Visualização para arquitetura com Blender e Octane Render

A quantidade de projetos envolvendo renderização para arquitetura produzidos com o Blender tem crescido de maneira significativa nesses últimos meses, graças em parte ao suporte do software a renderizadores externos e também o surgimento do Cycles. O renderizador avançado que já está incorporado ao software ajuda muito na criação de cenas realistas, usando algoritmos de render avançados com o Path Tracing. Mas, a competição com outros renderizadores é bem acirrada, especialmente com softwares como o Octane Render e Indigo Render. Ambos são alternativas comerciais ao Cycles, e contam com grande quantidade de usuários e projetos de qualidade.

Visualização para arquitetura com Blender e Octane Render

Entre os artistas de destaque no uso do Octane Render com o Cycles, encontramos Enrico Cerica, que é figura carimbada nos fóruns e galerias de projetos relacionados com arquitetura. O artista antigamente usava o YafaRay para gerar suas imagens, mas migrou para o Octane Render e hoje praticamente só gera imagens com o renderizador, usando modelos criados no Blender.
O seu último projeto é novamente fantástico e se chama Mix familial & workshop house, sendo novamente totalmente modelado no Blender e renderizado com o Octane render. É um ótimo exemplo do que o Blender pode fazer nas mãos de um artista habilidoso, e do hardware certo para renderizar as imagens.

Visualização para arquitetura com Blender

Essa é apenas uma imagem do projeto, visitando o link você encontra diversas outras imagens belíssimas sobre visualização para arquitetura com Blender.

Para quem não conhece o Octane Render, esse é um software de natureza semelhante ao Cycles. Seus algoritmos utilizam física real como base para gerar imagens, o que resulta em renders e iluminação extremamente realistas. Seu método de render é do tipo Unbiased, e podemos utilizar aceleração por GPU para reduzir o tempo de render dos projetos. No caso do Enrico Cerica foram usadas duas placas GeForce GTX 580. O tempo de render das imagens ficou em torno de 2 a 3 horas, o que é bem razoável.

Hoje o Octane Render possui até mesmo um script que faz a sua integração com o Blender acontecer na própria interface do software, facilitando o processo. Antigamente era necessário exportar a cena e configurar materiais e outras características na interface do Octane.

Aprendendo a modelagem para arquitetura com Blender

Quer aprender a trabalhar com visualização para arquitetura com Blender? O EAD – Allan Brito tem vários cursos que podem ajudar você a entender melhor como funciona esse processo de criação, desde a modelagem até o render final!

Os cursos relacionados com visualização são os seguintes:

Paisagem urbana com SketchUp, Cinema 4D, Rhino e Photoshop

A visualização de projetos para arquitetura é uma área com grande demanda de profissionais e artistas trabalhando com computação gráfica 3d, e assim como existem muitas oportunidades nesse segmento, as técnicas e procedimentos necessários para gerar essas imagens também são as mais diversas. O mais tradicional é começar com um software 3d ou CAD, e usando os modelos poligonais gerados nessas ferramentas é possível adicionar texturas, iluminação e posteriormente tratar as imagens geradas em softwares de edição voltados para fotografia. Mas, apesar de ser bem conhecido e usado pelos mais diversos artistas o método admite variações dependendo da sua criatividade.

É exatamente essa pequena variação no método que pode ser conferida em um making of muito interessante publicado no evermotion, sobre a visualização de uma paisagem urbana em Moscou. O estúdio responsável pela imagem é o francês Shift Visuals.

paisagem-urbana-cinema4d-sketchup-photoshop.jpg

O que faz do processo e criação da imagem interessantes? O simples fato de três pessoas diferentes trabalharem na imagem já torna a mesma atraente para pessoas que queiram conhecer o método usado para sincronizar os trabalhos e atividades dos artistas. Essa é uma área em que não se encontram muitas pessoas que tenham habilidade para compartilhar conhecimentos e se encaixar dentro de uma “linha de montagem” como foi nesse caso.

