NVIDIA Titan V

Ao procurar por qualquer equipamento especializado na produção de material gráfico, você vai perceber que uma grande ênfase será atribuída às capacidades da sua placa de vídeo. Nos dias de hoje com a grande maioria dos softwares oferecendo algum tipo de aceleração por GPU é muito difícil produzir qualquer material gráfico sem o uso de uma boa placa de vídeo.

Alguns dos leitores e alunos do EAD – Allan Brito sempre pedem recomendações sobre placas de vídeo. Entre as perguntas mais comuns nesse tipo de situação está o famoso: “qual a melhor placa nos dias de hoje?”

Caso você queira realmente investir em uma placa que pode ser considerada a mais poderosa atualmente, a NVIDIA lançou no começo de dezembro a Titan V. Quando analisamos os aspectos técnicos da placa, você percebe o motivo pelo qual ela é considerada a mais poderosa atualmente.

Esse monstro apresentada quase 6000 núcleos CUDA que oferecem 12GB de memória para processamento.

É o tipo de equipamento que pode aguentar diversos tipos de projetos de maneira tranquila, pois tem processamento de sobra para lidar com renderização e processamento de gráficos 3D. Mas, segundo a própria descrição da NVIDIA a Titan V não tem foco em gráficos, mas sim em processamento de dados.

Basta observar os benefícios listados no site da própria fabricante. Entre esses benefícios estão o acesso a um sistema de aprendizagem de máquina na nuvem da própria NVIDIA. Além dessa aplicação, a Titan V deve ser excelente para fazer mineração de criptomoedas.

Agora a parte desagradável da notícia! Quem quiser instalar uma dessas placas no seu computador vai precisar desembolsar nos EUA a bagatela de US$ 3.000,00. Isso é caro até para os padrões americanos.

Quanto vai custar no Brasil? Se levarmos em consideração a fórmula de conversão usada por importadoras, que é a de adicionar mais um zero no preço em dólar o valor deve ser algo como R$ 30.000,00.

Dependendo do local em que você faça a compra da placa, é possível adquirir entre 3 a 4 placas GeForce GTX 1080Ti com esse preço em dólar.

Renderizando com uso de GPU

Quer aprender a usar placas de vídeo para acelerar sua renderização? O Blender Cycles é uma excelente opção para esse tipo de tarefa, pois ele consegue aproveitar o processamento das placas de vídeo. Sendo totalmente gratuito!

No EAD – Allan Brito você encontra diversos cursos que podem ajudar você a usar o Blender Cycles:

Radeon ProRender: Alternativa gratuita para renderizar com placas AMD

Os proprietários de placas de vídeo da AMD sempre tiveram problemas para conseguir integrar seus equipamentos com o Blender Cycles, pois o suporte para a tecnologia OpenCL não estava totalmente implementado. Muito dessa falta de suporte foi atribuída à própria AMD. Com a chegada do aguardado Blender 2.79 isso deve mudar, pois os equipamentos da AMD agora funcionam tão bem quanto os da Nvidia no Cycles.

Se você está entre as pessoas que possuem uma placa de vídeo Radeon, e gostariam de incrementar ainda mais o seu leque de opções para renderizar com o Blender, a AMD lançou mais uma opção para gerar imagens no Blender.

O software se chama Radeon ProRender sendo totalmente gratuito para uso e download.

Segundo a página do renderizador é possível utilizar todas as stream units das suas placas de vídeo Radeon para gerar imagens. Esse é o equivalente aos CUDA cores nos equipamentos da Nvidia.

Como o mercado relacionado com renderização está bem consolidado no suporte para equipamentos da Nvidia, é muito interessante que a AMD ofereça essa alternativa para quem já possui placas Radeon ou pretende montar um computador novo no futuro.

Quer fazer uso desse software? Apenas lembre que é outro renderizador que precisa ser selecionado no painel de render do Blender. Você vai precisar fazer a conversão de materiais, recursos e configurações antes usadas no Cycles. Para quem estava usando a CPU nas renderizações, será uma melhora muito bem-vinda!

Além de oferecer suporte para uso do Radeon ProRender no Blender, é possível instalar o software no 3ds max e SolidWorks. Se você tem um computador com placas AMD que não está sendo usado para fins de renderização por falta de suporte, a opção de usar esse software será muito importante para tornar esse equipamento útil novamente, pelo menos para esse tipo de tarefa.

Renderizando projetos com o Blender

Quer aprender a renderizar projetos usando sua GPU no Blender? No EAD – Allan Brito você encontra diversos cursos relacionados com o Cycles e projetos que envolvem aceleração de render por GPU:

Tecnologia MAX-Q transforma notebooks para artistas digitais

Uma tecnologia que está sendo usada em diversos equipamentos baseados em placas da Nvidia pode mudar bastante a maneira como trabalhamos nos próximos anos. Essa tecbologia deve permitir que notebooks e equipamentos portáteis recebam placas de vídeo com performance semelhante ao que encontramos em desktops.

Se você é leitor(a) do site sabe que o uso de uma boa placa de vídeo pode fazer a diferença quando o assunto é renderização e processamento gráfico. Por esse motivo, sempre é mais recomendável adotar computadores com placas dedicadas. Os notebooks nunca tiveram placas com “poder de fogo” equivalente ao que encontramos nos desktops.

A Nvidia criou um padrão chamado MAX-Q que promete equipar notebooks com placas equivalentes ao que encontramos em desktops. Uma nova leva de equipamentos já está adotando a tecnologia, e saindo de fábrica com placas como a GeForce GTX 1080. Usando os mesmos parâmetros encontrados em placas para desktop.

Um exemplo disso é o ASUS ROG ZEPHYRUS, que é muito próximo a um ultrabook com uma GTX 1080 nas suas “entranhas”. Apesar da ASUS classificar ele como um equipamento voltado para jogos, é o tipo de computador que pode fazer a diferença para artistas digitais.

É a possibilidade de renderizar seus projetos em qualquer lugar! Sem depender de desktops. Ainda não temos informação de preço desse tipo de equipamento, mas considerando as leis de importação e impostos do Brasil não deve ser barato.

Você trocaria as vantagens de um desktop por mobilidade? Lembre que ao adotar um notebook você perde a possibilidade de fazer upgrades, melhor refrigeração e expansão. Mas, pode trabalhar em qualquer local.

A mudança que esse tipo de tecnologia deve proporcionar é o acesso facilitado aos equipamentos que podem criar um artista 3d digital móvel.

Aprenda a renderizar com sua GPU

Ainda não faz idéia de como trabalhar com a sua GPU para renderizar projetos? No EAD – Allan Brito você encontra diversos cursos e treinamentos que podem ajudar você a começar:

GeForce GTX 1060: Nova opção para render e VR

Você está procurando por uma nova placa de vídeo para seus projetos de VR? A Nvidia respondeu a AMD com a sua placa de vídeo mais barata para esses projetos. Aqui no blog já comentamos sobre o lançamento da Radeon RX 480 que oferece suporte para aplicações VR com o menor custo do mercado. Agora você também tem a GeForce GTX 1060.

Em minha opinião essa seria a opção com melhor custo benefício, principalmente se você planeja usar a placa para algo a mais do que simplesmete jogos e VR. Quer usar o equipamento para fazer renderização por GPU? Como a GeForce GTX 1060 é compatível com a tecnologia CUDA, você poderá aproveitar mais velocidade no Blender Cycles, V-Ray, Unity e Unreal.

GeForce GTX 1060

Algumas pessoas ainda ficam em dúvida sobre a escolha das placas de vídeo para projetos relacionados com computação gráfica e render. Por qual motivo as GeForce são melhores? Simples, a tecnologia adotada para acelerar o render em softwares gráficos na maioria das vezes é CUDA. Essa tecnologia é da Nvidia e está incorporada nessas placas.

Portanto, ao escolher equipamentos da família GeForce você automaticamente estará habilitado para aproveitar os múltiplos núcleos. Quais as especificações da placa? Para mais detalhes, visite a página oficial:

  • Memória: 6GB GDDR5
  • CUDA cores: 1280
  • GPU: Pascal (mais moderna)

E o melhor de tudo, a placa é “VR Ready” então ela já está preparada para aguentar a grande carga computacional de equipamentos como o HTC Vive ou Oculus Rift. Caso você não saiba, ao adquirir alguns desses equipamentos você precisa conecta-los ao um computador que tenha suporte ao processamento de VR. E a placa de vídeo assume papel importante nesse contexto.

Qual o preço dessa placa? A melhor parte é que ela custa apenas US$ 290,00 dólares nos EUA. Em um mundo justo, o preço dela no Brasil deveria ser próximo de R$ 1.000,00. Mas, como você já deve estar acostumado não deve chegar nem perto disso.

Pelo menos, é bom saber que temos uma opção mais em conta para aproveitar não só o render de projetos, e também VR.

Usando render por GPU e VR

Quer aproveitar para aprender o funcionamento de alguns renderizadores por GPU ou começar seus projetos com VR? No EAD – Allan Brito você encontra diversos cursos que podem ajudar você:

Renderização por GPU no Cycles com placas AMD

Uma das novidades mais aguardadas por alguns artistas e usuários do Blender 2.75 consistia no suporte ao uso de placas de vídeo AMD na renderização por GPU no Cycles. Isso fica evidente pela quantidade de pessoas decepcionadas ao adquirir um computador novo, e ao instalar o Blender e começar a tentar renderizar uma cena com placas da AMD recebiam uma mensagem de erro ou simplesmente telas pretas. Algumas dessas pessoas só descobriam muito tarde que precisavam trocar a placa de vídeo para conseguir renderizar seus projetos.

Assim que o Cycles foi lançado junto com o Blender 2.61 a quantidade de pessoas que pedia por suporte as placas da AMD era bem razoável, e isso acabou gerando muitas mensagens e comunicados da Fundação Blender em relação aos problemas com o suporte ao Open CL. Isso foi em 2011 e depois de todo esse tempo a própria AMD resolveu tomar as rédeas do desenvolvimento e colocou uma equipe de engenheiros de software para trabalhar no suporte do Cycles ao seu hardware. O resultado dessa empreitada pode ser conferido no blog de desenvolvimento da empresa, e o resultado por ter beneficiado até mesmo os artistas usando equipamento da Nvidia.

blender-amd-gpu

De acordo com o relato no blog da AMD a equipe de engenharia fez propostas de alteração na estrutura e funcionamento do Cycles na renderização por GPU.

Mas, por qual motivo você deveria se importar por renderizar cenas com a sua GPU? A razão é muito simples e está relacionada com a velocidade com que as imagens são renderizadas! Vamos fazer uma conta de padaria rápida! A sua CPU (processador) deve ter provavelmente algo entre 2 a 8 núcleos dependendo da marca e modelo. Algumas placas de vídeo podem ter mais de 1000 núcleos! Quando as tarefas de renderização são jogadas para esse tipo de equipamento, o tempo para finalizar o render acaba sendo bem pequeno!

Renderização por GPU no Cycles

Ainda não sabe aproveitar tudo que o Cycles tem a oferecer para renderização por GPU? No EAD – Allan Brito você encontra uma série de cursos que abordam uso do renderizador com GPU: