Renderização estilizada para arquitetura com Blender 3D e sem plugins

A maioria dos projetos que envolve visualização e renderização de ambientes, cenários ou produtos requer o esforço do artista para conseguir elaborar imagens com qualidade fotográfica. Isso demanda softwares com recursos avançados de iluminação global e também um bom hardware para conseguir gerar o render no tempo mais curto. Com todo esse aparato tecnológico pronto para receber pedidos de clientes com o mais alto grau de exigências, é até estranho receber pedidos de material com objetivo oposto. Essa semana um colega me solicitou o estudo para um projeto que envolva a criação de renderizações para arquitetura usando técnicas conhecidas conhecidas como NPR. No Blender 3D existe uma ferramenta que está sendo preparada para integração total com o software, chamado de Freestyle que nada mais é que um renderizador externo.

O Freestyle consegue gerar imagens estilizadas para diversos propósitos, sendo que existe um projeto para fazer a integração da ferramenta com o Blender. O que faz o projeto precisar usar um renderizador externo ou solução que já crie as imagens com o efeito NPR próximo a um desenho feito a mão livre, é que o mesmo será usado em animação. Caso não seja possível trabalhar com a saída no Blender, o orçamento necessário para o projeto vai passar do limite estipulado devido a necessidade de uma ferramenta de finalização como o After Effects ou outra.

Como a integração entre Blender 3D e Freestyle está inacabada, ainda é perigoso usar esse tipo de software em ambientes de produção. Depois de pesquisar nos meus favoritos, descobri dois tutoriais muito bons para o Blender que ensinam a gerar render do tipo NPR usando apenas o editor de nós para composição da ferramenta. Os tutoriais abordam exatamente o uso dessa técnica para visualização de projetos arquitetônicos!

render-estilizado-arquitetura-blender-3d.jpg

Os dois textos estão bem explicados e bem ilustrados, permitindo inclusive que seja possível fazer o download dos arquivos fonte usados para mostrar o tutorial.

São dois textos disponíveis:

Ambos os tutoriais podem ser usados em animação e deixam o processo de finalização das imagens muito rápido e eficiente, pois não é necessário ajustar parâmetros para a iluminação global ou outros elementos mais avançados. Se você trabalha com Blender 3d para produção de visualização em arquitetura, os tutoriais são muito importantes para gerar esse tipo de imagem sem o Freestyle.

Multilight agora também com o Fryrender SWAP

Os avanços nas tecnologias de renderização devem um dia acabar com os famosos testes de render, que consomem uma boa parte do tempo de qualquer artista envolvido com a criação de animações, cenários e imagens em softwares 3d. O Maxwell render da Nextlimit introduziu no mercado uma tecnologia chamada de Multilight, permitindo que depois da renderização finalizada, um artista possa fazer ajustes na intensidade e cor das fontes de luz, mesmo com a imagem estática. Por exemplo, caso você tenha renderizado a sua cena e no final percebeu que o ambiente ficou muito escuro, você poderá selecionar os pontos de luz e aumentar a intensidade dos mesmos. Sem precisar acionar o render, o processo é todo feito em tempo real.

Até pouco tempo atrás, o Maxwell Render era o único a apresentar essa tecnologia, seguido pelo Indigo que lançou uma opção semelhante, mas ainda com menos recursos chamada de Render Layers.

Agora, o Fryrender que é competidor direto do Maxwell render dispõe de uma tecnologia similar e com o mesmo nível de sofisticação do Maxwell Render. Essa tecnologia se chama SWAP e foi desenvolvida pela Random Control. Se você quiser ficar impressionado conhecer o seu funcionamento, um vídeo de demonstração do Fryrender SWAP muito interessante foi disponibilizado para download.

No vídeo podemos conferir alguns pontos interessantes do software, que são característicos dos renderizadores do tipo Unbiased. A maioria dos parâmetros que aparecem no material é baseada em características encontradas em máquinas fotográficas e softwares como o Photoshop. Por exemplo, repare que um dos itens que controla a intensidade geral da iluminação se chama ISO.

Além da intensidade da iluminação é possível editar também as cores de alguns materiais da cena, assim como atribuir texturas as superfícies dos objetos. As mudanças nos materiais e texturas têm influência direta nas reflexões e interações da luz na cena.

Mesmo sendo apenas um vídeo, a flexibilidade e capacidade de edição da ferramenta é impressionante se considerarmos que é uma imagem 2d, que está sendo editada. Sendo assim, você pode acionar o render com qualquer relação de parâmetros, até mesmo um conjunto errado. Depois basta abrir o software e editar a imagem 2d!

O Fryrender não é gratuito, mas indica uma tendência nesse tipo de software unbiased, que se mostra cada vez mais forte no mercado de artistas que trabalham com visualização de cenários e produtos, pelo nível de realismo e agora com essas opções avançadas de renderização.

