Como importar múltiplas texturas usando scripts no Blender 3D?

O uso de texturas no Blender 3D para representar pessoas e também vegetação é uma excelente opção para adicionar elementos que mostram a escala em projetos, principalmente os que abordam visualização de projetos arquitetônicos. Se você visitou o blog na semana passada, deve ter visto o artigo em que recomendo o download de texturas gratuitas de árvores e vegetação. O uso desse tipo de textura é fundamental para deixar os arquivos de projeto mais leves e com menos geometria, mas podem consumir muito tempo de configuração e ajuste. O processo de configuração desse tipo de textura envolve a criação de um plano, ajuste de coordenadas UV, materiais e por último a atribuição de texturas.

Esse procedimento deve ser realizado para cada um dos diferentes tipos de texturas. Como um único projeto pode demandar inúmeras texturas para que a paisagem virtual seja composta com a quantidade apropriada de vegetação, o processo de importação pode ser bem trabalhoso. Não seria interessante se pudéssemos importar de maneira automática esse tipo de textura, já aplicado em planos na proporção correta?

Isso é possível sim! No Blender 3D existe um script muito útil chamado 2D Cutout image importer, que faz exatamente esse tipo de tarefa. Para fazer o download desse script, visite o link indicado. Depois de fazer o download do script, coloque o arquivo na pasta de scripts do Blender 3D para que ele fique disponível na janela de Scripts do Blender 3D na pasta chamada Image.

blender3d-2d-cutout-import-texturas-01.png

Assim que o script for acionado, podemos começar a configurar as suas opções. Esse processo é extremamente simples e requer apenas um cuidado. Antes de começar a trabalhar com o script, selecione todos os arquivos de texturas que você gostaria de usar na cena. Coloque esses arquivos em apenas uma pasta no seu computador. Quando isso estiver concluído, vá até o menu do script e indique:

  1. A opção Load Directory: Isso permite importar uma série de imagens usando uma pasta
  2. Localize a pasta no seu computador
  3. Determine o tipo de arquivo, no meu caso são todos PNG
  4. Acione a opção Import na parte inferior da interface

blender3d-2d-cutout-import-texturas-02.png

Quando o processo estiver todo concluído, poderemos conferir na 3D View do Blender 3D a criação de um plano para cada uma das texturas existentes na pasta selecionada. Tudo é feito de maneira automática, desde a criação dos planos até a atribuição de mapeamento UV e texturas. A melhor parte é que o script considera as dimensões de cada textura para criar os objetos 3d já nas proporções corretas.

blender3d-2d-cutout-import-texturas-03.png

Se você estiver considerando criar algum tipo de paisagem usando esse tipo de textura no Blender 3D, esse script pode ser de grande ajuda para acelerar o processo de importação de imagens para as cenas do Blender.

Download gratuito de texturas e imagens de árvores e arbustos

A técnica mais simples que podemos aplicar em modelagem 3d para simular a presença de árvores e arbustos em cenas ou maquetes eletrônicas, é com um truque usando texturas. O processo é bem simples e pode economizar no tempo de render também, pois com o uso de texturas nas cenas o uso de geometrias complexas é evitado. Para conseguir usar texturas para simular vegetação, antes de qualquer coisa é necessário conseguir uma boa coleção de imagens em resolução razoável. Se você ainda não tem nenhuma imagem como essa, pode fazer o download de uma coleção de texturas com árvores e arbustos nesse web site de um artista 3d chamado Michal Kotek. As imagens estão em resolução excelente e disponíveis nos formatos TIF e JPG, em que temos mapas com a imagem da árvore e também os chamados mapas de opacidade.

A imagem abaixo mostra as árvores e vegetação disponível na coleção de texturas:

texturas-gratuitas-vegetacao-maquetes-3d.jpg

Como podemos usar esse tipo de textura em softwares 3d?

Para mostrar como é possível usar esse tipo de recurso em softwares como o Blender 3D, resolvi fazer um vídeo bem curto, que apresenta o procedimento para editar as texturas. A edição visa criar imagens no formato PNG com o fundo transparente para uso no Blender, que em minha opinião geram o melhor resultado. O vídeo não apresenta narração, apenas uma música de fundo. O procedimento é bem simples e consiste na criação de uma máscara de Layer, aplicada na imagem que deve ter o fundo transparente.

Depois que você cria a máscara de Layer, copie e cole o conteúdo do mapa de opacidade para que o fundo da imagem seja totalmente removido. Esse mesmo procedimento funciona em softwares como o Photoshop, com a adição de uma máscara de camada.

No Blender 3d, basta seguir o procedimento demonstrado no vídeo, em que a textura é aplicada usando UVs no plano e configurada para afetar a transparência do modelo 3d. Para que a transparência fique boa, desligue o botão CalcAlpha na configuração das texturas. caso esse botão esteja ligado, a textura ficará um tanto quanto estranha.

Essa técnica não é nova e já foi usada muitas vezes em ambientes que precisavam simular grandes quantidades de vegetação, mas com poucos recursos de processamento, como jogos mais antigos. O único cuidado com esse tipo de textura é no posicionamento da câmera que precisa ser muito bem pensado e planejado, para que a natureza 2D das árvores não seja passada para quem visualiza a imagem.

