Render em tempo real e interativo no Blender 2.50

O uso de renderizadores externos no Blender 2.50 pode demorar vários meses até que uma versão estável esteja disponível para ambientes de produção, pois como o software está em desenvolvimento e a nova previsão de lançamento para o 2.60, que será a versão estável oriunda do 2.50, é Outubro desse ano, podemos ter que esperar pelo menos até meados de Novembro para usar de maneira confortável o YafaRay ou LuxRender. Mas, para os que não estão com vontade de esperar tanto tempo a solução pode estar no uso de um render baseado em GPU. O SmallLulGPU está surpreendendo a cada nova versão demo lançada na web com novos recursos e exemplos interessantes de uso com o Blender.

Para quem não conhece o projeto, ele é uma tentativa de adicionar render baseado em GPU (Processadores gráficos) que são bem mais numerosos que os núcleos da sua CPU dependendo da placa de vídeo usada. O SmallLuxGPU usa o LuxRender com OpenCL para gerar as imagens na renderização. A última versão do software que já está na 1.6 teve um novo demo publicado apenas alguns dias atrás.

SmallLuxGPU v1.6 (OpenCL) from David Bucciarelli on Vimeo.

Se você já acompanhava os lançamentos do software nos últimos tempos pode não se impressionar com a velocidade e qualidade dos renders, mas a cada vez parece que o tempo demandado para resolver os problemas na cena ficam menores. Mesmo com o uso de efeitos óticos complexos como caustics e transparências o SmallLuxGPU a velocidade é bem satisfatória,

O que temos de novo e interessante nesse vídeo?

A parte final desse vídeo mostra algo bem interessante que é a integração entre o SmallLuxGPU e o Blender 2.50, em que o artista usa o Blender para controlar e alterar a cena em 3d e o SmallLuxGPU renderiza tudo em tempo real, estando aberto ao mesmo tempo que o Blender. É quase como se fosse uma 3D View interativa do Blender, mas usando algoritmos avançados de render como é o caso de Path Tracing ou Photon mapping direto na tela de modelagem. Outro ponto que podemos destacar é a interface de controle do renderizador já bem integrada como mostra a imagem abaixo que capturei do vídeo.

smallluxgpu-blender-250.gif

Para saber mais sobre o SmallLuxGPU visite o web site do projeto para conhecer um pouco do seu histórico e também fazer o download dele.

Agradeço ao leitor Asdrubal pela dica do vídeo.

Arion: Mais um renderizador Unbiased baseado em GPU

O ano de 2010 começou com várias notícias sobre softwares aproveitando o poder das modernas GPUs para prover render em tempo real, com velocidade e interatividade até então impensáveis alguns até alguns meses atrás. O mais impressionante disso tudo é que depois do anuncio do Octane Render, parece que outra empresa que estava com planos semelhantes ao da Refractive Software acabou fazendo um anuncio de seu mais novo software chamado de Arion, que usa mecânica de funcionamento muito semelhante ao Octane, aproveitando a GPU para gerar imagens com métodos Unbiased..

A Random Control, empresa que desenvolve e comercializa o renderizador FryRender que usa algoritmos e métodos Unbiased de maneira semelhante ao Maxwell Render, Indigo Render e LuxRender foi a autora do anuncio. Para visitar o web site oficial do Arion e conferir um longo texto de demonstração sobre a tecnologia usada no projeto, visite o link indicado.

arion-render-baseado-gpu-unbiased.jpg

O diferencial do Arion em comparação com outras tecnologias está descrito no texto de apresentação como o uso inteligente da GPU em conjunto com a CPU. O grosso do processamento da imagem é gerenciado pela GPU sendo que um pouco do processo é manipulado pela CPU. Na página do projeto existem diversos vídeo de demonstração que apresentam o Arion em ação, aproveitando a GPU para demonstrar produtos e inclusive ambientes complexos como salas com vários modelos 3d no seu interior. A qualidade e velocidade do render impressionam pela complexidade dos modelos 3d usados no projeto.

Os vídeos foram gerados em computadores com uma GPU GeForce GTX 285 e processadores Core i7.

