Brazil R/S Rio: versão gratuita do renderizador para 3ds Max

O Brazil R/S da Splutterfish é um dos melhores renderizadores disponíveis para o 3ds Max, ele está no mesmo nível do Mental Ray ou até melhor em alguns tipos de cena. Existe até uma rivalidade antiga, com os desenvolvedores do V-Ray que fez até uma revista fazer um artigo comparativo entre as duas ferramentas. O V-Ray ganhou fama entre os usuários do 3ds Max por ser mais rápido, mas o Brazil R/S sempre foi conhecido entre artistas 3d pela sua qualidade. Claro que isso vinha ao preço de mais hardware e demanda generosa de processamento.

Por esse motivo, o Brazil R/S ficou sendo mais utilizado por empresas que precisam de qualidade máxima e não tem restrições quanto ao hardware. O custo da licença, também exigia grande investimento.

Bem, para entra na onda das versões de teste e aprendizado, a SplutterFish lançou o Brazil R/S Rio, que é nada mais que uma versão do tipo PLE (Personal Learning Edition) do renderizador, com o claro objetivo de popularizar o seu uso. Ele pode ser instalado no 3ds Max, sem restrições de tempo para fins de estudo.

Quem escolher por testar a ferramenta, encontra algumas pequenas restrições descritas na página do Brazil R/S Rio:

  • A imagem renderizada com o Brazil R/S Rio só pode ter no máximo 1024×511
  • Existem várias restrições para edição de cenas criadas com a versão FULL do renderizador
  • O artista não pode usar os recursos de renderização em rede, ficando limitado a apenas uma estação

Você pode estar se perguntando, vale à pena fazer o download? Claro que sim! Com sou usuário do Blender 3D, infelizmente não posso fazer o download para testar, mas devo indicar para as pessoas que conheço e que possuem o 3ds Max.

Espero que junto com o Brazil R/S Rio a SplutterFish lance um conjunto de tutoriais, para ajudar as pessoas interessadas a estudar o renderizador. Esse tipo de material sempre vem acompanhado de alguma explicação teórica, sobre com o funcionam os processos de Ray tracing e iluminação da ferramenta, que podem ser geralmente aproveitados em outras ferramentas e softwares.

Aproveitando os tutoriais, não deixe de fazer o download do manual do Brazil R/S o PDF tem mais de 400 páginas, abordando aspectos muito importantes de iluminação e efeitos! Você precisa se registrar para fazer o download, mas acredite, vale à pena.

Para maiores informações e testes, recomendo uma visita aos fóruns oficiais de usuários do Brazil R/S, existem ótimos exemplos lá de trabalhos renderizados com o Brazil.

Big Buck Bunny disponível para download! Meu DVD quase chegou!

Ontem estava eu chegando tranquilamente em casa, depois de um longo dia de trabalho, quando encontro um pacote entregue pelos correios, com o meu nome. Com muita curiosidade, passo os olhos de relance na embalagem e lá estava escrito “freeBlenderfund”, falei comigo mesmo; finalmente! Assinei protocolo do recibo, achando que naquela noite eu finalmente veria o DVD do Big Buck Bunny em alta resolução e com todos os extras a minha disposição, antes que o resto do mundo pudesse fazer o download!

Quando termino de abrir a embalagem, a surpresa! Ao invés do Big Buck Bunny eles me enviaram o The Mancandy FAQ. Calma, não foi erro do pessoa lá na fundação Blender. Você deve estar lembrado que no final de Março eu anunciei que havia comprado do DVD do Mancandy. Pois ele estava demorando muito para chegar, depois de aproximadamente um mês eu mandei um e-mail para o e-shop da fundação, comunicando da demora.

Eles se desculparam e enviaram novamente o DVD, que finalmente chegou! Isso prova para quem tinha dúvidas sobre a seriedade da loja virtual, que eles realmente enviam os produtos.

A demora do DVD não me prejudicou nos meus estudos sobre animação, com os vídeos do Mancandy. Se você está lembrado também, eu já tinha feito o download do DVD no torrent. O que é perfeitamente legal, já que o conteúdo do treinamento é licenciado sob Creative Commons.

