SketchUp, Arranha-céus e maquetes eletrônicas

Qual o tipo de modelagem que você mais gosta de fazer? Caso você esteja começando a trabalhar com 3D, o passar do tempo e a experiência vão fazer você gostar de um tipo de modelo 3d em particular. Alguns deles são fáceis ou então acabam se tornando ótimas adições em um portfólio. Por exemplo, quando estou ministrando aulas de modelagem para arquitetura, com muita freqüência vejo os meus alunos investindo tempo na modelagem de casas. Esse é o pior tipo de modelagem para se começar a trabalhar com maquetes. Na verdade o melhor tipo de modelagem, para as pessoas que estão começando a trabalhar com 3d é a criação de arranha-céus! Não, eu não estou louco.

No que diz respeito a maquetes eletrônicas, podemos classificar os projetos em dois grandes grupos:

  • Projetos de pequena escala
  • Projetos de grande escala

Para definir de maneira mais clara o meu ponto de vista, podemos listar algumas características de uma maquete eletrônica de pequena escala:

  • O primeiro ponto determinante desse projeto é a posição da câmera no projeto, como a escala da edificação é pequena, a câmera precisa estar mais próxima.
  • Com a câmera mais próxima, para que o resultado seja mais real, os detalhes do projeto precisam estar muito bem representados.
  • As texturas devem apresentar nuances e detalhes que transmitam o nível de realismo das superfícies
  • Projetos de pequena escala apresentam pouco nível de repetição, então não podemos usar com freqüência modificadores como Array e Mirror para acelerar a modelagem 3D.

Consegui convencer você? Depois dessa pequena lista com aspectos negativos sobre a modelagem 3d para pequenos projetos, acho que ao menos devo ter estimulado uma pequena reflexão sobre o assunto.

Já a modelagem de projetos em grande escala, apresenta várias vantagens:

  • Como a escala do projeto é grande, a câmera precisa estar posicionada a uma boa distância da edificação. Isso elimina a necessidade de grande quantidade de detalhes no projeto.
  • Texturas e materiais podem ser mais simplificados.
  • Esse tipo de projeto geralmente apresenta muita repetição de padrões, o que permite o uso intensivo de modificadores como Mirror e Array para acelerar a modelagem.
  • Como a câmera está distante, geralmente precisamos trabalhar mais no entorno e cenário do projeto, mas isso pode ser resolvido com blocos.

Convenci agora? Um conselho que eu sempre passo para quem está começando nessa área: comece e trabalhar na modelagem de arranha-céus! Esse tipo de projeto é uma ótima adição a um portfólio, além de ser mais fácil de modelar, a magnitude do projeto acaba sendo positiva para o portfólio do artista. Para uma pessoa que não entende, a simples execução desse tipo de modelo é algo digno de glória.

Quer começar a trabalhar com esse tipo de modelagem 3d? Veja como é fácil fazer esse tipo de modelo no SketchUp:

[fusion_builder_container hundred_percent=”yes” overflow=”visible”][fusion_builder_row][fusion_builder_column type=”1_1″ background_position=”left top” background_color=”” border_size=”” border_color=”” border_style=”solid” spacing=”yes” background_image=”” background_repeat=”no-repeat” padding=”” margin_top=”0px” margin_bottom=”0px” class=”” id=”” animation_type=”” animation_speed=”0.3″ animation_direction=”left” hide_on_mobile=”no” center_content=”no” min_height=”none”][youtube]http://youtube.com/watch?v=ujptYFODyXQ

Percebeu como os padrões se repetem? Com a câmera afastada do modelo, a escala do edifício sugere uma maior complexidade de formas. Bem, está ai a dica! Espero que agora você possa direcionar os seus esforços para a criação desse tipo de modelo, caso queira construir um bom portfólio.[/fusion_builder_column][/fusion_builder_row][/fusion_builder_container]

Tutoriais de SketchUp e V-Ray

A facilidade de modelagem do SketchUp é um chamariz muito grande para a maioria dos arquitetos e estudantes de arquitetura, que precisam elaborar maquetes eletrônicas de projetos. Agora, quando a facilidade de uso do SketchUp é aliada ao poder de renderizadores como o V-Ray, esse poder é potencializado e ele se transforma em uma verdadeira ferramenta de visualização de projetos. Apesar de ser compatível com um grande número de renderizadores, a fama do V-Ray faz com que a maioria das pessoas ainda o procure como renderizador para os seus projetos.

A empresa que desenvolve e comercializa o V-Ray para o SketchUp, disponibiliza vários tutoriais que mostra como usar e configurar o renderizador. O material está em inglês, mas é uma ótima opção para quem não sabe nada sobre a integração dos dois.

V-Ray e SketchUp

Ainda fico intrigado sobre como as soluções aparentemente mais fáceis, podem às vezes confundir as pessoas. O SketchUp tem os seus méritos sim, mas o que faz uma pessoa abdicar do uso de uma ferramenta gratuita, para encarar o V-Ray que é pago, e muito bem pago por sinal. Fico me perguntando se as pessoas que me escrevem com dúvidas sobre como usar o V-Ray para o SketchUp, realmente possuem a licença de uso do mesmo?

Seria mais ou menos como adotar o Blender 3D, como ferramenta de modelagem e comprar o Mental Ray para renderizar. Não há nada de errado com isso, mas é estranho adotar uma ferramenta de modelagem gratuita (por ser gratuita) e usar um renderizador de 1000 dólares.

Bem, se é por falta de informação eu posso ajudar!

Além do V-Ray o SketchUp é compatível com dois ótimos renderizadores gratuitos, isso mesmo, gratuitos! Ele pode usar o Kerkythea e o Indigo. Ambos são baseados em física real, de maneira semelhante ao que faz o Maxwell render. Se você trabalha com visualização arquitetônica já deve ter ouvido falar sobre o Maxwell. Ele é uma poderosa ferramenta de visualização, que produz imagens hiper realistas.

Claro, eles não são simples de usar. Ambos exigem um pouco mais de trabalho para configurar, mas o trabalho compensa a economia com o renderizador.

Ecotect: Modelagem 3D e análise de conforto ambiental e acústico

Estava ontem visitando alguns fóruns sobre modelagem 3d direcionada para arquitetura, quando encontrei comentários de vários usuários sobre uma ferramenta chamada Ecotect. Essa ferramenta é muito semelhante ao SketchUp, inclusive os usuários que estavam falando sobre o Ecotect, falavam que a crescente base de usuários da ferramenta poderia ameaçar um pouco o mercado que o SketchUp tem na modelagem de projetos arquitetônicos. Como não conhecia o Ecotect, resolvi fazer uma pesquisa no web site do desenvolvedor e se possível fazer o download de uma versão Trial ou PLE.

Ecotect - Luz solar

Para minha surpresa, a ferramenta é muito interessante e oferece muito mais ferramentas e opções para visualização de projetos arquitetônicos. Mas antes de falar sobre as vantagens e ferramentas, já vou adiantar que é uma ferramenta paga! Muito bem paga por sinal, a licença custa aproximadamente 1300 dólares.

Agora que você já sabe da parte ruim, vamos falar sobre a parte boa. A modelagem 3d é muito parecida com a do SketchUp, mas ainda assim a ferramenta da Google é mais fácil de usar. Mas a interface do Ecotect é de certa forma muito parecida com a do SketchUp, o que deixa o processo de transição fácil para quem tem alguma noção do SketchUp.

Veja esse vídeo com um exemplo de modelagem no Ecotect. Veja como o processo é muito parecido com o SketchUp.

[fusion_builder_container hundred_percent=”yes” overflow=”visible”][fusion_builder_row][fusion_builder_column type=”1_1″ background_position=”left top” background_color=”” border_size=”” border_color=”” border_style=”solid” spacing=”yes” background_image=”” background_repeat=”no-repeat” padding=”” margin_top=”0px” margin_bottom=”0px” class=”” id=”” animation_type=”” animation_speed=”0.3″ animation_direction=”left” hide_on_mobile=”no” center_content=”no” min_height=”none”][youtube]http://www.youtube.com/watch?v=-1dAyKuzh6k

Mas a modelagem é só uma parte do que faz a ferramenta. O destaque mesmo é para a parte de análise dos aspectos relacionados ao conforto ambiental e acústico do projeto. Esse é um diferencial interessante da ferramenta, a maioria das ferramentas de CAD se dedica apenas a auxiliar na construção, mas não analisa esse tipo de detalhe.

