Animação facial de personagens em Falling Skies

A animação facial sempre foi encarada como uma das partes mais complexas de qualquer projeto envolvendo animação 3d, mas o uso correto da técnica e procedimentos de manipulação pode trazer vida e personalidade para qualquer personagem 3d. Esse tipo de animação pode também ser usado com técnicas modernas de tracking de vídeo, para incrementar e potencializar personagens de ficção usando próteses que não possibilitam aos atores expressar todos os movimentos necessários para algumas cenas. Uma aplicação prática desse tipo de mistura da animação facial com tracking aconteceu no seriado Falling Skies.

Para quem não acompanha o seriado de ficção científica, existe um personagem de uma raça chamada Volm conhecido como Cochise. O ator que interpreta o alienígena faz uso de prótese facial completa, mas assim como todas as próteses desse tipo, existe um limite para o quanto é possível mover a face com a máscara. É por isso que a equipe responsável pelos efeitos especiais, utilizou tracking e animação facial para melhorar os movimentos e expressões do personagem, ajudando muito no processo de caracterização.

Animação facial de personagens com Falling Skies

Os dois vídeos a seguir mostram alguns exemplos das partes do rosto identificadas para melhoria, e o resultado depois que os movimentos foram incrementados.

O processo como um todo não é simples e exige muita habilidade por parte da equipe responsável, pois os movimentos e deformações do rosto do ator usando a prótese precisam ser perfeitamente mapeados. Seria mais simples criar o personagem na versão digital? Da maneira com que ele interage com o ambiente e outros personagens, seria muito mais trabalhoso e caro! A solução funciona muito bem, e permite adicionar vida nova em personagens de ficção como esse, usando técnicas consolidadas para criar efeitos como é o caso da prótese.

Para realizar o mesmo tipo de interação, seria preciso partir para animação por captura de movimento da face do ator, o que aceleraria muito a animação. Qualquer animação facial criada manualmente exige habilidade considerável dos artistas 3d, e nesse caso a captura seria uma garantia de que o ator seria o responsável pelas expressões. Mas, como já mencionei anteriormente o processo iria acabar ficando muito mais caro e trabalhoso.

Se você gosta de ficção científica e não conhece o seriado, recomendo conferir! É muito bom.

Curso sobre composição e efeitos com Blender

O EAD – Allan Brito acaba de receber mais um curso para o seu já extenso portfólio de treinamentos voltados para o uso do Blender, agora é o curso sobre composição e efeitos com Blender. Esse é um dos cursos mais solicitados pelos usuários e artistas usando o Blender que já fazem algum dos cursos do site, pois é uma das áreas que possuem menos documentação e tutoriais disponíveis na web. O sistema de composição do Blender é fantástico e permite realizar diversos ajustes nas imagens renderizadas, seja para fins de finalização da imagem ou mesmo composição com elementos de animação.

Entre os assuntos que são abordados no curso estão os temidos Render Layers, que ao mesmo tempo facilitam a vida de quem conhece o seu funcionamento, mas podem ser desafiadores para usuários que não tem experiência com composição. A primeira aula do curso já aborda de imediato o funcionamento dos Render Layers, pois eles são fundamentais para qualquer projeto de composição. Por falar em aulas, o curso já conta com as três primeiras aulas disponíveis, seguindo a minha política de só disponibilizar cursos com um número razoável de aulas prontas.

Quer uma amostra do que você encontra no curso? O vídeo a seguir faz parte da aula 02 do curso.

Além desse vídeo, é interessante conferir algumas imagens relacionadas a exercícios feitos dentro da aula 3. Nessa aula você aprende a trabalhar com efeitos como Vector Blur, Depth of Field e a criação de imagens abstratas usando o filtro Glare e texturas.

curso-composicao-glare.png

curso-composicao-dof.png

A lista de aulas e vídeos já publicados é a seguinte:

  • Aula 01 – Render Layers
    • O que são Render Layers? (09:40)
    • Opções dos Render Layers (06:33)
    • Máscaras com render layers (04:45)
    • Exercícios com máscaras (11:57)
  • Aula 02 – Composite Nodes
    • Usando o composite nodes (06:35)
    • Composição de render layers no composite nodes (10:02)
    • Propriedades do composite nodes (03:55)
    • Opções do composite nodes (03:54)
    • Grupos no composite nodes (06:03)
  • Aula 03 – Efeitos com filtros
    • Usando o Blur (08:51)
    • Usando o Vector Blur (06:38)
    • Criando efeito de DOF – Depth of Field (04:48)
    • Imagem abstrata com texturas e o filtro glare – parte I (10:41)
    • Imagem abstrata com texturas e o filtro glare – parte II (07:16)
  • Aula 04 – Técnicas de composição
  • Aula 05 – Motion graphics com composite nodes
  • Aula 06 – Motion Tracking
  • Aula 07 – Câmera Tracking

A previsão para que todas as aulas do curso estejam publicadas é no final de Janeiro, o que deve deixar as pessoas que estão de férias ocupadas com o material criado no curso, pois a parte de composição abre muitas possibilidades para quem gosta de produzir material em 3d. Essas dicas e procedimentos de composição funcionam com o Blender Cycles também!

O valor do curso é o mesmo já usado para todos os outros cursos no EAD – Allan Brito, que é de R$ 39,90. A inscrição garante o seu acesso por 180 dias, mas o tempo só é contabilizado quando todas as aulas do curso estiverem publicadas. Os usuários já inscritos em outros cursos do EAD – Allan Brito podem fazer a inscrição com desconto por R$ 35,90, usando os botões disponíveis dentro do painel dos cursos. A inscrição pode ser realizada na página de detalhes do curso sobre composição e efeitos com Blender. Para conseguir mais descontos, você pode conferir a lista com descontos progressivos do site para inscrições em múltiplos cursos.

Agora a lista de cursos do site é composta pelos seguintes cursos:

Próximas atualizações

As próximas atualizações do site estão programadas para os seguintes cursos que recebem as suas respectivas últimas aulas:

  • Curso de modelagem poligonal com Blender 2.6
  • Curso de modelagem avançada usando plugins com SketchUp
  • Curso sobre produção de jogos com Blender

Making of da segunda temporada de Game of Thrones

O acesso a tecnologia de efeitos especiais hoje é muito mais acessível do que alguns anos atrás, possibilitando a séries de TV com orçamento muito mais reduzido do que filmes a utilizar recursos até alguns anos atrás impensáveis para esse tipo de produção. Esse é o exemplo da excelente série Game of Thrones que utiliza muito bem na sua produção a computação gráfica para incrementar os cenários e aumentar a quantidade de pessoas em uma cena. Para as pessoas que gostam de conferir alguns desses truques visuais e comparar com as cenas exibidas na série, o estúdio Pixomondo divulgou um vídeo muito interessante mostrando alguns dos efeitos produzidos por eles para a série.

Só não recomendo assistir ao vídeo, caso você ainda não conheça a história ou não tenha assistido a segunda temporada da série.

O contexto da série pode utilizar muito bem a computação gráfica para a incrementação de cenários, pois como uma série que se passa em ambientes medievais de fantasia, seria complicado encontrar castelos e outras locações reais em que a equipe pudesse representar sem grandes modificações os cenários de Westeros.

Esse é inclusive um exercício muito interessante que qualquer pessoa pode realizar em 3d, que é o de pegar footgrafias ou vídeos reais, e tentar incrementar o visual com partes fantasiosas.

Outro tipo de efeito visual que é perfeito para esse tipo de série é o de animação com multidões. Como existem algumas situações na segunda temporada em que é necessário exibir campos com vários soldados, o uso de softwares para espalhar atores virtuais e objetos por um cenário é muito útil para baratear as locações reais. E mesmo sem existir nenhum tipo de cena em que sejam realizadas grandes batalhas épicas, como no caso dos filmes do Senhor dos Anéis, o uso da tecnologia se mostra muito útil nesse tipo de situação.

Para quem não conhece a série, recomendo muito o material, principalmente para os fãs de fantasia medieval ou então de rpgs como a série Dungeons & Dragons. Espero que o DVD ou Bluray da segunda temporada traga mais material como esse, apresentado o Making of e efeitos usados na produção da série.

Sparta: Software permite trabalhar com escultura de partículas

O trabalho com escultura digital sempre está entre os mais complexos para quem fica responsável pela parte de modelagem 3d, pois envolve boa parte de trabalho e conhecimentos técnicos, além de conhecimentos e habilidades artísticas na parte de escultura. E acredite em mim quando digo que é necessário um mínimo de habilidade para trabalhar com escultura, caso contrário é melhor se dedicar apenas a modelagem poligonal. Isso não é demérito para nenhum artista 3d, pois a parte de escultura é realmente algo de difícil domínio e que exige bom nível de subjetividade nas decisões que envolvem a modelagem.

O conceito de escultura é geralmente baseado na construção de um modelo 3d poligonal base, que depois é exportado para softwares como o ZBrush ou Mudbox. Nessas ferramentas são adicionados os detalhes com base em ferramentas de escultura, que são semelhantes ao que temos no mundo real ao trabalhar com argila.

Mas, já pensou em extrapolar o conceito da modelagem baseada em estruturas poligonais para a escultura de partículas? O conceito é inédito, e realmente desconheço qualquer tipo de software ou script que se proponha a trabalhar com escultura de partículas. Essa é a proposta de um novo software chamado de Sparta. A idéia é gerar um sistema de partículas e depois esculpir a forma gerada pelo volume das partículas é muito interessante, pois a volumetria das partículas é geralmente definida com base em inúmeros fatores como velocidade, quantidade de partículas, vida e outros. A possibilidade de esculpir as partículas é flexibiliza um pouco esse tipo de criação.

O vídeo abaixo mostra um pouco do funcionamento do sparta:

Para os que gostariam de testar o Sparta, o software pode ser copiado de maneira gratuita até o dia 31 de Outubro de 2012. Até essa data é possível usar e aplicar o Sparta em vários projetos envolvendo partículas no Maya, 3ds Max ou Softimage. No mesmo endereço em que é possível fazer o download do Sparta, você encontra diversos tutoriais e exemplos em vídeo sobre como usar o Sparta para modelar em 3d as suas partículas. O conceito é diferente e estranho a princípio, mas é só pensar nas inúmeras possibilidades que teremos para moldar a forma de sistemas de partículas para perceber o quanto esse software pode ser útil.

Efeitos visuais do novo homem-aranha

O uso de efeitos visuais e animação 3d em filmes é algo muito comum hoje em dia, e já se tornou até mesmo algo que dificilmente chama a atenção dos espectadores. Já se foi o tempo em que podia se justificar ir ao cinema apenas para ver efeitos ou imagens geradas por computador que eram classificadas como sendo uma “obra prima” da computação gráfica. Por exemplo, algumas cenas do último filme do homem-aranha que ainda não tive a oportunidade de assistir usam de maneira bem ampla imagens e efeitos, seja para gerar os movimentos o aranha como do lagarto, o seu inimigo no filme.

Como está se tornando rotina entre essas produções, os vídeos que mostram o breakdown dos efeitos dessas produções acaba sendo lançado junto com os filmes para promover o mesmo, e levar mais pessoas para os cinemas. Seria esse também o motivo de não termos mais esse tipo de material nos DVDs e Blu-rays?

Caso você tenha interesse em assistir a três vídeos com o breakdown, que é a exibição de detalhes técnicos sobre como foram criadas determinadas cenas do filme, encontrei três vídeos que podem ajudar a entender melhor como foram criadas as sequências, e principalmente o que foi necessário para gerar em computador o lagarto, já que é a sua primeira aparição nos filmes do aranha.

Assim como já aconteceu em vídeos que publiquei aqui no blog, você não vai aprender necessariamente nada com esse tipo de material. É preciso encarar isso sob a ótica de um fã de cinema, que gostaria de visualizar como o filme foi produzido, e também usando esse material como fonte de inspiração para que você possa criar as suas próprias animações e modelos 3d. Como forma de inspiração, posso dizer que esse tipo de vídeo faz um excelente trabalho, pois é devido a esse tipo de making of que muitas pessoas decidem trabalhar com animação 3d e modelagem, depois que assistem a esse tipo de material.

Para os que não assistiram ainda, recomendo também o breakdown dos efeitos do filme Prometheus, que apesar de ter recebido muitas críticas devido ao roteiro, acaba apresentando efeitos visuais bem interessantes.