Junto com o Mancandy, comprei alguns adesivos com a logomarca do Blender, para sair colando nos meus computadores.

Se eu tinha os vídeos, porque comprar o DVD? Simples, para que a fundação Blender e o Bassam possam fazer outro vídeo de treinamento! Sem a ajuda dos usuários, a Fundação Blender não pode financiar a produção desses materiais, que ajudam ainda mais na divulgação do Blender.

Bem, eu gostaria mesmo que fosse o Big Buck Bunny, mas agüento esperar mais um pouco. Até porque a animação já está disponível para download.

Para fazer o download, visite esse link para uma lista com todos os servidores. Agora, tenha paciência, pois provavelmente milhares de pessoas estão tentando fazer o download do arquivo, junto com você.

Blender 3D: Lightcuts e modificador ShrinkWrap do SoC 2008

Para provar que o desenvolvimento do Blender nunca para, já foram disponibilizadas versões de teste de dois projetos do Google Summer of Code 2008, pelo visto ambos os projetos já estavam bem adiantados, quando tiveram inícios os trabalhos de desenvolvimento. Caso você não para que serve cada um deles, o ShrinkWrap, serve para deformar um objeto, fazendo com que ele se adéqüe ao formato de um segundo objeto. Por exemplo, ao fazer o modelo de um cinto para um personagem, será possível adicionar o modificador no modelo do cinto, para que o objeto se ajuste ao formato da cintura do personagem automaticamente. Ele será muito útil para simulação de tecidos.

Como de costume, fiz o download da versão de testes, disponível no graphicall.org e que pode ser copiada nesse endereço. Com ele funciona?

Primeiro são necessários dois objetos, um deles de preferência plano e outro com forma mais trabalhada. Usarei a Suzanne mesmo para o teste. Selecione o objeto de deve se adaptar ao formato, nesse caso o plano e adicione o modificador. Assim que o modificador estiver adicionado, informe o nome do outro objeto ao qual ele deve adaptar a sua forma e pronto.

Para ajudar ainda mais na compreensão da ferramenta, resolvi fazer um vídeo de exemplo:

Blender 3D – Novo modificador ShrinkWrap from Allan Brito on Vimeo.

Você não deve esperar muita flexibilidade de opções ainda, pois essa é uma versão experimental e rudimentar do modificador, muita coisa pode mudar ainda.

Agora vamos ao Lightcuts, que para mim é um dos mais aguardados junto com o a integração com o Freestyle.

O algoritmo do Lightcuts tem com o objetivo, manipular grandes quantidades de luzes, fazendo com que cenas usando vários pontos de luz sejam renderizadas de maneira mais rápida. Para isso, foi adicionado um novo menu no painel Scene, que tem as configurações do Lightcuts. Depois que o botão Lightcuts é ligado, a nova opção deixa a renderização dessas cenas mais rápidas.

Para explicar melhor o funcionamento do Lightcuts, resolvi fazer um vídeo também. Se você quiser testar, esse é o link da versão do Blender 3D utilizada.

Blender 3D Lightcuts from Allan Brito on Vimeo.

Pronto! Isso abre inúmeras possibilidades para que o Blender tenha um sistema de iluminação sofisticado e robusto. Como você deve estar cansado de saber, uma cena pode ser bem iluminada sem o uso de iluminação global, apenas com o uso de vários pontos de luz.

Por enquanto, essa versão do Lightcuts só suporta luzes do tipo Lamp, portanto para os que quiserem testar a versão experimental disponível no graphicall.org, deve usar apenas esse tipo de luz.

Tutorial sobre o novo sistema de partículas e física do Blender 2.46

O Blender 2.46 trouxe muitas novidades na parte de animação, mas um dos campos que está deixando os usuários de cabelo em pé é o novo sistema de partículas. Nessa nova versão do Blender, esse sistema foi totalmente reformulado e está muito mais complexo de configurar, com várias opções para simular as mais diversas situações, desde o cabelo de um personagem virtual até fumaça e outros elementos de animação. Agora, o que você acha de misturar o novo sistema de partículas com o Soft Body?

Foi isso que o VenomGFX fez, ele criou um ótimo tutorial sobre a aplicação do sistema de partículas no seu famoso personagem Zanno. Se você é um usuário antigo do Blender, deve estar lembrado dele na splash screen do Blender 2.36, isso já faz mais de 3 anos.

O vídeo é esse:

Para quem quiser uma cópia do vídeo, recomendo uma visita ao Blog do VenomGFX, em que ele disponibiliza o mesmo arquivo do vídeo para download, no formato AVI.

O vídeo não tem áudio, mas com a versão em melhor resolução é possível acompanhar e assistir várias vezes o tutorial. Claro que fica complicado de entender todo o novo sistema de partículas, apenas com esse vídeo, mas com ele você pode conferir como é possível simular os cabelos de um personagem e criar uma simulação com Soft Body, para que os fios dos cabelos possam interagir com campos de força, como o vento.

Para resumir a seqüência do tutorial, o artista faz os seguintes passos:

  1. Configuração de um grupo de vértices, para limitar a emissão das partículas apenas na área do cabelo.
  2. Aplicação e configuração básica das partículas.
  3. Configuração das partículas com o novo menu Particle Edit Properties, que permite literalmente pentear as partículas
  4. Aplicação do Soft Body
  5. Simulação da interação física com campos de força

Aproveite para aprender os procedimentos e tente reproduzir os passos, mesmo que seja na Suzanne. Se você fez o download do vídeo, ainda tem a vantagem de poder assistir várias vezes ao tutorial, para tirar as suas dúvidas.

Modelagem com base em fotografias no SketchUp

Você acha que é apenas com as técnicas de modelagem orgânica, que os artistas 3d usam fotografias como referência para modelar? Bem, esse tutorial de SketchUp que encontrei essa semana, mostra que isso não é verdade, e que é possível e laborar de maneira muito prática, modelos 3d para cenários virtuais e maquetes eletrônicas, com base em fotografias. O vídeo usa uma ferramenta muito interessante do SketchUp chamada de PhotoMatch tool, que permite a modelagem de formas e detalhes em 3d de um objeto baseado em uma fotografia ou imagem.

Para ter uma boa idéia de com a ferramenta funciona, assista ao tutorial.

Repare que o modelo 3d da edificação apresentada na fotografia é construído de maneira extremamente rápida. Quer saber a melhor parte? Essa ferramenta não exige que você use o SketchUp PRO, a versão gratuita já apresenta o PhotoMatch.

A ferramenta é muito simples, com o tutorial em vídeo já podemos perceber de maneira clara como é o seu funcionamento. O primeiro passo é adicionar uma imagem ao plano de fundo, isso é feito no menu do PhotoMatch, que pode ser acionado no menu Window->PhotoMatch do SketchUp.

Assim que você adicionar a imagem, com a representação da edificação, será possível começar a fazer alguns ajustes. O artista precisa ajustar uma série de pontos, que determinam a perspectiva do modelo. Esses pontos e retas marcam os pontos de fuga da perspectiva. Com esses ajustes, você poderá determinar o plano e inclinação dos eixos x, y e z do SketchUp.

O ajuste dessas linhas é fundamental, para que os objetos que você vai usar para modelar a edificação fiquem na mesma orientação do dos planos da fotografia.

Agora, sempre que você for adicionar um objeto no SketchUp, esse estará em seguindo a mesma orientação espacial dos planos da fotografia, ficando fácil modelar paredes e editar aberturas e detalhes na edificação. O seu único trabalho será o de encontrar uma fotografia ou imagem da edificação desejada, ou então, se o seu projeto estiver ainda nas fases de estudo fica mais fácil ainda fazer um esboço a mão livre, passar no scanner e criar o modelo 3d, com base nos seus desenhos.

Isso deixa o processo de modelagem 3d ainda mais intuitivo. Depois que o modelo 3d estiver devidamente construído ainda é possível ajustar a escala do modelo, para que tudo fique correto em termos de tamanho.