A imagem que ilustra esse artigo é um exemplo de análise incidência de luz solar em um projeto. Além de gerar dados para análise dos projetistas e arquitetos, a ferramenta também gera ilustrações para ilustrar apresentações.

Lembro que na época em que estava na faculdade não tínhamos nada parecido com isso, precisávamos fazer esse tipo de cálculo com dados e tabelas tiradas de livros. É uma pena que eu tenha encontrado uma ferramenta como essa apenas “alguns” anos depois.

Se você quiser fazer o download do Ecotect para avaliação, existe uma versão de testes disponível. Ela não tem limitação de tempo, mas não salva e nem imprime os arquivos gerados. Além disso, depois de aberta a ferramenta só funciona por duas horas consecutivas, depois é necessário fechar e abrir novamente o software.

Só para finalizar, não deixe de conferir as ferramentas gratuitas disponibilizadas pela Square One, empresa que desenvolve o Ecotect.

[/fusion_builder_column][/fusion_builder_row][/fusion_builder_container]

Tutorial SketchUp: Gerenciamento de camadas

Qualquer ferramenta que trabalhe com objetos complexos ou que envolvem várias partes, como maquetes eletrônicas, precisa de um bom sistema de camadas. Assim é com o SketchUp, que de maneira semelhante a uma ferramenta de CAD, permite separar os elementos 3d de uma maquete em várias camadas, para facilitar o processo de modelagem e visualização. Apesar de usar o nome camadas, a ferramenta funciona mais como uma espécie de grupo, até porque seria complicado fazer um sistema de camadas semelhante ao do Photoshop em um ambiente 3D.

Caso você nunca tenha usado o SketchUp, encontrei um ótimo vídeo produzido pela própria equipe do Google, mostrando o funcionamento do gerenciador de camadas.

[fusion_builder_container hundred_percent=”yes” overflow=”visible”][fusion_builder_row][fusion_builder_column type=”1_1″ background_position=”left top” background_color=”” border_size=”” border_color=”” border_style=”solid” spacing=”yes” background_image=”” background_repeat=”no-repeat” padding=”” margin_top=”0px” margin_bottom=”0px” class=”” id=”” animation_type=”” animation_speed=”0.3″ animation_direction=”left” hide_on_mobile=”no” center_content=”no” min_height=”none”][youtube]http://www.youtube.com/watch?v=fBdP499iw0Y

O vídeo é simples, mas mostra o funcionamento do sistema de camadas. A primeira coisa que eles mostram é como fazer a janela de camadas ficar visível.

Depois que a janela está aberta, a autora do vídeo começa a mostrar as suas funcionalidades, sendo a primeira relacionada ao controle de visualização, muito comum em softwares de CAD. Quando o checkbox da coluna Visible é desabilitado, qualquer objeto pertencente aquela camada fica oculto.

Simples não é? Na verdade não! O vídeo mostra um problema comum a modelagem no SketchUp, relacionado a ligação entre os objetos, mesmo estando em camadas diferentes. Por exemplo, a autora do vídeo expande um objeto em uma camada visível. Essa mesma ação é transferida para um objeto em uma camada oculta, resultando em um modelo 3d todo deformado.

O segredo para organizar os objetos aqui é transformar os elementos que fazem parte de uma camada em um grupo, antes de adicionar os mesmo em uma camada. Isso evitará que os planos fiquem deformados, caso você precise estender ou ampliar o tamanho de alguma superfície.

Assim que essa explicação termina, que é a parte mais importante do tutorial, a autora mostra como criar e organizar as camadas. Essas são funções comuns e que não precisariam de explicações tão detalhadas. Mas a dica de organização em grupos é importante, inclusive foi o que me motivou a escrever um artigo sobre esse vídeo. Já que muita gente pode estar passando por esse mesmo problema.

Bem, agora você já conhece a solução.

