Kara: Curta-metragem no universo de Star Wars

A produção de um curta-metragem de qualquer natureza envolve muito esforço e planejamento por parte das equipes envolvidas no projeto, seja o produtor ou diretor. Quando tudo é feito por apenas um artista a coisa fica ainda mais complicada. Sempre que tenho a oportunidade compartilho alguns curtas que considero interessantes do ponto de vista técnico ou artístico, mas dessa vez é uma mistura desses dois temas em conjunto com uma temática que está em alta nesse momento. Um curta-metragem com a temática voltada para Star Wars.

Sim, você que acabou de assistir ao último filme da franquia e está empolgado novamente com o universo, pode encontrar mais um pouco de Star Wars no curs chamado Kara. O curta é obra do diretor Joel Sill e mostra o universo de Star Wars em cenários familiares, e evidentemente sem os atores e personagens da linha temporal principal.

O projeto pode ser conferido de maneira gratuita no Vimeo:

Como não poderia deixar de abordar a parte técnica relacionada com a produção, encontrei um artigo em que o diretor passa alguns detalhes relacionados a maneira com que foram gravadas as cenas e principalmente os efeitos. Um dos pontos que levou mais tempo para finalizar no projeto foram os efeitos visuais, que acabaram adiando o lançamento do curta em algumas semanas. Depois de apresentar o curta para algumas pessoas, as mesmas acharam que as animações não tinham a mesma dinâmica do filme e até encontraram diversos problemas com o projeto.

O que devemos levar em consideração aqui é o fato do curta-metragem ser de baixo orçamento e principalmente voltado a realização de um sonho do diretor, que é fã de Star Wars. Dentro do orçamento do projeto estavam os deslocamentos para locações reais, equipamentos e aluguel de estúdios para gravação de cenas em fundo verde.

Você tem um projeto como esse? Use os exemplos apresentados no blog como inspiração para realizar os seus projetos pessoais de produção relacionada com animação, vídeo, jogos ou arquitetura. Basta começar a planejar para produzir.

Animação e vídeo

Um bom ponto de partida para quem não conhece ou entende da produção de animação e vídeo, são os cursos do EAD – Allan Brito. Esses são alguns dos cursos que você pode realizar para aprender a trabalhar com animação e vídeo:

The Optimist: Curta-metragem de animação com o Blender

Uma boa parcela dos usuários e artistas que conheço tem um sonho em relação ao seu software 3d favorito, que é a produção de uma animação. Alguns são mais ousados e gostariam de competir com a Pixar, mas outros são mais humildes realistas e ficariam felizes com a criação de um curta-metragem. O que muita gente não sabe é que usando um pouco de planejamento e as ferramentas de produção certas você pode trabalhar na criação de animações sem grandes complicações. É o que sempre repito para os meus alunos, o planejamento é a chave para o sucesso desse tipo de projeto.

Um dos exemplos disso é a animação chamada The Optimist que foi produzida pelo artista John Mervin, e que usou o Blender para a modelagem e animação de todo o projeto. Antes de continuar com a análise, assista ao vídeo:

Entre os pontos que podemos destacar do projeto é o fato da sua simplicidade em termos de modelos 3d e estrutura, serem um fator que ajuda muito o artista. A modelagem é fácil e a dinâmica dos personagens também facilita o processo de Rigging. Como o artista optou por não usar estruturas e cenários realistas, acredito que o tempo de render não tenha sido dos mais altos. Isso é também um dos fatores que corrobora para complicar a produção de qualquer animação.

O que podemos aprender desse exemplo de animação? Com um pouco de planejamento e otimização dos seus recursos você pode tranquilamente realizar o seu projeto de produzir uma animação em curta-metragem. O processo geralmente segue três estágios:

  • Roteiro
  • Storyboard
  • Produção (em 3D)

Com os dois primeiros sendo bem executados, a parte da produção em 3d é extremamente rápida.

Aprendendo sobre animação com o Blender

Ficou interessado em desenvolver seus projetos de animação usando o Blender? No EAD – Allan Brito você encontra os seguintes cursos que podem ajudar você no seu projeto:

Palmipedarium: Curta-metragem produzido com Blender

As animações criadas com as diversas suítes 3d disponíveis no mercado são uma excelente forma de conferir a capacidade de produção das ferramentas disponíveis nesse software em particular. Entre as diversas dúvidas e questionamentos que recebo sobre o Blender, está a sua capacidade de produzir animações sérias ou mesmo de nível médio. Os projetos desenvolvidos pelo Instituto Blender são uma excelente demonstração da capacidade do software, mas é com a produção dos usuários e também pequenos estúdios que o software é realmente testado. É por isso que sempre gosto de divulgar projetos desenvolvidos inteiramente com o Blender para ajudar a sanar essas dúvidas sobre a capacidade de produção do software.

Entre esses projetos desenvolvidos totalmente com o Blender, podemos adicionar agora a animação Palmipedarium que foi produzido pelo artista Jeremy Clapin. A animação é de curta-metragem e utiliza visual estilizado para narrar a sua história. Apesar de parecer simples do ponto de vista visual, a sua estética se encaixa muito bem com a narrativa.

Essa é a animação, que foi produzida pelo artista francês, mas teve diversas outras pessoas em papeis relacionados com modelagem, iluminação e rigging.

Esse tipo de projeto é provavelmente fruto de vários meses de trabalho investido, e não seria possível de ser finalizado sem apoio financeiro e também a dedicação da equipe. A duração da animação é muito parecida com os projetos realizados pelo instituto Blender, e para fins de comparação uma equipe de aproximadamente 10 pessoas trabalhando por 6 meses tem custo estimado de 150 mil Euros, segundo dados do projeto Big Buck Bunny.

Quer fazer uma animação como essa no Blender? Recomendo planejar muito bem o seu projeto e procurar patrocínio para a empreitada, que pode vir por meio de empresas privadas e também editais públicos, que bancam grande parte da produção audiovisual no Brasil. Além da parte financeira, é preciso organizar a parte de pré-produção da animação que envolve o roteiro e storyboards, para inclusive ajudar na captação de fundos! Assim as pessoas conseguem entender melhor o seu projeto, antes da execução.

Outro ponto que deve ser considerado é o aprendizado do Blender! O EAD – Allan Brito pode ajudar você nesse sentido com vários cursos online sobre Blender em diversas categorias, inclusive com cursos próprios sobre animação.

Dica de curta-metragem: The Gift

Depois desse final de semana comemorativo, entramos na última semana do ano! E após uma semana extremamente atribulada com os semestres das Faculdades/Universidades terminando juntos, acabaram me afastando do blog e das comemorações natalinas. Mesmo assim, espero que todos os leitores e amigos tenham tido um excelente natal e que o próximo ano seja muito melhor do que esse que está acabando. Mas, esse artigo não é direcionado as felicitações de final de ano, mas sim a recomendação de um curta metragem produzido como parte de uma campanha comercial da Philips para uma nova linha de TVs.

A recomendação do curta metragem se dá pela excelente qualidade do material produzido, e que só fui conhecer alguns dias atrás. Na verdade o projeto já existe desde 2010.

Essa é a animação:

O material é de excelente qualidade e considerando que o seu orçamento não é igual aos das grandes produções comerciais, a produção com mais de quatro minutos de duração ficou muito boa. Só quem já tentou produzir alguma coisa semelhante as animações do The Gift sabe o quanto é complicado criar esse tipo de material, tanto no que se refere ao tempo de produção e aos recursos de hardware necessários para renderizar e finalizar material realista em 3d.

Se você tem como meta no próximo ano a criação de um curta em animação, ou mesmo pretende se especializar nessa área, recomendo começar com a parte de produção voltada para concepção da história. É muito importante evitar o improsivo e ter tudo planejado nos mínimos detalhes. Em produções para TV, Cinema e animação a palavra improviso está associada diretamente a prejuízo, tanto na parte criativa como na financeira.

Por isso, muito do tempo de produção de uma animação ou filme como esse é gasto em planejamento e na validação da história, antes de passar para a parte de produção real do 3d. Assim é possível antecipar problemas, e até mesmo fazer cortes na história para facilitar a produção e otimizar o orçamento. Quase sempre as histórias só podem ser contadas quando os requisitos técnicos, artísticos e financeiros são equilibrados. Pode parecer uma afronta, podar um trabalho com características artísticas com base em dinheiro, mas se isso não for feito, a produção não será sustentável.

Espero que o curta sirva de inspiração para que você comece a semana, e formule os seus planos para o próximo ano.

Curta-metragem mostra invasão alienígena em Montevideo

O estado atual das tecnologias e equipamentos de informática para computação gráfica, permitem que qualquer artista ou estúdio com habilidade técnica e um pequeno investimento, pelo menos em hardware, possa criar curtas ou vídeo de qualidade cinematográfica. Sempre digo isso aos meus alunos nas aulas sobre animação e efeitos, o que separa os grandes estúdios dos pequenos é a disponibilidade de equipamentos para renderização de efeitos complexos e grandes formatos. Os softwares e técnicas usadas por esses estúdios, tirando alguns sistemas dedicados como o Flame ou Inferno, podem rodar em qualquer computador.

Um grupo de artistas uruguaios mostra muito bem que com habilidade artística e aplicando as técnicas corretas é possível criar efeitos compatíveis com os melhores filmes. Eles produziram um curta-metragem que mescla atores reais e modelos 3d baseados em computação gráfica para mostrar a invasão de Montevideo por robôs gigantes e naves. A qualidade da animação e dos efeitos é excelente e não deve nada na qualidade. Esse é o vídeo:

Agora a pergunta que você deve estar se fazendo agora; quais softwares foram usados para a produção? A base para a produção foi o 3ds Max. Ele foi usado para fazer a modelagem 3d de todos os objetos e configurar as animações. Mas, assim como acontece em projetos mais complexos como esse, principalmente quando é necessário mesclar elementos gravados em vídeo com objetos virtuais.

Os artistas usaram além do 3ds Max o FumeFX, Glu3D e o Boujou.

O Boujou é fundamental nesse tipo de projeto, pois ele é uma ferramenta especializada e sofisticada para fazer câmera match e tracking, fazendo o trabalho de mesclar o material gravado em vídeo com os robôs em 3d fácil e rápido. O software é até mais caro que o 3ds Max, mas o resultado final e a velocidade na pós-produção compensam o investimento. O FumeFX foi o responsável pela criação dos efeitos de fumaça e explosões na animação, já comentei sobre esse plugin para o 3ds Max aqui no blog várias vezes. O Glu3D é um outro plugin para o 3ds Max, mas especializado na simulação de elementos com dinâmica de fluidos.

Apesar de não ser um tutorial, o vídeo é uma excelente demonstração de como é possível criar material de qualidade com o conhecimento certo e investimento em hardware. O estúdio responsável pela animação se chama Aparato, no web site deles é possível encontrar mais material desenvolvido para o mercado publicitário.