Além da parte relacionada com a aceleração do render usando GPUs, o mais impressionante do projeto é a promessa de usar as placas de vídeo de vários computadores, mediante distribuição do render por uma rede local. De acordo com o material de divulgação o software será capaz de localizar todos os computadores na sua rede local, aproveitando todos os recursos disponíveis para gerar as imagens usando todas as GPUs e as CPUs.

Ainda não existem informações sobre versões de teste ou mesmo preços praticados com o Arion, mas acredito que se compararmos com os valores do FryRender não deve ser baixo como o do Octane Render prometido por noventa e nove euros. Quando mais informações estiverem disponíveis no web site da Random Control publico aqui no blog.

Octane Render: Renderizador realista baseado em GPU

A renderização por softwares que usam algoritmos ou métodos do tipo Unbiased para gerar imagens são notoriamente mais realistas, pela sua fidelidade em relação ao comportamento da luz com a física real. Apesar da sua fidelidade com o realismo dos ambientes, esse tipo de software demanda longos tempos de render para gerar imagens sem a granulação característica por esse tipo de imagem. Por exemplo, as imagens geradas por softwares como o LuxRender, Indigo Render ou Maxwell Render podem necessitar de várias horas de render para conseguir gerar imagens de qualidade. Uma das maneiras de acelerar esse processo é usando computadores com diversos núcleos ou então render em rede.

Um renderizador chamado Octane Render foi anunciado no início dessa semana prometendo revolucionar a velocidade e maneira com que os renders do tipo Unbiased funcionam. O seu segredo é fundamentar o seu processo de geração de imagens na GPU e não na CPU, aproveitando o poder das modernas placas de vídeo que já apresentam diversos núcleos em paralelo.

Já conheço esse software desde metade do mês passado, pois faço parte dos beta testers convidados a participar dos estudos e testes do renderizador, e posso dizer que é realmente impressionante o resultado e velocidade do software. O vídeo abaixo mostra uma rápida demonstração do software usando uma cena crida no Blender 3D. Com o Octane é possível importar modelos 3d no formato OBJ que pode ser gerado por praticamente qualquer ferramenta 3d.

Como o render é gerado pela GPU, a manipulação e ajustes da cena são feitos em tempo real pelo artista. O software como um todo é baseado em nós, o que pode confundir um pouco as pessoas com pouca experiência nesse tipo de sistema, mas é apenas questão de costume.

Depois de todos esses pontos positivos chegou a hora de falar sobre o que não é muito agradável! O software será pago? Sim, o Octane será um software comercial seguindo os mesmos moldes do Indigo Renderer mas muito mais barato. O seu custo está estimado em 99 Euros no lançamento previsto para Fevereiro desse ano. Mais informações sobre a ferramenta podem ser encontradas no web site da Refractive Software, empresa responsável pelo desenvolvimento do software.

Assim que tiver mais material disponível, publico uma análise mais detalhada sobre a ferramenta inclusive com vídeos.

Quatro horas de tutoriais em vídeo sobre modelagem para arquitetura no 3ds Max

Na modelagem de objetos e cenários com objetivo de representar edificações ou ambientes para arquitetura, a técnica escolhida para criar os objetos é determinante para potencializar e acelerar a conclusão do projeto. Entre as diversas técnicas existentes para a modelagem, a que mais me agrada é a chamada Edge Modeling que é uma derivação da subdivisão, em que apenas as arestas dos modelos 3d são manipuladas. Isso permite maior controle sobre os modelos como um todo e ajuda na criação de objetos com precisão. A melhor maneira de aprender esse tipo de técnica é com muita prática e quando for possível, observar outro artista criando modelos 3d com a mesma técnica para encontrar as melhores soluções para problemas comuns de modelagem.

Caso você queira aprender um pouco mais sobre esse processo de modelagem 3d e ao mesmo tempo trabalhar com criação de modelos para jogos, acabei de encontrar um excelente tutorial em vídeo com mais de quatro horas de duração. No material, o artista cria um modelo 3d para ser usado na engine CryEngine que é a mesma usada no famoso jogo Crysis. O modelo escolhido deve fazer parte do cenário do jogo, sendo um pequeno prédio que é ao mesmo tempo simples e apresenta boa quantidade de detalhes para qualquer artista interessado em praticar.

