Curso de SketchUp 8 – Modelagem para Arquitetura: Inscrições abertas

O SketchUp é uma das ferramentas mais usadas entre profissionais e estudantes de arquitetura e engenharia, devido a facilidade e rapidez com que podemos criar modelos 3d de edificações e estruturas. O software se tornou um grande aliado para quem gosta de modelar seus projetos em 3d, ou mesmo desenvolver as idéias ao mesmo tempo em que visualiza as formas dos seus projetos. Depois do Blender, a ferramenta sobre a qual mais recebo pedidos de cursos é o SketchUp devido a sua grande base de usuários e utilidade para o mercado de arquitetura. É por isso que estou lançando hoje mais um curso no EAD – Allan Brito, que é exatamente o de modelagem para arquitetura com SketchUp.

O curso é voltado para profissionais e estudantes que tenham interesse em desenvolver as suas habilidades de modelagem no SketchUp, ou então gostariam de aprender as técnicas e truques para criar objetos arquitetônicos usando as ferramentas do SketchUp 8.

Esse vídeo é uma amostra do que você encontra no curso:

Essa é a lista com os títulos de cada aula:

  • Aula 01 – Ferramentas de modelagem para arquitetura
  • Aula 02 – Modelagem de paredes
  • Aula 03 – Modelagem de portas e janelas
  • Aula 04 – Modelagem de telhados e coberturas
  • Aula 05 – Modelagem de terrenos
  • Aula 06 – Modelagem de escadas
  • Aula 07 – Usando bibliotecas externas ao SketchUp
  • Aula 08 – Projeto de modelagem para arquitetura

Para saber mais sobre o curso e a lista de vídeos já disponíveis, visite a página de detalhes do curso de SketchUp 8 – Modelagem para Arquitetura.

Assim como acontece com outros cursos no EAD – Allan Brito, o material desse projeto é todo focado em prática e deve ajudar bastante as pessoas interessadas em criar modelos 3d para arquitetura. A última aula do curso aborda a criação de um modelo 3d completo para arquitetura usando o SketchUp, e concentra todos os ensinamentos abordados ao longo do curso.

O próximo curso na lista de lançamentos é o voltado para a área de gestão da visualização em arquitetura, que deve estar disponível nos próximos dias. Esse curso será um pouco diferente dos outros já disponíveis, pois ele não é focado em software e sim na metodologia. Quando as inscrições estiverem disponíveis, explico melhor os assuntos e diferenças nesse novo projeto.

Curso de modelagem para arquitetura com Blender: Aula 06 disponível

O curso de modelagem para arquitetura com Blender está recebendo mais uma atualização essa semana com a sexta aula sendo publicada. O tema principal da aula 06 é o uso de bibliotecas externas de móveis e objetos para contextualizar e adicionar em projetos de visualização para arquitetura. Esse é um tema bem interessante e que gera muitas dúvidas entre artistas 3d e usuários que precisam aproveitar muitos objetos externos em projetos no Blender. Mas, apesar de existirem diversas opções de bibliotecas com mobiliário que pode ser aproveitada em projetos de visualização no Blender, é interessante conhecer as técnicas de modelagem para criar seus próprios objetos.

Por isso, um dos temas da aula 06 é a criação dos seus próprios modelos 3d de móveis e objetos. Como o curso é focado na modelagem 3d para arquitetura, as aulas anteriores já contemplaram diversos exemplos e técnicas de criação dos mais variados elementos. Os participantes do curso acabam conhecendo maneiras de aplicar essas técnicas em elementos com escalas mais reduzidas, como luminárias.

Um dos exemplos abordados nessa aula é a modelagem de uma luminária do tipo ARCO que é muito usada nos mais variados projetos de arquitetura. A luminária foi escolhida como exemplo, pois é necessário usar várias ferramentas para criar a sua representação em 3d com o Blender. É necessário fazer uso de ferramentas como o Spin do Blender para gerar as partes curvas, e técnicas de modelagem como a criação de partes vazadas arredondadas na sua base, que envolvem mais a organização dos polígonos do que ferramentas de modelagem.

modelagem-arquitetura-Blender-aula-06.jpg

No final o vídeo acabou ficando meio longo com quase 19 minutos de duração para esse objetos em particular, mas o resultado ficou muito bom.

Para quem já está inscrito no curso de modelagem para arquitetura com Blender, os vídeos já estão disponíveis na aula 06 e até o próximo sábado, os outros vídeos dos demais objetos devem estar disponíveis.

As próximas duas aulas do curso focam no uso de imagens como base para modelagem, aproveitando os chamados mapas de displace e mapas normais para adicionar detalhes em modelos 3d na aula 07, e a aula 08 consiste no projeto final de visualização. Esse projeto será uma edificação de vários pavimentos totalmente modelada no Blender.

A previsão é que essas aulas estejam publicadas até a metade da próxima semana. Depois que as duas últimas aulas forem publicadas, o material ficará disponível para consulta dos participantes do curso.

Aproveitando o artigo, gostaria de deixar claro que a limitação do tempo de acesso aos cursos que antigamente era de 30 dias, e agora está em 90 dias ainda não está sendo usada. Todos que se inscreveram nos cursos até hoje, continuam com o acesso ao material. Assim como já havia explicado antes, esse tempo era uma garantia para o tempo de acesso ao material. Por exemplo, caso eu desistisse de oferecer os cursos, esse seria o tempo de acesso garantido no site para os inscritos nos cursos.

Como não tenho planos de deixar de publicar as aulas e os cursos, estou prolongando o tempo de garantia de acesso, que muito em breve deve passar para 180 dias.

Inscrições no curso de modelagem para arquitetura com Blender

Se você quiser se inscrever no curso de modelagem para arquitetura com Blender, basta visitar a página do curso e usar um dos botões na parte inferior da página para se inscrever. As pessoas que já participam de outros cursos que requerem inscrição no site, podem se inscrever com desconto. Para isso é necessário usar os botões localizados dentro dos cursos na coluna da direita.

Novidades sobre o lançamento do B-Mesh no Blender 2.6

O projeto que transformou o Blender no software que conhecemos hoje foi oriundo do esforço para migrar a plataforma da versão 2.4 para o 2.5. E junto com essa transformação do software estavam previstos nas ferramentas e atualizações em sistemas internos do Blender como aconteceu com a parte de animação. Hoje podemos adicionar keyframes em praticamente qualquer parâmetro do Blender graças a essa reformulação. Entre essas reformulações existem ainda algumas pendências que não foram finalizadas como é o caso do B-Mesh. Essa é uma evolução do sistema de representação de polígonos do Blender, que adiciona novas ferramentas e suporte aos famigerados N-Gons.

Mas, o que são os N-Gons e o que é o B-Mesh?

Para começar a explicação é bom deixar claro o que são os N-Gons e o motivo deles serem controversos entre artistas 3d. A maioria dos softwares comerciais de modelagem suportam o uso de N-Gons que nada mais são do que faces com mais de quatro lados. Esse polígonos com mais de quatro lados algumas vezes ajudam, e outras vezes atrapalham a criação de modelos 3d.

Quem já tentou modelar alguma coisa com o Blender, deve saber que em certos tipos de operações de modelagem o resultado acaba sendo um conjunto de faces triangulares e quadradas, exatamente pela incapacidade do Blender de representar polígonos com mais de quatro lados.

Isso é uma limitação? Depende do ponto de vista. Como artista 3d e modelador, sempre procuro deixar a topologia dos meus modelos 3d organizada e usando apenas quadrados. Isso é inclusive recomendado no curso de modelagem poligonal, em que comento sobre essa característica relacionada a representação dos polígonos. O motivo para preferir faces quadradas são simples:

  • Deformam melhor em animação
  • Não quebram os loops e impedem atualizações nos modelos

Essa característica do Blender de limitar o uso de polígonos apenas em quadrados e triângulos me forçou a procurar técnicas e métodos mais eficientes de modelagem poligonal, e hoje me sinto mais confiante em organizar a topologia de um modelo 3d, mesmo quando não estou no Blender.

Nas oportunidades em que ministro aulas sobre modelagem no 3ds Max, Maya ou outros softwares que suportam N-Gons, acabo percebendo que os alunos se preocupam menos com a topologia, pois é mais “fácil” não precisar se preocupar com manutenção das faces quadradas na modelagem.

O B-Mesh está prometido para o Blender 2.63 que deve ser lançado no final de Abril ou Maio, dependendo de como a seqüência de desenvolvimento acabar acontecendo. O receio que tenho em relação ao sistema de modelagem do Blender, é que o seu lançamento acabe deixando os artistas iniciantes com a modelagem no Blender mais preguiçosos.

Quer saber como funciona exatamente esse B-Mesh? Já gravei vários tutoriais em vídeo sobre o B-Mesh no passado, e estou listando alguns deles aqui que mostram o funcionamento desse novo sistema.

Como podemos perceber pelos vídeos, o sistema adiciona novas ferramentas, mas não vai fazer com que os seus conhecimentos sobre modelagem com Blender sejam invalidados. Portanto, nada de aprender a modelagem toda do zero, será apenas um processo de adaptação as novas ferramentas.

O tema está recebendo bastante atenção da comunidade de usuários do Blender, inclusive com discussões acaloradas sobre as vantagens e desvantagens do uso de N-Gons. Apesar do receio de que os N-Gons criem artistas 3d preguiçosos, acredito que a atualização é bem vinda.

TreeGen: Script gratuito do 3ds Max para gerar árvores

O uso de vegetação em projetos de visualização pode ser desafiador para a maioria dos artistas 3d, pois dependendo da técnica escolhida para adicionar esses elementos no projeto, o resultado pode ser visualmente convincente, mas inviabilizar a edição da cena como um todo. Se você precisa adicionar vegetação no seu projeto, existem basicamente as opções relacionadas com o uso de texturas aplicadas em planos, e com mapas de transparência, podemos simular a vegetação a grandes distâncias. Quando a câmera está próxima desses planos, o efeito é facilmente perceptível pelos usuários.

Outra opção é usar vegetação com base em polígonos, que dá uma excelente volumetria as imagens, mas dependendo do número de faces, pode dificultar muito a edição e manipulação de cena, sendo o caso comentado no início do texto.

E sempre temos a opção de procurar por plugins que adicionam vegetação realista na cena, e em termos de plugins externos o ecossistema do 3ds Max é um dos mais completos.

Plugin gratuito do 3ds Max para criar vegetação

Um plugin publicado nos fóruns do PolyCount chamado TreeGen pode ser a solução paar quem precisar de vegetação baseada em geometria 3d real. O plugin tem como objetivo gerar modelos 3d de árvores com uma boa quantidade de detalhes. O vídeo abaixo mostra o funcionamento desse plugin.

O processo de configuração desse plugin é bem simples e pode ajudar artistas interessados em trabalhar com modelagem para jogos, pois as árvores geradas pelo script podem ter limitações na quantidade de polígonos usada. Os materiais para as folhas e outros elementos da vegetação podem ser definidos pelo usuários com o Bark Material e também os polígonos usados para representar as folhas.

Essa ferramenta ainda está em estágio Beta, mas já mostra uma boa gama de opções nas suas ferramentas. Para usuários que trabalham com desenvolvimento de jogos, visualização para arquitetura e até mesmo animação, a ferramenta pode ser de grande ajuda.

Mas, avalie o peso desse tipo de vegetação no seu projeto, pois dependendo da quantidade de árvores usadas na cena, o seu computador pode não suportar o grande volume de faces desses polígonos, inviabilizando até mesmo a manipulação simples do projeto.

Evento de lançamento do livro Blender 3D Jogos e Animações Interativas

A finalização de um projeto grandioso é sempre motivo de comemoração para a equipe envolvida no projeto e no caso de livros a coisa não é diferente. Para quem não acompanhava o blog nos últimos meses, ou não conhece, a editora Novatec publicou o meu quarto livro sobre Blender no meio do ano chamado de Blender 3D Jogos e Animações Interativas. Esse livro é inteiramente dedicado a produção de jogos com o Blender, e foi desenvolvido ao longo de um ano e meio. O material começou a ser escrito ainda na época em que o Blender estava na sua versão 2.49 e depois foi totalmente adaptado a nova interface da versão 2.5x.

Ainda sobre esse projeto do livro, estava pendente um evento de lançamento apropriado em que pudesse fazer uma pequena palestra sobre o conteúdo do livro e socializar com os leitores. Bem, esse evento vai acontecer no próximo dia 28/11 as 20:30 aqui em Recife como parte do Unigames 2011. O pessoal do curso de Jogos Digitais da Universidade Católica de Pernambuco organiza todos os anos o evento e acharam interessante realizar o lançamento do livro.

Blender3d-Jogos-Animacao-Interativa.jpg

O que vou mostrar no lançamento?

Será uma pequena palestra sobre o conteúdo do livro e a capacidade do Blender como ferramenta de criação e produção de jogos, mesmo que não seja usando a Game Engine interna do Blender, mas aproveitando as capacidades de modelagem do Blender para publicar jogos usando o Unity 3D. Será algo rápido, mas a oportunidade de poder conversar com as pessoas sobre o lançamento do livro é muito legal.

Então, para você que reside em Recife ou arredores, o evento de lançamento do livro Blender 3D Jogos e Animações Interativas será no dia 28/11 as 20:30 na Unicap. Mais informações sobre agenda, oficinas e palestras no site do Unigames. Já mencionei que o Unigames é um evento totalmente gratuito?

A oportunidade é interessante também para quem quiser seguir carreira na área de produção de jogos, pois os alunos do curso de jogos digitais da Unicap devem apresentar trabalhos e projetos desenvolvidos ao longo do curso. Posso dizer que o material é de excelente qualidade, pois sou professor do curso e acompanho a produção dos alunos do curso.

Estamos combinados? Aguardo você na Unicap no dia 28/11 para conversar sobre o Blender para jogos. Se você já tem uma cópia do livro, pode trazer que terei prazer em autografar, e caso não possua, a livraria da Unicap estará vendendo os livros no evento.

Quase me esqueço, o coordenador do curso mandou pediu que avisasse sobre as inscrições para o vestibular do curso de jogos digitais, que estão abertas até o dia 4/12.