Novo shader para o 3ds Max 9: Ghost Shader

Muita gente acaba usando ferramentas 3D e configurando shaders em materiais sem saber com certeza, o que eles realmente fazem. Caso você não saiba, a definição resumida de shader é que ele compreende um algoritmo que determina a maneira como uma superfície reage aos raios de luz. Dependendo do shader que escolhemos para um material, teremos mais ou menos opções para determinar a maneira como a luz reflete e se espalha na superfície. Alguns dos shaders mais famosos são o Blinn, Oren-Nayar e Phong. Todos esses shaders receberam seus nomes em homenagem as pessoas que desenvolveram seus respectivos algoritmos, pelo menos a maioria deles.

Mas chega de história, o propósito desse artigo é apresentar para os usuários de 3ds Max um novo shader, disponível para o 3ds Max 9. Ele se chama ctrl.Ghost Shader, que foi convertido diretamente do Maya para o 3ds Max por um usuário do CG Talk. Mas o que esse shader faz?

Ele permite usar dois recursos de renderização e distribuição de energia luminosa avançados, chamados de importons e irradiance particles. Ambos são recursos do Mental Ray, que podem ser usados para melhorar em muito a iluminação de cenas internas no Mental Ray, veja esse exemplo publicado no CG Talk usando irradiance particles:

O que faz cada uma dessas opções? Com os importons é possível diminuir drasticamente o tamanho físico do mapa de photons, fazendo com que o Mental Ray renderize as cenas de maneira mais rápida. Já com a segunda técnica os raios luminosos são disparados da câmera, quando eles atingem uma superfície o algoritmo salva as informações da luz direta e indireta, para montar também um mapa de photons.

Pelas imagens exibidas no CG Talk, ambos os shaders geram imagens hiper-realistas. Quem quiser testar, apenas com o 3ds Max 9, pode visitar esse link para fazer o download dos arquivos. Você deve descompactar os mesmos na pasta de plugins do 3ds Max. Nesse mesmo endereço é possível encontrar o texto completo em inglês com a descrição do shader, o link para download está no final da primeira mensagem.

Quem está fazendo trabalhos acadêmicos sobre renderização encontra muita coisa interessante, sobre distribuição de energia luminosa no texto também. Claro que não é um artigo científico, mas é raro encontrar textos descritivos bem ilustrados como esse.

Infelizmente não posso testar o shader, pois não tenho o 3ds Max 9. Caso algum leitor queira testar e passar o seu depoimento fique a vontade!

Configuração ideal para render com V-Ray

Apesar de existirem inúmeros tutoriais sobre o V-Ray na internet, quando um usuário inicia o trabalho com esse renderizador, se depara com uma quantidade razoável de opções e configurações para o render. Na semana passada, recebi um e-mail de um usuário do 3ds Max, perguntando qual era a melhor maneira de configurar o V-Ray? Na verdade isso é muito relativo, depende da sua cena. Para ajudar esse usuário, lembrei de um artigo que li há muito tempo atrás, nos fóruns do ChaosGroup que é a empresa desenvolvedora do V-Ray. Nos fóruns, um artista fez essa mesma pergunta ao Vlado, que podemos chamar de “Pai” do V-Ray. E por incrível que pareça, ele respondeu com uma configuração universal do V-Ray para render de alta qualidade.

Quer ter uma idéia do resultado da configuração? A imagem abaixo foi renderizada com essas configurações:

COnfigurações ideais para o V-Ray

A qualidade do render na imagem é muito boa, mas existe um pequeno contratempo nas configurações, analisando a imagem original é possível visualizar o tempo total de render, que foi de aproximadamente 1 hora e 17 minutos.

Antes de prosseguir, caso você já queira conferir as configurações, esse é o link para o artigo nos fóruns da asgvis. Não sei o motivo, mas os fóruns da chaosgroup estão inacessíveis para usuários inativos como o meu. Eu apenas visitava o fórum para ler as mensagens, como não tenho licença do V-Ray ficava difícil de participar.

Bem, voltando ao assunto do artigo, se você visitar o fórum do asgvis, um dos usuários gentilmente copiou o texto do Vlado. Logo na primeira mensagem você visualiza as dicas. Na verdade ele coloca várias recomendações de configuração, para uso genérico. Além das configurações, ele orienta como ajustar os parâmetros para deixar a renderização mais rápida.

As configurações recomendadas por ele para o V-Ray, se aplicam a qualquer ferramenta 3d e sistema operacional, mas ele mesmo chama a atenção para a perda de performance na geração da imagem final. Então, use com cautela as configurações sugeridas por ele. No final da mensagem, podemos encontrar um link para várias imagens resultantes do uso dessas configurações.

Nada melhor que uma dica de quem realmente entende de V-Ray, como o Vlado.

