Renderizando imagens em 360 no Blender

A apresentação de projetos para arquitetura envolve geralmente a criação de imagens ou vídeos de modo tradicional. As imagens e vídeos funcionam bem para mostrar os ambientes, mas acabam pecando por não conseguir passar a percepção completa de volume sobre todo o ambiente do projeto. Você acaba visualization apenas partes do projeto de cada vez.

Mas, com a tecnologia e ferramentas que possuímos ao nosso alcance nos dias de hoje é possível ir muito além do que simples imagens bidimensionais. Um exemplo de formato que ganha cada vez mais adeptos na visualização para arquitetura são as no formato 360 graus.

Nesse tipo de imagem seus potenciais clientes tem a oportunidade de visualizar todo o projeto de todas as direções. Ao usar um dispositivo de VR a experiência fica ainda mais imersiva.

Quer um exemplo desse tipo de projeto criado com o Blender?

Um artista chamado jokotriyono compartilhou nos fóruns BlenderArtists um projeto chamado Pantry & Island que mostra a visualização de uma cozinha. Além de ser um excelente exemplo de visualização criada com o Blender Cycles, o destaque do projeto é um render em 360 graus.

Para visualizar o projeto em 360 graus, você pode usar o próprio Youtube como player. Ao abrir o arquivo na versão mobile do Youtube é possível até mesmo usar o acelerometro e giroscópio do celular para direcionar a visão da cena.

Como fazer esse tipo de imagem no Blender? O processo é incrivelmente simples! Ao selecionar o Blender Cycles como renderizador, você só precisa escolher como tipo de câmera a opção panoramic e depois equirectangular.

Depois de fazer isso o Blender irá gerar imagens no formato equirectangular que podem ser configuradas no mesmo tipo de apresentação desse projeto de cozinha.

Para criar essr tipo de imagem são necessários apenas alguns cuidados extras, como aumentar de maneira considerável a resolução das imagens. Quando o assunto são visualizações em 360 graus, você vai precisar de muito mais pixels! As imagens em FullHD jão não vão ser mais suficientes.

Aprenda a apresentar projetos usando imagens em 360 graus

Quer aprender a criar projetos e visualização em 360 graus? No EAD – Allan Brito você encontra diversos cursos que treinamentos que podem ajudar você. Desde a visualização com o Cycles até a criação de aplicativos em VR:

Casa Portugal no Blender Cycles

Com o lançamento do Blender 2.79 nas últimas semanas uma série de recursos que ajudam na renderização de interiores foram adicionados no Blender. Entre esses recursos está o incrível perfil de cor chamado filmic que aumenta de maneira significativa o dynamic range nas renderizações com o Cycles.

Mas, a versão do filtro que acompanha o Blender 2.79 não é exatamente a mesma que está disponível como um download avulso por esse endereço. Esse recurso que pode ser instalado em qualquer versão do Blender, faz a alegria de muitos artistas especializados em visualização para arquitetura.

Como os renders gerados com a versão 2.79 são um pouco mais escuros, muitos artistas estão escolhendo substituir o filtro pela versão antiga.

Mas, será que ele não consegue gerar bons resultados?

Veja o exemplo desse projeto chamado Portugal House do artista colombiano CristianTM, e compartilhado nos fóruns BlenderArtists.

O projeto é muito bem executado e permite analisar o comportamento do novo perfil de cor a fundo. O motivo é simples, o artista compartilhou diversos dos seus ajustes relacionados com a renderização e iluminação do projeto.

Uma rápida análise no material vai revelar que o projeto foi renderizado no Blender 2.79 e fez uso do novo perfil de cor filmic. Caso você faça uma visita no link, vai perceber ainda que para espanto de quem trabalha com render de interiores no able ser o artista usou ajustes de exposição muito baixos.

Para ser mais preciso, apenas 0.3 de exposição para conseguir uma excelente qualidade de iluminação nos projetos. O que é bem impressionante. Infelizmente não temos informações sobre o tipo de mapa HDR usado para iluminar a cena.

Mas, dependendo do mapa escolhido isso pode fazer muita diferença.

Por exemplo, alguns dos mapas disponíveis no HDR Haven não precisam sequer de luz do tipo Sun na cena. São alguns dos melhores mapas de ambiente da web! Totalmente gratuitos e de domínio público.

Se o artista usou um desses mapas nas suas renderizações, isso explicaria o baixo nível de exposição nos arquivos.

Aprenda a usar o Blender Cycles

Ficou interessado(a) em usar o Blender Cycles? No EAD – Allan Brito você encontra diversos cursos e treinamentos relacionados com o uso do Blender Cycles para os mais variados tipos de projetos:

Reduzindo granulação no Blender Cycles

Um dos melhores recursos do Blender 2.79 é o chamado denoising que permite reduzir a granulação gerada pelos renders no Cycles aplicando um pequeno desfoque nas imagens. Como resultado você pode trabalhar com imagens complexas renderizando com quantidades de sample mediadas, para gerar resultados “usáveis”. Por exemplo, imagens com 500 samples geralmente resultam em resultados bem medianos.

Mas, aplicando o processo de denoising nos renders com essa quantidade de samples, é possível conseguir excelentes resultados com pouco tempo de render. Basta acionar o recurso para que o Blender comece a aplicar um leve desfoque nos arredores dos pixels. Assim a quantidade de granulação nas imagens é “maquiada”.

Algumas cenas produzidas para interiores e arquitetura podem ser complexas o suficiente, para que a ferramenta denoising sozinha não seja suficiente para reduzir a granulação até mesmo com 2000 samples.

Quer um exemplo disso?

Veja essa projeto chamado White and Grey Bedroom criado por um artista digital chamado giridc, e compartilhado nos fóruns BlenderArtists.

O projeto foi renderizado usando o Blender 2.79 e faz uso do recurso que reduz a quantidade de granulação. Mesmo usando 2000 samples para cada render, o artista ainda encontra pixels que não estão totalmente livres de “ruído”.

Além de aprender um pouco sobre as dificuldades passadas pelo artista para conseguir renderizar esse tipo de cena, você acompanha também as dicas que outros artistas passam para reduzir a quantidade de granulação, mesmo sem o uso do denoising.

É uma excelente fonte de informação para para artistas que estão aprendendo a usar o Blender 2.79, e todos os seus novos recursos para criar renders com menos granulação.

Aprenda a usar o Blender Cycles

Ficou interessado(a) em usar o Blender Cycles para os seus projetos relacionados com arquitetura? No EAD – Allan Brito você encontra não só recursos e material ensinando o Cycles mas também modelagem 3d com o Blender.

Caso você use outros softwares, você pode aproveitar até mesmo modelos oriundos de ferramentas como o SketchUp.

Aprenda a criar lightmaps usando o Blender Cycles

O Blender Cycles é uma ferramemta fantástica para qualquer artista digital usando o Blender, mas ele tem um problema que no curto prazo não será solucionado. Ele só está disponível dentro do Blender. Existe um projeto para oferecer o Cycles como um render isolado do Blender, para conseguir integrar a ferramenta com softwares como o SketchUp.

Mas, ainda deve demorar um pouco até que isso aconteça de fato. A melhor alternativa para conseguir levar o render de alta qualidade do Cycles para qualquer plataforma é usando a gravação de texturas.

Como funciona? Você configura a iluminação da cena como um todo e realiza todos os passos necessários para gerar imagens realistas. Mas, ao invés de renderizar uma imagem a conclusão consistem em processar as texturas com uma técnica chamada de “Texture Bake”.

Você quer aprender como funciona? Agora no EAD – Allan Brito você conta com o curso sobre gravação de texturas com Blender Cycles. No curso você aprende todas as técnicas e procedimentos necessários para trabalhar com a gravação de texturas no Blender.

Essa é a lista com alguns dos assuntos que você aprende no curso:

  • Renderização com Cycles
  • Iluminação de ambientes com Cycles
  • Materiais e texturas no Cycles
  • Criação de mapas UV
  • Gravação de informações de luz em texturas
  • Uso de texturas em formato de repetição
  • Criação de mapas normais
  • Mapas do tipo lightmap para múltiplos objetos com Texture Atlas

Quais as vantagens em saber gravar ilumimação em texturas no Blender? Os benefícios para essa técnica são inúmeros! O primeiro, e mais evidente, é poder levar efeitos de iluminação avançado do Blender para qualquer aplicação.

Por exemplo, a própria Game Engine do Blender pode se beneficiar de maneira significativa! Você consegue gerar texturas com os efeitos de iluminação para usar na game engine. Só para lembrar que a Game Engine do Blender não suporta o Cycles.

Qualquer plataforma ou projeto que utilize texturas pode aproveitar o recurso!

Aprenda a utilizar o Blender Cycles

Quer aprender ainda mais sobre o Blender Cycles? No EAD – Allan Brito você encontra diversos cursos e treinamentos relacionados com renderização usando o Cycles. Os cursos ajudam a usar o software nos mais variados cenários e projetos:

Nova técnica para reduzir granulação no Blender Cycles

Os artistas digitais que usam o Blender Cycles ou qualquer renderizador baseado no algoritmo Path Tracing tem um “inimigo” em comum! A granulação das imagens no render. Para quem não está ciente desse problema, os renders baseados em refinamento progressivo precisam gradativamente “limpar” as imagens.

Esse processo é controlado pela quantidade de samples que o artista determina no render. Quanto maior for a quantidade, melhor será a qualidade da imagem gerada. Quanto mais samples, mas tempo de render é necessário para finalizar o processo.

Um valor bem razoável de samples seria algo como 1500 ou 2000.

Mas, uma técnica publicada em um artigo científico no mês passado promete renders sem nenhum tipo de granulação com apenas 1 sample. Isso mesmo, apenas 1 sample. A técnica se chama  Spatiotemporal Variance-Guided Filtering.

Quer ver um exemplo do seu funcionamento? Assista ao seguinte vídeo de demonstração:

No artigo os autores descrevem um método que permite renderizar imagens usando Path Tracing sem nenhuma granulação, aplicando apenas 1 sample em cada render. Isso em teoria iria permitir renders em tempo-real no próprio Cycles! Sem a necessidade de mudar os renderizadores.

Existe algum ponto negativo? Claro que sim! Observe com atenção o vídeo para perceber como os renders gerados com a técnica perdem muitos dos detalhes. Por exemplo, ao aplicar texturas que possuam mapas normais nos modelos 3d é bem provável que essas informações acabem se perdendo.

Para os projetos em que esse tipo de detalhe não é importante, o processo pode ajudar e muito na criação de animações.

Por enquanto, o processo é apenas um artigo científico mas o algoritmo para realizar o filtro já está descrito e documentado.

Como o Blender é de código aberto, basta um desenvolvedor aplicar o conceito no software para que você possa aproveitar o mesmo tipo de rapidez.

Para mais detalhes, consulte o artigo em PDF seguindo o link.

Usando o Blender Cycles para renderização

Quer aprender a usar o Blender Cycles para renderizar seus projetos? No EAD – Allan Brito você encontra diversos cursos e treinamentos relacionados com o uso do Blender Cycles. Seja para usar em arquitetura ou em animação: