Tears of Steel

A espera pelo lançamento do projeto Mango terminou, pois ontem a tarde aproximadamente as 14 horas pelo horário de Brasília, finalmente pudemos conferir o resultado dos meses de trabalho e produção realizados pelo Instituto Blender. Se você ainda não assistiu ao curta de animação, o vídeo já está embutido nesse artigo e pode ser conferido em FullHD diretamente do Youtube mesmo. Além da versão no Youtube, você ainda pode fazer o download do filme em formatos MKV e MOV diretamente do site do projeto. Os arquivos fontes ainda não estão disponíveis para download, pois os mesmos devem ser primeiro distribuídos por meio dos DVDs, para depois serem disponibilizados no web site do projeto.

Qual a minha opinião sobre o resultado? Como é de costume nos projetos do Instituto Blender, o resultado superou as expectativas dos mais animados artistas e entusiastas do Blender. Só por considerarmos que o Blender foi usado para praticamente tudo dentro da produção que envolveu:

  • Modelagem 3d
  • Animação
  • Texturas
  • Composição
  • Tracking
  • Pós-produção
  • Montagem do vídeo

Isso mostra como a ferramenta é versátil e capaz de gerar resultados de alto nível com os conhecimentos e recursos certos. É claro que existem pequenos problemas em alguns pontos do Tears of Steel, mas eles não conseguem ofuscar o resultado final que é simplesmente fantástico. A existência de problemas é algo perfeitamente normal em qualquer produção como essa, sendo até comum encontrar esse tipo de problema até em filmes comerciais e material produzido para séries de TV.

Uma das características que não ressaltei em relação ao Tears of Steel na minha retrospectiva sobre o projeto, é que todo o material é distribuído sob uma licença Creative Commons. Isso significa que você pode utilizar os vídeos, modelos 3d, música, texturas e qualquer coisa do projeto em outras produções desde que esteja citada a fonte. E nesse tipo de aplicação, estão inclusive contempladas as produções comerciais de outros projetos usando o material do Tears of Steel!

Se você gostou do resultado, recomendo adquirir o DVD do projeto, pois isso ajuda na manutenção do Instituto Blender e na produção de futuras iniciativas.

Para outros exemplos de produções semelhantes que usam basicamente o Blender para gerar os modelos 3d, animação e praticamente tudo, recomendo uma visita ao web site do Project London. Essa produção iniciou antes mesmo do Tears of Steel e teve uma receptividade positiva entre artistas e usuários do Blender, exatamente por usar o software como base para gerar seus efeitos visuais. Até a licença do conteúdo é diferente, com a única ressalva que no caso do Project London o material não pode ser usado para fins comerciais.

Renderização com estereoscopia e visualização de projetos arquitetônicos

A tecnologia que permite visualizar imagens animados usando estereoscopia, muito usada nos recentes filmes da animação está se tornando cada vez mais requisitada nos softwares 3d. Para o mercado de animação 3d voltado para o entretenimento, essa tecnologia veio para ficar e daqui para frente a maioria das produções deve apresentar versões próprias para assistir com os famigerados óculos 3d. Mas, será que esse tipo de recurso está destinado apenas a produtos criados para animação 3d? Com a disponibilidade de scripts e plugins para a maioria dos softwares 3d, já é possível criar imagens com estereoscopia para praticamente qualquer tipo de projeto. Acredito que hoje apenas o Maya e o Modo 3d disponbilizam recursos nativos para criação de câmeras para estereoscopia, mas tanto o Blender 3D como o 3ds Max já apresentam scripts para criar esse tipo de câmera.

O truque é relativamente simples e consiste na criação de duas câmeras para capturar simultaneamente uma cena. Cada câmera é equivalente a imagem destinada ao olho direito e esquerdo, sendo necessário fazer um pequeno trabalho de composição para gerar a animação.

Uma das áreas que podem se beneficiar com esse tipo de recurso é a visualização de projetos arquitetônicos. Essa é sem sombra de dúvida uma das aplicações da computação gráfica que mais empregam profissionais e artistas, e pode começar a receber demanda significativa de pedidos para gerar animações e imagens 3d. Sim, além das animações é possível trabalhar com imagens estáticas.

Gamlastan

Se você tiver um óculos 3d, use ele para visualizar essa imagem

O que você acha? Será que o mercado de visualização de projetos arquitetônicos deve adotar esse tipo de tecnologia? Para saber a opinião dos leitores aqui do blog, resolvi fazer algo que ainda não fiz aqui no site mas pretendo começar a fazer com mais freqüência, que é coletar a opinião dos leitores. Portanto, coloque a sua opinião sobre o assunto respondendo a pesquisa abaixo:


Assim que a maioria das pessoas votar faço um artigo comentando o resultado.

Qual o maior entrave para essa tecnologia? Com certeza é a necessidade de usar os óculos 3d, pois sem eles as imagens não tem serventia. Repare na imagem que ilustra esse artigo, que sem os óculos 3d não apresentam as características da estereoscopia.

Caso você queira começar a trabalhar com esse tipo de recurso hoje mesmo, mas usa ferramentas 3d sem o suporte para essas câmeras, visite esse link que agrega diversas ferramentas e tutoriais para trabalhar com estereoscopia em softwares 3d. Existe até um tutorial específico para o Blender 3D, mostrando como é possível criar esse tipo de imagem sem o uso de scripts, apenas com o editor de nós.

2009 será o ano da animação 3d e filmes usando esteroscopia

Esse ano talvez marque uma revolução na maneira como assistimos filmes e animações nos cinemas, o que pode ter impacto direto na produção de material e efeitos em 3d. O uso da técnica conhecida como estereoscopia está ficando cada vez mais comum, devido a vários investimentos e projetores digitais de cinema e muitos filmes sendo produzidos com essa técnica. Até pouco tempo atrás era muito raro encontrar filmes e animações, que ofereciam esse tipo de recurso, por vários motivos, sendo o principal deles a deficiência nos projetores analógicos dos cinemas, que muitas vezes geravam imagens sem sincronia.

Com novos projetores digitais e softwares mais especializados na produção desse tipo de material, podemos esperar uma verdadeira avalanche de filmes e animações, usando essa técnica para 2009. Entre as animações que devem aparecer esse ano, com opções para projeção em 3d estão o próximo lançamento da Pixar – Up!, Ice Age 3 da Blue Sky e também a animação Monstros versus Aliens da DreamWorks. Esses são alguns dos principais títulos que devem receber versões em 3d, para cinemas com equipamento digital.

No começo do ano tive a oportunidade de assistir a animação Bolt, pois aqui em Recife existe um cinema equipado com esse tipo de projeção em 3d, e posso dizer que tirando o pequeno incômodo de assistir a animação com óculos o tempo todo, vale a pena! A sensação de profundidade oferecida pela técnica é muito boa! O efeito gerado pela projeção em 3d não faz com que as imagens saltem da tela, mas potencializa a profundidade das cenas, fazendo parecer que você está assistindo a uma cena real, com diferentes planos. Apenas as cores da animação ficam comprometidas, pois o resultado do uso desses óculos é que tudo tende para cores menos saturadas.

Para ilustrar melhor o assunto, esse é um pequeno making of e trailer da animação, Monstros versos Aliens, que será distribuída em versões 2d e 3D.

Repare em dois aspectos importantes em termos de produção, a equipe está usando o Maya 2009 para produzir a animação, pois ele já acompanha as ferramentas necessárias e câmeras especiais para esse tipo de projeto, sem a necessidade de plugins. Outro ponto interessante é que o Maya pode exibir imagens em 3d, durante o processo de produção. Portanto, os artistas envolvidos na produção da animação usam óculos 3d para visualizar as cenas e renderizações.

Isso muda um pouco a maneira com que animações em 3d são criadas, e também modifica um pouco o processo de edição e tratamento das cenas. A maioria das adaptações e ajustes é técnica, mas ainda assim é mais um aspecto que precisamos estudar. A meta dos estúdios é que em 2009 todas as animações 3d sejam produzidas usando estereoscopia.

Mas, não é só na área de animação 3d que esse tipo de técnica está chegando, pois vários filmes com atores reais estão em produção usando a técnica, que consiste no uso de uma câmera especialmente adaptada para capturar uma cena para cada um dos nossos olhos. Isso pode mudar o processo de pós-produção, pois não são todos os softwares de montagem de vídeo que suportam esse tipo de tecnologia. Um dos mais aguardados para esse ano é Avatar, que ainda está em produção e só deve ser lançado no final desse ano. O filme está gerando expectativa, por ser do James Cameron e apostar na estereoscopia desde muito cedo e também, segundo relatos da produção, as câmeras usadas no filme foram projetadas apenas para esse projeto.

Procure na sua cidade um cinema com suporte a esse tipo de projeção e assista alguma animação ou filme, usando essa nova tecnologia. Garanto que será uma agradável experiência, principalmente para quem entende como esse tipo de material é produzido!

Como funciona a filmagem e criação de conteúdo com estereoscopia (S3D)?

Uma tendência muito forte para os próximos anos na área de criação de conteúdo para cinema é a utilização de técnicas e ferramentas, para produção de vídeos com estereoscopia. O que é isso? Esses são aqueles vídeos que permitem a percepção de profundidade em 3d, com o uso de óculos especiais. Ainda me recordo do primeiro filme que vi, usando essa técnica no início dos anos 90. Foi um filme do Freddy Krueger, para ser mais exato foi o filme em que ele morre. Os últimos 15 minutos do filme era todos filmados usando estereoscopia, e quando recebíamos o ingresso era acompanhado de óculos especiais.

Nos últimos lançamentos do Maya 2009 e Photoshop CS4 Extended, a criação de conteúdo 3d usando estereoscopia de maneira nativa foi um dos destaques dessas ferramentas. Com o tempo, outras ferramentas 3d como o 3ds Max, Softimage, Cinema 4D e o Blender 3D devem ganhar ferramentas para trabalhar com esse tipo de técnica também, e o motivo para isso é simples, a demanda por esse tipo de conteúdo está crescendo.

Para promover a técnica e o lançamento do Maya 2009, a Autodesk elaborou um ótimo documento em PDF, com oito páginas que explicam muito da criação de conteúdo usando estereoscopia. (Procure o link chamado Stereoscopy White paper)

No início do arquivo PDF, existem uma explicação sobre o funcionamento da técnica e como a criação das duas imagens independentes pode enganar o nosso olho, e passar a impressão de profundidade no filme. Isso envolve a percepção de profundidade e uma acentuação do efeito conhecido como Parallax.

Existe um formato específico para esse tipo de conteúdo? Sim, o formato se chama S3D. No texto, todas as vezes que é referenciado algum conteúdo em estereoscopia, o formato S3D é usado.

O documento é muito interessante para quem tem interesse em se aprofundar um pouco mais sobre o assunto, pois ele aborda o uso da técnica para ambientes de produção em cinema e TV. Por exemplo, ele mostra as diversas técnicas de posicionamento de câmera, como o uso de equipamentos com duas lentes, uma para cada olho.

Essa é a base de funcionamento da técnica no Maya. Existe uma câmera especial no Maya, que trabalha com duas câmeras diferentes, que renderizam imagens para ambos os olhos.