Blender e V-Ray para arquitetura: Ajustes de render

As recentes alterações feitas no modo com que alguns softwares 3D são licenciados, está fazendo com que muitos artistas abandonem ferramentas como o 3ds max para procurar alternativas. Para conseguir migrar todo o seu fluxo de trabalho para outros softwares, alguns artistas dependem de um pequeno ecossistema de ferramentas que funcionam em paralelo.

É o caso do V-Ray em conjunto com o 3ds max. Para determinados artistas digitais é imperativo que a substituição do 3ds max não implique na perda do V-Ray.

Quem opta pelo Blender como alternativa ao 3ds max para arquitetura encontra total compatibilidade com o V-Ray. O suporte para o software é oferecido pela própria empresa que desenvolve o V-Ray, o Chaos Group.

Quer ver um exemplo de projeto que foi modelado no Blender e renderizado com o V-Ray?

Um artista polonês chamado lumiluma compartilhou nos fóruns BlenderArtists um projeto que usou a versão do V-Ray compartível com o Blender, para criar a renderização de uma sala de convivência.

É um projeto simples, mas que mostra o que o software pode fazer para ajudar no desenvolvimento de visualização para arquitetura.

Outra vantagem em conferir esse projeto em particular, é que o autor do material compartilhou os ajustes usados no V-Ray para conseguir chegar na qualidade apresentada na imagem. Isso deve ajudar muito os artistas que estão considerando migrar do 3ds max para o Blender por causa do V-Ray.

Ao visitar a página do fórum você vai perceber que os ajustes para o Irradiance Map, Image Sampler e Light Cache estão todos lá! Basta uma rápida consulta ao painel de render do V-Ray no Blender para conferir todos os ajustes.

Para quem decidir fazer a migração, será preciso usar o V-Ray na sua versão standalone para conseguir renderizar do Blender. A vatagem dessa versão é que ela é independente do software. Então, se no futuro você decidir não usar o Blender, poderá manter o V-Ray como base para gerar as suas imagens.

Usando o Blender para arquitetura

Quer começar a usar o Blender para produzir visualização para arquitetura? No EAD – Allan Brito você encontra diversos cursos e treinamentos especializados apenas na produção de material para arquitetura usando o Blender:

V-Ray para a Unreal Engine

O mercado de visualização para arquitetura está se adaptando com o tempo à diversas mudanças relacionadas com a tecnologia usada para vender projetos. Antes do advento dos softwares 3D a maioria dos projetos era vendida com base em pinturas geradas por artistas usando aerografia ou aquarelas. Depois que ficou mais rápido gerar modelos 3d o mercado migrou em massa para o uso de ferramentas digitais.

Outra mudança está tomando de assalto o mercado e deve ter impacto direto na maneira como trabalhamos e também na maneira como softwares são produzidos.

As tecnologias voltadas para render em tempo-real estão se tornando um padrão seguido por diversas empresas. O uso de ferramentas como a Unreal Engine está revolucionando a maneira com que os projetos são vendidos, oferecendo maneiras mais rápidas de produzir conteúdo 3d de qualidade.

Sem mencionar o fato dos modelos 3d serem interativos. O potencial comprador pode caminhar e experimentar o ambiente.

Pensando nessa mudança de mercado e potencial posicionamento no futuro o Chaos Group, empresa que desenvolve o V-Ray está começando a trabalhar em uma versão do software para a Unreal Engine. Sim, você poderá renderizar projetos para arquitetura usando o V-Ray dentro da Unreal Engine. O lightmass usaria a engine deles e não o que está incluso na Unreal.

Como a tendência no futuro é que artistas digitais adotem essa tecnologia ao invés do render tradicional, a migração para a Unreal garante o posicionamento deles no mercado.

A notícia apareceu em uma palestra proferida pelo fundador e criador do V-Ray chamado Vladimir Koylazov. Alguns dos slides da palestra apareceram no facebook do portal canadense cgarchitect.com.

Além do desenvolvimento do V-Ray para Unreal, veja alguns pontos interessantes da palestra:

  • O render em tempo-real deve representar a preferencia dos artistas e empresas no futuro
  • O mercado de visualização prefere a Unreal Engine
  • VR deve ser forte para marketing e negócios, mas com pouco uso em entretenimento
  • VR está sendo usado em 40% dos projetos de visualização atualmente

Mesmo que você não use o V-Ray nos seus projetos, esse tipo de informação ajuda a moldar o seu planejamento para o mercado. Assim é mais fácil escolher as tecnologias que devem receber a sua atenção.

Aprendendo a usar render em tempo-real

Quer aprender a usar a Unreal Engine para arquitetura e outras tecnologias relacionadas com visualização baseada em jogos? No EAD – Allan Brito você encontra diversos cursos relacionados com o tema:

Materiais gratuitos para V-Ray no SketchUp

Algumas ferramentas 3d possuem o foco apenas na criação de modelos tridimensionais, ou então na visualização de informações. Esse é o caso do SketchUp, que é excelente para criar objetos 3d de modo rápido. Mas, quando o assunto é render realista ele precisa de ajuda externa.

Por exemplo, é possível adicionar o V-Ray como renderizados para o software.

Com o uso do V-Ray em conjunto com o SketchUp você consegue expandir e muito as capacidades de visualização do SketchUp. A ferramenta se transforma de um simples modelador 3D, para uma poderosa plataforma de visualização em arquitetura. Quando você adiciona o V-Ray no SketchUp é necessário configurar materiais e texturas próprias para o renderizador.

É nesse ponto que muitos usuários do SketchUp acabam encontrando dificuldades. Pois, o processo para criar materiais e texturas no V-Ray é bem diferente do padrão encontrado no SketchUp.

Quer fazer o download de materiais e texturas próprias para o V-Ray no SketchUp? Um web site chamado Vismats oferece uma gama considerável de materiais já configurados para o V-Ray e SketchUp. Tudo gratuito e sem a necessidade de fazer cadastro.

O ponto negativo é a busca na biblioteca que não é muito flexível e você precisa conhecer os nomes dos shaders e superfícies em ingles para realizar a busca.

Depois, o sistema do site obriga você a aguardar alguns segundos antes de realizar downloads. Isso acaba atrapalhando um pouco, mas com paciência você consegue fazer a cópia de múltiplos materiais.

É o tipo de biblioteca que deve fazer parte do repertório de todos os artistas usando V-Ray com SketchUp. Além do próprio SketchUp, o repositório é compatível com o Rhinoceros também, quando esse faz uso do V-Ray.

Infelizmente não é possível aproveitar os shaders em outras ferramentas, apenas as texturas que compõe os materiais.

Aprendendo a usar o SketchUp para arquitetura

Quer aprender a usar o SketchUp para arquitetura? No EAD – Allan Brito existem diversos cursos de SketchUp que podem ajudar você a produzir modelos 3d e render para arquitetura:

Blender com suporte oficial para renderizar no V-Ray

O suporte aos chamados renderizadores externos no Blender já foi bem limitado, e os usuários mais antigos devem lembrar da época em que a única opção para renderizar imagens fora do Blender era com o antigo YafRay, que hoje se chama YafaRay. Essa época já passou e tanto o Blender como o mercado de renderizadores externos evoluiu bastante, estando hoje focados no uso de GPUs para acelerar a geração de imagens além de oferecer opções de uso para os mais variados artistas 3D. Um dos renderizadores externos mais famosos do mercado é sem sombra de dúvida o V-Ray. Já conheci artistas que não largam o 3dsmax apenas para que possam gerar imagens voltadas para arquitetura usando o V-Ray.

Com o tempo a Chaosgroup expandiu a compatibilidade do V-Ray para outros softwares como o SketchUp, Maya e até versões independentes chamadas de V-Ray Standalone. Essa versão standalone do V-Ray foi usada como base para a criação de scripts e ferramentas que exportavam cenas de inúmeros softwares para o formato de arquivo próprio do render, permitindo que até mesmo o Blender conseguisse renderizar imagens usando o V-Ray. Isso só foi possível graças ao trabalho do desenvolvedor russo Andrey Izrantsev que agora foi contratado pela Chaosgroup.

Isso significa que o script responsável por exportar cenas do Blender para o formato nativo do V-Ray agora é suportado oficialmente pelo desenvolvedor do V-Ray! Sim, existe até mesmo uma página sobre o script com informações relacionadas à integração.

O antigo domínio em que podíamos encontrar o script de integração já não funciona mais, e agora apenas fazendo o download diretamente pelo web site da Chaosgroup. Agora é possível conseguir uma poderosa combinação de software para modelagem 3d, e renderização com a dupla Blender e V-Ray. Os artistas que ainda estão presos ao 3dsmax podem optar por adquirir apenas a versão standalone do V-Ray e gerar os modelos poligonais no Blender para renderizar no V-Ray.

Esse é mais um sinal do reconhecimento do Blender como plataforma de criação séria e que atrai desenvolvedores e empresas para o seu já crescente ecossistema de softwares de suporte. A lista de renderizadores externos já está bem longa, e provavelmente veremos mais adições no futuro.

Renderização para texturas com 3dsmax e V-Ray

A chamada renderização para texturas é um processo extremamente simples, mas que pode ter impacto significativo dentro de projetos envolvendo modelagem 3d e visualização. A técnica é muito conhecida por artistas especializados em trabalhar com desenvolvimento de jogos, pois é possível armazenar as informações de iluminação de uma cena diretamente nas texturas dos modelos 3d, o que em teoria permite apresentar modelos 3d em ambientes realistas de maneira independente a engine gráfica usada. Para quem nunca teve a oportunidade de configurar esse tipo de renderização no 3dsmax, encontrei um tutorial curto e simples que demostra a técnica aproveitando não só o 3dsmax, mas também o V-Ray.

Renderização para textura no 3dsmax e V-Ray

No tutorial a seguir o artista configura um modelo 3d para receber as informações de iluminação diretamente nas suas texturas, usando o painel do 3dsmax chamado de Render to Texture. É nessa janela que podemos ajustar as opções relacionadas a criação de um mapa que irá armazenar as informações de iluminação. Mas, antes de efetivamente usar esse recurso, é preciso fazer algumas configurações preliminares.

O mais importante nesse caso é a aplicação correta de um modificador Unwrap UVW no objeto 3d, para que seja gerado um mapa UV. Esse modificador é o responsável por planificar o objeto no 3dsmax, criando um mapa com as faces e superfícies do objeto. Com as configurações padrão do mapeamento já é possível conseguir resultados medianos. No menu Mapping existe uma opção chamada de Flatten Mapping que gera uma distribuição inicial das superfícies do modelo 3d selecionado, que podem ser ajustadas usando as opções existentes dentro do próprio editor no Unwrap UVW. As opções permitem agrupar, unir e modificar de várias formas diferentes a organização dos elementos dentro do mapa UV.

Depois que o modelo 3d está perfeitamente configurado com um mapa UV, podemos passar para a janela Render to Texture. Nesse painel é possível encontrar as opções relacionadas à criação de uma imagem baseada no mapa UV, que tenha as informações de iluminação geradas pela posição relativa das fontes de luz e ajustes do V-Ray. O mesmo procedimento pode ser realizado praticamente na íntegra com os ajustes de iluminação existentes no próprio 3dsmax, sem o V-Ray.

Nesse tutorial você ainda aprende um pouco sobre os ajustes do V-Ray para renderizar a cena e aproveitar a excelente qualidade da iluminação gerada pelo software.