A variedade de softwares e ferramentas também foi um dos destaques da produção que envolveu:

  • SketchUp
  • Cinema 4D
  • Rhino
  • Photoshop

Os softwares foram usados pelos diferentes artistas para trabalhar na construção da cena como um todo e também no desenvolvimento de testes e estudos, que levassem ao resultado final de maneira mais fácil. Por exemplo, o SketchUp foi usado para criar a base para os modelos 3d e o posicionamento inicial da câmera. Depois o Rhino é usado para gerar os modelos 3d com grande quantidade de polígonos. E o Cinema 4D é o software escolhido para gerar a iluminação e o render final. O recurso object buffers do Cinema 4D é aproveitado para gerar arquivos PSD do Photoshop já com camadas isoladas para os objetos! Isso facilitou muito a finalização do projeto como um todo.

Apesar do artigo estar em inglês, a leitura do material é muito interessante para mostrar uma maneira diferente de gerar a imagem, pois boa parte da finalização da imagem como um todo foi feita no Photoshop e não no Cinema 4D.

Download gratuito de texturas com pessoas para visualização

A visualização par arquitetura é uma das áreas que mais demandam profissionais de animação e modelagem, pois o mercado é bem definido e existe demanda para a criação de modelos 3d para representar projetos arquitetônicos. E para conseguir entrar nesse mercado você precisa ter conhecimentos específicos sobre as particularidades dessa área, como o uso constante de escalas humanas em imagens e animações. Isso é bem característico dos projetos em arquitetura, pois dependendo das formas e tamanhos dos objetos, fica complicado de perceber o real tamanho das coisas nas imagens em movimento.

E como a idéia principal por trás da visualização é ajudar os potenciais compradores dos projetos a entender o que será construído, a percepção da escala se faz fundamental nesse tipo de projeto.

Como adicionar essas escalas humanas?

Existem vários truques e técnicas para adicionar escalas humanas em projetos de visualização, que envolvem desde o uso de modelos 3d reais que projetam sombras e tem sombreamento realista. Mas, por outro lado acabam aumentando de maneira desnecessária a contagem de polígonos das cenas.

A técnica mais recomendada é a aplicação de texturas especialmente preparadas para representar figuras humanas no projeto, que não adicionam peso significativo a cena e não modificam o tempo de render.

Essas imagens são chamadas de Cutout people, pois na maioria das vezes as texturas já apresentam o plano de fundo com canal alpha para facilitar a aplicação da mesma em planos dentro de projetos. Para profissionais e artistas que trabalham com visualização em arquitetura, é interessante ter uma boa biblioteca de imagens como essas para usar nas mais variadas situações, e eventualmente alguma empresa especializada na produção desse tipo de imagem acaba liberando um pacote de pessoas de maneira gratuita para download.

E foi exatamente isso que a xoio acabou de fazer, liberando um pacote de pessoas prontas para uso em projetos de arquitetura ou visualização para download.

download-texturas-pessoas.jpg

O processo de configuração das texturas para que as mesmas mostrem as imagens varia entre softwares, mas todos eles podem receber o recurso. Então, se você é usuário do Blender, 3ds Max, Maya ou outros softwares é interessante aproveitar esse download! Eu já fiz a minha cópia do material!

Tecnologias de jogos aplicadas a visualização arquitetônica

As tecnologias usadas para a visualização de projetos avançou bastante nos últimos anos, e hoje já temos a possibilidade de renderizar cenas complexas aproveitando até mesmo os núcleos de GPUs, deixando o processo praticamente em tempo real. Uma das áreas que está se mesclando com a visualização é a tecnologia dedicada a criação de jogos, que também ficou mais acessível com o passar do tempo. Com softwares oferecendo uma interface ao usuário e facilitando boa parte do processo de criação de jogos virtuais, a criação de animações interativas usando essa tecnologia é bem acessível para artistas sem grandes conhecimentos em linguagens de programação.