Novo livro e Blog sobre Blender 3D para visualização arquitetônica

Mais um livro de Blender está chegando ao mercado, dessa vez o assunto principal dele é a representação de projetos arquitetônicos. Quem escreveu? Eu! Sim, o meu último projeto envolvendo um livro de Blender foi finalizado e lançado no final do último mês. O livro que se chama “Blender 3D Architecture, Buildings, and Scenery“, como você está percebendo pelo título o livro foi escrito em língua inglesa. Acabei tomando coragem e parti para a elaboração de um livro com quase 350 páginas em inglês.

Tudo começou na metade do último ano, quando entrei em contato com o pessoal da Packt para verificar se eles tinham interessem em publicar o Guia do Usuário em inglês. Eles acabaram desistindo da idéia, até porque a própria fundação Blender estava para lançar um guia próprio para o Blender.

Foi quando eles me fizeram uma proposta para escrever um título inédito. Conversando com o editor, chegamos à idéia da visualização arquitetônica. Sendo assim, em Julho de 2007 eu iniciei o processo de produção que perdurou até Março.

O que me levou a escrever um livro em inglês? Eu queira muito escrever mais um livro sobre Blender, além disso, achei interessante o desafio de escrever um livro em outra língua. Estou sempre escrevendo artigos para a BlenderNation, mas são textos curtos com no máximo 200 palavras. A idéia de produzir um livro com mais de 300 páginas em inglês me motivou bastante.

Quando você tem um desafio tão grande com o esse, é preciso se esforçar um pouco mais e testar os seus limites. Eu sei que isso parece assunto de palestra de auto-ajuda, mas é a sensação que eu tive ao escrever o livro.

O que tem de diferente nesse livro? Veja um breve sumário:

  • Modelagem 3d para arquitetura
  • Modelagem de detalhes arquitetônicos
  • Modelagem de mobiliário
  • Iluminação para arquitetura
  • Animação interativa (Game Engine)
  • Pós-produção de imagens com Gimp

Com a finalização desse projeto, fiquei disponível para dedicar tempo a outros projetos. Por exemplo, meu sistema de cursos a distância está “abandonado”, mas estou trabalhando essa semana no material do próximo curso, que prometi ainda em fevereiro, e acabai não finalizando.

Junto com o livro, lancei um novo Blog chamado de Blender 3D Architect. Nele pretendo falar apenas sobre o uso do Blender para visualização de projetos arquitetônicos. Não se preocupe, continuarei publicando os textos aqui também, na verdade lá eu pretendo publicar versões em inglês dos artigos que escrevo aqui.

Nesse meio tempo, muita coisa aconteceu no meu trabalho. Eu mudei de faculdade, comecei a trabalhar em uma instituição de ensino muito maior aqui em Recife, meu horário de trabalho ficou muito mais restrito, por isso não tive mais tempo para me dedicar a outros projetos, mas agora eu aprendi a lição e estou me disciplinando para aproveitar ao máximo o meu tempo.

Quem sabe em dois anos, posso até dizer que sou escritor? Essa é uma carreira que me interessa muito. O próximo desafio que vou encarar agora, como forma de me disciplinar é lançar mais dois títulos até o final do ano. Isso mesmo! Quero tentar desenvolver mais dois projetos até o final do ano. Além dos livros, outra meta difícil de atingir, mas que tentarei seguir é o lançamento de dois cursos por mês, sendo um gratuito e outro com acesso mediante assinatura.

AutoCAD 2009 LT

Quando uma empresa ou profissional liberal precisa escolher uma ferramenta para trabalhar, vários fatores devem ser considerados na escolha, para que os custos do investimento sejam otimizados. No desenho técnico o assunto é tema de controvérsia. Conheço alguns profissionais que defendem ferrenhamente o uso de ferramentas como o AutoCAD, para qualquer aplicação em CAD. Lembro que há algum tempo atrás recomendei para um escritório de arquitetura, a compra do AutoCAD LT para as aplicações de desenho técnico deles. Para minha surpresa, foi oferecida para o dono do escritório a versão completa do AutoCAD, que custa quase quatro vezes mais!

O que é o AutoCAD LT? Qual a diferença para o AutoCAD? Podemos resumir da seguinte maneira as diferenças entre as duas versões:

  • O AutoCAD LT não apresenta módulo de desenho 3D, funcionando basicamente como uma plataforma para desenho técnico 2d. Isso já é suficiente para suprir as necessidades de qualquer escritório ou profissional liberal. Não são todas as pessoas que trabalham com modelagem 3d.
  • Na versão LT, as opções de scripts e plugins como o AutoLISP não estão disponíveis, apenas as ferramentas de desenho mesmo.