[/fusion_builder_column][/fusion_builder_row][/fusion_builder_container]

Novo visual e mais novidades em breve

Como você deve ter percebido, ontem à noite terminei de fazer a adaptação de um novo tema para o Blog. Um novo tema era necessário por vários motivos, o primeiro e mais simples de todos, eu já estava um pouco cansado do último que deixei no ar por mais de um ano! O segundo motivo é técnico, o tema antigo não era compatível com o novo WordPress 2.3.2, vários plugins e funcionalidades simplesmente não funcionavam. Eu testei durante um bom tempo em um servidor local, mas não consegui fazer funcionar. A solução foi escolher um novo visual.

Esse visual é totalmente diferente do antigo, mas mantém alguns dos tons que eu usava antigamente que são o preto e o verde. Assim a identidade visual fica preservada.

Com esse novo visual, posso considerar que o blog entra em uma nova fase, com os artigos de sempre e alguns projetos para breve. Ao longo das próximas semanas você vai perceber as mudanças, com a criação de mais tutoriais em vídeo, coisa que fazia com mais freqüência, mas nos últimos meses tem sido mais difícil fazer.

Junto com esses tutoriais, estou pensando em fazer um Videocast mensal. Eu até tentei fazer um podcast, mas para falar sobre 3d e computação gráfica, apenas usando áudio fica complicado.

Outra coisa que está meio parada são os cursos! Desde o começo de novembro do último ano não lanço nenhum curso novo. Bem, quero informar sobre os que estão em desenvolvimento:

  • Blender e Indigo para maquetes eletrônicas: Esse será um curso destinado a usuários que desejem usar o Indigo com o Blender, para produzir imagens ultra-realistas! Sim, estou pesquisando muito o funcionamento do Indigo há algumas semanas para poder montar esse curso. Não posse garantir uma data especifica para o lançamento, mas posso dizer que será no próximo mês.
  • SketchUp Intermediário: Mais um curso que dará continuidade ao curso gratuito de SketchUp. No primeiro momento eu mostrei algumas funcionalidades básicas, agora será abordada a construção de um projeto completo! Desde a importação do projeto em CAD até a finalização do modelo 3d. O prazo para o lançamento é o mesmo que o curso de Indigo, final de Fevereiro.
  • Curso gratuito de Wings 3D: Essa é mais uma iniciativa para divulgar a modelagem 3D com ferramentas open source, um curso básico de Wings 3D também está sendo preparado. O prazo para esse é mais complicado, mas acredito que em Março ele estará online.

Além desses projetos de material multimídia para o blog, também tenho algumas novidades em termos de projetos para livros. Uma das minhas metas para esse primeiro semestre, finalizar um livro de Blender sobre o desenvolvimento de animações interativas. Acho que esse tipo de livro iria complementar o Guia do Usuário, com o mesmo tipo de abordagem, mas para as ferramentas da Game Engine.

Eu já tenho um rascunho do sumário, agora só falta começar a trabalhar no rascunho dos primeiros capítulos. Um fator que complica um pouco o projeto, o lançamento do Blender 2.50 no meio do ano. Se eu quiser que o livro ofereça ferramentas e imagens atualizadas, só poderei providenciar a finalização do projeto, depois que a versão estável for lançada.

Enquanto o 2.50 não aparece, estou com planos de fazer algo em paralelo. Mas ainda tenho dúvidas sobre a viabilidade de cada um deles:

  • Livro de editoração eletrônica com Inkscape e Scribus
  • Livro sobre SketchUp
  • Livro sobre desenho em CAD com Software livre (QCAD ou VariCAD)

Esses são os projetos que tenho mais considerado, ao menos um escopo geral. Como eu imagino que aqui, temos uma comunidade, aceito sugestões para novos títulos. Lembrando que qualquer coisa, envolvendo Blender, estará fadada ao segundo semestre desse ano! Quero colocar em prática algo que estou pensando, desde a metade do último ano, começar uma carreira como escritor profissional. Mas para isso, preciso começar urgentemente a escrever mais livros, aqui no nosso país, infelizmente é necessário um número razoável de livros para poder se considerar profissional, e literalmente viver disso.

Bem, espero que tenham gostado das novidades e gostaria da opinião de vocês sobre os cursos, livros e tudo mais.