SketchUp 7.1 é lançado sem suporte a arquivos DWG e DXF

Essa semana o SketchUp foi atualizado para a versão 7.1 que trouxe algumas novidades interessantes, e outras que não devem agradar muito as pessoas que optam por usar versão gratuita do software. O SketchUp 7.1 gratuito não tem mais suporte a importação de arquivos DWG e DXF de maneira nativa, sendo necessário fazer o download de um plugin adicional do próprio Google para habilitar o recurso novamente. O plugin para importar e exportar arquivos DWG e DXF no SketchUp 7.1 pode ser copiado no link indicado. Esse tipo de recurso é muito importante para arquitetos e engenheiros, pois permite trabalhar a modelagem 3d usando como apoio uma planta ou desenho técnico desenvolvido no AutoCAD, ArchiCAD, VectorWorks ou outro software de CAD.

Mas, corra para fazer o download que na própria página em que o download está disponível, existe um aviso informando que os arquivos estão disponíveis por tempo limitado. Para os usuários do SketchUp Pro, nada mudou.

E as outras novidades? Entre as novidades apresentadas pelo Google para o SketchUp 7.1, podemos listar a maior integração do software com serviços do próprio Google como a 3d Warehouse e o Google Earth. O vídeo abaixo faz um breve resumo sobre as novidades dessa versão:

Agora podemos fazer o download e enviar também, componentes e elementos de um projeto para o 3d Warehouse sem a necessidade de separar os objetos em dois arquivos. Outra novidade interessante, mas que para os brasileiros ainda deve demorar a se concretizar é o uso de fotos do Google Street View, como texturas aplicadas nas fachadas das edificações. Assim é possível criar o entorno para maquetes eletrônicas usando fotos reais das edificações ao lado do terreno, sem precisar sequer visitar o local. Como o Street View ainda está começando apenas no Brasil, precisamos esperar para aproveitar esse recurso.

O suporte a manipulação e render de modelos 3d mais complexos foi melhorado também nessa versão, o que deve facilitar o uso do SketchUp como ferramenta de modelagem 3d para projetos e edificações em maior escala.

Para os usuários do Blender 3D é interessante notar que essa versão do SketchUp teve o suporte ao formato COLLADA melhorado, e o Google até mesmo alfinetou a Autodesk e outras empresas que usam formatos fechados e obrigam artistas e permanecer com os seus softwares, para poder manipular seus projetos. Acredito que a mensagem no anuncio oficial tenha sido direcionado as iniciativas da Autodesk com os seus formatos DWG e também o MAX, que são muito usados em ambientes de visualização 3d e projetos.

O formato COLLADA é especialmente importante para usuários do Blender 3d, pois quando o projeto destinado a melhorar o suporte ao COLLADA no Blender, desenvolvido como parte do SoC 2009 for concluído, junto com o B-Mesh, poderemos usar os modelos disponíveis no 3D Warehouse do SketchUp no Blender sem maiores dificuldades. Isso significa ter acesso a uma enorme biblioteca de modelos 3d e móveis gratuitos!

Para saber mais sobre as novidades do SketchUp 7.1, inclusive as opções disponíveis na versão Pro, leia esse artigo publicado no blog da rede VectorPro.

SketchUp não terá mais suporte aos arquivos DWG e DXF na versão gratuita

No processo de criação de imagens e modelos 3d com o objetivo de representar projetos arquitetônicos, podemos começar esses modelos 3d de várias maneiras. Mas, entre os arquitetos e artistas 3d o mais comum é usar um arquivo DWG ou DXF para usar como referência para a modelagem. Assim como em projetos de design voltado para personagens ou animação, em que o artista 3d segue a arte conceitual criada por pessoas especializadas, os modeladores 3d para arquitetura seguem os desenhos técnicos quando esses estão disponíveis. Para que isso seja possível os softwares de modelagem 3d precisam suportar os arquivos DWG ou DXF criados por ferramentas de CAD como o AutoCAD, ArchiCAD ou VectorWorks.

Entre os diversos softwares que oferecem suporte ao uso de arquivos DWG e DXF está o SketchUp do Google, inclusive na sua versão gratuita que é usada por muitos arquitetos e estudantes. Esse tipo de recurso é fundamental para muitos profissionais e artistas, pois permite acelerar o processo de modelagem com a comparação e ajuste de medidas usando apenas o desenho em CAD. Mas, segundo um anuncio feito pela equipe de desenvolvimento do SketchUp no blog oficial da ferramenta, isso pode mudar nas próximas atualizações do SketchUp.

SketchUp

Segundo o texto, a manutenção desse tipo de suporte no SketchUp é muito dispendiosa e está custando muito esforço da equipe para manter uma versão gratuita que consiga trabalhar com diversos formatos de arquivos. Por isso, a equipe está se concentrando no formato COLLADA como a base para integração da versão gratuita do SketchUp com outros softwares. O problema é que as ferramentas de CAD não trabalham com esse formato, o que pode prejudicar muito as pessoas dependentes ou acostumadas com o uso de arquivos DWG ou DXF para elaborar seus modelos 3d.

Um aspecto interessante sobre o anuncio é que a versão paga do SketchUp deve manter o suporte aos arquivos DWG e DXF, que deve se unir a outras vantagens como a exportação de modelos para o formato 3DS. Nos comentários do próprio artigo no blog do SketchUp já é possível acompanhar o descontentamento em relação a essa decisão da equipe, que deve fazer com que muitas pessoas simplesmente não atualizem o SketchUp para versões mais recentes da opção gratuita.

Outro local em que a discussão está bem acalorada é nos fóruns de usuários do SketchUp como o SketchUcation. Se você é usuário do Sketchup gratuito, deve se preparar para esse tipo de mudança no futuro.

Suporte a arquivos DWG no Blender 3D?

Uma das coisas que os artistas 3d interessados em trabalhar com o Blender 3D para visualização de projetos arquitetônicos mais sente falta, é a impossibilidade de importar diretamente arquivos no formato DWG para o Blender. Para fazer essa integração é necessário usar um formato intermediário de arquivo, caso o seu software de modelagem e CAD salve arquivos apenas em DWG. Na verdade, esse é um requisito para os artistas que usam o AutoCAD para trabalhar e organizar seus projetos. Mas, isso não se resume as pessoas que trabalham com o AutoCAD apenas, mesmo que você decida prestar serviços profissionais de visualização de projetos, pode apostar que em 90% das ocasiões os seus clientes devem enviar os arquivos do projeto no formato DWG.

A solução até pouco tempo atrás era manter instalado no computador algum software que conseguisse transformar os arquivos do formato DWG para DXF, como o DoubleCAD XT ou outros. Outra opção era ligar para o cliente e solicitar o envio dos arquivos no formato DXF, o que nem sempre era uma tarefa fácil. Você tinha que explicar a necessidade de usar um formato diferente de arquivo e mais. Se o cliente for antigo tudo bem, mas os novos acabam estranhando. Na maioria dos casos, as pessoas não sabem a diferença entre um DWG e DXF.

Bem, esse tipo de problema pode estar com os dias contados, pois um desenvolvedor conseguiu elaborar um conjunto de módulos aliados a um software que consegue ler os arquivos DWG, para importar o material diretamente para o Blender 3D. Você pode encontrar os softwares, assim como as orientações de como é possível instalar o aparato de ferramentas necessárias para que o Blender importe arquivos DWG, nesse link.

blender3d-dwg.jpg

O procedimento e softwares necessários para instalar o módulo de suporte ao formato DWG são um pouco trabalhosos para quem não está acostumado com esse tipo de ferramenta, mas acredite em mim quando digo que vale a pena. O próprio autor da ferramenta comenda no seu blog, que o seu objetivo primirdial é uma biblioteca em Python, direcionada basicamente para desenvolvedores. Só por adiantar o trabalho de ter que usar um software intermediário para converter arquivos, acelera em muito o trabalho de modelagem e gerenciamento do projeto como um todo.

A ferramenta que importa os arquivos DWG para o Blender usa como base as mesmas capacidades dos scripts que importam arquivos DXF, usando uma biblioteca em Python. O script ainda está sendo desenvolvido, mas já está operacional.

Se você está acostumado a trabalhar com softwares intermediários, como o DoubleCAD mesmo, ainda existem vantagens em não fazer a importação direta. Esse mesmo projeto que use como exemplo, veio cheio de elementos próprios de desenho técnico, como linhas de cota e outros. Ao importar tudo direto para o Blender, o arquivo ficou um pouco pesado. Se ele fosse aberto em um software de CAD antes, seria possível limpar o desenho e deixar apenas os elementos necessários para o trabalho de modelagem.

Mesmo assim, esse é um recurso muito bem-vindo e esperado no Blender.

AutoCAD 2010 download gratuito

Assim como já foi comentado aqui no Blog, a Autodesk acabou de lançar a maioria dos softwares da sua família 2010, entre eles o AutoCAD 2010. Apesar da enorme quantidade de opções e alternativas ao AutoCAD, a maioria dos usuários e profissionais que recorre ao desenho técnico assistido por computador ainda depende muito do AutoCAD. Isso é devido ao domínio que o AutoCAD teve ao longo de vários anos, sendo o software adotado em escritórios e faculdades de arquitetura e engenharia, acarretando em pessoas que literalmente só sabem usar o AutoCAD para trabalhar e criar seus projetos.

O que fazer caso você precise usar o AutoCAD? Para as pessoas que ainda precisam usar o AutoCAD 2010, a Autodesk disponibiliza duas opções de download para avaliação. Uma delas é a versão trial do AutoCAD que funciona apenas por 30 dias. A outra que é destinada apenas aos estudantes e professores universitários cadastrados no programa educacional da Autodesk, pode funcionar até por 13 meses de maneira totalmente gratuita.

Se você é um profissional acostumado a trabalhar com o AutoCAD e precisa fazer o download da versão 2010, a melhor dica é experimentar softwares semelhantes ao AutoCAD 2010 e gratuitos, para evitar fazer o download de uma versão de testes que só funcionará por 30 dias, fazendo com que você compre uma licença depois desse período para trabalhar. Isso se você estiver disposto a mudar de plataforma, caso queira permanecer com o AutoCAD 2010, vá em frente e faça o download.

Vídeo de demonstração do AutoCAD 2010 – Desenho paramétrico

Para os estudantes e professores universitários a coisa é mais flexível, pois a Autodesk permite que você faça o download de vários dos seus softwares que eram oferecidos apenas em versão trial, legalizados por períodos de 13 meses. Nesse caso, o ideal mesmo é fazer o download dos softwares apenas para fins educacionais mesmo. Por exemplo, faça o download e estude o funcionamento do AutoCAD para que no futuro seja mais fácil encontrar trabalho usando essa ferramenta.

Como é possível fazer o download com essas duas opções? Caso você queira fazer o download da versão trial do AutoCAD 2010, visite esse endereço no web site da Autodesk.

Já a opção de fazer o download do software, assim como outros aplicativos para arquitetura e engenharia, aproveitando a licença para estudantes. O primeiro passo é visitar o web site da Autodesk dedicado a cadastrar os estudantes e professores universitários interessados em usar seus softwares. O cadastro deve ser realizado com um e-mail de contato, registrado no domínio da sua instituição de ensino. A maioria das instituições de ensino superior oferecem essa opção para seus alunos e professores, caso você não tenha um e-mail registrado no domínio da sua instituição, recomendo procurar o setor de TI.

O que é um e-mail registrado no domínio da instituição de ensino? É um e-mail formulado assim “seunome@faculdade.edu.br”. Repare que o seu e-mail pessoal não serve para esse tipo de cadastro.

Assim que o registro for feito e analisado pela Autodesk, você terá acesso a uma área de download no próprio web site e poderá gerar até os seriais dos softwares, que podem ser usados para fins não comerciais por períodos de até 13 meses!

Qual a melhor alternativa para o AutoCAD 2010? Bem, se você quiser tentar outro software para desenho técnico, muito parecido com o AutoCAD, recomendo usar o DoubleCAD XT que é gratuito e muito parecido com o AutoCAD.

AutoCAD 2009: Quick View para gerenciar projetos

O trabalho de design envolvido em um projeto que use softwares de CAD, como AutoCAD, na maioria das vezes demanda a utilização de múltiplos arquivos e peças, dependendo da complexidade do projeto essa quantidade pode facilmente passar de cem unidades. Imagine um projeto de edificações, com todos os objetos que precisam ser detalhados e projetos com representações em vistas ortogonais e secções, a quantidade de ilustrações técnicas é muito grande. Quem trabalha com softwares de CAD sabe que isso muitas vezes é um problema, que pode ser contornado em projetos menores com a organização das ilustrações em um único arquivo.

Para navegar no projeto o desenhista usa basicamente o PAN dos softwares de CAD para visualizar detalhes e tirar dúvidas.

Mas, organizar as ilustrações em um arquivo único não é a melhor opção para projetos grandes, até por motivos de segurança. Já imaginou se o arquivo é corrompido? No AutoCAD 2009 existe uma excelente ferramenta chamada de Quick Views, que basicamente permitem que o desenhista tenha controle e navegue por múltiplos arquivos DWG de maneira rápida.

O tutorial abaixo mostra bem o funcionamento da ferramenta:

Como você pode perceber, o desenhista tem a sua disposição uma maneira muito rápida para trocar de arquivos e eventualmente copiar elementos entre arquivos DWG. A melhor parte da ferramenta é a pré-visualização dos arquivos para que seja possível ter uma idéia do conteúdo dos projetos. Boa parte de tempo gasto nesse tipo de tarefa é na consulta a outras pranchas. Isso é necessário, pois os desenhos e ilustrações técnicas estão diretamente relacionados, e precisam corresponder em escala e conteúdo.

Um artista 3d precisa conhecer AutoCAD?

Ainda acredito que esse é um diferencial para quem quiser trabalhar principalmente com visualização de projetos arquitetônicos, pois a maioria dos escritórios de arquitetura e engenharia, ainda utilizam o AutoCAD como ponto de partida para desenvolver projetos de visualização.

Dessa maneira, em algum momento você pode ser solicitado a manipular de alguma maneira um arquivo DWG usando o AutoCAD, por isso é sempre interessante ao menos adquirir um conhecimento elementar de como ele funciona.

Agora você já conhece o Quick View do AutoCAD 2009!