Modelagem de terrenos com SketchUp

A modelagem de terrenos em 3d é algo que deve ser lavado muito a sério, principalmente se o tema estiver relacionado com projetos de engenharia ou arquitetura. Os erros nesse tipo de modelagem podem refletir diretamente no entendimento do projeto, ou quem sabe até mesmo no projeto se o erro acabar partindo da parte relacionada ao estudo topográfico. Os artistas que procurarem trabalhar com modelagem de terrenos deve ter conhecimentos na área de topografia, ou pelo menos saber ler as curvas de nível em uma planta técnica. As pessoas que estudam em instituições com cursos com o engenharia, arquitetura ou topografia já devem ter se deparado com pessoas usando equipamentos estranhos apoiados em tripés dentro da faculdade. Aquilo é a aula prática de levantamento topográfico.

Modelagem de terrenos com SketchUp

Nos casos em que a topografia não é importante e sim a disposição de edificações já existentes, é interessante partir para o uso do SketchUp na construção do ambiente 3d, pois o mesmo oferece algumas vantagens. Como o SketchUp já pertenceu ao Google, a sua integração com os produtos do Google é muito boa, principalmente com o Google Earth e o Maps.

Modelagem de terrenos com SketchUp

O SketchUp consegue usar dados de ambas as plataformas para ajudar na modelagem de terrenos! Como isso funciona? Para quem nunca usou o SketchUp com o propósito da modelagem de terrenos, o vídeo a seguir é uma excelente introdução ao uso do SketchUp para esse propósito. No vídeo o autor explica (em inglês) todo o processo de criação da cena apresentada na imagem que ilustra esse artigo. O diferencial é que a cena está geolocalizada e as imagens usadas como texturas são reais, baseadas em fotos das edificações existentes, o que é muito bom para localização de modelos 3d para arquitetura.

O vídeo é bem longo, passando um pouco da uma hora de duração, mas para quem está procurando aprender a modelagem de terrenos com o SketchUp, o material é muito interessante e auxilia no entendimento de como usar os produtos do Google para melhorar a contextualização da sua modelagem.

Aprendendo mais sobre SketchUp

A modelagem 3d com o SketchUp é simples, mas algumas dicas e procedimentos de trabalho podem acelerar muito a sua produção. É por isso que recomendo aos interessados uma visita ao EAD – Allan Brito, para conferir os cursos sobre SketchUp, começando pelo SketchUp Básico que é gratuito. Os outros cursos de SketchUp disponíveis são:

Impressão 3D para arquitetura com Blender

A impressão 3D é um dos grandes chamarizes para muitas pessoas começarem a usar softwares 3d para criar ou manipular os modelos 3d necessários para usar nas impressoras 3d. E qual seria o melhor software para editar modelos 3d para impressão? Existem muitas opções para criar modelos 3d para impressão, mas entre todos eles o Blender possui uma grande vantagem entre os potenciais softwares devido a sua acessibilidade! Você quer imprimir em 3d? É só fazer o download do Blender que é totalmente gratuito e começar a fazer objetos para mandar para impressoras 3d.

Entre as áreas que podem aproveitar muito a revolução da impressão 3d está a arquitetura, pois assim como a maioria dos arquitetos ou pessoas que trabalham com projetos sabem, é preciso criar eventualmente modelos físicos dos projetos para explicar melhor um projeto. Já pensou imprimir em 3d a sua maquete?

Impressão 3D para arquitetura com Blender

Impressão 3d para arquitetura com Blender

Um exemplo de como a impressão 3d para arquitetura pode revolucionar a acelerar o processo de produção desse tipo de material pode ser conferido no vídeo a seguir, em que o arquiteto e usuário do Blender Matthieu Dupont mostra como é possível criar no Blender o modelo 3d, e depois imprimir o mesmo em 3d.

O projeto é bem conceitual e cheio formas orgânicas, e seria um verdadeiro desafio criar um modelo físico do projeto. Mas, a impressora 3d acaba fazendo toda a parte complexa e aposto que o artista não precisou sujar as mãos com cola ou então cortar os dedos para criar essa maquete. Se você já teve que criar alguma maquete sabe do que estou falando!

Quer começar a criar esses modelos em 3d? O Blender é totalmente gratuito e permite que você até mesmo prepare os objetos para impressão em 3d com o uso de um Addon próprio para isso, que pode ser copiado também de maneira gratuita nesse endereço.

Aprendendo modelagem 3d com Blender

E para criar modelos 3d mais complexos com o Blender, recomendo uma visita ao EAD – Allan Brito para aprender com o curso básico de Blender, que também é gratuito. Quer desenvolver ainda mais as habilidades com o Blender? Então recomendo visitar um desses cursos:

Curso sobre técnicas de modelagem 3d com Blender

O EAD – Allan Brito ganhou no início de Junho uma reformulação completa na sua interface e maneira com que você interage com os cursos disponíveis no site, e desde então vários novos cursos foram lançados. Para ser mais preciso foram quatro os novos cursos disponibilizados no site! Entre os cursos encontramos opções tanto gratuitas e outros demandando inscrição. Mas, entre os cursos lançados até agora nenhum deles tinha sido sobre o Blender que é tópico mais visto no EAD – Allan Brito.

Antes de falar sobre novidades, o que acha de relembrar dos cursos que foram lançados no site nessas últimas semanas? Essa é a lista de cursos que foram lançados em Junho:

Dois dos cursos são totalmente gratuitos e abordam temas completamente diferentes. O primeiro apresenta o GIMP como ferramenta para editar e manipular imagens, e o segundo trata do Unity 3D que é uma das engines mais usadas para criar jogos multiplataforma comerciais.

Curso sobre técnicas de modelagem 3d com Blender

Mas, esse artigo não é apenas para lembrar rapidamente sobre os cursos lançados no mês de junho e sim anunciar mais um curso de Blender no EAD – Allan Brito. Hoje foi disponibilizado para inscrição o curso sobre técnicas de modelagem 3d com Blender, que é o complemento perfeito para o curso de modelagem poligonal! E o motivo que faz dele o complemento perfeito, é o fato do curso abordar exatamente as técnicas de modelagem que não são vistas no curso de modelagem poligonal.

Curso sobre técnicas de modelagem 3d com Blender

O curso sobre técnicas de modelagem 3d aborda temas como o uso de curvas bézier na criação de objetos 3d, escultura e o fantástico Addon para modelagem B-Surfaces que é uma das opções mais poderosas para criar modelos 3d no Blender. Essa é uma lista com alguns dos principais assuntos abordados no curso:

Essa é a lista dos assuntos abordados no curso:

  • Curvas
  • Modelagem com curvas
  • Modelagem com perfis 2D
  • NURBS
  • B-Surfaces
  • Retopologia
  • Escultura digital
  • Hard surface modeling
  • Uso do Shrinkwrap

Quem quiser conferir o curso e todas as suas aulas, basta visitar o link que leva para a página do curso sobre técnicas de modelagem 3d com Blender. Na página é possível assistir a alguns vídeos de duas aulas do curso, para que você tenha uma idéia do conteúdo. Esse é o primeiro de uma nova “leva” de cursos sobre Blender do EAD – Allan Brito que estão em produção. Mas, isso não significa que esqueci dos cursos atuais! Ainda essa semana mesmo lanço mais uma aula do curso sobre composição e efeitos com Blender.

Escultura digital no jogo The Last of Us do Playstation 3

A escultura digital desempenha papel fundamental em qualquer processo de criação envolvendo personagens virtuais, pois é apenas com a escultura que conseguimos atingir níveis de detalhamento e qualidade realistas, exigidos para a maioria dos projetos envolvendo jogos ou mesmo animações para cinema e televisão. É perfeitamente possível criar personagens apenas com o uso de modelagem poligonal, mas o nível de detalhes que podemos gerar apenas com polígonos é bem limitado, e acaba demandando muito tempo dos artistas para gerar topologia que é facilmente criada usando escultura.

O ponto negativo da escultura é que ela exige dos artistas 3d um nível de prática bem diferente, que está mais relacionada a parte artística do que técnica na modelagem. Esse é o desafio que muitos acabam encontrando quando começam a se aventurar na escultura. Mas, um bom ponto de partida para os estudos envolvendo a escultura digital é a observação criteriosa de modelos 3d esculpidos para jogos e animações, por artistas renomados em grandes produções. Por exemplo, o recém lançado jogo The Last of Us possui um trabalho de arte muito interessante e que preza pelo uso de pequenos detalhes nos modelos 3d. O CG Record compilou uma lista com diversas imagens dos modelos 3d esculpitos para os personagens do jogo.

escultura-the-last-of-us-ps3.jpg

A simples observação desses modelos 3d já mostra algumas informações valiosas sobre como detalhes foram produzidos para esses modelos 3d em particular. Por exemplo, repare nos pequenos planos espalhados por áreas que nas imagens renderizadas estão todas representadas com cabelo. Isso se deve ao fato dos cabelos serem criados com mapas de opacidade, provavelmente para reduzir o consumo de recursos durante o jogo ou render. As partículas são tentadoras nesse tipo de situação, mas o uso de materiais e texturas é muito eficiente.

