Tutorial Blender 2.50: Criando luzes com efeito glow

A criação de sistemas para iluminação é uma das áreas de especialização da computação gráfica que se relaciona de maneira mais direta com a fotografia. Nessa área os artistas e profissionais que tem experiência com iluminação para fotografia conseguem resultados satisfatórios de maneira muito mais rápida. Para quem não tem esse tipo de experiência os renderizadores avançados acabam ajudando a criar os efeitos e iluminação desejados para praticamente qualquer projeto como é o caso do VRay, mental ray, YafaRay e LuxRender.

Mas, em algumas ocasiões os renderizadores avançados não podem ser usados devido ao tempo de render demandado, ou mesmo a falta de algum recurso de hardware. Para solucionar esse tipo de problema, temos vários truques e técnicas que podem ser usadas para simular efeitos variados na iluminação em projetos de visualização.

Esses efeitos geralmente são trabalhados durante a pós-produção dos projetos em softwares como o Photoshop, After Effects ou outros. No caso dos usuários que adotam o Blender como ferramenta para produção, podemos fazer uso das opções avançadas de composição e efeitos existentes no próprio Blender. Como forma de demonstrar isso um artista e usuário do Blender chamado DDD publicou um tutorial muito interessante sobre a criação de efeitos com iluminação no Blender 2.50. Seu tutorial mostra o procedimento para criar efeitos semelhantes a neon em luzes (ou glow em inglês), apenas com as ferramentas padrão do Blender, sem o auxílio de renders externos.

O tutorial pode ser conferido no vídeo abaixo:

Light Glow Effect Using the Compositor in Blender 2.5 Tutorial from DDD on Vimeo.

O procedimento é simples e pode ser reproduzido de maneira rápida. A melhor parte é que o render dos projetos que usam essa técnica é também rápido e não exige muito do equipamento. Onde esse tipo de efeito pode ser usado? Os vídeos para o mercado publicitário e destinados a apresentar produtos podem fazer bom uso desse tipo de efeito também no material destinado a jogos.

Na página do vídeo que está hospedado no Vimeo é possível fazer o download dos arquivos .blend usados no tutorial, assim como conferir as fontes de informação desse tutorial que serviram como base para a técnica. Se você pretende se especializar em iluminação para projetos, recomendo assistir e estudar a técnica.

Blender 2.50 Beta disponível para download

Nos últimos dias foi lançada mais uma versão oficial do Blender 2.50 que dessa vez saiu do estágio de Alpha e agora já apresenta status de software em Beta. Isso significa que muitos dos recursos que fora adicionados no início do desenvolvimento já estão prontos e devem receber apenas pequenas atualizações e correções de bugs. Essa versão do Blender é a mesma que foi usada durante o desenvolvimento da animação Sintel que teve a sua pré-estréia na Holanda semana passada. O que isso significa para os usuários e artistas 3d que usam o Blender? Agora é possível começar a estudar com mais ênfase a ferramenta e ter uma idéia de como ficará o Blender 2.50 quando a sua versão estável for disponibilizada para download.

Para fazer o download do Blender 2.50 Beta visite esse endereço.

blender-250-beta.jpg

Uma novidade nessa versão Beta é o sistema de Addons que é uma nova maneira de gerenciar os Scripts em Python no Blender 2.50. Na documentação desse sistema disponível junto com o release log dessa versão podemos conferir vários desses pequenos scripts já adicionados no Beta. Isso deve facilitar bastante a integração de ferramentas adicionais ao Blender já que a janela de scripts não será mais necessária para trabalhar com todas essas opções. Muitos pequenos Addons úteis como ferramentas para alinhamento de objetos já estão disponíveis.

Com o lançamento dessa versão Beta chegou o momento de fazer a atualização do Blender 3D Guia do Usuário. Como todos sabem a quarta edição estava para ser lançada. Mas, conversando com a Editora e culminando com o lançamento dessa versão Beta é chegada a hora de atualizar o livro para o Blender 2.50. Já faz um tempo que mantenho anotações e apontamentos sobre os pontos que devem ser atualizados.

Muita coisa será adicionada e outras removidas como é o caso do capítulo sobre o YafaRay que ainda não pode ser usado com o Blender 2.50. Estou começando a trabalhar de imediato na atualização do livro e a quarta edição deve ser totalmente focada no 2.50, sendo a mais radical atualização desde a primeira versão do livro que foi escrita ainda com o Blender 2.37 e mudou depois para o 2.40.

Aos que estão aguardando pela nova edição peço um pouco de paciência, pois deve demorar ainda um pouco para que o livro seja totalmente atualizado. Mas, assim que for lançado você terá em mãos a mais completa documentação sobre o Blender já na sua versão atualizada.

Para os que quiserem acompanhar o processo de atualização, recomendo acompanhar pelo meu Twitter já que devo comentar o processo de atualização lá.

Revista Blenderart 28 disponível para download

A revista dedicada aos usuários e artistas 3d interessados no Blender assuntos gerais sobre a computação gráfica acaba de receber mais um número. A edição de número 28 da revista Blenderart pode ser copiada de maneira gratuita no endereço indicado no link. Essa é uma revista de consulta praticamente obrigatória para os usuários do Blender, e também aos estudantes e profissionais de computação gráfica. É uma publicação independente e que consegue oferecer artigos técnicos e relacionados as teorias e principais conceitos de computação gráfica 3d, junto com tutoriais e dicas sobre o Blender.

Assim como acontece com todos os números da revista essa edição é focada no tema Blender 2.50, mas não com o intuito de oferecer um guia de migração para a nova versão do software. O objetivo aqui é mostrar algo mais útil e contemporâneo para o mercado de produção 3d. Boa parte da revista é dedicada a ensinar como produzir conteúdo em 3d usando o Blender 2.50.

revista-blenderart-28.jpg

A parte relacionada com a produção em 3d na revista é de grande interesse para a maioria dos envolvidos com computação gráfica, devido ao alto valor comercial que esse tipo de material tem na mídia hoje. Estou me referindo ao chamado 3d estereoscópico e as suas variações que são o destaque das grandes produções para o cinema e prometem invadir os jogos e também as transmissões de tv.

O artigo da revista Blenderart aborda todo o processo teórico que envolve a criação desse tipo de mídia, o que pode ser de grande ajuda para estudantes e pesquisadores que ainda não compreendem bem o funcionamento desse tipo de tecnologia, finalizando o artigo com um excelente guia sobre como é possível criar esse tipo de imagem usando o Blender e alguns truques com câmeras e a janela de composição e efeitos.

Na parte final da revista ainda é possível acompanhar um making of de produções realizadas com o Blender, inclusive com a participação de brasileiros.

Se você é usuário do Blender não pode deixar de fazer o download da revista que mesmo apresentando uma variedade menor de conteúdo nessa edição, se mostra sempre antenada com as necessidades dos usuários e artistas 3d.

Modelos humanóides gratuitos para escultura digital no ZBrush

O trabalho de modelagem 3d voltado para design de personagens virtuais passa por softwares especializados em escultura digital como o ZBrush ou Mudbox, devido a facilidade e flexibilidade que esses sistemas acabam oferecendo em termos de liberdade criativa. A prática da escultura digital pode ajudar muito um artista a conseguir criar formas orgânicas complexas e que seriam difíceis de conseguir usando apenas modelagem poligonal. Para quem nunca tentou trabalhar com esse tipo de modelagem 3d, o procedimento recomendado para criar esse tipo de modelo envolve geralmente a criação de um objeto poligonal simples que depois é esculpido. Por exemplo, um personagem tem a estrutura do seu corpo criada usando polígonos que é depois exportada para o ZBrush e trabalhada com as ferramentas e pincéis de escultura.

Um dos problemas para os artistas iniciantes nesse tipo de tecnologia é conseguir material como esses modelos padrão para trabalhar com exercícios de escultura. Por exemplo, um busto humanóide sem grandes detalhes para fazer experimentos no ZBrush ou qualquer outra ferramenta de escultura.

Se você é usuário do ZBrush e gostaria de fazer o download de alguns modelos 3d de referência para esse tipo de exercício de modelagem, um artista chamado lawndart publicou no fórum ZBrushCentral cinco modelos baseados em polígonos de personagens humanóides para experimentos e exercícios de modelagem baseada em escultura. Os arquivos foram criados no Cinema 4D e estão salvos no formato ztl do ZBrush.

modelo-escultura-zbrush.jpg

Um dos personagens é baseado em design de humanódes alienígenas e os outros são variações de seres humanos. Por exemplo, temos um rosto humanóide completo e outro sem as orelhas e nariz para que o artista possa começar projetos de design para personagens nessas características.

Com esse tipo de material o processo de design e modelagem usando ferramentas de escultura tipo o ZBrush fica extremamente simples em termos de preparação, pois é possível se focar apenas no funcionamento do software e não mais na criação de um modelo base para que seja então possível trabalhar na criação de personagens 3d. Mesmo assim, ainda é interessante ter um pouco de prática com escultura para conseguir bons resultados no ZBrush. Claro que saber o software é fundamental, mas a escultura digital é o tipo de modelagem que demanda um pouco de aptidão artística que pode ser deixada de lado na modelagem baseada em polígonos.

Design de personagens virtuais e modelagem

Quer desenvolver as suas habilidades em modelagem 3d e escultura? No EAD – Allan Brito você encontra diversos cursos online que ajudam nessa tarefa:

Lagoa Multiphysics promete simulações realistas no Softimage

A animação usando simulações físicas sempre delegada para plugins ou softwares especializados devido a sua complexidade e competência em resolver problemas complexos, que seriam incrivelmente trabalhosos de criar usando apenas técnicas tradicionais de animação. Esse sempre foi o legado dos plugins que a cada dia ficam mais sofisticados. O 3dsmax é uma das ferramentas que apresenta a maior quantidade de plugins para esse tipo de animação com destaque para Fume FX e o Krakatoa que permitem criar animações complexas e com grande apelo visual. Outro sistema que oferece grandes possibilidades para a simulação física em animação é o Softimage com o seu incrível e poderoso sistema ICE.

Um sistema de simulação física para o Softimage que usa o ICE foi apresentado essa semana e deixou muita gente de queixo caído. A qualidade e complexidade das animações, sem mencionar a variedade de simulações, acaba transformando esse software em um dos mais promissores na área de efeitos baseados em física. O seu nome é Lagoa Multiphysics e uma demo em vídeo mostra em imagens o que acabei de descrever com palavras:

Lagoa Multiphysics 1.0 – Teaser from Thiago Costa on Vimeo.

O software ainda não está disponível para download ou sequer foi lançado, mas podemos acompanhar recursos avançados como materiais granulados com diferentes índices de fricção, fluidos com densidades variadas, estruturas elásticas e muito mais.

Mas, afinal o que é esse ICE? Para quem não está acostumado a usar o Softimage a plataforma ICE (Acrônimo para Interactive Creative Environment) é uma plataforma que permite expandir o Softimage usando nada mais que uma estrutura de nós. É a tendência de todos das suítes de computação gráfica 3d oferecer esse tipo de sistema, pois ele permite criar sistemas complexos e escalonáveis para projetos de animação e visualização.

Mesmo sem a popularização do Softimage aqui no Brasil a plataforma ICE é muito bem conceituada entre artistas especializados em efeitos especiais, e principalmente no mercado publicitário pela sua flexibilidade.

O autor do Lagoa Multiphysics se chama Thiago Costa e mesmo sem maiores informações sobre o sistema no seu web site pessoal, lá é possível conferir vários dos seus trabalhos usando o Softimage ICE. É uma excelente fonte de informações para usuários do Softimage e também para quem estuda a produção de animações 3d.