Aprenda a criar lightmaps usando o Blender Cycles

O Blender Cycles é uma ferramemta fantástica para qualquer artista digital usando o Blender, mas ele tem um problema que no curto prazo não será solucionado. Ele só está disponível dentro do Blender. Existe um projeto para oferecer o Cycles como um render isolado do Blender, para conseguir integrar a ferramenta com softwares como o SketchUp.

Mas, ainda deve demorar um pouco até que isso aconteça de fato. A melhor alternativa para conseguir levar o render de alta qualidade do Cycles para qualquer plataforma é usando a gravação de texturas.

Como funciona? Você configura a iluminação da cena como um todo e realiza todos os passos necessários para gerar imagens realistas. Mas, ao invés de renderizar uma imagem a conclusão consistem em processar as texturas com uma técnica chamada de “Texture Bake”.

Você quer aprender como funciona? Agora no EAD – Allan Brito você conta com o curso sobre gravação de texturas com Blender Cycles. No curso você aprende todas as técnicas e procedimentos necessários para trabalhar com a gravação de texturas no Blender.

Essa é a lista com alguns dos assuntos que você aprende no curso:

  • Renderização com Cycles
  • Iluminação de ambientes com Cycles
  • Materiais e texturas no Cycles
  • Criação de mapas UV
  • Gravação de informações de luz em texturas
  • Uso de texturas em formato de repetição
  • Criação de mapas normais
  • Mapas do tipo lightmap para múltiplos objetos com Texture Atlas

Quais as vantagens em saber gravar ilumimação em texturas no Blender? Os benefícios para essa técnica são inúmeros! O primeiro, e mais evidente, é poder levar efeitos de iluminação avançado do Blender para qualquer aplicação.

Por exemplo, a própria Game Engine do Blender pode se beneficiar de maneira significativa! Você consegue gerar texturas com os efeitos de iluminação para usar na game engine. Só para lembrar que a Game Engine do Blender não suporta o Cycles.

Qualquer plataforma ou projeto que utilize texturas pode aproveitar o recurso!

Aprenda a utilizar o Blender Cycles

Quer aprender ainda mais sobre o Blender Cycles? No EAD – Allan Brito você encontra diversos cursos e treinamentos relacionados com renderização usando o Cycles. Os cursos ajudam a usar o software nos mais variados cenários e projetos:

Nova técnica para reduzir granulação no Blender Cycles

Os artistas digitais que usam o Blender Cycles ou qualquer renderizador baseado no algoritmo Path Tracing tem um “inimigo” em comum! A granulação das imagens no render. Para quem não está ciente desse problema, os renders baseados em refinamento progressivo precisam gradativamente “limpar” as imagens.

Esse processo é controlado pela quantidade de samples que o artista determina no render. Quanto maior for a quantidade, melhor será a qualidade da imagem gerada. Quanto mais samples, mas tempo de render é necessário para finalizar o processo.

Um valor bem razoável de samples seria algo como 1500 ou 2000.

Mas, uma técnica publicada em um artigo científico no mês passado promete renders sem nenhum tipo de granulação com apenas 1 sample. Isso mesmo, apenas 1 sample. A técnica se chama  Spatiotemporal Variance-Guided Filtering.

Quer ver um exemplo do seu funcionamento? Assista ao seguinte vídeo de demonstração:

No artigo os autores descrevem um método que permite renderizar imagens usando Path Tracing sem nenhuma granulação, aplicando apenas 1 sample em cada render. Isso em teoria iria permitir renders em tempo-real no próprio Cycles! Sem a necessidade de mudar os renderizadores.

Existe algum ponto negativo? Claro que sim! Observe com atenção o vídeo para perceber como os renders gerados com a técnica perdem muitos dos detalhes. Por exemplo, ao aplicar texturas que possuam mapas normais nos modelos 3d é bem provável que essas informações acabem se perdendo.

Para os projetos em que esse tipo de detalhe não é importante, o processo pode ajudar e muito na criação de animações.

Por enquanto, o processo é apenas um artigo científico mas o algoritmo para realizar o filtro já está descrito e documentado.

Como o Blender é de código aberto, basta um desenvolvedor aplicar o conceito no software para que você possa aproveitar o mesmo tipo de rapidez.

Para mais detalhes, consulte o artigo em PDF seguindo o link.

Usando o Blender Cycles para renderização

Quer aprender a usar o Blender Cycles para renderizar seus projetos? No EAD – Allan Brito você encontra diversos cursos e treinamentos relacionados com o uso do Blender Cycles. Seja para usar em arquitetura ou em animação:

Render distribuído com Blender Cycles

As recentes atualizações do Blender Cycles trouxeram diversas melhorias e novidades para os artistas 3D que adotam o software, mas algumas ferramentas e recursos ainda não chegaram nas versões “finais” do software. Um recurso pelo qual sempre perguntam no Cycles é a possibilidade de renderizar imagens usando vários computadores em rede.

Hoje isso é possível para projetos que estejam renderizando múltiplas imagens, em que cada imagem é distribuída para um computador único na rede. Mas, se o seu objetivo é renderizar uma única imagem o Cycles ainda não permite esse tipo de distribuição. Você vai encontrar o render distribuído na lista de desenvolvimento do Cycles (roadmap), mas nada oficial no momento.

Mas, devido à natureza aberta do Blender um desenvolvedor conseguiu encontrar no código fonte do Blender Cycles uma implementação preliminar do render distribuído, que está desabilitada por padrão. Esse mesmo desenvolvedor alterou o código do Blender para ativar a ferramenta, e você pode testar o recurso em um build personalizado chamado Blender Pigeon.

