Scripts adicionam ferramentas de CAD ao Blender como Fillet

A modelagem voltada para arquitetura é um pouco diferente do que estamos acostumados a encontrar na maioria dos projetos, pois é necessário focar nas dimensões e em opções que ofereçam controle sobre a forma dos objetos. A modelagem poligonal ajuda nessa tarefa, mas sempre é possível adicionar alguma coisa a mais usando scripts ou ferramentas personalizadas. Um desenvolvedor e usuário do Blender publicou uma série de Add-ons (Scripts em Python), que podem ser de grande interesse para a maioria dos usuários do Blender que gostariam de modelar para arquitetura.

As ferramentas personalizadas adicionam muitas opções ao Blender que encontramos com mais frequência em softwares de CAD.

Scripts adicionam funções de CAD ao Blender para modelagem 3D

No total temos seis Add-ons:

  • Vertex Align: Alinha vértices do mesmo objeto poligonal
  • Object Align: Permite alinhar no mesmo eixo vários objetos
  • Arbitrary Rotate: Atribui uma rotação aleatória a vários objetos
  • Fillet: Faz ligação entre duas arestas se transformar em um arco
  • Fillet Multiple: Aplica o mesmo efeito do Fillet em múltiplas arestas
  • Inset edge chain loop: Essa opção funciona de maneira muito semelhante a um Offset dos softwares de CAD

Essas ferramentas adicionam muito mais flexibilidade na modelagem com o Blender, principalmente as opções relacionadas com Fillet. Para quem não conhece a ferramenta, o Fillet permite conectar duas arestas usando um arco, o que facilita bastante a modelagem de alguns tipo de objetos e principalmente paredes para arquitetura.

Opção Fillet no Blender para modelagem

Quer conhecer um pouco do que é possível fazer com os Add-ons? Abaixo você encontra uma rápida demonstração de como funciona a opção Fillet desse conjunto de Add-ons.

Os Add-ons ainda estão em desenvolvimento, mas você já pode fazer o download imediato do material e aproveitar essas facilidades no seu Blender. Como todo o procedimento gera polígonos nativos do Blender, você não precisa ficar preocupado com possíveis problemas de compatibilidade no futuro, pois mesmo que o plugin pare de funcionar, poderemos editar o resultado da modelagem.

Nesse link, você encontra todos os plugins reunidos para download, e caso queira o código atualizado, recomendo visitar essa discussão nos fórums Blenderartists. Os arquivos para download não foram reunidos por mim, mas por um usuário chamado tungee.

Apostila gratuita sobre programação em Python com Blender 2.5

O conhecimento de linguagens de programação é de fundamental importância para qualquer pessoa envolvida com a manipulação de grandes quantidades de informação, pois com o uso inteligente desse tipo de ferramenta, podemos economizar horas de trabalho repetitivo. Isso se aplica até mesmo em profissionais que trabalham com a parte mais artística da modelagem 3d e animação. Se você já trabalhou em projetos envolvendo esses tipos de conhecimento, já deve ter percebido que existe uma grande quantidade de tarefas repetitivas. Agora, o mais interessante é que em algumas situações as tarefas mudam de acordo com o projeto. Portanto, fica difícil criar ferramentas que ao mesmo tempo sejam universais e ajudem os artistas a trabalhar com praticamente tudo.

Devido a isso, podemos dispor de linguagens de script em todos os grande softwares de animação e modelagem 3d. Por exemplo, no Maya usamos MEL e no 3dsmax MAXScript. Mas, entre essas linguagens a que se mostra mais universal é o Python. Já podemos aproveitar scripts em Python no Blender, Softimage, Houdini e até mesmo no 3dsmax com o uso do módulo criado pelo Blur Studio para adaptar ferramentas criadas em Python para MAXScript.

Caso você seja usuário do Blender e queira começar a aprender a programar em Python, consultando diversos exemplos já no Blender 2.54. Existe uma apostila gratuita sobre Python com Blender que pode ser copiada nesse endereço.

blender-python-free-ebook.jpg

São 74 páginas recheadas de exemplos e dicas abrangendo os seguintes temas:

  • Edição de objetos do tipo Mesh
  • Materiais e texturas
  • Criação de objetos
  • Organizando texturas UV
  • Hierarquias para animação
  • Manipulação de câmeras
  • Renderização
  • Ajustes para curvas

Esses são apenas alguns dos assuntos disponíveis nesse material. A apostila não vai ensinar a trabalhar com Python desde o início, mas apresenta a vantagem de já mostrar exemplos de como realizar algumas tarefas simples usando o Blender 2.54, como a criação de primitivas geométricas. A exemplificação dos procedimentos é de grande ajuda, pois pode levar a adaptação dos scripts para tarefas mais complexas.

O material é recomendado a todos que usam o Blender e querem expandir um pouco mais os seus projetos, criando ferramentas personalizadas. Conhecer esse tipo de linguagem é um grande diferencial para qualquer artista.

Blender 2.50: Como usar o Bevel Weight

Na última semana estive trabalhando arduamente na atualização do Blender 3D Guia do Usuário para contemplar a versão 2.50 do Blender, que chegou em estágio beta. O processo está fluindo muito bem e já tenho quase 50% do livro totalmente convertido para nova interface. Além de refazer a captura de todas as imagens do livro, estou adicionando partes específicas que são novas no Blender 2.50 como os novos sistemas de física, animação e modelagem. Mas, ainda existem alguns elementos pontuais do Blender 2.49 que não funcionam muito bem nessa versão. Um desses elementos é a propriedade Bevel Weight que ajuda no controle das arestas que recebem o chanfro do modificador Bevel.

Depois de pesquisa pelas minhas anotações que vejo reunindo exatamente para esse estágio da atualização do guia do usuário, encontrei uma solução interessante para as pessoas que pretendem usar esse modificador. A ferramenta está presente sim no Blender 2.50 Beta, mas por algum motivo ela só pode ser acessada usando Python.

Caso você precise dessa ferramenta, encontrei um pequeno Script em Python que adiciona a função junto dos Addons do Blender 2.50, e que pode ser executada diretamente da janela de texto do software também. O script pode ser copiado de maneira gratuita nesse endereço, e abaixo podemos conferir um vídeo que mostra o funcionamento do Bevel Weight no Blender 2.50:

Como o estágio do software ainda é Beta, muito provavelmente teremos uma versão desse script ou então uma maneira de acessar o Bevel Weight pela interface do Blender. Se você precisar usar esse tipo de ferramenta para criar chanfros em modelos 3d, recomendo usar o script enquanto não temos uma solução oficial.

Esse é apenas um exemplo de ferramenta que ainda está oculta, mas não deixa a experiência com a nova interface do Blender 2.50 menos interessante. Acredito que em mais uma semana o grosso do Guia do Usuário deve estar atualizado e já em processo de revisão. As experiências com o Alpha ajudam bastante nessa transição, mas é sempre um desafio tentar encontrar pequenos detalhes que são abordados no livro mas que não foram testados antes.

Se você quiser acompanhar o processo de atualização do livro, recomendo seguir o meu Twitter. Estou postando o progresso da atualização do livro lá.

Análise do livro Blender 2.49 Scripting

Uma coisa que sempre repito para meus alunos nas minhas aulas sobre computação gráfica 3d, é que para conseguir passar para níveis em que você tem controle total sobre o seu ambiente de produção, nesse caso os softwares 3d, em algum momento eles precisam trabalhar com programação. Essa programação pode assumir diversos níveis de complexidade, sendo o mais comum a criação de scripts. No Blender esse tipo de programação é feita usando a linguagem Python que é muito simples de usar e aprender. O desafio de aprender Python para trabalhar com computação gráfica 3d no Blender, é desvendar os detalhes da API do Blender que permitem trabalhar com Python para “dizer” ao Blender o que você precisa.

Nesse ponto, ganhamos poucas semanas atrás uma excelente fonte de informação sobre esse tipo de tarefa que é o livro Blender 2.49 Scripting, escrito por Michel Anders. Estou com o livro já faz quase três semanas e passei esse tempo todo lendo e exercitando as quase trezentas páginas de exemplos e exercícios. Como estou com a versão eletrônica do livro, não poderei tirar a tradicional fotografia segurando o livro.

Mas, o livro é realmente bom?

Antes de falar sobre o livro, me permitam fazer uma separação clara aqui sobre o processo de aprendizado de duas coisas que podem parecer as mesmas, mas são bem diferentes. Se você investir tempo aprendendo como funciona a linguagem Python, não estará automaticamente aprendendo a programar para o Blender. A linguagem Python é usada nos mais variados ambientes e tarefas, e a maioria dos seus livros e fontes de informação não fazem relação com o Blender. Até tenho um livro sobre Python, mas o mesmo não aborda nada sobre o uso dele em computação gráfica.

Nesse ponto o livro do Michel Adams é perfeito, pois apresenta a linguagem Python para as pessoas que tem interesse em aprender, já associada com a API do Blender. Isso acelera em muito o processo de aprendizagem. No meu caso, precisei aprender primeiro Python para depois ir pesquisando a API do Blender e descobrir como poderia usar e criar ferramentas personalizadas para meus projetos.

blender-scripting.jpg

Outro ponto positivo para o livro, além de abordar a linguagem associada ao Blender é o seu enfoque prático. Tudo é apresentado com um exemplo prático, mesmo que seja simples ou até mesmo para assuntos mais complexos como a manipulação de animação. Essa é uma lista com os tópicos e capítulos abordados no livro:

  1. Entendendo o funcionamento do Blender e Python
  2. Criando e editando objetos
  3. Grupos de vértices e materiais
  4. Pydrivers e Constraints
  5. Manipulando frames
  6. Shape keys, IPOs e Poses
  7. Criando shaders
  8. Renderização
  9. Opções extras com Python

Infelizmente o livro só está disponível em inglês, mas é uma fonte incrivelmente rica de informações para pessoas interessadas em aprender a criar scripts e rotinas para o Blender. Mesmo sendo no 2.49? Sim! Mesmo abordando o Blender 2.49, a parte complicada que é fazer entender as ligações entre o Blender com o Python são bem desenvolvidas, depois é só consultar as alterações na API para migrar os conhecimentos para o Blender 2.50.

Eu recomendo esse livro para todos os usuários do Blender que queiram expandir os seus conhecimentos no software.

Script permite criar nuvens e fumaça no Blender 2.50

A criação de efeitos atmosféricos sempre foi um problema para a maioria dos softwares 3d, tanto é que apenas nos últimos anos é que essas ferramentas ganharam capacidades e alternativas sofisticadas para simular efeitos atmosféricos. Em produções ou projetos de maior porte, a opção preferida é sempre recorrer as ferramentas especializadas nesse tipo de tarefa como o Vue ou até mesmo o Terragen. Ele tem opções e ferramentas para criar efeitos como nuvens, neblina e muitos outros de maneira rápida e com grande nível de realismo. Em pouco tempo outro software deve começar a chamar a atenção para as suas opções de simulação. Estou falando do Blender 2.50 que recebeu um script que aproveita as opções de simulação física para simular nuvens com grande nível de realismo.

O scritpt para criar nuvens com o Blender 2.50 pode ser copiado nesse endereço, em que também podemos encontrar as instruções para instalação do mesmo.

O autor do script criou um vídeo que demonstra muito bem como a ferramenta funciona:

Cloud Generation Script Tutorial from Nick Keeline on Vimeo.

O funcionamento do script é bem simples, e consiste na seleção de diversos cubos que devem ser organizados para formar o volume da área que será convertida em nuvens. Assim que todos os cubos estiverem criados, podemos acionar o script. Caso o arquivo do script seja copiado para a pasta addons do Blender 2.50, como orienta o texto no vídeo, teremos a opção de acionar o script na janela de preferências.

Depois, um botão chamado Generate Cloud deve aparecer no Toolbar na esquerda da 3D View. Com os cubos selecionados, basta acionar esse botão e o resultado será uma simulação realista de nuvens. A imagem abaixo é um exemplo exibido na página do Script e que mostra muito bem o nível de detalhamento do script para gerar esse tipo de efeito atmosférico.

script-nuvens-blender-atmosfera-250.jpg

Até pouco tempo atrás a única opção que tínhamos para criar esse tipo de elemento no Blender, era com a mistura de partículas e materiais do tipo Halo. Existe até um exemplo bem detalhado desse tipo de simulação no Blender 3D – Guia do Usuário. Com esse novo script do Blender 2.50 as simulações atmosféricas devem ficar muito mais simples e fáceis de criar.