Revista BlenderArt 15: Tutoriais e artigos sobre animação de personagens

Parece que o projeto Peach contagiou os editores da BlenderArt, que prepararam uma edição totalmente dedicada a animação de personagens. Todos os artigos e tutoriais apresentados na revista, falam de animação ou assuntos relacionados à interpretação virtual. Inclusive, apesar dos artigos serem todos direcionados ao uso do Blender 3d, como ferramenta de animação, qualquer artista 3d envolvido com animação de personagens, pode se aproveitar de algumas das dicas mostradas na revista. Vários dos artigos sobre animação, falam apenas do conceito, sem ligação direta com nenhum software.

Então, se você tem interesse no assunto, pode fazer o download sem medo, a revista já é gratuita e com material tão útil assim, fica complicado não copiar o arquivo.

Revista BlenderArt 15: Animação

Vamos como de costume, conferir os assuntos abordados na revista, com um breve comentário:

  • Projeto Open Movie na Indonésia:
  • Levando sua animação para o próximo nível: Para começar os artigos da revista com a “sola da chuteira”, um artigo de autoria do Keith Lango. Ele fala sobre as ações e técnicas necessárias para levar e produzir animações profissionais. Apesar de ser resumido, o texto é muito bom! Praticamente todas as técnicas importantes para animação estão lá. Se você quisesse, poderia até parar a leitura da revista nesse artigo. Só ele já vale o download.
  • Fonemas: Aqui é possível aprender como criar fonemas para animação facial, com o auxílio do Mancandy.
  • Biblioteca de expressões: No artigo anterior, aprendemos como criar fonemas. Agora temos um texto que ensina a criar uma biblioteca de expressões para animação.
  • Técnicas de atuação para animação: Já pensou em transformar o seu personagem virtual em ator? Com esse artigo você descobre as técnicas necessárias para transformar seu personagem, em um ator.
  • Personagens 3d gratuitos para download: Lista com alguns personagens prontos, salvos e disponibilizados para uso no Blender 3d. Ótima lista, alguns dos personagens eu não conhecia e agora tenho mais para a biblioteca.
  • Modelagem de produtos: Aqui temos um artigo que foge um pouco do contexto dessa edição, mas mesmo assim é muito bom. Esse é um tutorial de modelagem, direcionado para design de produtos.
  • Renderização de produtos: Para complementar o tutorial anterior, aprenda como renderizar o modelo do produto. Se você pensa que esse é um tutorial simples, confira o texto para se surpreender. O autor explora técnicas avançadas de iluminação e setups complexos com Blender 3d e YafRay.
  • Animações em Blender: Você sabe como os estúdios de animação estão usando o Blender? Descubra nesse artigo.
  • Expressões faciais: Tutorial que mostra o processo e técnicas necessárias para elaborar uma animação facial. Se você não sabe usar shape Keys, esse tutorial ensina.
  • Einstein Dwarf: Making of sobre a criação de um personagem complete para animação. Desde os esboços iniciais até a animação.
  • Blender na sala de aula: Esse é mais um artigo/reflexão, sobre como o Blender 3D pode ser utilizado como ferramenta de apoio em sala de aula, principalmente para quem estuda design de produto.

Se você gostou desses artigos, então espere para saber o que nos espera para o próximo número. Na BlenderArt 16, a revista aborda o uso de efeitos especiais e simulações físicas como Blender 3D. Então teremos tutoriais e artigos falando sobre:

  • Fluídos
  • Soft Bodies
  • Cloth
  • Partículas

Interessante não é?

Bem, se você quiser fazer o download dessa edição, visite esse endereço. Só lembrando, a revista é gratuita!

Bibliotecas de arquivos HDR gratuitos para download

O que é um arquivo com extensão HDR? Para quem nunca teve oportunidade de trabalhar com arquivos dessa natureza, podemos definir ele como uma imagem que consegue armazenar informações sobre a iluminação de um ambiente ou cenário. Por exemplo, para reproduzir a iluminação de uma sala, com o máximo de fidelidade, podemos usar um equipamento especial, para tirar uma foto do ambiente e nessa foto armazenar as informações de luz. Com isso, podemos usar técnicas e ferramentas nos softwares 3d, para gerar a iluminação de cenários virtuais com essas imagens HDR. Algumas pessoas costumam chamam essas cenas iluminadas com mapas HDR, como sendo a base para o hiper-realismo.

Essa é uma ótima opção, para iluminar um ambiente ou cenário com o máximo de realismo. O problema é que a maioria dos mapas HDR, com qualidade é pago. Caso você não tenha condições financeiras de comprar um deles, como as famosas bibliotecas do Dosch Studio, o resultado é aproveitar as imagens do Debevec, autor do famoso HDR Shop, software para editar e criar mapas HDR.

Para ajudar as pessoas interessadas em utilizar esse tipo de recurso, seja no Blender 3d, 3ds Max ou Maya, compilei uma pequena lista, com locais e bibliotecas gratuitas de mapas HDR.

Imagens HDR

Lembre que alguns dos arquivos disponibilizados nessas bibliotecas, por serem gratuitos estão com baixa resolução.

A primeira biblioteca é de um artista chamado smashmethod, que disponibilizou o material em duas páginas no deviantart. A quantidade de mapas HDR disponibilizados até que é impressionante! Para visitar as coleções de mapas HDR, visite os seguintes endereços:

Outra biblioteca com grande quantidade de imagens:

Só um detalhe, não tente abrir esse tipo de imagem no photoshop ou outro editor de imagens tradicional. Esses mapas são para uso em ferramentas 3d, seja ele o 3ds Max, Maya ou Blender. Por sinal, para usar esse tipo de imagem com o Blender você precisará do YafRay.

Só mais um detalhe, talvez o seu render fique um pouco mais lento com o uso dessas imagens, mas geralmente a qualidade da iluminação resultante, vale o sacrifício.

Dissertações de mestrado com aplicação na iluminação e composição 3D

Na grande maioria das indicações de tutoriais ou textos que faço aqui, me refiro a material técnico sobre 3D, escrito por artistas ou então tutoriais e análises de minha autoria. Pois hoje indicarei um tipo de material de outra natureza, pesquisas científicas! Já devo ter comentado aqui em artigos anteriores, que um dos meus objetivos esse ano é ingressar em um mestrado, mas para poder começar a pensar em algo desse gênero, preciso elaborar um pré-projeto de pesquisa. Isso envolve a busca de referências e outros trabalhos científicos, que possam estar relacionados à minha linha de pesquisa.

Trabalhos pesquisa 3D

Não preciso dizer que o meu trabalho de pesquisa envolve computação gráfica, mais especificamente o Blender! Bem, ainda é cedo para passar detalhes sobre essa pesquisa, mas posso dizer que as idéias estão surgindo.

Como parte do trabalho de pesquisa para referências, encontrei o ótimo repositório de documentos e material chamado de domínio público. Como o próprio nome diz tudo hospedado lá é de domínio público. Existe uma parte do sistema que permite pesquisar apenas dissertações e teses de mestrado, foi lá que encontrei duas dissertações de mestrado que tem aplicação direta na iluminação de cenas em 3D.

Os títulos das dissertações são:

  • Iluminação cênica com elemento modificador: A autora dessa dissertação se chama Bárbara Suassuna Bent Valeixo Mont Serrat, que fala sobre a iluminação cênica (teatro) que é extremamente útil para ambientes 3D. Devemos lembrar que o palco do cenário e o espaço 3D dos nossos softwares são idênticos em termos de iluminação. Quando retiramos todos os pontos de luz, temos a escuridão total, mas ao adicionar sistematicamente pontos de luz, o cenário vai ganhando formas. Esse é um estudo científico de como a iluminação e o seu posicionamento, podem influenciar nas emoções e valorizar os elementos existentes no palco. Se você tem pouca, ou nenhuma, experiência com iluminação esse texto é um ótimo começo. Para fazer o download, visite esse endereço. O arquivo PDF tem 93 páginas.
  • Aplicação da teoria das cores em ambientes virtuais para arquitetura e design de interiores: O nome é praticamente auto-explicativo! A autora dessa dissertação se chama Angélica Pereira Marsicano Tavares, sendo direcionada para a área de maquetes eletrônicas e simulação de projetos, antes da execução. Se você trabalha com visualização, mas não conhece muito sobre teoria de cores e as maneiras de aplicar e combinar essas cores em ambientes, pode se aproveitar das informações apresentadas nessa pesquisa. Para fazer o download do PDF, com 101 páginas, visite esse endereço.
  • Simulação computacional para projeto de iluminação em arquitetura: Mais um projeto de pesquisa envolvendo iluminação, em minha opinião um dos mais úteis para quem não conhece absolutamente nada sobre iluminação, já que primeiro apresenta aspectos físicos do comportamento da luz. Depois de apresentar esses conceitos, a autora da dissertação Sílvia Garcia Tavares, mostra a relação disso com o projeto de ambientes. Para quem quiser melhorar o seu embasamento na iluminação de ambientes, esse trabalho é ótimo. Para fazer o download do PDF com 183 páginas, visite esse endereço.

Mesmo que alguns desses trabalhos de pesquisa não tenham sido realizados, com o claro objetivo de serem utilizados em ambientes 3D, qualquer artista envolvido com Blender, 3ds Max, Maya ou qualquer suíte 3D pode se aproveitar dos dados e referências apresentados nos trabalhos. Lembre que não é só o texto apresentado que pode ajudar, visite as referências, livros indicados e outros materiais indicados nos trabalhos para aprender cada vez mais.

Leia com calma os textos, eles não são tutoriais, mas sim trabalhos científicos, com forte embasamento teórico. Você precisará ler e interpretar o material, para adaptar os conhecimentos na sua ferramenta 3D.

Obs: Será necessário se cadastrar no sistema para efetuar o download dos arquivos.