De maneira geral você não vai aprender a trabalhar com escultura no artigo, mas terá ótimas referências visuais para começar. O mercado de jogos digitais é um voraz consumidor de material produzido por softwares 3d, e esse é um exemplo do que podemos fazer com escultura em jogos.

Quer começar com escultura? Existem inúmeras opções no mercado como o ZBrush ou Mudbox. Os dois são os mais conhecidos nessa área, mas você também pode criar escultura no Blender que é totalmente gratuito.

Dicas de modelagem usando escala no SketchUp

O SketchUp é uma das ferramentas que oferece as opções mais amigáveis para artistas que procuram maneiras simples de gerar objetos em 3d. A sua estrutura e metodologia baseada na construção geométrica de elementos permite que até mesmo crianças usem o software para aprender a trabalhar com geometria e matemática como é comumente divulgado pelo Google e futuramente também pela Trimble. Mas, apesar da sua facilidade de uso o SketchUp ainda guarda pequenas surpresas para as pessoas com paciência e curiosidade em explorar todo o potencial do software. Estava lendo um artigo sobre modelagem com SketchUp na semana passada, e achei o texto muito interessante, pois no texto o autor fala exatamente sobre uma das opções que percebo ser a mais desafiadora para usuários menos experientes que é a escala.

Você sabe usar bem a ferramenta de escala do SketchUp?

Nesse artigo o autor Matt Donley passa 8 dicas valiosas sobre como a escala pode ajudar na modelagem com o SketchUp. O mesmo artigo gerou um vídeo que está em inglês. Para as pessoas que têm dificuldade com o idioma, tomei a liberdade de traduzir os principais pontos relacionados as dicas sobre escala com SketchUp.

  • Dica 1 – Pressione o CTRL para escalonar do centro – Essa dica é se explica sozinha, pois ao pressionar a tecla CTRL no SketchUp enquanto fazemos a escala, o software usa como ponto pivô o centro do objeto.
  • Dica 2 – Desenhe círculos pelo diâmetro – Aqui temos uma dica relacionada em parte com a dica 1. No caso, o autor recomenda que sempre devemos desenhar círculos pelo diâmetro, e depois aplicar uma escala usando o valor 0.5. E ao pressionar o CTRL o círculo permanece com o mesmo centro. Mas, se você já souber o raio do círculo, o que não é muito complicado de descobrir, pode desenhar direto sem a escala!
  • Dica 3 – Use guias para escalonar em dimensões exatas – O SketchUp permite que o usuário aplique fatores de escala em objetos, mas esses fatores são porcentagens. Por exemplo, ao escalonar qualquer coisa com o valor 1.2 significa dizer que o objeto será aumentado em 20%. Com o uso de guias, podemos escalonar objetos para dimensões exatas e não depender apenas de porcentagens.
  • Dica 4 – Aplique a escala em faces – Com a ferramenta de escala do SketchUp é possível redimensionar apenas uma face individualmente. O software irá então ajustar todas as faces conectadas.
  • Dica 5 – Aplique a escala em objetos selecionados – A escala no SketchUp pode ser aplicada em qualquer objeto que esteja selecionado sejam faces, linhas ou mesmo grupos e componentes.
  • Dica 6 – Escala em grupos e componentes – O uso da escala em grupos e componentes afeta todos os elementos dentro dessas entidades do SketchUp, inclusive materiais e texturas.
  • Dica 7 – Escalonar instâncias de componentes – Ao modificar o tamanho de uma instância de componentes no SketchUp, o efeito não se replica as outras cópias dos componentes.
  • Dica 8 – Observe a alça de manipulação – Algumas aplicações da escala fazem com que as alças de manipulação fiquem ocultas atrás de objetos ou faces. Mesmo estando ocultas, podemos selecionar essas alças e ainda assim redimensionar nossos objetos e entidades.

Quer aprender mais sobre o SketchUp?

Caso você queira aprender mais sobre o SketchUp, recomendo uma visita ao EAD – Allan Brito para conhecer os cursos específicos sobre SketchUp online que ajudam a entender melhor o funcionamento do software. Além de um curso básico totalmente gratuito, você encontra os seguintes cursos: