Treinamento gratuito em escultura digital com Mudbox

O aprendizado de softwares especializados em escultura digital não é fácil, pois além da parte técnica que envolve o conhecimento sobre o software que está sendo usdado para criar a escultura, é preciso um pouco de habilidade artística para conseguir bons resultados na modelagem. Mas, apesar desse tipo de dificuldade ainda é grande a procura por material de treinamento relacionado a escultura digital por artistas 3d, pois alguns tipos de modelos 3d são praticamente impossíveis de criar em curtos períodos de tempo, sem a ajuda de um software de escultura. O mercado hoje é polarizado entre o ZBrush e o Mudbox. A solução da Pixologic ainda é a preferida de muitos artistas 3d, mas a ferramenta da Autodesk ganha cada vez mais recursos e as facilidades na integração com os softwares da empresa como 3ds Max, Maya e Softimage são grandes atrativos.

Se você é usuário do ZBrush, ou está interessado em desenvolver habilidades com o Mudbox, a Autodesk tem um excelente conjunto de tutoriais desenvolvidos em conjunto com o pessoal da Digital Tutors para o Mudbox. E a melhor parte desses tutoriais é que tudo é gratuito!

A soma total dos tempos dos tutoriais chegam a quase 3 horas de vídeo, mostrando os aspectos básicos sobre o funcionamento do Mudbox.

O material está organizado como uma playlist do Youtube, e você pode ter mais controle sobre o que deve ser assistido, mesmo que os vídeos não tenham títulos que correspondam ao conteúdo. Mas, o que é apresentado nesse conjunto de vídeos?

Entre os assuntos abordados está o uso das opções de escultura e pintura tradicionais do Mudbox e também novos recursos como PTEX, novas opções de pintura em camada e muito mais. Ainda prefiro trabalhar com o ZBrush por estar mais acostumado, e me sentir a vontade com as opções do software, incluindo a excelente integração com outros softwares proporcionada pelo GoZ. Mas, sempre fico tentado a me aventurar pelo Mudbox depois de conhecer algumas das suas opções mais avançadas.

Para quem procurava e especializar em pintura digital usando o Mudbox, esse conjunto de vídeos é um excelente ponto de partida, pois apresenta o que é necessário para começar. Aproveite para fazer o download gratuito do Mudbox no canal de apoio aos estudantes da Autodesk.

Modelos humanóides gratuitos para escultura digital no ZBrush

O trabalho de modelagem 3d voltado para design de personagens virtuais passa por softwares especializados em escultura digital como o ZBrush ou Mudbox, devido a facilidade e flexibilidade que esses sistemas acabam oferecendo em termos de liberdade criativa. A prática da escultura digital pode ajudar muito um artista a conseguir criar formas orgânicas complexas e que seriam difíceis de conseguir usando apenas modelagem poligonal. Para quem nunca tentou trabalhar com esse tipo de modelagem 3d, o procedimento recomendado para criar esse tipo de modelo envolve geralmente a criação de um objeto poligonal simples que depois é esculpido. Por exemplo, um personagem tem a estrutura do seu corpo criada usando polígonos que é depois exportada para o ZBrush e trabalhada com as ferramentas e pincéis de escultura.

Um dos problemas para os artistas iniciantes nesse tipo de tecnologia é conseguir material como esses modelos padrão para trabalhar com exercícios de escultura. Por exemplo, um busto humanóide sem grandes detalhes para fazer experimentos no ZBrush ou qualquer outra ferramenta de escultura.

Se você é usuário do ZBrush e gostaria de fazer o download de alguns modelos 3d de referência para esse tipo de exercício de modelagem, um artista chamado lawndart publicou no fórum ZBrushCentral cinco modelos baseados em polígonos de personagens humanóides para experimentos e exercícios de modelagem baseada em escultura. Os arquivos foram criados no Cinema 4D e estão salvos no formato ztl do ZBrush.

modelo-escultura-zbrush.jpg

Um dos personagens é baseado em design de humanódes alienígenas e os outros são variações de seres humanos. Por exemplo, temos um rosto humanóide completo e outro sem as orelhas e nariz para que o artista possa começar projetos de design para personagens nessas características.

Com esse tipo de material o processo de design e modelagem usando ferramentas de escultura tipo o ZBrush fica extremamente simples em termos de preparação, pois é possível se focar apenas no funcionamento do software e não mais na criação de um modelo base para que seja então possível trabalhar na criação de personagens 3d. Mesmo assim, ainda é interessante ter um pouco de prática com escultura para conseguir bons resultados no ZBrush. Claro que saber o software é fundamental, mas a escultura digital é o tipo de modelagem que demanda um pouco de aptidão artística que pode ser deixada de lado na modelagem baseada em polígonos.

