Tears of Steel

A espera pelo lançamento do projeto Mango terminou, pois ontem a tarde aproximadamente as 14 horas pelo horário de Brasília, finalmente pudemos conferir o resultado dos meses de trabalho e produção realizados pelo Instituto Blender. Se você ainda não assistiu ao curta de animação, o vídeo já está embutido nesse artigo e pode ser conferido em FullHD diretamente do Youtube mesmo. Além da versão no Youtube, você ainda pode fazer o download do filme em formatos MKV e MOV diretamente do site do projeto. Os arquivos fontes ainda não estão disponíveis para download, pois os mesmos devem ser primeiro distribuídos por meio dos DVDs, para depois serem disponibilizados no web site do projeto.

Qual a minha opinião sobre o resultado? Como é de costume nos projetos do Instituto Blender, o resultado superou as expectativas dos mais animados artistas e entusiastas do Blender. Só por considerarmos que o Blender foi usado para praticamente tudo dentro da produção que envolveu:

  • Modelagem 3d
  • Animação
  • Texturas
  • Composição
  • Tracking
  • Pós-produção
  • Montagem do vídeo

Isso mostra como a ferramenta é versátil e capaz de gerar resultados de alto nível com os conhecimentos e recursos certos. É claro que existem pequenos problemas em alguns pontos do Tears of Steel, mas eles não conseguem ofuscar o resultado final que é simplesmente fantástico. A existência de problemas é algo perfeitamente normal em qualquer produção como essa, sendo até comum encontrar esse tipo de problema até em filmes comerciais e material produzido para séries de TV.

Uma das características que não ressaltei em relação ao Tears of Steel na minha retrospectiva sobre o projeto, é que todo o material é distribuído sob uma licença Creative Commons. Isso significa que você pode utilizar os vídeos, modelos 3d, música, texturas e qualquer coisa do projeto em outras produções desde que esteja citada a fonte. E nesse tipo de aplicação, estão inclusive contempladas as produções comerciais de outros projetos usando o material do Tears of Steel!

Se você gostou do resultado, recomendo adquirir o DVD do projeto, pois isso ajuda na manutenção do Instituto Blender e na produção de futuras iniciativas.

Para outros exemplos de produções semelhantes que usam basicamente o Blender para gerar os modelos 3d, animação e praticamente tudo, recomendo uma visita ao web site do Project London. Essa produção iniciou antes mesmo do Tears of Steel e teve uma receptividade positiva entre artistas e usuários do Blender, exatamente por usar o software como base para gerar seus efeitos visuais. Até a licença do conteúdo é diferente, com a única ressalva que no caso do Project London o material não pode ser usado para fins comerciais.

Lista de renderizadores para o SketchUp

O SketchUp é uma ferramenta excelente para trabalhar com modelagem 3d devido a abordagem simplificada que o mesmo adota, atraindo muitas pessoas interessadas em fugir da estrutura tradicional da modelagem poligonal. Mas, se tem uma área em que o SketchUp é pouco atraente é na renderização dos seus projetos, sendo necessários recorrer a renderizadores externos para conseguir gerar bons resultados em projetos para arquitetura. Mas, quais são as opções disponíveis para gerar imagens realistas no SketchUp? Existem opções gratuitas? A lista tem como objetivo apresentar todas essas opções.

Render com SketchUp

Lista de renderizadores compatíveis com SketchUp

A lista será composta basicamente pelos renderizadores com maior relevância dentro do ecossistema do SketchUp, mas eventualmente posso ter esquecido algum, e portanto adicionem outros nos comentários se for necessários.

  • V-Ray: Um dos softwares mais conhecidos entre artistas que trabalham com arquitetura, devido aos excelentes trabalhos produzidos no 3dsmax com o V-Ray. É uma excelente opção para quem estiver disposto a aprender o funcionamento do software que é um dos mais “complexos” que funcionam com o SketchUp devido a grande quantidade de opções. É um software comercial e não existem versões gratuitas do V-Ray para SketchUp, você precisa adquirir uma licença para conseguir usar o software. O custo aproximado do software é de 800 dólares.
  • SU Podium: Esse é um dos renderizadores mais conhecidos entre usuários do SketchUp e promete se integrar ao software usando a mesma facilidade usada na modelagem voltada para o render. Em termos comparativos ele realmente parece mais simples que o V-Ray, mas é capaz de gerar imagens de excelente qualidade e nível de realismo. Assim como o V-Ray o Podium é comercial, mas tem preço mais acessível girando em torno dos 200 dólares.
  • Maxwell Render: O renderizador chamado Maxwell Render é uma das ferramentas que consegue atingir os mais altos níveis de realismo, pois o seu método de renderização é baseado em física real. O render acaba sendo mais demorado, mas o resultado final é fantástico. O método de renderização é chamado de Unbiased em que a imagem é gerada por refinamento progressivo. O Maxwell possui versões gratuitas e pagas do seu renderizador, mas a versão gratuita apresenta restrições. O valor comercial do software é de 95 dólares.
  • Indigo Render: Usando uma metodologia de render semelhante ao Maxwell, existe também o Indigo que funciona muito bem com o SketchUp. A ferramenta é capaz de gerar imagens com grande nível de realismo. É também um software comercial, que custa aproximadamente 600 Euros!
  • LuxRender: Aqui temos a primeira opção gratuita para uso com o SketchUp que é o LuxRender. A metodologia e funcionamento do software são semelhantes ao Maxwell e Indigo, e fora a qualidade das imagens o LuxRender ainda tem a vantagem de ser gratuito. O único ponto negativo é que o script que permite exportar cenas do SketchUp ainda está em fase experimental e pode não funcionar em todas as situações.
  • Kerkythea: Essa é outra opção gratuita que funciona junto com o SketchUp, sendo inclusive o software mais usado para gerar imagens com o SketchUp devido a qualidade dos render e pelo fato de ser gratuito. Ele tem as vantagens do LuxRender e possui um script para exportar cenas que funciona muito bem!