O próprio Blender é uma excelente opção para criar esse tipo de material, mas nesse artigo quero mostrar um exemplo desse tipo de tecnologia aproveitando o Unity 3D para mostrar uma casa:

No vídeo podemos perceber que a mecânica da animação, que é totalmente interativa, aproveita os recursos utilizados na produção dos famosos jogos de tiro em primeira pessoa, em que controlamos a movimentação de um personagem pelo cenário, assumindo uma visão em primeira pessoa. Mas, ao invés de procurar inimigos e armas, o objetivo dessa animação é exatamente apresentar um ambiente.

O vídeo mostra muitos dos aspectos que procuramos em um vídeo que apresenta projetos arquitetônicos. Como uma grande quantidade de móveis e objetos nos ambientes, texturas de qualidade e a percepção da escala do futuro empreendimento. O resultado é muito interessante e mostra como deve evoluir a maioria dos projetos e tecnologias para visualização desses projetos. Com os custos mais acessíveis, não se espante se muito em breve um de seus clientes solicitar uma animação semelhante.

A qualidade dos detalhes e texturas do ambiente deixam fácil entender a motivação desse artigo. Esse tipo de tecnologia pode sim se aproveitada em projetos de visualização para arquitetura.

Para quem quiser começar, recomendo duas opções que são evidentemente o Blender e o Unity. Com o primeiro podemos fazer o projeto por completo e inclusive publicar os arquivos executáveis do projeto para distribuição. Já com o Unity, podemos aproveitar os modelos 3d do Blender e adicionar a interação necessária para simular um jogo. Mas, o Unity que possui uma versão gratuita limitada que não dá suporte a diversas tecnologias e ferramentas.

AutoCAD 2009: Nova ferramenta de navegação em Viewports no AutoCAD

Na época em que ministrava aulas de desenho técnico com AutoCAD, lembro que além da dificuldade básica de qualquer iniciante na ferramenta, que era a integração com a área de desenho e a linha de comando, estava a manipulação e controle do zoom. O Zoom em ferramentas de CAD seja ele o AutoCAD, ArchiCAD ou Microstation é muito sensível e pode ser fundamental para melhorar a produtividade dos desenhistas. Como na maioria das vezes os desenhos e diagramas, exigem o detalhamento e trabalho em partes bem especificas do desenho, não é incomum um desenhista mudar constantemente o zoom da tela.

Com o tempo e um pouco de prática, as coisas ficam mais fáceis, mas ainda é possível melhorar a manipulação dos desenhos em CAD. Um ótimo exemplo disso é uma nova ferramenta que foi disponibilizada no Autodesk Labs, que pode ser usada no AutoCAD 2009 e 2008. O objetivo dessa ferramenta é adicionar dois botões na barra de ferramentas do AutoCAD, do tipo “próximo” e “anterior”.

Step 1: Autocad Model

Esse botão funciona da mesma maneira com que os botões existentes nos nossos navegadores Web.

O objetivo deles é fazer com que o desenhista possa a qualquer momento, retornar as visualizações anteriores que ele estava tendo do seu desenho, assim como avançar caso seja necessário. A opção Zoom Previous do AutoCAD até faz isso, mas não é possível trabalhar com tanta flexibilidade assim, por isso a nova ferramenta é tão útil.

Veja o que pode ser considerado para essa navegação:

  • Alterações no modo de exibição de um desenho 2D e 3D
  • Mudança de Layout
  • Qualquer alteração na Viewport como Zoom, Pan e outros
  • Mudanças com o Zoom all e extends

A instalação no AutoCAD 2009 é bem simples, segundo a própria orientação no web site da Autodesk, basta extrair o conteúdo do arquivo compactado, e executar um arquivo de configuração ARX.

Os usuários do AutoCAD 2008 precisam de um pouco mais de trabalho, pois a ferramenta se integra a interface Ribbon do AutoCAD 2009 apenas, portanto é necessário criar dois botões personalizados, para depois associar à ação dos mesmos a ferramenta de navegação.