Tutoriais gratuitos de Revit para arquitetura e engenharia

A tecnologia BIM é um dos melhores aliados quando o assunto é desenvolver projetos para arquitetura ou engenharia, usando ferramentas paramétricas e que tem a capacidade de informar dados e informações reais, sobre como a edificação será ainda na fase de projeto. Ainda existe muito espaço para a tecnologia crescer, pois muitas pessoas ainda dedicam muito do seu tempo de desenvolvimento de projetos em ferramentas como o AutoCAD. Na mesma família de aplicativos da Autodesk encontramos o Revit, que é a solução baseada em BIM (Building Information Modeling) que ajuda no desenvolimento dos projetos.

Para as pessoas que nunca trabalharam com a tecnologia BIM, encontrei uma série de tutoriais gratuitos no web site da própria Autodesk, sobre o funcionamento e uso do Revit. A lista de tópicos abordados é bem extensa, e deve deixar os usuários interessados em trabalhar com o Revit animados.

REVIT SEQ 06

Abaixo a lista de tutoriais em vídeo gratuitos para o Revit:

  • Unit 1 — BIM Modeling Basics

    • Lesson 1: Modeling Building Element
    • Lesson 2: Building Envelope
    • Lesson 3: Curtain Systems
    • Lesson 4: Interiors and Circulation
    • Lesson 5: Fixtures, Fittings, and Furniture
    • Lesson 6: Views and Visualization
    • Lesson 7: Materials, Lighting, and Rendering
  • Unit 2 — BIM Design Process

    • Lesson 1: Area and Space Planning
    • Lesson 2: Project Phases and Phased Design
    • Lesson 3: Design Options
    • Lesson 4: Detailed Design / Construction Documents
    • Lesson 5: Detailed Design / Schedules and Quantities
  • Unit 3 — Green Building Design

    • Lesson 1: Passive Design
    • Lesson 2: Material Properties and Energy Impact
    • Lesson 3: Water Use and Collection
    • Lesson 4: Power Use and Generation
    • Lesson 5: Daylighting
  • Unit 4 — Multidisciplinary Coordination

    • Lesson 1: Preparing to Share Models
    • Lesson 2: Modeling Structural Elements
    • Lesson 3: Modeling Electrical Systems
    • Lesson 4: Modeling Plumbing Systems
    • Lesson 5: Modeling Mechanical Systems
    • Lesson 6: Coordination and Interference Checking
  • Unit 5 — Using BIM in Integrated Project Delivery

    • Lesson 1: Model Integration and Management
    • Lesson 2: Identifying and Resolving Issues
    • Lesson 3: Scheduling and 4D Simulation
    • Lesson 4: Presenting the Project Model

O material está dividido em cinco partes que abordam desde o funcionamento básico da ferramenta, até mesmo o planejamento de arquitetura eficiente em termos de energia. Todos os vídeos estão em formato MP4 e disponíveis para download direto.

Tutorial 3ds Max: Modelando uma toalha com Cloth e MPD no FryRender

Os projetos de visualização 3d envolvendo 3ds Max ou qualquer outra ferramenta 3d, requer que os artistas trabalhem na criação ou localização de elementos e objetos para compor os cenários. Alguns desses elementos são simples de encontrar, mas outros demandam mais trabalho de edição, especialmente no que se refere as texturas. Um exemplo clássico disso é a representação de banheiros, ou outros ambientes com grande quantidade de tecidos espalhados pelo cenário. Apesar de ser um objeto do nosso cotidiano, a natureza do tecido usado nas toalhas fazem com que o objeto seja particularmente difícil de criar em 3D.