Aqui está uma tela mostrando o render distribuído na interface do Blender.

O Blender Pigeon não foi criado para o propósito de mostrar essa ferramenta em particular, mas servir de base para diversos tipos de testes experimentais no Blender. Seja para interface ou com ferramentas.

Mas, por qual motivo o Blender Cycles teria esse código desabilitado? É bem provável que a ferramenta no estado atual seja instável ou simplesmente apresente problemas de usabilidade. O fato de alguém ter encontrado o código pode apenas significar que alguém já começou a trabalhar no desenvolvimento da ferramenta.

Considerando que o Blender 2.79 está para receber uma versão estável e no começo do próximo ano a versão 2.80 deve aparecer com um código renovado, isso deve fica para as versões 2.8x.

Caso você ainda assim esteja cusioso(a) para testar o recurso recomendo alguns cuidados:

  • Nunca utilizar arquivos importantes sem antes fazer backup
  • Comece com uma cena simples, para avaliar o funcionamento da ferramenta
  • Esteja preparado(a) para instabilidades no render

Pelo menos já temos a certeza de que o trabalho no render distribuído já começou.

Aprenda a renderizar usando o Blender Cycles

Quer aprender a renderizar cenas usando o Blender Cycles? No EAD – Allan Brito você encontra diversos cursos e treinamentos relacionados com o uso da ferramenta nos mais diversos contextos. Seja para projetos de arquitetura ou animação:

Oak Pass House: Blender Cycles para arquitetura

Uma das melhores formas de desenvolver suas habilidades relacionadas com renderização e modelagem é com a prática. A técnica é possível aprender com base em instruções, tutoriais e cursos. Mas, você só vai ter domínio do processo depois que colocar o que aprendeu em prática.

É por esse motivo, que sempre recomendo para os meus alunos a criação de projetos com o objetivo úncio de colocar em prática o aprendizado. Seja com protótipos ou mesma simples reprodução de projetos já existentes.

Foi exatamete isso que um artista chamado Ján Morek tentou fazer ao reproduzir um projeto chamado Oak Pass House. Ele não foi contratado para fazer a visualiação do projeto, mas usou as informações disponíveis do projeto para simular a criação da visualização.

O resultado superou todas as possíveis expectativas e acredito que seja uma das melhores visualizações para arquitetura no Cycles desse ano. A quantidade de detalhes e vegetação no cenário é impressionante.

Para conferir mais imagens do projeto e a evolução da renderização, recomendo visitar esse endereço em que o artista compartilha mais imagens.

Além de mostrar o ambiente com grande riqueza de detalhes o artista também conseguiu reproduzir os cenários com imagens diúrnas e noturnas! Isso sim é um exercício para praticar a renderização de projetos para arquitetura no Cycles.

A quantidade e qualidade da vegetação usada no projeto chama a atenção pelo nível de detalhes.

Mesmo não compartilhando muitas informações relacionadas com o processo de configuração de luzes, cenários e outros elementos. É possível usar esse tipo de projeto como inspiração para começar seus próprios estudos.

Você sente que pode melhorar no desenvolvimento de projetos com o Blender Cycles? Ou qualquer outro renderizador? Use esse exemplo de prática para seguir o mesmo caminho. Apenas com a criação desse tipo de imagem você terá uma boa noção de onde pode chegar. E quais habilidades precisa melhorar.

Aprendendo a usar o Cycles para arquitetura

Quer aprender a usar o Blender Cycles para renderizar projetos como esse para arquitetura? No EAD – Allan Brito você encontra diversos cursos relacionados com o uso do Cycles para aplicação em arquitetura:

Blender usando tecnologia da Disney no Cycles

Na próxima atualização do Blender para a versão 2.79 o software pode receber uma adição no seu sistema de materiais derivada da Disney. Calma, antes que você pense que será adicionado um shader com o nome de Mickey, o novo sistema usa como base a tecnologia chamada microfacet model.

Mas, o que é isso?

Essa tecnologia foi desenovlvida pela Disney para seus projetos internos, sendo publicada em detalhes nesse artigo em PDF. O material com a pesquisa é de código aberto, sendo compatível com a licença do Blender.

falei da iniciativa relacionada com o projeto e o eu potencial para ajudar o Blender no ano passado. Agora isso está se transformando em realidade. Veja que nas notas de lançamento do Blender 2.79, que ainda estão sendo criadas, o recurso já aparece na lista do Blender Cycles.

O Disney BSDF é um tipo de material PBR que é compatível com ferramentas como Substance Designer, Unreal Engine e outras. Ao usar esse tipo de informação nos seus projetos com o Cycles você não apenas está adotando uma plataforma de shaders realista, mas também garantindo que outras plataformas façam uso do material.

Será possível começar projetos no Blender e depois adaptar com um mínimo de esforço os materiais em outros softwares.

Entre os tipos de superfícies que o shader suporta estão:

  • Diffuse
  • Dielectric (metálico)
  • Refraction
  • SSS
  • Sheen
  • Clearcoat

É mais uma adição importante para o Cycles que está recebendo muitas melhorias nesses últimos meses. Hoje o software já é uma das principais ferramentas de artistas digitais interessados em criar imagens realistas. Tudo isso, aproveitando a aceleração por GPU em equipamentos compatíveis.

Outra notícia importante para o Cycles é que o suporte para OpenCL foi melhorado de maneira significativa. Parece que as placas da Radeon devem voltar em breve a ser uma opção viável para o Cycles.

Aprenda a usar o Blender Cycles

Quer aprender a usar o Blender Cycles para arquitetura e animação? No EAD – Allan Brito você encontra diversos cursos e treinamentos relacionados com o Cycles: