Scripts adicionam ferramentas de CAD ao Blender como Fillet

A modelagem voltada para arquitetura é um pouco diferente do que estamos acostumados a encontrar na maioria dos projetos, pois é necessário focar nas dimensões e em opções que ofereçam controle sobre a forma dos objetos. A modelagem poligonal ajuda nessa tarefa, mas sempre é possível adicionar alguma coisa a mais usando scripts ou ferramentas personalizadas. Um desenvolvedor e usuário do Blender publicou uma série de Add-ons (Scripts em Python), que podem ser de grande interesse para a maioria dos usuários do Blender que gostariam de modelar para arquitetura.

As ferramentas personalizadas adicionam muitas opções ao Blender que encontramos com mais frequência em softwares de CAD.

Scripts adicionam funções de CAD ao Blender para modelagem 3D

No total temos seis Add-ons:

  • Vertex Align: Alinha vértices do mesmo objeto poligonal
  • Object Align: Permite alinhar no mesmo eixo vários objetos
  • Arbitrary Rotate: Atribui uma rotação aleatória a vários objetos
  • Fillet: Faz ligação entre duas arestas se transformar em um arco
  • Fillet Multiple: Aplica o mesmo efeito do Fillet em múltiplas arestas
  • Inset edge chain loop: Essa opção funciona de maneira muito semelhante a um Offset dos softwares de CAD

Essas ferramentas adicionam muito mais flexibilidade na modelagem com o Blender, principalmente as opções relacionadas com Fillet. Para quem não conhece a ferramenta, o Fillet permite conectar duas arestas usando um arco, o que facilita bastante a modelagem de alguns tipo de objetos e principalmente paredes para arquitetura.

Opção Fillet no Blender para modelagem

Quer conhecer um pouco do que é possível fazer com os Add-ons? Abaixo você encontra uma rápida demonstração de como funciona a opção Fillet desse conjunto de Add-ons.

Os Add-ons ainda estão em desenvolvimento, mas você já pode fazer o download imediato do material e aproveitar essas facilidades no seu Blender. Como todo o procedimento gera polígonos nativos do Blender, você não precisa ficar preocupado com possíveis problemas de compatibilidade no futuro, pois mesmo que o plugin pare de funcionar, poderemos editar o resultado da modelagem.

Nesse link, você encontra todos os plugins reunidos para download, e caso queira o código atualizado, recomendo visitar essa discussão nos fórums Blenderartists. Os arquivos para download não foram reunidos por mim, mas por um usuário chamado tungee.

Script faz o chamfer do 3ds max usar apenas quadrados

As pessoas que já trabalharam com modelagem 3d, principalmente a que lida diretamente com os polígonos, deve ter tido experiências negativas com o uso de polígonos com três lados. Os triângulos são um dos objetos mais indesejados pelos artistas 3d, por diversos motivos. O primeiro deles, e mais conhecido, é a dificuldade em deformar malhas 3d em animação quando existem triângulos como parte da topologia. A malha até deforma, mas o resultado dessa deformação sempre resulta no aparecimento de artefatos e pequenos problemas na superfície. Por isso, sempre tento finalizar os meus modelos 3d usando apenas quadrados como forma de compor a topologia dos objetos.

Outra situação em que os triângulos são indesejados é na própria modelagem 3d, em que a sua presença acaba quebrando uma seqüência regular de arestas, e dificultando a edição de edge loops. Uma opção simples de edição como um loop cut, que adiciona uma seqüência de arestas cortando faces, acaba sendo desviada pelo triângulo. Acredito que depois dessas descrição de problemas, você deva estar convencido que triângulos são realmente indesejados por artistas 3d.

Apesar de serem evitados, algumas ferramentas acabam adicionando faces triangulares aos polígonos, como é o caso do chamfer do 3ds max. O uso dessa ferramenta de modelagem é muito importante para adicionar detalhes, mas a sua aplicação em estágios iniciais da modelagem acaba atrapalhando significativamente o desenvolvimento e edição futura do objeto 3d.