Junto com o lançamento do AutoCAD 2009, foi lançada uma versão LT também. Se você quiser fazer uma comparação entre as funcionalidades da ferramenta, selecionei uma série de vídeos de demonstração e tutoriais sobre o AutoCAD 2009 LT:

Os vídeos abordam as seguintes ferramentas:

  • Introdução as ferramentas do AutoCAD LT 2009
  • Barra de ferramentas para acesso rápido
  • Nova interface Ribbon
  • Barra de status
  • Propriedades rápidas
  • Visualização rápida de Layouts para impressão
  • Dicas e tooltips

Como você pode perceber, a lista de recursos e novidades do AutoCAD 2009 LT, as ferramentas de desenho 2d são praticamente iguais.

Se você tem a mesma dúvida, agora você já sabe a diferença entre as duas versões, podendo tomar uma decisão mais acertada, caso precise adquirir uma licença do AutoCAD.

Você pode estar se perguntando, por qual motivo eu não recomendei outra ferramenta para o escritório, como o ArchiCAD, Microstation ou até mesmo uma ferramenta livre? Bem, o pessoal do escritório foi bem claro, eles queriam apenas otimizar o processo de desenho deles e se atualizar nas ferramentas do AutoCAD. Migrar para outra ferramenta de desenho, mesmo que a principio, possa representar uma economia na licença, eles iriam ter custos indiretos com adaptação de hardware e treinamentos.

Como eles usavam o AutoCAD há muito tempo, todos no escritório já usam a ferramenta e dominam as ferramentas usadas no cotidiano do escritório.

Não adianta oferecer uma nova opção fantástica, sem oferecer facilidades na migração. Qualquer tipo de mudança em ambientes de produção deve ser realizada, com muito planejamento e riscos calculados, para evitar prejuízos financeiros.

ArchiCAD 11: Tutoriais para download gratuito

A luta pelos usuários que precisam trabalhar com desenho técnico é árdua, mas infelizmente a grande maioria as empresas ainda acha que o AutoCAD é a solução definitiva para os seus problemas. Isso deixa de lado algumas das soluções mais especializadas do mercado. Quando alguém usa o AutoCAD, ele está com uma ferramenta “genérica” de desenho técnico que atende tanto a arquitetos, engenheiros, agrônomos, topógrafos e todos que precisam de desenho com precisão. Claro que existem soluções especializadas, como o AutoCAD Architectural Desktop, mas a maioria das pessoas ainda estuda e aprende o AutoCAD generalista mesmo.

Uma das melhores opções para quem precisa trabalhar com desenhos técnicos, voltados para arquitetura é o ArchiCAD. Para os estudantes de arquitetura ou afins, a Graphisoft é muito mais flexível que a Autodesk. Primeiro a autodesk não tem nenhuma política de incentivo para estudantes de arquitetura. Se você precisa usar o AutoCAD, mesmo sendo estudante, precisa adquirir uma licença. Já a Graphisoft, disponibiliza uma versão educacional que pode ser usada para fins não comerciais durante um ano! Depois desse ano, você ainda pode solicitar a renovação da licença para o período do seu curso. Isso inclui professores, situação na qual eu me encontro.

Já fiz download dessa versão educacional gratuita do ArchiCAD 11, o que falta agora é aprender a utilizar a ferramenta. Para isso a Graphisoft disponibiliza grande quantidade de tutoriais e material educacional para download, ensinando boa parte do uso dessa ferramenta. Tudo com download gratuito!

ArchiCAD 11

Os tutoriais estão divididos entre uma introdução breve, explicando o funcionamento do ArchiCAD 11. Depois vem a parte mais técnica, um tutorial interativo que explica todos os passos necessários para desenhar o projeto da casa Massaro, projeto do Frank Lloyd Wright. Esse vídeo em particular tem aproximadamente 500 MB, estando disponível em várias línguas. Infelizmente o português não está disponível, mas existem opções na maioria dos tutoriais em espanhol.

Para quem está interessado em fugir do AutoCAD, esses treinamentos e tutoriais sobre o ArchiCAD 11 são uma ótima opção. Os estudantes então podem começar a fazer os seus projetos acadêmicos, com uma ferramenta legalizada e que dispõe de opções e ferramentas especializadas para arquitetura. Mesmo que eu não estivesse utilizando o ArchiCAD, faria o download do material só pela curiosidade de saber como ele funciona. Sempre é possível aprender alguma coisa com esses tutoriais.

Se você ficou interessado, visite esse endereço para fazer o download dos tutoriais sobre ArchiCAD 11. Caso o download da versão educacional o interesse, visite esse endereço para fazer o cadastro e realizar o download.