Download gratruito do ZBrush

A escolha de uma ferramenta para trabalhar com escultura digital hoje é basicamente polarizada entre dois softwares que são o ZBrush e o Mudbox. Já tive oportunidade de usar ambas as ferramentas em momentos distintos, sendo o ZBrush em ambiente de aula e posso dizer que os dois softwares são muito bons no que fazem, mas sempre tive uma pequena preferência pela ferramentas e opções do ZBrush. Acredito que essa preferência acaba sendo reflexo da maior experiência com o software. Mas, a minha opinião é compartilhada por vários colegas que trabalham com escultura digital, e precisam elaborar propostas para personagens ou modelos baseados em escultura.

O primeiro passo para conseguir estudar o ZBrush é conseguir instalar o software no seu computador para poder praticar, e criar esculturas de teste para dominar o funcionamento da ferramenta. A pixologic que é a empresa responsável pelo desenvolvimento do ZBrush disponibilizou o download gratuito do ZBrush 4 na semana passadam permitindo que usemos o software por um período máximo de 30 dias sem nenhuma restrição no seu funcionamento.

Alien WIP and custom Zbrush UI

Pode parecer pouco, mas durante o período de um curso sobre escultura o uso desse tipo de versão de testes é mais que suficiente para conseguir trabalhar, e principalmente realizar exercícios para aprender o funcionamento do ZBrush.

Para complementar ainda mais o aprendizado do ZBrush, recomendo fazer o download do guia em PDF sobre o funcionamento do ZBrush 4 que foi editado e publicado de maneira gratuita, também pela Pixologic, e aborda as principais opções do software e as ferramentas de escultura usando exemplos práticos de personagens por todo o PDF.

A escultura digital é uma das poucas áreas da modelagem 3d que exige um conjunto de conhecimentos técnicos e habilidades artísticas, pois o uso apenas de técnicas oriundas da criação baseada em polígonos tem pouca aplicação na escultura. Nesse tipo de tarefa a sensibilidade do artista para conseguir adicionar pequenas ranhuras ou texturas nos personagens é fundamental. Por isso, sempre recomendo aos meus alunos que estão começando a trabalhar com o ZBrush, que procurem por cursos ou a prática de escultura em argila para conhecer as técnicas básicas. Isso ajuda muito no uso do software.

Apostila gratuita e oficial sobre escultura digital com ZBrush 4

Essa semana comentei aqui no blog um projeto que pretende levar técnicas de manipulação usando polígonos com grande densidade para o Blender, permitindo criar esculturas digitais com detalhes minúsculos. Isso deve atrair muitos artistas interessados em trabalhar com escultura e que não tenham interessem no investimento em softwares proprietários caros. Mas, e se esse investimento não for questão de escolha, mas sim de necessidade? Como o ingresso em estúdios ou empresas que já usem esse tipo de tecnologia, fazendo com que você precise aprender esse tipo de ferramenta? Nesse caso, o envolvimento prático com o software deixa de ser uma opção e você terá que colocar a mão na massa e esculpir.

A ferramenta mais usada pare esse propósito é o ZBrush, pelo sei pioneirismo e qualidade de ferramentas a maioria dos artistas 3d acaba preferindo o ZBrush ao Mudbox. Até conheço a ferramenta, mas não trabalho com ela diariamente e fico impossibilitado de emitir uma opinião baseada em prática. Todos os artistas que conheço e que trabalham com escultura, preferem o ZBrush.

A Pixologic é a desenvolvedora do ZBrush e eles querem ajudar você a estudar e aprender o funcionamento do ZBrush, com o lançamento de um guia ilustrado e de excelente qualidade sobre conceitos básicos do ZBrush 4. O download do guia que está disponível em PDF é gratuito e acompanha diversas ilustrações e diagramas da interface da ferramenta.

Guia-gratuito-ZBrush-Escultura.jpg

O material tem 52 páginas de conteúdo e está organizado em cinco capítulos:

  • Capítulo 1: Começando com o ZBrush
  • Capítulo 2: Iniciando uma escultura
  • Capítulo 3: Pintando esculturas
  • Capítulo 4: Adicionando vida as esculturas com ZSpheres, TransPose e mais.
  • Capítulo 5: Finalizando uma escultura

Tomei a liberdade de traduzir os títulos dos capítulos para que você tenha condições de avaliar o conteúdo de cada capítulo melhor, caso exista alguma dificuldade com o inglês. Esse é o único ponto negativo do material, a disponibilidade do guia apenas na língua inglesa.

Os textos são bem resumidos, mas apresentam de maneira clara o ZBrush para artistas que nunca tiveram contato com o software, permitindo começar a trabalhar na interface e gerar esculturas em pouquíssimo tempo.

Já mencionei que é gratuito?

Sculptris: Software gratuito de escultura digital

A escultura digital é uma categoria da modelagem 3d que exige muito dos artistas 3d, principalmente no que se refere a habilidade e experiências prévias com sistemas de escultura tradicionais. Na modelagem poligonal ou baseada em curvas como o NURBS, podemos passar para uma abordagem mais técnica que gera excelentes resultados. Mas, quando o tema é escultura não tem solução, esse tipo de habilidade no manejo e decisão de quando e onde a superfície deve ser editada é fundamental. Para os que gostam de escultura e pretendem se especializar, existem diversas opções de softwares com opções avançadas como o ZBrush e MudBox, ou mesmo o Blender com seu poderoso módulo de escultura.

Se você quiser praticar a escultura digital, mas não tem interesse em dedicar tempo e dinheiro para adquirir uma licença do ZBrush ou MudBox ou aprender o funcionamento do Blender, acabou de ser lançada uma solução totalmente gratuita dedicada a escultura digital. O software chamado de Sculptris é um Freeware que pode ser copiado e usado sem custo algum.

Esse software foi desenvolvido por uma pessoa chamada Tomas Petterson tendo como objetivo apenas a chance de criar uma ferramenta de escultura no seu tempo livre, e sem nenhum tipo de iniciativa para competir com ferramentas mais desenvolvidas ou mesmo comercializar o software.

O vídeo abaixo mostra um pouco do do que o Sculptris pode fazer em termos de escultura digital:

Um ponto negativo para o Sculptris é que o software está disponível apenas para sistemas Windows de 32 bits.

Na demonstração podemos perceber a simplicidade da ferramenta, o que deve agradar muito as pessoas com pouca ou nenhuma experiência com a escultura digital, mas deve frustrar os usuários avançados acostumados com as facilidades de softwares especializados nesse tipo de tarefa. Encare o uso do Sculptris como uma opção rápida e de aprendizado para desenvolver as suas habilidades com ferramentas de escultura. Uma coisa que pode ajudar muito nesse tipo de atividade é o uso de uma mesa digitalizadora, que pode deixar o processo de escultura mais natural.

Mesmo sendo simples e disponível apenas para a plataforma Windows, o Sculptris é uma ótima opção para artistas com pouca experiência e que desejem trabalhar com mais esse tipo de modelagem.

Análise do livro ZBrush para Iniciantes

A carreira de um artista envolvido com computação gráfica 3d pode seguir vários rumos que abrangem a design de cenários, objetos, renderização e a difícil tarefa de criar personagens virtuais. Nos últimos anos um tipo de software especializado em apenas uma tarefa se tornou praticamente obrigatório no repertório de conhecimentos dos artistas 3d. Estou falando das ferramentas de escultura digital que tem importante papel no design de personagens complexos, e principalmente com grande quantidade de detalhes. Entre as principais opções do mercado temos o ZBrush que praticamente inaugurou esse segmento no final dos anos 90, com uma proposta revolucionária de desenvolvimento e modelagem 3D.

Se você pretende se especializar em modelagem e design de personagens, deve considerar estudar o ZBrush. Um dos desafios para começar a estudar o ZBrush é a relativa falta de cursos e material de estudo em língua portuguesa. Mas, isso está mudando com o lançamento do livro ZBrush para Iniciantes, escrito pelo Alessandro Lima. Caso você não conheça o artista, o Alessandro Lima é especializado em design de personagens e inclusive já escreveu outro livro sobre o tema, mas com a abordagem sendo direcionada para o 3ds Max, que se chama Desenvolvendo personagens em 3D. Já estou com o livro desde o início do mês e nesse último final de semana, finalmente terminei de ler ele por inteiro.

Esse tempo foi necessário para conseguir ler o livro por completo, pois o mesmo apresenta mais de 500 páginas.

zbrush-iniciantes.jpg

Como já havia trabalhado com o ZBrush em várias ocasiões, muitas das coisas que foram explicadas no livro já eram do meu conhecimento, mas ainda assim foi possível aprender muita coisa nova, principalmente nos exemplos que o artista apresenta na modelagem de personagens. O livro é direcionado para iniciantes tanto no ZBrush, como no design de personagens o que acaba direcionando boa parte dos esforços do autor para a explicação de como criar um personagem com técnicas de escultura.

zbrush-iniciantes-02.jpg

O livro como um todo está dividido em onze capítulos que são:

  1. Arte tradicional e digital
  2. Introdução ao ZBrush
  3. Interface do ZBrush
  4. Trabalho em 2.5D (pintura)
  5. Trabalho em 3D (escultura digital básica)
  6. Trabalho em 3D (escultura digital Avançada)
  7. Pintura e texturização
  8. Materiais, luzes e render
  9. ZBrush e sua integração com outros softwares
  10. Conclusão
  11. Galeria de artistas

Além da parte inicíal que é de extrema importância para qualquer iniciativa com o ZBrush, o final do livro é especialmente importante. Uma coisa que todos os artistas que usam ZBrush sabem é que o mesmo não trabalha sozinho. Para conseguir animar ou renderizar o seu personagem é necessário exportar o modelo 3d esculpido no ZBrush para outro software. O caminho contrário também é perfeitamente possível e comum de acontecer, em que o artista acaba importante uma malha básica produzida no 3ds Max, Maya ou Blender para começar a trabalhar com o ZBrush. A parte final do livro trata apenas desse tipo de comunicação entre a ferramenta de escultura e outros software, o que faz essa última parte extremamente importante para pessoas que trabalham em empresas ou estúdios de animação.

zbrush-iniciantes-03.jpg

Para ajudar no entendimento do material, o livro é acompanhado de um DVD com os arquivos usados no livro, e alguns vídeos.

O ZBrush está entre os softwares que requerem um equilíbrio entre conhecimento técnico e proficiência artística para que seja possível criar algo. A parte artística é mais difícil de desenvolver, mas com muito treino e perseverança é possível conseguir excelentes resultados. No que se refere a parte técnica, o livro ZBrush para Inicinates é um excelente ponto de partida para dominar o software.

Se você pretende trabalhar com animação de personagens, desenvolvimento de jogos ou qualquer coisa que envolva personagens virtuais realistas, recomendo ler esse livro.

Tutorial de Maya e ZBrush: Como criar um chifre?

Os tutoriais que mostram a integração entre várias ferramentas sempre são muito úteis, pois é exatamente isso que acontece no mundo real, em estúdios e empresas que trabalham com produção de material. Os artistas precisam conhecer e trabalhar com vários softwares, fazendo a modelagem em um deles e depois passando o material para o próximo software que deve trabalhar a animação. Isso é perfeitamente comum! Esse tutorial que estou indicando hoje, mostra um pouco da integração entre o Maya e o ZBrush para modelar um objeto extremamente simples; um chifre!

Sim, pode até mesmo parecer uma tarefa simplória, mas o chifre que é abordado no tutorial é composto por uma superfície altamente detalhada e digna dos melhores trabalhos no ZBrush. Portanto, o material é interessante e serve muito bem para estudos de modelagem.

A parte do Maya no tutorial é criar o modelo base, com o uso das suas ferramentas de modelagem voltadas a subdivisão. O tutorial começa com a criação de um cilindro no Maya, para que o chifre seja modelado. Um aspecto interessante do tutorial é que ele faz uso de uma opção extremamente poderosa do Maya, chamada de Action History. O 3ds max também tem uma opção parecida com essa, que é o Stack de modificadores.

No caso desse tutorial, o autor cria um círculo e aplica um extrude para que o mesmo se transforme em um cilindro. Usando o Action History é possível aplicar modificações e edições ao cilindro, mesmo depois que o extrude esteja aplicado. Com isso é possível aplicar uma rotação ao círculo, para que o cilindro fique todo retorcido.

Depois, basta deformar o cilindro com algumas opções de deformação e controles de pontos comuns do Maya.

Com a parte do Maya terminada, o autor começa a trabalhar com o ZBrush. Aqui temos mais que uma simples introdução ao Zbrush, pois como o próprio autor comenta, ele mesmo tem pouca ou nenhuma experiência com o ZBrush, o que faz com que o tutorial seja bem detalhado e básico. Isso pode ser ruim para usuários experientes, mas os artistas que não tem nenhuma experiência com o ZBrush devem gostar do texto.

Para quem está interessado em aprender mais sobre esse tipo de integração, recomendo muito acompanhar o tutorial. Eu já tentei reproduzir a parte de modelagem no Maya PLE e as dicas funcionam muito bem.