O modelo desenvolvido pode ser conferido na imagem abaixo:

tutorial-modelagem-arquitetura-3ds-max.jpg

Os vídeos estão hospedados no Vimeo e podem ser copiados de outras fontes em resoluções maiores. O material não apresenta áudio, o que facilita muito para as pessoas que não gostam da narração em inglês nos tutoriais. As instruções são passadas em pequenas mensagens de texto que aparecem em determinados momentos do vídeo. Os links para assistir ao tutorial são os seguintes:

Na descrição dos vídeos em cada página do Vimeo é possível encontrar outras opções para download.

O primeiro vídeo mostra a construção do modelo 3d como um todo, em que o artista posiciona uma imagem de referência e cria a base para toda a modelagem das paredes e aberturas do prédio. Na segunda parte o mesmo modelo já mais completo é trabalhado na parte de texturas, em que podemos acompanhar o processo de mapeamento UV no 3ds Max e ajuste das texturas no Photoshop. O último vídeo mostra a exportação do modelo 3d com poucos polígonos para a CryEngine e a visualização do projeto em tempo real.

Esse tutorial é excelente para artistas interessados tanto em maquetes eletrônicas ou modelagem para jogos, pois aborta ambos os assuntos de maneira simples e detalhada. Como a maioria das técnicas pode ser reproduzida em outros softwares, os artistas 3d podem aproveitar o conhecimento e aplicar em outras ferramentas 3d.

Demonstração do V-Ray RT usando GPU para render em tempo real

O tema renderização em tempo real foi um dos destaques em diversas apresentações realizadas na última Siggraph, que mostrou como é que poderemos trabalhar e manipular modelos 3d usando tecnologias baseadas no uso intenso da GPU. Dessa vez foi a Chaos Group que demonstrou a próxima versão do V-Ray RT baseado apenas no uso da GPU para renderização em tempo real. A apresentação da ferramenta foi gravada por uma pessoa da platéia e publicada no Cg Architect de maneira que podemos acompanhar toda a demonstração do V-Ray RT. Para assistir ao vídeo é necessário visitar o endereço indicado no link.

A primeira coisa que você vai reparar ao assistir o vídeo é que o computador usado para renderizar as imagens é extremamente rápido, mostrando a vantagem de possuir um processador com múltiplos núcleos na renderização. No vídeo é possível perceber que existem no total oito threads de renderização gerando a imagem, o que deixa o processo extremamente rápido. Bem, mas voltando ao assunto da renderização em tempo real, o vídeo mostra a manipulação de cenas usando o 3ds Max 2009 para a modelagem e integração com o V-Ray RT que será externo ao 3ds Max. O processo é bem simples quando analizado pela demonstração do vídeo.

palestra-vray-rt-arquitetura-3d.jpg

O primeiro passo para conseguir usar o V-Ray RT é renderizar a cena usando as ferramentas tradicionais do próprio V-Ray. Depois que a cena estiver renderizada é necessário exportar o material para o formato de arquivo reconhecido pelo V-Ray RT. Isso é feito no vídeo usando uma ferramenta personalizada criada em MAXScript. Com a cena exportada é necessário apenas abrir o render no V-Ray RT e caminhar pela cena com qualidade muito próxima a que foi conseguida no 3ds Max.

Segundo a pessoa que está narrando a apresentação, a placa de vídeo usada para a demonstração é simples e não apresenta nenhum tipo de recurso avançado.

Essa apresentação foi feita com uma ferramenta que ainda está em desenvolvimento, mas que mostra alguns resultados bem expressivos quando comparados com outras opções baseadas em GPU. O único ponto negativo em termos de desempenho, é que não ficou claro o comportamento do V-Ray RT com objetos móveis na cena. Tudo foi feito com pontos de luz e objetos estáticos, sendo movimentada apenas a câmera.

Mesmo assim, a demonstração é bem impressionante. Assim fica fácil apresentar os projetos de visualização arquitetônica para os clientes.