Arte digital: The Art of Blender – Volume I

O trabalho com computação gráfica pode gerar diversos tipos de resultado sendo que muito consideram as imagens e projetos gerados por alguns talentosos usuários como verdadeiras obras de arte digital, devido a suas qualidades únicas no aproveitamento de aspectos técnicos dos softwares envolvidos para gerar imagens. Como todos que trabalham e gostam desse tipo de material, a observação e estudo de algumas dessas imagens é fundamental para encontrar inspiração e conhecer a capacidade técnica e artística de outras pessoas fazendo a mesma coisa que você!

É por esse motivo que sou voraz consumidor de livros sobre arte digital, e fiquei muito animado quando conheci o projeto do livro The Art of Blender editado pelo pessoal do CG Cookie.

Arte digital

Arte digital: The Art of Blender – Volume I

O livro é uma reunião de material artístico selecionado por uma equipe criteriosa que tem um único objetivo, que é o de apresentar os melhores projetos e trabalhos criados usando o Blender. O resultado é que você terá a oportunidade de colocar na sua prateleira ou mesa de trabalho, um livro nos mesmos moldes de vários outros no mercado que listam projetos desenvolvidos com softwares como 3dsmax, Maya, Cinema 4D e outros.

A editora mais famosa por esse tipo de publicação é a Ballistic Publishing pelos seus livros da série Exposé e outros, sobre arte digital. Eu mesmo possuo alguns desses títulos, mas nenhum deles é voltado especificamente para o Blender.

A seguir o trailer com imagens da produção do livro que ainda não está pronto, mas sim em processo de pré-venda.

Quando custa? Como já garantir a cópia do livro?

O valor normal do livro será de US$ 54,95 quando o mesmo for lançado, mas durante a pré-venda o livro está saindo com desconto de 30%. Ao adquirir o livro da loja virtual da fundação Blender, você ainda estará ajudando na manutenção do Blender. A previsão de lançamento do livro é em novembro de 2013. Eu já encomendei o meu! Esse é o item que faltava para você decorar a mesa de centro da sua sala ou então a estante do escritório! Assim fica fácil de mostrar do que o Blender é capaz nas mãos de artistas habilidosos quando o assunto é arte digital.

Van Gogh em 3d usando Blender

As partículas em um software 3d podem assumir as mais diversas funções que variam da criação de animações usando pequenos objetos, e também a representação de pelos e cabelos. Isso funciona dessa forma em diversos softwares 3d e no Blender não é diferente. Um artista 3d com criatividade pode criar composições e material muito interessante usando partículas, sejam imagens abstratas ou então substituindo as partículas por pequenos objetos baseados em polígonos. Esse foi o caso do artista giusepped que reproduziu um retrato do famoso pintor pós-impressionista Van Gogh usando partículas no Blender. O resultado foi a imagem que ilustra esse artigo em que temos Van Gogh em 3d.

Van Gogh em 3d usando Blender

Van Gogh em 3d usando Blender

Além de apresentar o resultado final do seu projeto, o artista compartilhou todo o processo e técnica usada para gerar a imagem do Van Gogh em 3d no seu web site, em que encontramos diversas imagens ilustrando o processo de configuração do projeto. O texto está todo em Italiano, mas nada que uma pequena ajuda do Google Translator não resolva, e mesmo com o texto em outra língua é possível acompanhar muito bem o processo. Eu particularmente não falo ou leio em italiano, mas percebi o processo de construção do modelo e da cena Van Gogh em 3d apenas observando as imagens.

Isso não é tudo, pois o artista ainda preparou no final do seu artigo um upgrade para a cena, em que podemos contemplar o Van Gogh em 3D anáglifo estereoscópico.

Qual 3d é esse? Para quem não está muito familiarizado com a tecnologia de imagens com efeitos 3d, as imagens com esse tipo de tecnologia são as que funcionam com os óculos que possuem lentes com duas cores, geralmente vermelho e azul.

Essa tecnologia não é nova, mas funciona bem para a imagem. Com os óculos que possuo aqui no escritório, consegui ver a imagem com o efeito de profundidade.

Usando partículas no Blender

Quer aprender a usar partículas no Blender? Recomendo uma visita ao curso sobre animação baseada em física com Blender, para conferir as aulas específicas sobre partículas e animação. O curso aborda exatamente os conteúdos necessários para criar sistemas de partículas como os apresentados nesse projeto.

Projeto CG Sphere: Crie e modifique a sua esfera 3D

O desenvolvimento de habilidades na área de computação gráfica 3d envolve muita prática, assim como acontece em diversas outras áreas do conhecimento. É por isso que sempre recomendo aos meus alunos que procurem praticar as suas habilidades e técnicas sempre que tiverem a oportunidade, e um concurso ou desafio proposto por grupos de estudo é sempre uma excelente chance para conseguir gerar bons trabalhos e adquirir novos conhecimentos. Logo nos primeiros meses de vida do blog, ainda em 2007, publiquei um artigo sobre o projeto CG Sphere que tem uma premissa interessante para todos que procuram uma desculpa razão para não sair da frente do computador.

O objetivo é realmente simples, e consiste na modificação de um modelo 3d simples que consiste em nada mais do que uma esfera. A descrição do projeto deixa claro que o CG Sphere é um tipo de desafio criativo, em que artistas 3d podem fazer o download de uma cena pronta e começar a alterar a esfera das mais variadas formas. Como já fazem mais de cinco anos desde que o CG Sphere começou, a quantidade de imagens disponíveis na galeria é impressionante! Algumas das imagens são simplesmente geniais.

cg sphere

E para dizer que você não vai conseguir reproduzir a esfera devido a não existência da cena na configuração do seu software favorito, o número de arquivos base para softwares 3d é impressionante! Entre as opções encontramos os principais:

  • Blender
  • 3dsmax
  • Maya
  • Cinema 4D
  • Softimage
  • Houdini

Na época em que publiquei o artigo sobre o CG Sphere comentei que a cena é até um bom elemento de estudo, pois o cenário interno está configurado com um sistema simples de iluminação para estúdio que muitas pessoas simplesmente não conhecem ou sabem reproduzir. Basta visitar o site do projeto e copiar o arquivo para conferir como a iluminação está montada.

É por isso que ainda recomendo do download do material, mesmo que tudo esteja um pouco desatualizado. O modelo do Blender ainda usa a versão 2.4 só para citar um exemplo, e o 3dsmax está ainda na versão 8! Mas, isso não impede você de usar o material.

Artistas que usam Blender: Entrevista com Lucas Falcão

Hoje é dia de entrevista aqui no Blog que como de costume sempre procura divulgar o trabalho de artistas que trabalham com o Blender, mostrando um pouco do seu processo de criação e inspirações artísticas. O entrevistado de hoje é ninguém menos do que o Lucas Falcão! Não conhece o Lucas ainda? Abra o Blender 2.66 e observe com bastante atenção a Splash Screen. Observou? Pois é, foi o Lucas Falcão que criou essa belíssima imagem chamada de Violet. Na entrevista pergunto para o Lucas um pouco sobre o processo de criação dessa imagem, e como ele ficou sabendo que estavam interessados em usar o projeto dele como Splash Screen.

Quer saber mais sobre o Lucas Falcão? Recomendo uma visita ao Blog dele para conhecer mais dos seus projetos. Quero aproveitar e agradecer ao Lucas por ter participado da entrevista, e também pelas imagens dos projetos dele que ilustram o artigo. No blog dele você encontra muito mais!

1 – Nos conte um pouco mais sobre você; qual a sua formação? Você trabalha profissionalmente com CG ou é um hobby? Trabalha em algum estúdio ou é freelancer?

Opa! Eu me formei em design visual, foi durante a faculdade que descobri e comecei a me interessar por 3D. A computação gráfica para mim é um hobby, tanto trabalhando comercialmente como em meus trabalhos pessoais. É claro que nem sempre você não pode fazer o trabalho mais legal quando se está trabalhando profissionalmente, mas gosto muito de modelar, que é o que eu geralmente faço, então é no minimo agradável. Eu trabalho em um estúdio chamado RC11, aqui de Porto Alegre, comecei a trabalhar lá no inicio do ano e estou gostando e aprendendo muito. É uma empresa pequena mas muito consistente profissionalmente falando, formada por três pessoas contando comigo, o Ricardo e o Romano, que são os dois sócios, são excelentes profissionais. Eu evito pegar trabalhos como freelancer, pois já trabalho fulltime na RC11, gosto de usar meu tempo livre para estudar/praticar, fazer trabalhos pessoais e viver um pouco também.

blue_shark_screenshot.jpg

2- Você é autodidata ou participou de algum curso?

Foi durante a faculdade, nas aulas de computação gráfica do professor Thiago Bulhões que aprendi o básico, os principais fundamentos do 3D. Depois disso eu nunca parei de estudar, fazer tutoriais e ver making of's. Sempre fui muito curioso quando comecei a aprender assuntos relacionados a 3D e a arte, ainda bem, pois no colégio era o oposto, minha mãe deve fica aliviada agora (haha!).

blue_shark_web.jpg

3 – Quais são as suas inspirações artísticas?

Essa pergunta é difícil, pois muita coisa me inspira, as vezes nem influencia diretamente no meu trabalho, mas algo que me faça pensar e continuar querendo melhorar como artista e pessoa. Um artista que me inspirou muito, e até hoje inspira, pela beleza e qualidade técnica de seus trabalhos é o Kris Costa, o Antropus, gosto muito da temática dos trabalhos dele. Outra artista que eu sou muito fã é a Laurie Liption, que faz umas ilustrações incríveis, se não me engano, usando só grafite.

fox_screenshot.jpg

4 – Você sempre usou o Blender nos seus projetos?

Quase sempre, no inicio eu usava o 3ds Max, pois era o que tinha aprendido na faculdade. Só comecei a usar o Blender na versão 2.48, se não me engano. Mas gostei tanto do programa, que ainda não tive muita vontade de aprender outro. O programa evolui muito desde que eu comecei a usar, é incrível o que os desenvolvedores estão fazendo, o programa não deu um passo para trás.

red_fox_web.jpg

5 – Como surgiu a idéia da imagem Violet? Como você ficou sabendo que a sua imagem seria usada como splash screen do Blender 2.66?

Eu sou muito fã do trabalho da minha amiga Larissa Docolas, gosto muito do estilo dela. Então eu conversei com ela e pedi pra ela criar uma personagem para eu modelar. Uns dias depois ela me enviou o concept art da Violet e eu comecei a modelar a personagem. Eu fui mandando o progresso da modelagem para ela e recebendo feedback, ela também é modeladora e uma baita artista, então a opinião dela adicionou muito ao resultado final.

Quanto ao splash, eu recebi uma mensagem do Jonathan Williamson pelo Twitter, perguntando se eu estaria interessado em criar uma versão da Violet para o splash screen da nova versão do Blender. Eu disse que sim, lógico, já muito feliz com a oportunidade. Então eu enviei para ele algumas opções de composição e ele escolheu duas. Depois ele repassou para o Andrew Price (BlenderGuru) e para Bart Veldhuizen, fundador do BlenderNation, para avaliar as imagens. Eles escolheram uma e o Andrew Price fez alguns retoques e foi aprovado. E eu fiquei incrivelmente feliz. 🙂

violet_clay.jpg

6 – Quanto tempo você levou para produzir a imagem?

Eu não sei exatamente, algo em torno de duas semanas se fosse contar mesmo. Eu trabalhei no período do final do ano e as vezes produzia muito pouco por dia.

violet_wire_face.jpg

7 – Qual foi a parte mais complicada na produção da imagem?

O cabelo é sempre um desafio, é preciso pentear e testar muitas vezes até ficar razoavelmente bom. Outra parte complicada foi a modelagem das roupas, a Violet tem muitas roupas e detalhes, tem a camiseta, a jaqueta cheia de botôes e o tênis cheio de cadarços, calça, suspensório, luva. Depois tive que fazer todo o caimento da roupas e acessórios, foi tudo esculpido no Blender.

violet_wire.jpg

8 – Entre as imagens do seu portfólio, qual você considera ser o seu melhor projeto?

A Violet, sem dúvidas, e o foi o que eu mais gostei de fazer. Foi o primeiro que eu tive que tomar decisões quanto ao design, adaptar certas coisas do concept da Lari para funcionar em 3D.

violet_screenshot.jpg

9 – Você está trabalhando em algum projeto atualmente?

Eu já comecei a trabalhar em um projeto pessoal novo, uma Pin-Up. Também vou começar a produzir uma personagem para o site MakeHuman, que ajudará na apresentação do programa e do site.

10 – Qual conselho você daria para artistas iniciantes que gostariam de trabalhar profissionalmente com modelagem, render ou animação?

Não existe nenhuma mágica, é preciso estudar e praticar muito, não tem outro jeito. Curiosidade é muito importante, ter sempre curiosidade de aprender técnicas, ferramentas novas. Mas também saiba a hora de sair da frente do computador, muitas coisas são resolvidas pela sua cabeça quando você está longe dele.

Não sei se posso fazer um agradecimento (Allan: Claro que pode!). Mas muito obrigado pela entrevista Allan!

Blender usado para produção de cenários em mangá

O uso de elementos 3d para representar cenários e animações revolucionou para sempre a maneira de produzir conteúdo, seja no cinema ou mesmo em artes tradicionais como a própria ilustração. Já é muito comum encontrar elementos 3d em produções até então puramente bidimensionais devido ao fato de que usando 3d é possível reaproveitar cenários, usar câmeras e acelerar a produção de conteúdo de qualidade que é ponto fundamental em qualquer projeto. Entre as produções que usam com mais intensidade esse tipo de recurso podemos destacar os animes e mangás, que dificilmente chegam na sua produção final sem utilizar algum elementos oriundo de ambientes 3d.

As ferramentas usadas para ajudar nesse tipo de produção são as mais diversas, e você pode conferir diversos exemplos de softwares 3d comerciais que foram usados para ajudar na produção de animações com temática oriental. E para os que gostam de conhecer projetos realizados com o Blender, encontrei um exemplo de uso do software por um artista na China, que está em sintonia com o uso de ferramentas 3d para gerar cenários para mangás. No caso o artista usou o Blender para construir cenários e ambientes aproveitados para ilustrar o seu projeto. O resultado ficou excelente e mostra mais uma vez do que o software é capaz nas mãos de artistas criativos. As imagens a seguir são uma amostra do que você pode conferir na mensagem publicada pelo artista chamado congcong009 nos fóruns Blenderartists.org com o uso do Blender para produção de cenários em um mangá.

blender cenários urbanos mangá

blender cenários urbanos mangá

Para conhecer mais exemplos desse mesmo projeto, recomendo visitar o link indicado no parágrafo anterior.

O projeto como um todo ficou muito bom, e mostra domínio por parte do artista das ferramentas necessárias para representar ambientes com estilo cellshading no Blender. Na verdade, depois de ler a descrição do projeto percebemos que as imagens são obra de uma pequena equipe de seis pessoas! Sendo apenas um artista responsável pela parte do 3d e dois exclusivos para arte 2d, que devem ter ficado responsáveis pelos retoques necessários na pós-produção.

A descrição do processo publicada na mensagem também mostra que não foi nada simples produzir as imagens, sendo necessários vários passos e renderizações usando tanto o render interno do Blender como o Cycles. É um projeto interessante que deve servir como referência para quem está pensando em realizar alguma coisa nesse mesmo estilo.