assiste programas na TV a cabo e produções dos canais Discovery Channel ou History Channel deve saber do que estou falando.

Esse tipo de conteúdo é consumido em larga estala por essas produtoras de conteúdo para documentários, e pode ser um campo de trabalho para artistas que se aventurem na comunicação em língua inglesa.

Você deve estar lembrado do acidente sofrido pelo voo 1549 da US Airways, em que o piloto foi forçado a fazer uma aterrissagem no rio Hudson em Nova York, depois que as turbinas do seu avião foram atingidas por pássaros. Boa parte da investigação desse acidente foi feita fazer reconstituições em 3d da trajetória do avião. A empresa responsável pela produção dos vídeos e da pesquisa sobre a trajetória e eventos daquele voo, publicou um artigo detalhando o processo de produção das animações e conteúdos que ajudaram nas investigações.

O resultado pode ser conferido no vídeo abaixo:

Toda a produção foi feita no LightWave 3D com o auxílio dos arquivos de áudio e dados do radar.

animacao-3d-forense-lightwave-voo-1549.jpg

Entre os desafios para criar esse tipo de material está a necessidade de se manter ao máximo atrelado aos eventos que ocorreram naquele dia, sem desviar em momento algum do que os dados mostram. Quando estamos trabalhando em animações ou outros projetos, é perfeitamente normal fazer ajustes durante a produção. Nesse caso, tudo que é mostrado precisa corresponder ao que realmente aconteceu.

A transcrição dos diálogos entre o piloto e a torre foram montados no Adobe Premiere, para facilitar o entendimento da seqüência de eventos. Ainda existem mais vídeos e infográficos que foram usados para reconstruir a cena completa.

Você já pensou na possibilidade de se especializar em animação 3d forense?

Material gratuito sobre teoria da computação gráfica 3d com YafaRay

O processo de planejamento de qualquer curso ou atividade educacional relacionada com computação gráfica 3d é sempre um desafio, pois é preciso separar o quanto de teoria relacionada ao assunto é necessária para que os alunos consigam atingir os objetivos do curso. Por exemplo, logo no inicio desse ano tive a oportunidade de ministrar um curso sobre visualização de projetos para arquitetura, voltado para artistas 3d. Esse curso tem uma carga de teoria bem pequena e envolve muito mais a parte prática relacionada com a criação e composição de imagens realistas. Boa parte do curso é dedicado a prática e exercícios.

Mas, quando o assunto envolve o ensino de computação gráfica 3d para cursos de graduação ou mesmo pós-graduação o sentido deve ser exatamente o oposto, por mais que seja interessante passar a parte prática da aplicação dos conceitos, os próprios alunos apresentam certa resistência a assimilar esse tipo de conhecimento. Por isso, as minhas aulas preparadas para cursos de graduação e pós, acabam sempre direcionando o conteúdo para a parte teórica, até pela vocação de pesquisa desses alunos.

Existem cursos que fazem o balanço desses dois conteúdos? Claro que sim! O material é um pouco difícil de encontrar, mas é perfeitamente possível. Veja esse exemplo de material sobre renderização com YafaRay e Blender 3D, disponibilizado pelo Alvaro Luna nos fóruns do Blenderartists.org. O material foi organizado para um curso sobre o YafaRay ministrado pelo Alvaro, que é um dos líderes da comunidade de artistas e usuários do YafaRay.

material-gratuito-teoria-computacao-grafica-3d-yafaray.jpg

O material da aula está organizado em uma apresentação de 64 slides que perfaz um pouco da história da computação gráfica, até o uso das tecnologias de renderização mais recentes. Essa é uma lista dos assuntos abordados no curso:

  • História do desenho e computação gráfica
  • Como acontece a renderização
  • A equação do render
  • Processos de renderização e iluminação global
  • Métodos de render usados pelo YafaRay
  • Materiais e shaders
  • Exercícios práticos

Além de explicações acompanhadas de diagramas sobre todos esses métodos e assuntos, o material ainda é composto pode diversos exercícios práticos, propostos no final dos slides. Junto do arquivo PDF existem diversos arquivos do Blender 3D, prontos para uso nas situações indicadas no enunciado dos exercícios.

Se você é aluno de algum curso de graduação ou pós, precisando de material para pesquisa e referência, os slides devem ajudar significativamente com a parte chata da teoria. Aos usuários do Blender 3D interessados em desenvolver suas habilidades com o YafaRay, o download é mais que recomendado.