Tutorial sobre a criação da cena Magnemite no Blender

O uso de tutoriais como base para estudar e conhecer softwares 3d é prática muito antiga e que conheço bem, pois foi assim que aprendi muito do que sei hoje em dia. Mas, ao longo dos últimos anos é complicado encontrar bons tutoriais escritos para acompanhar o desenvolvimento de técnicas e procedimentos em qualquer software, e o maior culpado dessa mudança se chama Youtube. É muito mais rápido e fácil gravar vídeos para mostrar os passos necessários dentro de qualquer linha de produção voltada para softwares 3d. Mas, ainda é possível encontrar pessoas que publicam tutoriais escritos sobre diversos processos e técnicas necessárias gerar imagens 3D.

Os usuários de Blender podem aproveitar mais um excelente tutorial em texto mostrando todo o processo necessário para gerar a imagem chamada Magnemite, produzida pelo pessoal do SaphireStudio. A imagem é relativamente simples, mas o making of acrescenta diversas informações importantes sobre como é possível gerar o mesmo efeito em projetos com o Blender.

Tutorial sobre a criação da cena Magnemite no Blender

O tutorial em si é dividido em quatro estágios em definidos que são:

  • Modelagem
  • Materiais e texturas
  • Iluminação
  • Renderização
  • Pós-produção

Ao percorrer os itens do tutorial você vai perceber como toda a imagem é composta e montada por elementos simples, como na parte da iluminação que mesmo gerando um efeito agradável é composta apenas por uma lamp do tipo area. A cena foi toda renderizada usando o Blender Cycles com auxílio de GPU, o que acelerou um pouco a geração da imagem como um todo.

A parte da configuração dos materiais e texturas é interessante também para quem não faz idéia de como trabalhar com texturas e materiais metálicos, semelhantes aos mostrados na imagem com pequenos detalhes e ranhuras, e como tudo foi renderizado no Cycles a parte de materiais é toda ajustada usando o Node Editor como era de se esperar.

O material é mais do que recomendado para os usuários do Blender que procuram mais informação e aperfeiçoamento com o software. A vantagem de consultar material escrito como esse, é que fica mais fácil pular no texto apenas para as partes desejadas. Por exemplo, se o seu objetivo conhecer a modelagem, basta abrir o texto e pular direto para esse tópico.

Visualização para arquitetura com Blender Cycles

Os artistas que trabalham com visualização para arquitetura possuem inúmeras opções no mercado em termos de softwares 3d e renderizadores, que podem muito bem serem aplicados nos seus projetos. Entre as opções usadas em visualização para arquitetura podemos destacar o SketchUp, 3dsmax e outros que suportam renderizadores como o V-Ray. Esses nomes são muito fortes dentro do mercado e conhecidos entre empresas especializadas na visualização para arquitetura. Mas, existe um nome que está ganhando muita força nesses últimos meses, principalmente devido ao surgimento de um renderizador avançado, que alavancou o Blender para o topo da lista de interesse do mercado de visualização para arquitetura.

Visualização para arquitetura

Visualização para arquitetura com Blender

O Blender Cycles trouxe para os artistas e usuários do Blender novas possibilidades de criar imagens realistas adotando técnicas avançadas como o Path Tracing, e principalmente o uso de GPUs para acelerar a renderização. Com isso é possível gerar imagens realistas com tempos de render muito curtos. Mas, melhor do que apenas falar sobre o potencial do Blender é mostrar o que ele pode fazer, e foi exatamente isso que o pessoal do eMirage Studio fez ao montar um vídeo de demonstração do Blender, sendo usado para renderizar e manipular um projeto de visualização para arquitetura de interiores.

O vídeo possui aproximadamente 17 minutos, e está com velocidade levemente acelerada:

É importante notar a velocidade e agilidade com que a cena é renderizada na 3D View do Blender, graças ao uso de GPUs no Cycles para acelerar o processo. O material é apenas mais um exemplo de como pode ser interessante trabalhar com esse tipo de visualização dentro do Blender, adotando o Cycles como render padrão. Você só precisa investir em placas de vídeo da NVidia da linha Geforce ou superior para garantir a velocidade do render.

Esse hoje em dia é o investimento chave para qualquer projeto envolvendo o Blender e o Cycles, pois as placas de vídeo podem reduzir significativamente o tempo de render.

Já falei que o Blender é gratuito?

Aprendendo Blender para arquitetura

E caso seja do seu interesse começar a trabalhar com o Blender para arquitetura, usando material já pronto, recomendo visitar o EAD – Allan Brito para conhecer os cursos sobre:

Blender 2.68 disponível para download

O final de semana foi movimentado para usuários e artistas que adotam o Blender como ferramenta 3d principal para modelagem, animação e efeitos. Uma nova versão do software foi lançada durante o final de semana trazendo novidades, em menor quantidade, mas ainda assim muito interessantes para todos os usuários do software. O Blender 2.68 tem como foco a estabilidade, segurança e correções de problemas. A seguir está uma pequena lista com os principais recursos listados no release log do Blender 2.68. A lista não contempla todos os novos recursos, mas ajudam você entender melhor o que esperar dessa atualização.

Blender 2.68

Blender 2.68

Essa é a lista:

  • Modelagem: Diversas novas opções de modelagem foram adicionadas ou melhoradas como é o caso do Bridge, snap to symmetry e o vertex connect.
  • Simulações baseadas em física: Melhorias no render de fogo e fumaça que agora geram menos “blocos” de partículas na renderização.
  • Render com Cycles: Novos nós foram adicionados ao Cycles que permitem mais flexibilidade no render. Os novos nós são Wireframe, Toon e Wavelenght. Fora isso foi adicionado suporte a novas GPUs da NVidia como a Tesla K20, GTX 780 e a GTX Titan.
  • Motion tracking: Agora o Blender tem ferramentas mais sofisticadas para fazer o refinamento da posição dos marcadores para tracking.
  • Segurança: Como medida de segurança para a crescente quantidade de scripts em Python disponíveis como Addons, o Blender não carrega mais de maneira automática scripts em Python e Drivers.
  • Addons: Agora os Addons Texture Atlas e Edit Linked Library estão sendo distribuídos junto com as versões estáveis (oficiais) do Blender.