Caso você seja usuário do 3ds Max e queira aprender uma técnica muito útil para modelar esse tipo de objeto, usando o Cloth do Reactor, existe um tutorial que explica em detalhes o procedimento para criar o modelo 3d de uma toalha com o auxílio do Reactor, nesse endereço. Além da modelagem em si, o tutorial aborda a criação do material para a toalha no FryRender de maneira que a toalha fique como essa:

tutorial-3ds-max-render-mpd.jpg

Esse resultado realista é uma combinação da qualidade no render do FryRender e a técnica usada para elaborar a textura da toalha. O FryRender é um renderizador que usa métodos Unbiased para gerar suas imagens, ficando na mesma “família” que o Indigo Renderer e Maxwell Render. Nesse caso é usado um recurso do FryRender chamado de MPD – Micro Poly Displacement, que é uma técnica extremamente poderosa para criar pequenas deformações nas superfícies com base em texturas.

É uma derivação das texturas do tipo Displacement, mas com o objetivo de criar deformações minúsculas na superfície do objeto, como é o caso do material da toalha. No tutorial que está dividido em duas partes, podemos conferir o processo de configuração de texturas usando Micro Poly Displacement. Para as pessoas que nunca usaram esse tipo de recurso é uma excelente demonstração de como isso pode ser útil para representação de superfícies com pequenos detalhes.

Um dos mais notórios renderizadores que suportam esse tipo de textura é o RenderMan, com as suas diversas derivações. Por exemplo, podemos usar Micro Poly Displacements no Blender 3D com o renderizador Aqsis.

Tutorial 3ds Max e Mental Ray: Configurando reflexões e materiais do tipo gelo

Na configuração de materiais e superfícies com características únicas em relação a interação com a luz, como metais reflexivos e líquidos uma parte relativamente importante que é omitida por artistas menos experientes é a reflexão dos desses materiais. Boa parte do efeito conseguido pela superfície de líquidos e materiais é derivada de reflexões geradas por objetos que estão ao redor da superfície. Por isso é que muitas vezes é interessante usar mapas do tipo HDRI para iluminar esse tipo de ambiente, pois as reflexões geradas pelo HDRI já ajudam muito na criação de materiais reflexivos.

Um excelente exemplo de como é possível criar objetos com materiais semelhantes a gelo pode ser visualizado no tutorial abaixo, que usa o 3ds Max para gerar o efeito, mas que pode servir de guia para artistas que usam outras ferramentas. O princípio é o mesmo para todos os softwares. No tutorial o artista começa com a modelagem de uma pedra de gelo, aplicando modificadores e ferramentas para deformar um cubo.

Depois que o modelo 3d está finalizado é hora de trabalhar na configuração do material. Para facilitar a configuração do material o artista usa um tipo especial de material do 3ds Max chamado de Arch & Design que disponibiliza vários modelos prontos para uso, com materiais comuns em projetos de arquitetura e design.

Nesse caso ele escolheu um modelo que representa de maneira realista água e superfícies com reflexão. Mas, ao renderizar a cena a surpresa é que a imagem representa de maneira muito pobre o que seria a reflexão necessária para trabalhar o material do tipo gelo.

O segredo mesmo para conseguir o efeito aparece no final do tutorial, em que o artista configura o plano de fundo do 3ds Max com uma cor bem clara e depois associa um shader especial chamado Environment Probe/Chrome Ball. Esse shader consegue simular de maneira realista a maneira um ambiente que gera reflexões próprias para objetos como água e líquidos que recebem reflexões geradas pelo ambiente. Isso é associado a um mapa especial que é responsável pelos reflexos do material.

Com esse shader aplicado é possível perceber a diferença no render final gerado pelo artista, e como esse tipo de detalhe faz a percepção do material mudar significativamente.

Tutorial Autodesk Maya: Criando primitivas geométricas básicas para modelagem

Como parte de qualquer processo que trabalhe com a educação ou treinamento relacionado aos diversos softwares 3d, uma das primeiras partes abordadas no ensino dessas ferramentas é a criação de primitivas geométricas simples. A criação desse tipo de objeto é fundamental para qualquer iniciativa posterior que vise o uso de modelagem poligonal mais avançada. Se você ainda está aprendendo, ou tem interesse em trabalhar com o Maya, o tutorial abaixo é uma demonstração bem básica sobre o funcionamento e processo de criação de primitivas geométricas no software. Para as pessoas que não estão acostumadas com o Maya, o processo de organização da interface pode ser um pouco confuso, pois é necessário entender o funcionamento dos chamados Shelfs.