Agora que você já sabe quais são alguns dos renderizadores que funcionam junto com o SketchUp, fica mais fácil decidir com qual deles você vai começar a finalizar os seus projetos.

Como aprender modelagem com SketchUp?

E para as pessoas que estão interessadas em começar a trabalhar com o SketchUp para modelagem 3d, recomendo uma visita aos seguintes cursos que abordam exatamente a modelagem 3d com o software:

Retrospectiva do Tears of Steel: Projeto Mango

É amanhã o esperado dia em que o projeto Mango será lançado para a comunidade de usuários do Blender e o público em geral. Depois de aguardar vários meses e acompanhar o desenvolvimento das ferramentas criadas especialmente para resolver os desafios propostos para esse projeto, é chegado o momento de conferir o resultado final. O dia 26 de setembro marca o lançamento para o público do Tears or Steel em diversos canais e formatos, permitindo que todos possam assistir ao curta metragem da melhor maneira possível. Claro que a maneira mais fácil de assistir, é pelo canal do Youtube da Fundação Blender ou do projeto Mango que devem ser os hubs centrais de visualização do projeto.

Para celebrar a data, resolvi escrever esse artigo que lista um pouco da história e objetivos do projeto, pois nem sempre todos os usuários e artistas que usam o Blender conhecem a história e motivações que levam a equipe da Fundação Blender a trabalhar nesses projetos, que são incívelmente complexos de realizar, principalmente com orçamentos limitados.

Antes de continuar, esse é o trailer do Tears of Steel que dá uma excelenge idéia do que aguardar para amanhã:

O projeto com nome código de Mango é a quinta iniciativa de produção aberta do Instituto Blender, que é o braço da Fundação dedicado a trabalhar nesse tipo de produção. Podemos resumir os objetivos desse tipo de projeto em:

  • Promover a criação de material profissional com o Blender
  • Desenvolver ferramentas para o Blender que ajudem a resolver problemas pontuais de produção
  • Promover o Blender como ferramenta viável para ambientes de produção

Em cada um dos projetos abertos o Blender acaba dando saltos consideráveis em algumas áreas, como já aconteceu em projetos passados na área de animação, modelagem e produção de jogos. Isso acontece devido ao trabalho da equipe que fica dedicada a produção, e para ajudar aos artistas acaba desenvolvendo novas ferramentas ou melhorando outras opções que já existem dentro do Blender. Nesse projeto em particular o foco eram efeitos especiais e a criação de ferramentas para mesclar vídeo gravado com material 3d. Dessa iniciativa surgiram as ferramentas de Tracking de câmera que são um dos assuntos mais desejados pelos usuários do Blender.

Mas, como todo esse processo é financiado? O Blender não é gratuito?

Existe uma boa quantidade de usuários do Blender que não consegue entender como um software gratuito pode conseguir os recursos financeiros para criar projetos desse tipo. Só para termos uma idéia de como é caro esse tipo de projeto, podemos usar uma declaração feita pelo Ton Roosendaal em um artigo em que o custo do Big Buck Bunny é estimado em 150.000,00 Euros! Essa é uma declaração rara de encontrar, mas que mostra como os custos de produção são altos.

Esse valor alto é angariado por meio de doações e patrocínio de empresas, e da pré-venda dos DVDs com o projeto. Sim, é perfeitamente possível conseguir chegar nesse valor com a pré-venda dos DVDs. Antes mesmo que o projeto tenha início, a Fundação começa a venda dos DVDs. As pessoas que adquirem o DVD na pré-venda ainda possuem o incentivo de ter os nomes inclusos nos créditos do projeto como colaborador na pré-venda. Mas, não é só isso! Os DVDs são entregues com o conteúdo produzido pelo projeto, além dos arquivos fontes e todo o material usado na produção. E junto ainda podemos conferir tutoriais e material produzido pela equipe. É um material muito rico para quem está interessado em aprender como fazer algo semelhante.

Os valores angariados com as vendas dos DVDs e patrocínios, é usado para cobrir os custos com equipamentos e salários dos artistas e desenvolvedores que ficam no Instituto Blender durante o período da produção.