Para resolver esse problema, existe um pequeno script disponível para o 3ds Max chamado Quad Chamfer, que modifica o chamfer e permite adicionar os chanfros em arestas, usando apenas faces quadradas!

O processo é bem simples e pode ser acompanhado no vídeo de demonstração abaixo, em que um artista 3d utiliza a ferramenta para criar chanfros em objetos.

O destaque no vídeo é o uso de faces quadradas para finalizar o processo de edição dos polígonos, o que facilita de maneira significativa a edição futura desses objetos.

Essa ferramenta chamfer pode parecer simples, mas ela é uma das bases para adicionar realismo em objetos 3d. Se você reparar com cuidado as arestas dos objetos no mundo real, nenhuma delas é totalmente perfeita. O que acontece é que as arestas acabam tendo esse pequeno chanfro ou então uma superfície curva, como a criada pelo Bevel.

Introdução ao OpenGL: Vídeos e tutoriais básicos

Para qualquer artistas 3d o próximo passo necessário para ter domínio completo sobre os ambientes 3d, é partir para a programação e personalização de ambientes e ferramentas. Mesmo que você não seja artistas 3d, mas tem interesse em desenvolver projetos na área gráfica ou mesmo começar um trabalho de pesquisa, o caminho inevitável será o uso de algumas das áreas da ciência ligada a visualização 3D. O estudo do OpenGL é um desses caminhos, que sei muito bem pela quantidade de pedidos pelo formulário de contato, ser um tipo de conhecimento muito desejado em cursos como sistemas de informação ou ciências da computação.O foco da pesquisa científica nesse tipo de curso é direcionado para a parte técnica dos softwares e sua integração com o hardware do computador, nesse caso as placas de vídeos e suas GPUs.

Caso você se enquadre nessa categoria, entre as pessoas que gostariam de aprender um pouco mais sobre o OpenGL para a faculdade, ou mesmo é um artista 3d que tem curiosidade em conhecer a fundo a comunicação com o hardware na parte de vídeo, existem alguns tutoriais muito bons para iniciantes. Na semana passada estava fazendo algumas pesquisas sobre programação para jogos, mais especificamente alguns algoritmos para controlar trajetórias e me deparei com uma excelente lista de tutoriais em vídeo sobre OpenGL.

tutoriais-opengl

Os tutoriais estão divididos em cinco partes, que abordam desde a parte básica mesmo com a configuração do ambiente de desenvolvimento no Windows, Linux e Mac Os X.

Esses são os títulos de cada parte:

  1. Formas básicas: A primeira parte do tutorial mostra como é possível criar primitivas 3d, adicionar luz e sombra, materiais e texturas.
  2. Tópicos em programação 3D: Com a modelagem 3d assimilada, a segunda parte aborda animação, colisão e outros tópicos interessantes para criação de jogos.
  3. Efeitos especiais: Aqui temos uma explicação sobre sistemas de partículas, transparência e outros assuntos relacionados a efeitos.
  4. Otimizando a forma e aparência: A penúltima parte fala sobre o processo de otimização dos aplicativos com o uso de mapas para relevos, materiais e visualização de objetos.
  5. Aplicação 3d interativa: Para finalizar a seqüência, um pequeno tutorial sobre a produção de um jogo.

Se você já teve curiosidade em saber um pouco mais sobre OpenGL, pelo menos a parte programada dele, os tutoriais são um ótimo ponto de partida, para estudos mais avançados. Todo o material está disponível em texto e vídeo.

Usando expressões para criar movimento no Adobe After Effects

O trabalho de composição em vídeo é muito complexo, principalmente quando a criação de uma animação envolve a integração entre imagens em movimento, com música e efeitos sonoros. A maioria dos artistas 3d não gosta de trabalhar com arquivos de áudio e até tem aversão aos softwares de edição. Nas minhas aulas de animação, um dos módulos do curso envolvia a edição e ajuste de arquivos de áudio para animação. A carga horária da disciplina era bem pequena, mas envolvia o ajuste de efeitos sonoros para animação.

Se o seu objetivo é trabalhar com motion design, você precisa dominar e adquirir experiência com a manipulação de arquivos de música.

