Download gratuito de estilos para render no SketchUp

O SketchUp é famoso pela sua maneira única de modelar objetos em 3d que acaba atraindo muitas pessoas que não se adaptam aos métodos tradicionais de modelagem poligonal. Mas, a parte da modelagem não é a única característica interessante do SketchUp que pode atrair artistas 3d, mas a capacidade de renderizar e representar objetos 3d de maneira estilizada é também um recurso bem visto por arquitetos e artistas 3d.

Nesse contexto existem os chamados Estilos do SketchUp que são diversas configurações prontas para usar nesse tipo de representação, em que podemos escolher o tipo de linha, preenchimento e outras características da representação usada na imagem estilizada. Se você não encontrar a representação adequada para as suas necessidades, ainda podemos editar os estilos diretamente no SketchUp e gerar novos tipos de representação.

Download gratuito de estilos para render no SketchUp

Mas, para as pessoas que gostariam de encontrar alguns desses estilos prontos para download, encontrei uma lista com alguns desses estilos que podem ser usados no SketchUp e copiados de maneira gratuita.

A lista é bem interessante pois mostra imagens junto de cada arquivo de estilo, para que você tenha idéia do resultado da aplicação desse tipo de estilo em modelos 3d. Para quem não conhecer o funcionamento dos estilos no SketchUp, o vídeo abaixo deve ajudar a entender bem o efeito e maneira de usar os estilos.

Um dos aspectos mais interessantes do SketchUp e o uso de estilos, é a possibilidade de trabalhar com visualizações que lembram o desenho a mão livre, e que remonta das primeiras versões do SketchUp, antes mesmo do software ser adquirido pelo Google para ajudar na construção de modelos 3d para o Google Earth.

Se esse tipo de ferramenta estivesse disponível na época da minha faculdade, os meus projetos e trabalhos em planejamento arquitetônico teriam sido apresentados de maneira muito mais interessante. E o melhor de tudo é que o SketchUp e os estilos podem ser usados na versão gratuita do software, o que é bem interessante para estudantes.

Aprender mais sobre o SketchUp

Se você ainda não sabe usar o SketchUp, recomendo uma visita ao EAD – Allan Brito para participar do curso gratuito básico sobre o SketchUp 8, e depois do curso de modelagem para arquitetura com SketchUp 8.

Conversor gratuito de arquivos FBX

O trabalho em projetos envolvendo grandes equipes usando softwares 3d pode ser algo realmente complexo de gerenciar, principalmente quando o objetivo é montar algo como uma linha de produção. Nesse tipo de situação, a equipe de coordenação do projeto acaba distribuindo tarefas, cenas e modelos 3d para vários estúdios e artistas, que depois devem ser reunidos para fazer a montagem final. Para esse tipo de situação existem diversas opções de arquivos que são reconhecidos de maneira praticamente universal, como é o caso de extensões OBJ, 3DS e DXF. Cada um desses formatos de arquivo pode ser gerado e importado na mais variada gama de softwares 3d. O problema desse tipo de formato de arquivo é que geralmente alguma coisa acaba se perdendo no processo de exportação do material, acarretando em trabalho extra para quem recebe os arquivos.

Até pouco tempo atrás alguns estúdios recorriam ao uso de ferramentas que fossem amigáveis dentro de um sistema de produção parecido com linha de montagem, como é o caso do Softimage. Na época em que o estúdio Blur anunciou a migração da sua base tecnológica para o Softimage, uma das alegações é que o software se comportava melhor recebendo arquivos oriundos de outras ferramentas. Mas, isso foi na época anterior a compra do Softimage pela Autodesk.

A Autodesk tem um formato próprio de arquivos que é destinado a fazer transposição de dados entre suas ferramentas que é o FBX. Esse é o formato indicado para passar arquivos do 3ds Max para o Maya, ou Softimage e até para as ferramentas de CAD. O problema para alguns artistas está relacionado ao recebimento de arquivos no formato FBX que precisam ser manipulados em softwares que não reconhecem a versão, ou então o próprio arquivo FBX. Por exemplo, os arquivos gerados pelo recém lançado 3ds Max 2012, podem não abrir no Maya 2011. Outro exemplo é o uso desse tipo de dados em softwares como o Blender, Modo ou outro que não seja da Autodesk.

Se você já passou por esse tipo de situação, deve gostar de saber que a Autodesk lançou um conversor de arquivos FBX, que pode ser copiado de maneira totalmente gratuita. O software é capaz de manipular esses arquivos de várias formas, fazendo a conversão entre versões e transformando arquivos FBX em OBJ, DXF e 3DS. Isso permite que artistas e usuários de softwares que não sejam da Autodesk possam integrar material gerado no 3ds Max, Maya, Softimage e MudBox de maneira muito mais rápida em seus projetos.

O vídeo abaixo mostra um pouco do funcionamento desse conversor e como manipular arquivos FBX.

Revista Blenderart 28 disponível para download

A revista dedicada aos usuários e artistas 3d interessados no Blender assuntos gerais sobre a computação gráfica acaba de receber mais um número. A edição de número 28 da revista Blenderart pode ser copiada de maneira gratuita no endereço indicado no link. Essa é uma revista de consulta praticamente obrigatória para os usuários do Blender, e também aos estudantes e profissionais de computação gráfica. É uma publicação independente e que consegue oferecer artigos técnicos e relacionados as teorias e principais conceitos de computação gráfica 3d, junto com tutoriais e dicas sobre o Blender.

Assim como acontece com todos os números da revista essa edição é focada no tema Blender 2.50, mas não com o intuito de oferecer um guia de migração para a nova versão do software. O objetivo aqui é mostrar algo mais útil e contemporâneo para o mercado de produção 3d. Boa parte da revista é dedicada a ensinar como produzir conteúdo em 3d usando o Blender 2.50.

revista-blenderart-28.jpg

A parte relacionada com a produção em 3d na revista é de grande interesse para a maioria dos envolvidos com computação gráfica, devido ao alto valor comercial que esse tipo de material tem na mídia hoje. Estou me referindo ao chamado 3d estereoscópico e as suas variações que são o destaque das grandes produções para o cinema e prometem invadir os jogos e também as transmissões de tv.

O artigo da revista Blenderart aborda todo o processo teórico que envolve a criação desse tipo de mídia, o que pode ser de grande ajuda para estudantes e pesquisadores que ainda não compreendem bem o funcionamento desse tipo de tecnologia, finalizando o artigo com um excelente guia sobre como é possível criar esse tipo de imagem usando o Blender e alguns truques com câmeras e a janela de composição e efeitos.

Na parte final da revista ainda é possível acompanhar um making of de produções realizadas com o Blender, inclusive com a participação de brasileiros.

Se você é usuário do Blender não pode deixar de fazer o download da revista que mesmo apresentando uma variedade menor de conteúdo nessa edição, se mostra sempre antenada com as necessidades dos usuários e artistas 3d.

Download gratuito de mapas HDRI para render de estúdio

O melhor ambiente para exibir objetos ou modelos 3d apenas é o que simula em todos os aspectos um estúdio fotográfico, em que os elementos são dispostos de maneira a criar um fundo infinito e também controlar de maneira minuciosa a iluminação e reflexões dos elementos. Para criar esse tipo de ambiente existem diversos tutoriais que orientam o artista a criar um objeto poligonal no plano de fundo, dobrado de maneira a simular um tecido posto sobre uma parede ou anteparo, e simular o fundo infinito. Na criação desse tipo de ambiente para exibir apenas objetos ou modelo 3d, é extremamente importante posicionar alguns pontos de luz em locais estratégicos para gerar reflexões na direção da câmera. É isso que vai fazer com que os materiais cromados fiquem com o aspecto de espelho.

Outra maneira de conseguir reflexões bem produzidas com um pouco menos de esforço na configuração de iluminação em qualquer cena, é usando o que chamamos de mapa HDRI para gerar a iluminação de uma cena. Essa é uma imagem especial em formato esférico que pode armazenar informações de iluminação do ambiente no momento em que o mapa foi gerado. Com isso, podemos selecionar esse tipo de imagem para usar como fonte de iluminação em projetos que façam uso de renderizadores avançados como o YafaRay, LuxRender, mental ray, VRay e outros.

O que você acharia em unir o ambiente de estúdio com mapas HDRI? Assim teríamos um mapa perfeito para usar em projetos que precisem gerar reflexões realistas, e uma iluminação já pré-configurada no próprio mapa. Caso você tenha interesse, descobri um conjunto de quinze mapas HDRI gratuitos para download nesse endereço. Todos eles foram criados para simular um ambiente de estúdio.

mapas-hdri-gratuitos-download.jpg

O material pode ser copiado e usado sem nenhum tipo de restrição, basta respeitar a licença de uso do mesmo que é a Creative Commons 3.0. A única coisa que você deve fazer nesse caso é atribuir a autoria do material ao autor dos mapas HDRI, um usuário do Deviantart chamado zbyg. É só colocar a referência do link para o material original que você estará usando o material de maneira legalizada.

Mesmo com esse tipo de mapa, é importante modelar pelo menos uma estrutura básica no seu cenário 3d e usar a textura apenas para produzir as reflexões e iluminação na cena. Só para lembrar, é possível renderizar cenas com HDRI usando praticamente qualquer software 3d e render. É só aplicar o mapa como textura do seu cenário 3d.

Revista BlenderArt 22 disponível para download

A revista BlenderArt de número 22 está disponível para download e apresenta como tema dessa nova edição “Things that bump out in the night“, que seria algo como “Coisas que surgem da escuridão”. Essa é uma revista gratuita direcionada para artistas 3d que usam o Blender 3D como ferramenta para suas produções. A cada nova edição da revista é escolhido um tema, que aceita contribuições sobre tutoriais e artigos que estejam relacionados ao tema específico. Mesmo sendo uma revista direcionada para usuários do Blender 3D, os artigos e tutoriais envolvem conhecimentos gerais sobre modelagem 3d e computação gráfica, o que faz da revista uma ótima fonte de consulta para usuários de outros softwares.

Para fazer o download da revista BlenderArt 22, visite esse endereço.

blenderart-22-revista-gratuita-computacao-grafica-3d.jpg

Essa edição da revista está um pouco mais curta e não chega a cinqüenta páginas de conteúdo, mas isso não significa que temos menos informação disponível. No total são três tutoriais e alguns artigos que mostram o processo de criação de imagens relacionadas ao tema da revista.

Aqui está uma lista com os tutoriais disponíveis na revista:

  • Animando um cortador de grama: O tutorial ensina a configurar uma animação em que um cortador de grama marca as partículas usadas para representar grama. Vários tutoriais se baseiam no uso de partículas para gerar grama em 3D. Com as orientações desse tutorial, será possível trabalhar com deformações aplicadas nas partículas para simular o efeito em que a grama é podada e cortada para representar formas desenhadas no solo. A mesma técnica se aplica as deformações aplicadas em superfícies de areia por veículos com rodas.
  • Introdução ao editor de nós para texturas: Aqui temos uma excelente introdução a criação e gerenciamento de texturas usando o editor de nós. O recurso foi apresentado e lançado junto com o Blender 3D 2.49 e ainda são poucos os textos que explicam o funcionamento da ferramenta. Se você ainda não tentou usar essa opção por desconhecimento, aqui existe um excelente guia de como usar as texturas.
  • Animando um Tanque d'água: Nesse tutorial é possível acompanhar a criação de uma cena com um tanque de água que despeja uma torrente contínua em um receptáculo bem pequeno. No artigo é usado o simulador de fluidos do Blender 3D para criar o efeito do líquido, assim como o uso de curvas IPO para ajustar a animação do objeto.

Os próximos artigos da revista mostram aspectos da criação de diversas criaturas de fantasia, ligadas ao tema de monstros como é o assunto principal da revista. Para os artistas 3d que usam o Blender e interessados no tema em especial,