Revista Blenderart 21 disponível para download

Mais um número da revista gratuita sobre animação e modelagem 3d especializada no uso do Blender 3D, chamada de Blenderart magazine foi lançada. A revista Blenderart apresenta sempre um tema de interesse para a comunidade de artistas 3d que usam o Blender 3D como plataforma de criação e modelagem dos seus projetos, mas dessa vez eles resolveram escolher um tema mais genérico. O tema agora é “Look what I can do”, seria algo como “olhe o que eu posso fazer”, o que deixa essa revista como uma das mais variadas em termos e tutoriais entre os diversos números da revista. O material está escrito todo em língua inglesa, mas ainda assim vale o download pela qualidade dos tutoriais e temas abordados na revista.

Sempre que um novo número da revista acaba saindo, faço um sumário com os principais artigos e tutoriais sobre Blender 3D e animação, mas dessa vez farei apenas um comentário sobre os destaques e material que pode ajudar no seu aprendizado no Blender 3D, ou qualquer outro software 3d, caso o tutorial aborde técnicas e temas generalistas.

blenderart_Apr09_04

Essa é a lista de destaques dessa edição:

  • Usando o Blender 3D para animar fotografias: Esse tutorial é relativamente simples de reproduzir, mas mostra uma técnica engenhosa para animar fotografias antigas. Funciona assim: você cria um modelo 3d planificado representando as formas básicas da imagem. Aplique a foto como uma textura da imagem, e ao deslocar os vértices do modelo 3d, teremos um efeito semelhante a animação a própria fotografia. O único cuidado é com a deformação que não pode ser muito evidente.
  • Editando um videoclip no Blender 3D: Aqui temos um ótimo tutorial que mostra a aplicação do seqüenciador de vídeo, como ferramenta para editar e manipular imagens e sons na montagem de um vídeoclip.
  • Renderização de produtos com o Blender 3D: O último tutorial da revista aborda um tema de interesse para as pessoas que estudam ou trabalham com design e desenho industrial, que é a renderiação de produtos no Blender 3D. O autor do tutorial usa como exemplo para esse tutorial a criação de um secador de cabelos, com a configuração do render e materiais. O foco do tutorial é a renderização, por isso o material aborda a configuração dos shaders e representação de materiais como o plástico do produto.

Esses são os únicos tutoriais apresentados nesse número da revista, os outros artigos envolvem mais a cisão geral sobre outros projetos igualmente interessantes, mas sem entrar muito em detalhes na parte técnica. Por exemplo, um dos artigos nessa categoria fala sobre a modelagem e configuração de máquinas e veículos para animação, com a exemplificação de um trator. Para fazer o download da revista Blenderart 21, visite esse endereço.

Terragen 2: Lançado o simulador de paisagens virtuais com versão gratuita

O que esperar de um software que ficou mais de uma década em desenvolvimento? Ainda na época em que estava terminando a faculdade de arquitetura, descobri esse ótimo software que tinha uma versão gratuita e permitia gerar imagens de paisagens. Como ele era gratuito para fins não comerciais, resolvi usar o mesmo para elaborar planos de fundo e paisagens com céus para meus trabalhos acadêmicos. Se você já tentou tirar uma fotografia do céu para mesclar com uma imagem renderizada, sabe o quando é trabalhoso acertar os tons e cores para uma boa composição. Com o Terragen é possível fazer esse tipo de ajuste sem maiores problemas, e com a possibilidade de controlar a mistura de cores.

A empresa que desenvolve o Terragen acaba de lançar o Terragen 2, que esteve por muito tempo em desenvolvimento pela Planetside. Hoje temos o chamado Terragen Classic, que é o software que conheço e uso desde a época da faculdade e o Terragen 2. A versão chamada de Classic é gratuira para fins não comerciais, portanto você pode usar livremente para fins educacionais, apenas com algumas restrições como a limitação no tamanho máximo do render.

Mas, acredite em mim quando digo que é uma experiência interessante e criativa, começar a pintar mapas de displacement no Terragen e com isso gerar paisagens. Ao misturar os mapas com a geração de oceanos, é possível criar paisagens bem diferentes. O Terragen 2 é bem mais sofisticado e caro, mas mesmo assim a Planetside fez questão de manter uma versão gratuita para fins educacionais.

Quer aprender como funciona o Terragen Classic? O vídeo abaixo é uma demonstração breve de como funciona o software.

Apesar de ser breve, podemos perceber a maneira com que o Terragen trabalha baseado em mapas. Você pinta a imagem e o software faz o trabalho de deslocar os objetos e gerar a paisagem.

Com o Terragen 2 a coisa fica um pouco mais complexa e podemos interagir com mais objetos na cena, como uma interface com mais opções de manipulação, e a visualização da geometria. No Terragen Classic, tinhamos que em algumas vezes “chutar” a posição da câmera.

Se você quiser um software que não apresenta muitas opções e pode se transformar rapidamente em hobby, afinal criar paisagens é divertido também, recomendo experimentar o Terragen. Eu mesmo sempre que posso, acabo criando algumas paisagens ainda no Terragen Classic.