Um tutorial muito interessante, mas um pouco antigo, mostra como deixar o processo de integração entre arquivos de áudio e vídeo, ainda mais automatizada. No After Effets é possível usar expressões, para criar efeitos personalizados na animação, de maneira muito parecida ao ActionScript do Flash. O tutorial está no web site da Adobe, e mostra o procedimento para criar um animação, que sob o controle de uma expressão, produz movimento sincronizados com um arquivo de áudio.

Add the "Offset" effect

Com isso, o artista pode se concentrar em elaborar os elementos visuais da sua cena, para que a integração e sincronia do arquivo de áudio seja totalmente automática.

Apesar de ser um pouco antigo, pois aborda o uso do After Effects 6, o tutorial mostra muito bem a integração das duas mídias e uma utilidade incontestável, para o conhecimento de algum tipo de linguagem de script por parte de artistas. Até na área de vídeo digital esse tipo de artifício pode ajudar na economia do tempo de produção de uma animação.

Caso você tenha se animado mesmo em aprender programação para a área gráfica, me permita fazer uma sugestão. Existe um sistema chamado Processing, que é destinado a artistas que queiram simular ambientes gráficos. Já falei sobre esse software aqui no Blog, em um artigo sobre o algoritmo do Ray Tracing.

Quer ver um exemplo do que é possível fazer com ele? Veja esse vídeo, que foi publicado essa semana no Vimeo:


Metamorphosis from Glenn Marshall on Vimeo.

Isso é tudo animação procedural, ou seja, o autor do vídeo transformou uma série de instruções matemáticas em animação.

Mesmo parecendo difícil, usar o Processing é bem mais fácil que aprender programação em C ou outras linguagens.

Distribuição de texturas usando Scripts no Maya

Qual a utilidade em conhecer e aplicar scripts no seu cotidiano como artista 3d? Esse é o tipo de pergunta que muitos artistas iniciantes se fazem ao começar os seus estudos, pois no meio da parte artística do processo aparece alguém falando que eles precisam aprender lógica condicional, estruturas e repetição e outros assuntos relacionados a programação. Será que e realmente necessário? Para exemplificar o quanto esse tipo de conhecimento pode salvar tempo de produção e literalmente, fazer com que você tenha seu projeto terminado em menos tempo, encontrei um tutorial sobre o uso de Scripts em MEL no Maya.

O tutorial está em Frances, mas não é nada que o Google não possa resolver.

unfoldLogic02

Para quem conhece o Maya, fica a dica sobre como usar esse tipo de script para distribuir texturas em objetos, e os que não conhecem podem se inspirar a estudar um pouco mais sobre Python, MAXScript ou outra linguagem específica da sua ferramenta 3d.

Esse tutorial é dividido em quatro partes, em que o artista é orientado a criar uma banca de revistas de que apresenta uma prateleira, semelhante a que vemos também em livrarias, para expor revistas. Até esse ponto não há dificuldade técnica alguma, na verdade o objeto como um todo é bem simples de criar. O problema aparece, quando é necessário adicionar texturas aos modelos 3d que representam as revistas.

Como esses modelos estão em grande quantidade na prateleira, caso o artista fosse configurar todos manualmente, seria necessário ajustar as texturas para cada um dos planos. Mas, ao invés disso ele usa um Script em MEL que usa como base uma textura já aplicada, para depois pegar um padrão com o nome do arquivo da textura, com o nome do objeto para fazer várias cópias.

Isso é feito com uma estrutura de repetição simples, que existe em praticamente todas as linguagens.

Para consultar o Script, use o arquivo original, pois o Google traduziu os termos do Script e caso você venha a utilizar o mesmo texto, uma mensagem de erro vai aparecer no Maya.

Espero que com isso, você tenha percebido como é importante, em algumas situações, conhecer esse tipo de artifício para acelerar o processo de criação.

Quando o assunto é 3D, muitas vezes o lado artístico precisa se integrar com a parte mais técnica, para criar de maneira mais rápida.

Caso você queira, consulte as outras páginas do tutorial que são muito boas também.