Integrando animações produzidas no Maya e Blender 3D com Scripts

Uma coisa muito importante em qualquer estúdio de animação e ate mesmo para um artista 3d é a possibilidade de mover seus modelos 3d, para outras ferramentas e conseguir extrair o que elas tem de melhor. Dentre as mais famosas ferramentas 3d, o Softimage XSI é conhecido por oferecer o maior nível de compatibilidade entre ferramentas 3d, e aliando isso as suas já poderosas ferramentas de animação, o software ganha status de “ferramenta fundamental” em estúdios. Devo confessar que muita gente que começa a usar o Blender, fica um pouco decepcionada em saber que não vai poder usar os seus arquivos salvos em formatos proprietários do 3ds Max, como os arquivos .max.

Mas, isso faz parte de qualquer migração de software. Para as pessoas que quiserem compatibilidade máxima entre aplicativos, recomendo usar o formato COLLADA. Assim os seus modelos 3d e projetos estão sempre salvos em um formato compatível com a maioria das ferramentas 3d.

Agora, vamos conhecer uma técnica muito interessante que consegue integrar animações produzidas no Maya e importa o material para o Blender 3D. Sim, um artista renomado na comunidade Blender elaborou um script que consegue importar animações completas do Maya, para que com o modo escultura do Blender, seja possível adicionar mais emoção a animação.

Você deve estar lembrado do AniSculpt que foi uma técnica apresentada por Daniel Martinez Lara, também conhecido por pepeland.


AniSculpt — Maya Connection Script from pepeland on Vimeo.

No vídeo, podemos acompanhar o mesmo procedimento realizado no antigo tutorial em que foi usado um dos personagens do Big Buck Bunny. Mas, agora o objetivo é trabalhar em uma animação produzida no Maya.

Assim que o modelo 3d é importado, o artista começa imediatamente a deformar e adicionar keyframes as poses do personagem. Esses keyframes são relacionados diretamente com o Shape Keys do Blender, e servem para que as deformações criadas com o modo de escultura possam demonstrar toda a fúria do personagem. (se você não entendeu, assista ao vídeo para compreender a fúria!)

No final do processo, o mesmo modelo 3d é exportado para o Maya. O processo é bem simples e esse Script promete facilitar a vida de quem trabalha com ambas as ferramentas 3d. Por enquanto, o código ainda não foi disponibilizado pelo Daniel, mas quando o for, será no seu web site que pode ser acessado nesse endereço.

Render Farm gratuita baseada em Blender 3D

Esse é o tipo de notícia que pode ajudar muita gente que está com projetos complexos envolvendo 3d, mas não tem acesso a computadores velozes para trabalhar na renderização. Qualquer estúdio ou empresa com um pouco mais de recursos, monta para suas atividades uma coisa chamada de Render Farm, que em tradução direta seria algo como uma “fazenda de renderização”, o termo usado é fazenda, pois é a melhor analogia com uma verdadeira série de computadores em paralelo, lembrando em muito uma plantação.

Se você ainda não conseguiu imaginar uma Render Farm, a imagem abaixo vai deixar as coisas mais claras. Isso é uma Render Farm:

Render farm

Quer ver uma Render Farm poderosa? Segundo a descrição dessa próxima fotografia, temos uma visão de um dos complexos de renderização da Pixar:

Pixar's Render Farm 2

Como deve ter ficado claro para você, o uso de uma estrutura dessas pode estourar o orçamento de qualquer projeto de animação. Qualquer projeto que envolva renderização 3d para animação, precisa de uma estrutura como essas, caso contrário o render pode durar semanas e por mais longo que o prazo final de entrega do projeto seja, ele provavelmente não será respeitado.

Bem, estou falando sobre esse tipo de estrutura para animação, pois nessa última semana o centro de computação paralela da Universidade de Westminster no Reino Unido, liberou o acesso gratuito a sua Render Farm, com aproximadamente 250 CPUs. Sim, você pode visitar o endereço deles para se inscrever e ter acesso a vários computadores para renderizar suas animações. A facilidade é exclusiva para usuários do Blender 3D, pois o portal só aceita arquivos de animação, salvos no formato .blend.

Esse benefício não é vitalício e está sendo oferecido para fins de teste pela universidade, portanto é extremamente importante que você não o use como solução definitiva para seus projetos, ou até mesmo inicie um projeto de animação, esperando usar os computadores deles para a renderização, pois a qualquer momento, tudo pode sair do ar.

Para os que quiserem realmente testar o poder do render, sugiro montar uma pequena animação com os mais diversos efeitos, para tirar o máximo dos computadores, como o uso de Ambient Occlusion, SubSurface Scattering, Ray Tracing, Partículas, Fluidos e tudo mais que o Blender 3D possa fazer para deixar a cena complexa. Como não é o seu computador que ficará em apuros, não há porque hesitar em usar a maior quantidade de recursos possíveis.

Tutorial sobre as opções Snap para modelagem com precisão no Blender 3D

Entre as principais dúvidas das pessoas que começam a trabalhar com o Blender 3D, é a parte de modelagem com precisão. Essa dúvida fica ainda mais evidente para os artistas que estão migrando de softwares como o 3ds Max. Nas minhas aulas sobre Blender, sempre recebo perguntas sobre o uso de ferramentas como o Snap; essa opção existe no Blender 3D? Claro que sim! O Blender possui sim uma opção de Snap muito poderosa, mas o seu funcionamento é um pouco diferente de outros softwares 3d, o que pode deixar muita gente confusa no início dos trabalhos.

Digo isso, pois eu mesmo encontrei um pouco de dificuldade quando comecei a trabalhar com modelagem exigindo precisão no Blender. O segredo para executar com sucesso esse tipo de modelagem no Blender é dominar o Cursor 3D.

O Cursor 3D tem papel fundamental no Blender, pois é com ele que podemos posicionar objetos em partes estratégicas do nosso cenário. Esse cursor funciona como um auxiliar do cursor do mouse, como se fosse um marcador para que você realize operações importantes. A primeira dessas operações básicas é marcar o local em que os objetos são criados.

Quer saber um pouco mais sobre o cursor 3d? O tutorial abaixo mostra as principais funções e utilidades do cursor 3d, principalmente no posicionamento de objetos.


Blender VT – Snap from Dimitris Christou on Vimeo.

A tecla que aciona e posiciona o Cursor 3D é a SHIFT+S em que um pequeno menu aparece, oferecendo várias opções de posicionamento do cursor ou dos objetos na cena.

Por exemplo, se você quiser posicionar um objeto sobre um determinado ponto de um círculo, como mostra o vídeo o procedimento é o seguinte:

  1. Entrar no modo de edição e selecionar o vértice desejado.
  2. Pressione a tecla SHIFT+S e escolha a opção Cursor->Selection.
  3. Voltar para o modo objeto, para depois selecionar o objeto que deve ser movido para a nova posição.
  4. Depois que o objeto estiver selecionado, acione a tecla SHIFT+S novamente e escolha agora a opção Selection->Cursor

Se você fez tudo de maneira correta, o seu objeto que estava sem posição definida no espaço 3d agora vai pular, para a posição em que o Cursor 3d estava.

O vídeo mostra esse tipo de operação, além de outras opções como a alteração do ponto Pivot (centro) dos objetos. Se você tem um mínimo de experiência com o Blender, não vai ter grande dificuldade em seguir os passos do tutorial, mesmo com a narração do material estando em inglês. A principal tecla de atalho você já conhece, que é o SHIFT+S.