Os shelfs do Maya estão localizados na parte superior da interface do software e consiste naquelas pequenas abas que são contextualizadas de acordo com a tarefa escolhida pelo usuário. Repare que o autor do tutorial seleciona na esquerda a opção Polygons entre diversos tipos de esquemas para os Shelfs. Assim que essa opção é escolhida, as abas e até mesmo os menus superiores do Maya mudam para mostrar as opções relacionadas apenas com a modelagem poligonal.

No Shelf do Maya chamado de Polygons, podemos encontrar diversas opções de criação identificadas por um ícone que corresponde a forma que será criada. Para criar os objetos, basta acionar o ícone e criar os objetos na área de modelagem do Maya.

Depois que o autor mostra o processo de seleção das ferramentas que permitem criar primitivas geométricas, ele discorre sobre os procedimentos necessários para criar cada um dos tipos de geometria. Por exemplo, os passos necessários para criar um cubo são bem diferentes dos passos que realizamos para criar um objeto do tipo Torus.

Para alterar opções relacionadas com as propriedades e visualização do objeto, podemos acionar o menu Window e depois a opção Attribute Editor. Isso fará aparecer um menu na parte direita da interface do Maya, em que podemos editar diversas opções de visualização do objeto, como a quantidade de subdivisões e os valores numéricos para a posição em x, y e z do objeto selecionado. Praticamente todos os valores mostrados nessa janela podem ser editados e ajustados com a alteração dos valores exibidos na janela.

O tutorial é básico, mas é uma excelente ponto de partida para quem ainda está aprendendo ou gostaria de começar a trabalhar com o Maya.

Como explodir um planeta no 3ds Max?

Esse é mais um exemplo de animação que desperta o interesse pela escala dos acontecimentos e também no ímpeto de destruição. Um artista que trabalhou no estúdio Blur, publicou um vídeo bem curto mostrando como foi produzida uma animação em que um planeta é destruído por uma explosão. O projeto resulta na explosão do planeta usando diversas ferramentas e também sistemas complexos de partículas. O vídeo mostra que uma única ferramenta não é capaz de realizar esse tipo de projeto, por mais poderoso que seja o 3ds Max a animação precisou de vários plugins para manipular partículas, fumaça e renderizadores como o Mental Ray e V-Ray.

O vídeo tem apenas dois minutos, mas é possível perceber as várias camadas de animação:

Planet Implosion Breakdown from Mark Theriault on Vimeo.

Como reproduzir esse tipo de efeito? Caso você queira se aventurar a fazer uma animação como essa no seu software 3d preferido, é importante reparar em alguns detalhes importantes desse exemplo:

  • A configuração da câmera deve ser suficiente para reproduzir a sensação de escala do planeta
  • As texturas aplicadas ao planeta devem possuir boa resolução para passar os detalhes na cena
  • Caso o sistema de partículas não possua elementos para reproduzir fumaça com fogo, o efeito deve ser reproduzido na pós-produção

Se alguns desses detalhes não forem considerados, a cena vai aparentar a escala errada e a explosão será insuficiente. O grande desafio de animação para essa cena é o controle do sistema de partículas, que apresenta diversas camadas e fases. Todos os sistemas de partículas precisam interagir e se relacionar com eventos sincronizados para conseguir o efeito desejado.

Um dos grandes diferenciais desse exemplo produzido no 3ds Max é um plugin incrível chamado Krakatoa, que consegue reproduzir de maneira muito realista o funcionamento de explosões misturando partículas e volumetria. Muitas das produções que usam o 3ds Max para reproduzir esse tipo de efeito aproveitam as vantagens e produtividade do plugin.

Esse plugin pode realmente fazer maravilhas em termos de simulação de partículas. No vídeo abaixo é possível conferir os testes de animação com o Krakatoa.

A solução é destinada a empresas e projetos que possam arcar com os custos do plugin que são bem próximos de uma licença do 3ds Max. Para projetos de grande porte, vale muito a pena pela produtividade.