Então, amanhã você vai assistir ao resultado desse projeto que depois de vários meses em desenvolvimento e do esforço coletivo, tanto da equipe como dos usuários que financiaram o projeto, em um case fantástico de crowdfunding resultará tanto no Tears of Steel como no Blender 2.64!

Curso online gratuito sobre Adobe After Effects Básico

As animações criadas para diversos projetos em cinema e TV acabam tendo como origem ferramentas especializadas para esse tipo de produção como o After Effects da Adobe. O software é um dos mais famosos aqui no Brasil em termos de aplicação para criação desse tipo de material voltado para vídeo. O seu objetivo do ponto de vista da produção é bem diferente de uma ferramenta 3d como o Blender, pois o After Effects é voltado realmente para trabalhos com vídeo, apesar do Blender estar entrando nesse segmento com as suas recentes atualizações.

Ainda assim muitas pessoas preferem o After Effects, seja por gosto pessoal ou mesmo necessidade de mercado. Depois de inúmeros pedidos por e-mail, hoje estou lançando mais um curso gratuito no EAD – Allan Brito. O curso sobre Adobe After Effects básico já está disponível!

Esse curso somado aos outros cursos gratuitos do site já soma um total de quatro cursos totalmente gratuito para os usuários inscritos no EAD – Allan Brito. O vídeo abaixo é uma amostra do curso sobre After Effects:

Nesse curso você aprende os seguintes tópicos sobre After Effects:

  • Interface: Como é organizada a interface do After Effects e quais opções estão disponíveis para os usuários modificarem essa interface.
  • Composição: Qual é o papel de uma composição dentro do After Effects e os procedimentos necessários para criar composições dentro do software.
  • Projetos: A janela de projetos é apresentada aos usuários e o seu papel dentro do contexto do software. Esse é o lugar em que agregamos conteúdos externos ao After Effects.
  • Timeline: O coração de qualquer iniciativa relacionada com animação é a Timeline, e a do After Effects é conhecida entre artistas de vídeo como sendo uma das mais complexas. Você conhecerá a timeline e algumas das suas opções.
  • Animação: O processo de animação no After Effects é gerado com base em interpolação, assim como em diversos outros softwares. Aqui você aprende o que é necessário para começar a gerar animações com o software.
  • Render: O processo de saída das composições pode ser realizado por meio de renderização, que gera um arquivo de vídeo. Na última aula do curso você aprende como realizar essa renderização.

O curso já está completo com as suas 5 aulas todas disponíveis! Só para lembrar, você encontra dentro do curso apenas as aulas, sendo de sua responsabilidade possuir o After Effects para acompanhar o conteúdo.

Cursos gratuitos no EAD – Allan Brito

Os outros cursos disponíveis no EAD – Allan Brito de maneira gratuita são:

Biblioteca gratuita de figuras humanas para perspectivas

A criação de perspectivas para apresentação de projetos é uma das aplicações mais comuns dos softwares 3d dentro do mercado da construção civil. A possibilidade de mostrar como será determinada edificação ou empreendimento para potenciais compradores ajuda muito a vender mais, e isso justifica o investimento que as empresas acabam fazendo na produção de imagens em 3d, animações e material multimídia. Mas, existe um grande problema nesse tipo de criação que é a falta de percepção de algumas pessoas em relação a leitura de imagens.

O problema está relacionado com a dificuldade que algumas pessoas possuem de associar as formas presentes em imagens renderizadas e até mesmo fotografias, com o seu espaço real. A escala fica prejudicada nesse tipo de situação se não existirem referências familiares para as pessoas que estão observando. Para ajudar a reduzir esse problema, podemos adicionar as chamadas escalas humanas nas renderizações, que nada mais são do que modelos 3d de pessoas ou então texturas aplicadas em planos que se integram com a visualização da cena.

A mesma técnica é usada algumas vezes para adicionar vegetação e também veículos em cenas 3d, pois o uso de texturas deixa o render muito mais rápido já que não são adicionados polígonos extras na cena. Esse tipo de imagem é chamada de cutout, pois o contorno dos objetos já está definido e com pixels transparentes prontos para aplicação em planos para usar na renderização.

Download de biblioteca de texturas com figuras humanas

O problema desse tipo de solução é que precisamos criar as nossas texturas usando essa técnica, ou ter acesso a bibliotecas de imagens já especialmente preparadas para esse tipo de tarefa. Se você estava procurando uma biblioteca desse tipo para usar nos seus projetos, recomendo uma visita ao site da Xoio, que lançou a sua terceira coleção de texturas de pessoas em formato cutout prontas para uso.

download gratuito figuras humanas

Essa é uma coleção totalmente gratuita e que deve ajudar bastante na criação de perspectivas humanizadas. Os arquivos estão todos salvos no formato TIF com canal alpha, e para conseguir visualizar esse tipo de efeito é preciso um software capaz de ler esse formato. A vantagem do formato é que o mesmo suporta compressão Lossless que não exclui informações dos arquivos.