Download gratuito de luminárias para arquitetura no 3ds Max

A criação de cenas 3d detalhas e com bom nível de realismo é uma necessidade para qualquer pessoa interessada em trabalhar com visualização em arquitetura, pois o mercado exige qualidade nas imagens para ajudar a potencializar as vendas dos projetos e empreendimentos imobiliários. E nesse sentido a pressão pela produção de material com bom nível de realismo acaba recaindo sobre o artista 3d que necessita de recursos na área de software para montar boas cenas. Entre esses recursos está a sua biblioteca de modelos 3d que deve ser compatível em termos de realismo, para ajudar na representação desses projetos.

Download gratuito de luminárias para arquitetura

Se você é usuário do 3ds Max e usa o VRay para renderizar os seus projetos, recomendo uma visita ao VRay Guide para fazer o download totalmente gratuito de várias luminárias com excelente nível de detalhe, para usar em projetos de arquitetura. Os modelos 3d varia de luminárias com temáticas mais clássicas como a que está ilustrando esse artigo, até alguns modelos mais modernos e contemporâneos. O download dos arquivos pode ser feito de maneira direta e sem nenhum tipo de restrição assim que o endereço citado é acessado.

download-luminaria-arquitetura.jpg

A notícia ruim nesse tipo de download é que os arquivos estão salvos no formado to 3ds Max 2012, e só podem ser abertos nessa versão do software. Seria interessante disponibilizar o material em formatos mais universais como o OBJ, mas ele perderia os ajustes de materiais do VRay. Como a licença de uso dos arquivos libera inclusive o uso comercial dos arquivos, acredito que não existe problema em converter os modelos 3d para formatos como o OBJ e usar os mesmos dentro do Blender, Cinema 4D e outros.

Se você está começando a trabalhar com visualização para arquitetura, é muito importante ter esse tipo de recurso sempre a disposição para criar projetos de maneira mais rápida, pois apesar de parecer simples e até mesmo algo “acessório” na sua visualização, os detalhes é que fazem a diferença em cenas mais complexas e permitem gerar imagens com qualidade fotográfica.

Portanto, o download das luminárias é mais do que recomendado!

Tecnologias de jogos aplicadas a visualização arquitetônica

As tecnologias usadas para a visualização de projetos avançou bastante nos últimos anos, e hoje já temos a possibilidade de renderizar cenas complexas aproveitando até mesmo os núcleos de GPUs, deixando o processo praticamente em tempo real. Uma das áreas que está se mesclando com a visualização é a tecnologia dedicada a criação de jogos, que também ficou mais acessível com o passar do tempo. Com softwares oferecendo uma interface ao usuário e facilitando boa parte do processo de criação de jogos virtuais, a criação de animações interativas usando essa tecnologia é bem acessível para artistas sem grandes conhecimentos em linguagens de programação.

O próprio Blender é uma excelente opção para criar esse tipo de material, mas nesse artigo quero mostrar um exemplo desse tipo de tecnologia aproveitando o Unity 3D para mostrar uma casa:

No vídeo podemos perceber que a mecânica da animação, que é totalmente interativa, aproveita os recursos utilizados na produção dos famosos jogos de tiro em primeira pessoa, em que controlamos a movimentação de um personagem pelo cenário, assumindo uma visão em primeira pessoa. Mas, ao invés de procurar inimigos e armas, o objetivo dessa animação é exatamente apresentar um ambiente.

O vídeo mostra muitos dos aspectos que procuramos em um vídeo que apresenta projetos arquitetônicos. Como uma grande quantidade de móveis e objetos nos ambientes, texturas de qualidade e a percepção da escala do futuro empreendimento. O resultado é muito interessante e mostra como deve evoluir a maioria dos projetos e tecnologias para visualização desses projetos. Com os custos mais acessíveis, não se espante se muito em breve um de seus clientes solicitar uma animação semelhante.

A qualidade dos detalhes e texturas do ambiente deixam fácil entender a motivação desse artigo. Esse tipo de tecnologia pode sim se aproveitada em projetos de visualização para arquitetura.

Para quem quiser começar, recomendo duas opções que são evidentemente o Blender e o Unity. Com o primeiro podemos fazer o projeto por completo e inclusive publicar os arquivos executáveis do projeto para distribuição. Já com o Unity, podemos aproveitar os modelos 3d do Blender e adicionar a interação necessária para simular um jogo. Mas, o Unity que possui uma versão gratuita limitada que não dá suporte a diversas tecnologias e ferramentas.

Tutorial Blender: Usando o lock camera to view

O Blender 2.58 foi lançado alguns dias atrás com diversas correções de bugs e pequenas melhorias em termos de ferramentas, que apesar de terem sido relativamente discretas fizeram a alegria de alguns artistas 3d, sendo que estou incluso nessa lista. Uma das melhores opções que apareceram no Blender 2.58 foi a possibilidade de travar a movimentação e uma câmera apenas na 3D View em que ela está ativa. O conceito é um pouco complicado de entender sem uma demonstração visual, e foi exatamente por isso que tomei a liberdade de gravar um vídeo mostrando como o recurso funciona.

No vídeo abaixo mostro como é possível trabalhar com o recurso Lock Camera to View.

A primeira coisa que você deve estar se perguntando, é o endereço de onde fiz a cópia do modelo 3d usado no tutorial. O modelo foi copiado do BlendSwap, e caso você precise um modelo 3d para qualquer fim, até mesmo comercial, ele é um excelente repositório de material.

Bem, no vídeo você deve ter percebido o quanto o recurso de travar a visualização da câmera na viewport do Blender ajuda a controlar o enquadramento de projetos.

Os artistas mais antigos do Blender já estão até acostumados a ficar fazendo vários ajustes na cena, e modificando o enquadramento aplicando transformações na própria câmera. Com o uso desse novo recurso, podemos travar a posição da câmera em uma posição apenas, e depois ajustar o enquadramento como se fosse uma viewport normal voltada apenas para visualização, usando os controles e atalhos de zoom do Blender.

Isso deixa o processo infinitamente mais rápido, pois não é mais necessário modificar a posição da câmera para determinar o enquadramento.

É importante lembrar que esse recurso só está disponível na versão 2.58 do Blender!

Aproveitando que o assunto desse artigo é o Blender, o pessoal do portal Blender Brasil está realizando uma pesquisa para conhecer melhor os usuários do portal. Se você for leitor aqui do blog, e também visitar com freqüência o Blender Brasil, é interessante participar da pesquisa que eles estão realizando para que a administração do portal possa conhecer melhor os seus visitantes.

Essa é uma pesquisa que nunca realizei aqui no blog, e preciso fazer também, pois a coisa está grande demais e os pedidos de tutoriais e material de estudo estão se acumulando na minha caixa de entrada.

Modelagem e renderização de cozinhas com Blender e YafaRay

Nos projetos de visualização para arquitetura sempre existe um tipo de ambiente ou projeto que é pior de executar que outro, e acaba representando um grande desafio para qualquer artista, por mais especializado que ele seja. Entre as diversas opções e cenários disponíveis, se tivesse que escolher apenas um tipo de ambiente, eu diria que o design de interiores envolvendo cozinhas é um dos mais difícies. A razão para isso é bem simples, você já prestou atenção na quantidade de detalhes e pequenos objetos existentes nas imagens de cozinhas? Imagine uma mesa de jantar cheia de copos, pratos, talheres, itens de decoração e você terá o visual de um dos tipos de projeto mais trabalhosos que existe.

A melhor maneira de se preparar para criar esse tipo de projeto é a prática constante, e a seleção de blocos e objetos que possam compor rápido qualquer tipo de cena. Se você nunca tentou criar a sua própria cozinha, encontrei um tutorial em vídeo que mostra o procedimento para criar um armário no Blender, e depois renderizar a cena no YafaRay. O resultado do vídeo é muito bom!

