Tutorial Blender: Usando os Data Blocks

A maioria dos softwares 3d é formada por diversos elementos e ferramentas que muitas vezes acabam passando despercebidas pelos artistas que usam esses softwares como meio de produção. É incrível como podemos ao longo da experiência com um determinado software continuar aprendendo, e principalmente sendo surpreendido com detalhes e pequenos truques que facilitam o nosso trabalho. Esse é o caso do Blender, que possui diversas opções e detalhes que para muitos artistas acabam sendo relegados ou esquecidos mesmo, pois não são algo comum de se encontrar. Por exemplo, você já parou para analisar como funcionam os chamados Data Blocks do Blender?

O funcionamento dos Data Blocks do Blender é algo muito interessante do ponto de vista dos usuários, pois é pouco abordado na maioria dos cursos e tutoriais básicos. Dentro do Blender os objetos tem a sua estrutura formada diretamente pelos Data Blocks, que não são necessariamente a mesma coisa que os objetos como um todo.

Confuso? Para ajudar no entendimento dos Data Blocks, gravei um pequeno tutorial em vídeo explicando o conceito.

Depois de assistir ao vídeo, avalie o mesmo no Youtube! Isso ajuda na divulgação. Ainda não é assinante do meu canal? Clique aqui para assinar.

Como você pode perceber, os Data Blocks ajudam muito na gestão de objetos de qualquer cena. É possível iniciar um projeto e com o tempo aproveitar novamente os Data Blocks criados anteriormente em outros objetos. É quase como um truque de mágica, em que um objeto em particular pode “trocar de roupa”. Um dos aspectos que torna evidente a diferença entre o Data Block e o objeto em si, é que os dois podem possuir nomes completamente diferentes.

Isso é muito útil, principalmente em animação, pois podemos criar animar usando objetos simples, e depois trocar esses objetos por outros mais complexos, quando tivermos certeza de que os movimentos já estão concluídos.

Outro recurso pouco usado no Blender é o Make Links, que também recebeu tutorial algumas semanas atrás, e caso você não tenha assistido, esse link leva diretamente até o tutorial. O que faz o Make Links? Com ele podemos realizar diversas tarefas de modo muito rápido como seleção e até mesmo animação.

Blender 3D – GameKit disponível para consulta em espanhol

Como você deve estar sabendo, o Blender 3d recebeu enormes melhorias na parte relacionada com o desenvolvimento de jogos, a sua Game Engine melhorou muito. Para coroar essa melhoria, a Fundação Blender está investindo na atualização de um dos únicos manuais sobre essa parte do Blender; o Blender GameKit. Assim que a atualização foi anunciada, o material antigo que foi produzido para o Blender 2.25 foi disponibilizado na internet para download gratuito. Um grupo de artistas 3d que falam espanhol, está traduzindo o material para espanhol e agora disponibilizaram os nove primeiros capítulos para consulta gratuita na internet.

O material em língua inglesa é muito bom, mas a barreira da língua ainda é um entrave para muitas pessoas. Esse material em espanhol ajuda aos usuários de língua portuguesa também, mesmo não sendo nossa língua nativa, o espanhol é mais fácil de entender, para os usuários que tem dificuldade no inglês.

Caso você queira conferir o material, visite esse link para acessar a tradução do Blender Gamekit.

Blender 3D - Gamekit

Se você nunca conferiu o conteúdo do Gamekit, compilei uma pequena lista com os capítulos do livro, para que você possa ter uma idéia do que encontrar no material. A lista dá uma ótima impressão sobre o que é posível aprender no material.

  • Apresentação
  • Orientações gerais sobre o Gamekit
  • Introdução a Game Engine
  • Conceitos básicos de Blender 3D
  • Modelando um cenário
  • Adicionando objetos de outras cenas
  • Criando seu próprio jogo
  • Interatividade
  • Controle de câmera na animação
  • Luzes em tempo real (ainda sem tradução)
  • Animação de objetos (ainda sem tradução)
  • Finalizando as cenas (ainda sem tradução)
  • Adicionando som no jogo (ainda sem tradução)
  • Encerramento (ainda sem tradução)

Como já mencionei antes, todos os tutoriais estão referenciando o Blender 2.25, mas mesmo estando desatualizado o material é uma ótima fonte de informação sobre o desenvolvimento de jogos com o Blender 3D.

Aos que não usam o Blender, saibam que a Game Engine dele é um dos seus diferenciais, permitindo que artistas 3d possam criar animações interativas e jogos, sem a necessidade de usar sequer uma linha de código. Tudo é feito direto na interface, com os blocos de lógica.

Quer conhecer como funciona? Basta fazer o download do Blender, para testar. Além dos benéficos em produtividade, o Blender ainda é gratuito! Portanto, não custa fazer um teste para avaliar.

O Gamekit original pode ser copiado aqui.

Tutorial de modelagem: cabeça estilo cartoon no Blender 3D

Muito provavelmente você já deve ter ouvido a seguinte afirmação; a melhor solução geralmente é a mais simples. Isso se aplica a praticamente todas as áreas do conhecimento, e com a computação gráfica 3d não é diferente. Quando apresento modelos 3d para meus alunos, geralmente eles acabam tentando resolver a modelagem com as mais variadas técnicas, desde NURBS até subdivisão, quando em algumas situações a modelagem som primitivas geométricas resolve muito bem a modelagem.

Que tal conferir um exemplo disso na prática? Encontrei um tutorial, que é simples e ao mesmo tempo um ótimo exemplo de como o uso inteligente de primitivas geométricas pode ser usado para construir modelos 3d de complexidade mediana e até mesmo difíceis.

O tutorial foi elaborado no Blender 3D, mas a técnica pode ser reproduzida em praticamente qualquer suíte 3d.


Modeling a Cartoon Face in Blender from darek on Vimeo.

Simples não é?

O tutorial é basicamente o treinamento e exercício de posicionamento e ajuste de primitivas geométricas, que o autor posiciona estrategicamente alinhadas com uma imagem de referência. No final ele ainda aplica um material no estilo toon do Blender, para finalizar o efeito cartoon.

Mesmo sendo extremamente simples o modelo, podemos tirar uma lição importante desse tutorial. O planejamento do modelo 3d pode evitar o trabalho excessivo em itens desnecessários na modelagem 3d.

Por exemplo, antes de começar a trabalhar em um modelo 3d, você se pergunta se esse modelo será usado para animação? Se for usado para animação, como será essa animação? Dependendo das respostas, a preocupação com o detalhamento do modelo será diferente.

Um modelo 3d que deva ser usado para animação, deve ter topologia pensada em prol das deformações que ele provavelmente irá sofrer na animação. Mesmo sendo difícil prever com exatidão os problemas na malha, no momento da animação, um bom planejamento pode acelerar os ajustes ao longo do processo.

Se o modelo não for usado para animação, a preocupação com a topologia deve ser apenas para atender as especificações visuais. Esse é um ponto chave na produção de modelos, que pode representar a conclusão de um trabalho no prazo.

Imagine a seguinte situação, um modelador ou artista começa um projeto de personagem, para ilustrar anúncios em jornal e se preocupa com a topologia e modela tudo com subdivisão, quando a modelagem poderia ser facilmente resolvida com primitivas geométricas. No final, ele acaba extrapolando o prazo, pois o cliente fez modificações no modelo 3d, que demandam a reestruturação da topologia do modelo. Se o modelo fosse baseado em primitivas a atualização seria mais rápida, e o prazo de entrega do trabalho não seria prejudicado.

Pode parecer exagero, mas é muito importante planejar até mesmo o modelo 3d!

Nova documentação e tutoriais sobre Blender 3D e YafaRay

Mesmo estando parado há muito tempo, a equipe responsável pelo desenvolvimento do YafaRay acaba de lançar uma atualização na documentação desse promissor renderizador. Para quem não conhece o histórico do YafRay, ele é o renderizador externo que melhor trabalha com o Blender 3D, mas desde 2006 ele não recebe nenhuma atualização significativa. Eu mesmo sou usuário antigo do YafRay e muitas das minhas cenas, ainda estão renderizadas e configuradas com ele. Mas, ele parou no tempo e precisava de uma reestruturação que está acontecendo, a nova geração do YafRay se chama YafaRay.

Ele está em desenvolvimento desde 2006, até hoje sequer entrou em Release Candidate, mas promete facilitar muito a vida dos usuários do Blender, principalmente as pessoas que precisam criar cenas foto realisticas.

Pois, a documentação e tutoriais do renderizador foram atualizados para o release 196, que não é o último, mas é bem mais atual que o da antiga documentação.

Essa nova documentação usa tanto o YafaRay com o Blender 3d para explicar o funcionamento da ferramenta. Veja alguns dos tópicos abordados na documentação:

  • Instruções sobre a instalação e dicas gerais: Nessa primeira parte a documentação explica como instalar e configurar o YafaRay para funcionar com o Blender 3D.
  • Configuração de objetos, luzes e câmeras: Aqui uma parte importantíssima do tutorial, como configurar objetos, luzes e câmeras para funcionar no YafaRay. Por exemplo, aqui você aprender sobre objetos que podem emitir energia luminosa e como configurar o Depth of Field de uma câmera.
  • Opções de materiais e texturas: Quem tem dificuldade em configurar materiais, deve gostar dessa parte, pois o texto já dá dicas sobre como configurar a aparência de vários tipos de superfícies.
  • Configurando o Render: No final da documentação uma breve explicação sobre os diferentes tipos de render e da configuração da iluminação. Essa é a parte que gera mais dúvida no novo YafRay, com os seus diferentes tipos de métodos (Path Tracing, Photon Mapping, Direct Lighting e Ambient Occlusion)
  • Glossário (incompleto)

Para melhorar ainda mais, o material pode ser copiado no formato PDF. Para fazer o download, visite esse endereço.

Apesar de não falar sobre a última versão do YafaRay (release 201), que apresenta novos recursos como volumetria, a documentação ajuda muito!

Tutoriais sobre Blender 3D, Maya, ZBrush e outros

Existem alguns recursos ou links com tutoriais que me fazem às vezes perder horas, apenas assistindo até os vídeos sobre assuntos que já conheço. Mas nunca é demais fazer uma revisão, é com eu sempre costumo dizer aos meus alunos, nunca se sabe quando é que você vai aprender algo novo, com um texto ou vídeo que aparentemente não é interessante. Ontem escrevendo um artigo para a BlenderNation, encontrei uma coleção de vídeos, com tutoriais sobre Blender 3D, Maya e ZBrush. Todos os vídeos são de autoria de um artista chamado Jason Welsh. Ele tem uma vasta experiência na criação de tutoriais e vídeos para as mais diversas ferramentas 3d e de composição.

Todos os seus vídeos estão organizados no Veoh, um canal de vídeos semelhante ao Vimeo e Youtube. Nele eu consegui encontrar a página com o perfil do Jason, que leva para todos os vídeos disponíveis. Visite esse endereço para acessar os tutoriais.

Veja a lista com alguns dos treinamentos que ele disponibiliza no Veoh:

  • Maya college
  • Animação com Maya
  • Introdução ao ZBrush
  • Introdução ao Photoshop CS3
  • Aprendendo o Blender 3D
  • Tutoriais diversos sobre Photoshop
  • Processos de modelagem 3d excêntricos
  • Texturas e iluminação com o Maya
  • Dreamwaever e ZBrush
  • Personalizando o jogo Unreal
  • Personalizando o jogo Doom 3
  • Texturas e renderização com o Mental Ray e Maya

Esses são apenas alguns dos títulos disponíveis para quem quiser aprender um pouco mais sobre modelagem 3d e animação, principalmente no que se refere ao Maya. Mesmo ele tendo um canal de vídeos sobre o Blender 3D, que por sinal é muito bom principalmente a parte sobre texturas UV.

Agora, dentre todos os vídeos disponíveis o maior volume de informação é para o Maya mesmo. Se você está interessando em aprender com o modelar (Maya College) e fazer animações, para depois iluminar e texturizar as cenas com o a ferramenta da Autodesk, recomendo que reserve um tempo para assistir a todos os tutoriais! Eu mesmo já assisti quase, todos os vídeos sobre Blender e animação.

Estou agora para começar os vídeos sobre personalização de Jogos, que são interessantes também. Mesmo que você não jogue os jogos citados, é interessante saber como o autor faz para personalizar os cenários e personagens.