Design de personagens virtuais e modelagem

Quer desenvolver as suas habilidades em modelagem 3d e escultura? No EAD – Allan Brito você encontra diversos cursos online que ajudam nessa tarefa:

Sculptris: Software gratuito de escultura digital

A escultura digital é uma categoria da modelagem 3d que exige muito dos artistas 3d, principalmente no que se refere a habilidade e experiências prévias com sistemas de escultura tradicionais. Na modelagem poligonal ou baseada em curvas como o NURBS, podemos passar para uma abordagem mais técnica que gera excelentes resultados. Mas, quando o tema é escultura não tem solução, esse tipo de habilidade no manejo e decisão de quando e onde a superfície deve ser editada é fundamental. Para os que gostam de escultura e pretendem se especializar, existem diversas opções de softwares com opções avançadas como o ZBrush e MudBox, ou mesmo o Blender com seu poderoso módulo de escultura.

Se você quiser praticar a escultura digital, mas não tem interesse em dedicar tempo e dinheiro para adquirir uma licença do ZBrush ou MudBox ou aprender o funcionamento do Blender, acabou de ser lançada uma solução totalmente gratuita dedicada a escultura digital. O software chamado de Sculptris é um Freeware que pode ser copiado e usado sem custo algum.

Esse software foi desenvolvido por uma pessoa chamada Tomas Petterson tendo como objetivo apenas a chance de criar uma ferramenta de escultura no seu tempo livre, e sem nenhum tipo de iniciativa para competir com ferramentas mais desenvolvidas ou mesmo comercializar o software.

O vídeo abaixo mostra um pouco do do que o Sculptris pode fazer em termos de escultura digital:

Um ponto negativo para o Sculptris é que o software está disponível apenas para sistemas Windows de 32 bits.

Na demonstração podemos perceber a simplicidade da ferramenta, o que deve agradar muito as pessoas com pouca ou nenhuma experiência com a escultura digital, mas deve frustrar os usuários avançados acostumados com as facilidades de softwares especializados nesse tipo de tarefa. Encare o uso do Sculptris como uma opção rápida e de aprendizado para desenvolver as suas habilidades com ferramentas de escultura. Uma coisa que pode ajudar muito nesse tipo de atividade é o uso de uma mesa digitalizadora, que pode deixar o processo de escultura mais natural.

Mesmo sendo simples e disponível apenas para a plataforma Windows, o Sculptris é uma ótima opção para artistas com pouca experiência e que desejem trabalhar com mais esse tipo de modelagem.

Entrevista com Alessandro Lima sobre Computação Gráfica 3D

Já faz alguns dias que publiquei uma análise sobre o recém lançado livro ZBrush para Iniciantes escrito por Alessandro Lima. o livro é uma excelente referência sobre modelagem 3d e design para personagens, explicando em detalhes como funciona o processo de design usando esculturas. O autor do livro tem vasta experiência no design de personagens e projetos envolvendo jogos digitais. Para divulgar um pouco mais da sua experiência e contar sobre o livro e o mercado de jogos 3d no Brasil, o Alessandro gentilmente aceitou conceder uma entrevista, falando sobre sua carreira e mostrando um pouco do seu trabalho.

A entrevista ficou um pouco longa, mas é extremamente recomendada para estudantes e profissionais que desejam se profissionalizar nessa área tão concorrida. Para complementar ainda mais a entrevista, o autor relacionou uma bibliografia e dicas de web sites sobre computação gráfica nesse documento. No final você encontra os contatos do Alessandro Lima.

Espero que você goste da entrevista.

1. Allan Brito: Como você começou a sua carreira na área de Computação Gráfica?

Alessandro Lima: Eu comecei minha carreira em 2003 aproximadamente, um tempo depois de assisitir ao filme Final Fantasy – The Spirits Within, onde pensei comigo mesmo enquanto assistia a este: “ainda vou trabalhar com isto (Computação Gráfica), só não sei como, mas vou…”. Depois disto, uma sequência de eventos ocorreram, e de forma inesperada eu havia conseguido meu primeiro emprego na área: Maquetes Eletrônicas, pela Compumanager LTDA. Na ocasião eu havia feito vários cursos de CG, entre eles, um de 3ds max, a qual com meus conhecimentos (poucos na ocasião), juntamente com meu portfólio de desenho de mão, me deram condições de conseguir a vaga, até porque, na época, até de graça eu trabalharia se fosse para trabalhar com Desenho no computador. Fiquei 3 anos na Compumanager, sendo responsável por desenvolver os ambientes internos e eventualmente desenvolvia ambientes externos ou animações. Em 2005 tomei conhecimento de uma empresa de Jogos Digitais aqui de Porto Alegre, a Southlogic Studios, hoje, Ubisoft Unidade Porto Alegre e me interessei pela idéia de migrar para outra área, ainda dentro da Computação Gráfica. Como eu não tinha um portfólio específico, tive de trabalhar nisto e em 2006 eu estava na equipe deste Estúdio. Lá fiquei responsável por desenvolver Assets usados dentro dos jogos, bem como desenvolvia portfólio da empresa voltado ao tipo Next-Generation (Next-Gen). Foi uma época em que pude desenvolver conhecimentos sobre a área de jogos, o que, posteriormente, me favoreceu a participar de um Outsourcing, pela Southlogic para o Game Deer Hunter Tournament em 2008, publicado pela Atari. Nesta osasião, eu já estava na Aquiris Game Experience.

entrevista-alessandro-lima-comp-grafica-02.jpg

Super Volei Brasil 1, jogo de Vôlei da Seleção Brasileira de Vôlei, a qual o ZBrush foi usado na correção de emendas em texturas.

A Aquiris desenvolve jogos para a Web, do tipo Advergames, que são jogos usados em campanhas de divulgação ou apresentação de produtos para a Publicidade e Propaganda. Neste estúdio sou responsável pelo desenvolvimento e criação de personagens de praticamente todos os jogos, fazendo desde a concepção muitas vezes, até modelagem, Layout UV, Texturização, Rigging, Skinning e algumas eventuais Animações. Evidentemente, os projetos dentro deste estúdio costumam ser desenvolvidos de maneira rápida, então estou em constante aprendizado em novos projetos, o que, para meu currículo, é ótimo.

Esta tem sido minha trajetório, sempre com muito esforço e estudo. Em meio a tudo isto, estou terminando minha graduação este ano pela Uniritter de Porto Alegre, em Design Gráfico e ao mesmo tempo desenvolvendo material de ensino, como estes meus livros. Para o futuro eu gostaria que me fosse possível continuar evoluindo na área.

Continue lendo “Entrevista com Alessandro Lima sobre Computação Gráfica 3D”

Análise do livro ZBrush para Iniciantes

A carreira de um artista envolvido com computação gráfica 3d pode seguir vários rumos que abrangem a design de cenários, objetos, renderização e a difícil tarefa de criar personagens virtuais. Nos últimos anos um tipo de software especializado em apenas uma tarefa se tornou praticamente obrigatório no repertório de conhecimentos dos artistas 3d. Estou falando das ferramentas de escultura digital que tem importante papel no design de personagens complexos, e principalmente com grande quantidade de detalhes. Entre as principais opções do mercado temos o ZBrush que praticamente inaugurou esse segmento no final dos anos 90, com uma proposta revolucionária de desenvolvimento e modelagem 3D.

Se você pretende se especializar em modelagem e design de personagens, deve considerar estudar o ZBrush. Um dos desafios para começar a estudar o ZBrush é a relativa falta de cursos e material de estudo em língua portuguesa. Mas, isso está mudando com o lançamento do livro ZBrush para Iniciantes, escrito pelo Alessandro Lima. Caso você não conheça o artista, o Alessandro Lima é especializado em design de personagens e inclusive já escreveu outro livro sobre o tema, mas com a abordagem sendo direcionada para o 3ds Max, que se chama Desenvolvendo personagens em 3D. Já estou com o livro desde o início do mês e nesse último final de semana, finalmente terminei de ler ele por inteiro.

Esse tempo foi necessário para conseguir ler o livro por completo, pois o mesmo apresenta mais de 500 páginas.

zbrush-iniciantes.jpg

Como já havia trabalhado com o ZBrush em várias ocasiões, muitas das coisas que foram explicadas no livro já eram do meu conhecimento, mas ainda assim foi possível aprender muita coisa nova, principalmente nos exemplos que o artista apresenta na modelagem de personagens. O livro é direcionado para iniciantes tanto no ZBrush, como no design de personagens o que acaba direcionando boa parte dos esforços do autor para a explicação de como criar um personagem com técnicas de escultura.

zbrush-iniciantes-02.jpg

O livro como um todo está dividido em onze capítulos que são:

  1. Arte tradicional e digital
  2. Introdução ao ZBrush
  3. Interface do ZBrush
  4. Trabalho em 2.5D (pintura)
  5. Trabalho em 3D (escultura digital básica)
  6. Trabalho em 3D (escultura digital Avançada)
  7. Pintura e texturização
  8. Materiais, luzes e render
  9. ZBrush e sua integração com outros softwares
  10. Conclusão
  11. Galeria de artistas

Além da parte inicíal que é de extrema importância para qualquer iniciativa com o ZBrush, o final do livro é especialmente importante. Uma coisa que todos os artistas que usam ZBrush sabem é que o mesmo não trabalha sozinho. Para conseguir animar ou renderizar o seu personagem é necessário exportar o modelo 3d esculpido no ZBrush para outro software. O caminho contrário também é perfeitamente possível e comum de acontecer, em que o artista acaba importante uma malha básica produzida no 3ds Max, Maya ou Blender para começar a trabalhar com o ZBrush. A parte final do livro trata apenas desse tipo de comunicação entre a ferramenta de escultura e outros software, o que faz essa última parte extremamente importante para pessoas que trabalham em empresas ou estúdios de animação.

zbrush-iniciantes-03.jpg

Para ajudar no entendimento do material, o livro é acompanhado de um DVD com os arquivos usados no livro, e alguns vídeos.

O ZBrush está entre os softwares que requerem um equilíbrio entre conhecimento técnico e proficiência artística para que seja possível criar algo. A parte artística é mais difícil de desenvolver, mas com muito treino e perseverança é possível conseguir excelentes resultados. No que se refere a parte técnica, o livro ZBrush para Inicinates é um excelente ponto de partida para dominar o software.

Se você pretende trabalhar com animação de personagens, desenvolvimento de jogos ou qualquer coisa que envolva personagens virtuais realistas, recomendo ler esse livro.