O vídeo está no formato timelapse, em que a ação é acelerada:

A técnica usada pelo autor do tutorial para trabalhar a modelagem é a já conhecida e simples Box Modeling, em que uma primitiva geométrica é criada e deformada até que a forma desejada seja atingida. Nesse processo, o artista basicamente usa um conjunto de extrudes e transformações. Uma coisa para a qual você deve atentar são os chanfros adicionados nas bordas dos modelos 3d. Esse é um requisito fundamental para conseguir realismo com modelos 3d. Os modelos com bordas bem definidas, acabam parecendo muito artificiais, pois esse tipo de borda não existe no mundo real.

No final do vídeo o artista escolhe como cenário para a sua renderização o chamado ambiente de estúdio, que tenta simular o efeito conseguido em estúdios fotográficos e se mostra muito eficiente na visualização de objetos e produtos. O resultado final do render é muito bom, e pode servir de inspiração para que você comece a modelar e renderizar a sua própria cozinha. Acredite, você ainda vai precisar modelar uma, mesmo que seja cenário para animação ou efeitos especiais.

VRay 1.5 SP4 disponível para download

Na semana passada o Chaos Group lançou uma atualização para o seu famoso renderizador VRay, que é uma unanimidade entre usuários do 3ds Max como a melhor e mais rápida opção para gerar imagens realistas. O VRay tem uma reputação tão boa entre os artistas especializados em 3ds Max, que muitos deles acabam investindo mais mil dólares para conseguir o renderizador e deixam de lado o Mental Ray que acompanha o 3ds Max “de fábrica”. Como essa versão do VRay foi apenas uma atualização para o software que já estava no mercado, poucos recursos foram adicionados na atualização, sendo que a grande maioria das alterações foram focadas na correção de bugs e problemas reportados por artistas 3d. A lista com as atualizações e novidades do VRay 1.5 SP4 podem ser conferidas nesse link. Os usuários registrados no web site da Chaos Group podem fazer o download da atualização de maneira totalmente gratuita do VRay no mesmo endereço.

int_tableview

O que faz um usuário migrar de uma solução praticamente gratuita como o Mental Ray, caso o mesmo compre ume licença do 3ds Max?

Caso você tenha se feito essa pergunta, mas nunca teve a oportunidade de testar ambos os renderizadores no 3ds Max, existe uma discussão muito interessante no CG Talk sobre o assunto. Um artista está questionando exatamente os motivos que levam uma pessoa a gastar mais dinheiro no VRay, mesmo sabendo que o Mental Ray está disponível de maneira gratuita para usuários do 3ds Max.

As opiniões são bem divergentes, mas na sua grande maioria podemos encontrar alguns depoimentos que compartilham da mesma opinião. Nas experiências que já tive com ambos os renderizadores, posso dizer que os dois são muito bons. O que realmente diferencia os softwares é a velocidade do render em algumas situações e os possíveis problemas. O Mental Ray é famoso por gerar problemas de gerenciamento na memória RAM do computador. Caso você já tenha renderizado cenas muito grandes, deve ter passado alguma vez por problemas relacionados a mensagens de erro do Mental Ray sobre memória.

O VRay é extremamente rápido para cenas internas e dispõe de ótima documentação e opções para criar animação 3d de maneira rápida também. Visite o link para encontrar diversos pontos de vista sobre ambos os renderizadores. Mas, uma coisa ninguém pode negar é que o VRay é mais usado para visualização de projetos arquitetônicos, enquanto o Mental Ray é aplicado em projetos realmente pesados e com consumo intenso de recursos como imagens para cinema. Nesse caso ele é usado junto com o Maya.

Para decidir de maneira mais segura, sempre é recomendável pegar um dos seus projetos e renderizar o mesmo no Mental Ray e VRay, e ter a melhor comparação baseada em desempenho, para suas necessidades.