Essas são apenas algumas das novidades disponíveis no Blender 2.68, sendo muito do trabalho realizado nesse estágio da família 2.6x do Blender está focada na remoção de bugs, segurança e estabilidade do software. Na lista de recursos do Blender 2.68 estão listados nada mais do que 280 correções realizadas para essa versão.

Mas, isso não é tudo quando falamos de Blender! Os projetos do Google Summer of Code estão em andamento e outros projetos paralelos ainda devem trazer novidades para futuras atualizações. Só para você ter uma idéia do que está por vir, talvez nas próximas versões já seja possível renderizar imagens em rede com o Cycles!

Modelagem de terrenos com SketchUp

A modelagem de terrenos em 3d é algo que deve ser lavado muito a sério, principalmente se o tema estiver relacionado com projetos de engenharia ou arquitetura. Os erros nesse tipo de modelagem podem refletir diretamente no entendimento do projeto, ou quem sabe até mesmo no projeto se o erro acabar partindo da parte relacionada ao estudo topográfico. Os artistas que procurarem trabalhar com modelagem de terrenos deve ter conhecimentos na área de topografia, ou pelo menos saber ler as curvas de nível em uma planta técnica. As pessoas que estudam em instituições com cursos com o engenharia, arquitetura ou topografia já devem ter se deparado com pessoas usando equipamentos estranhos apoiados em tripés dentro da faculdade. Aquilo é a aula prática de levantamento topográfico.

Modelagem de terrenos com SketchUp

Nos casos em que a topografia não é importante e sim a disposição de edificações já existentes, é interessante partir para o uso do SketchUp na construção do ambiente 3d, pois o mesmo oferece algumas vantagens. Como o SketchUp já pertenceu ao Google, a sua integração com os produtos do Google é muito boa, principalmente com o Google Earth e o Maps.

Modelagem de terrenos com SketchUp

O SketchUp consegue usar dados de ambas as plataformas para ajudar na modelagem de terrenos! Como isso funciona? Para quem nunca usou o SketchUp com o propósito da modelagem de terrenos, o vídeo a seguir é uma excelente introdução ao uso do SketchUp para esse propósito. No vídeo o autor explica (em inglês) todo o processo de criação da cena apresentada na imagem que ilustra esse artigo. O diferencial é que a cena está geolocalizada e as imagens usadas como texturas são reais, baseadas em fotos das edificações existentes, o que é muito bom para localização de modelos 3d para arquitetura.

O vídeo é bem longo, passando um pouco da uma hora de duração, mas para quem está procurando aprender a modelagem de terrenos com o SketchUp, o material é muito interessante e auxilia no entendimento de como usar os produtos do Google para melhorar a contextualização da sua modelagem.

Aprendendo mais sobre SketchUp

A modelagem 3d com o SketchUp é simples, mas algumas dicas e procedimentos de trabalho podem acelerar muito a sua produção. É por isso que recomendo aos interessados uma visita ao EAD – Allan Brito, para conferir os cursos sobre SketchUp, começando pelo SketchUp Básico que é gratuito. Os outros cursos de SketchUp disponíveis são:

Visualização para arquitetura: modelando tecidos no Blender

Uma boa visualização para arquitetura deve possuir diversos detalhes e características que passem a impressão de que o ambiente retratado virtualmente é o mais próximo possível do que seria o espaço físico. Em outras palavras isso significa que sempre devemos procurar simular o máximo de detalhes, sendo que alguns objetos ou superfícies são mais difíceis que as outras para simular em 3d. Entre essas superfícies mais complexas estão os tecidos que devido a sua natureza e interação com o ambiente, exigem um pouco mais de trabalho por parte do artista 3d.

As técnicas que envolvem a preparação dessas superfícies para uso em visualização para arquitetura são as mais diversas. Por exemplo, é possível usar os módulos de física dos softwares 3d e até mesmo ferramentas de escultura digital para moldar os tecidos.

Visualização para arquitetura: Modelando tecidos no Blender

Visualização para arquitetura – Modelando tecidos no Blender

No Blender a coisa não é muito diferente e sempre que precisamos trabalhar com visualização para arquitetura, principalmente em ambientes internos é necessário investir um pouco de tempo na configuração de algumas superfícies que possuem tecidos. Quer aprender como fazer isso? No vídeo a seguir um artista mostra em detalhes todo o processo necessário para criar e ajustar tecidos no Blender, visando a visualização para arquitetura e a interação do tecido com outras superfícies.

O Blender possui um módulo de física bem completo e entre as diversas opções existentes no software existe uma ferramenta específica para trabalhar com tecidos. Antigamente era necessário recorrer ao uso de soft bodies, mas a opção nativa para gerar simulações de tecidos resolve esse tipo de situação muito bem!

É possível ir além das opções nativas do Blender? Sim, para esse tipo de situação é interessante usar o Marvelous Designer, que é um software especializado em simulações de tecidos e que muitos artistas 3d usam para esse tipo de situação. O software não é gratuito, mas é especializado em simulações desse tipo de oferece níveis de controle que o Blender não disponibiliza. Mas, para a grande maioria das situações o Blender oferece mais do que o suficiente para que você crie boas simulações de tecidos realistas em visualização para arquitetura.