Aprenda a fazer VR na web para arquitetura

O uso de tecnologias relacionadas com a realidade virtual, conhecida pelo acrônimo VR, está crescendo nos mercados voltados para demonstração de produtos. Seu uso como plataforma de entretenimento esbarra nas dificuldades que os consumidores possuem em ficar mais de 30 minutos com um headset VR no rosto.

Mas, para apresentações curtas e demonstrações de produtos o VR tem se tornado uma ferramenta incrível! Uma das áreas que está aproveitando essa tecnologia é a arquitetura. Poder apresentar um projeto de maneira imersiva é um potencializador de vendas, e o mercado imobiliário já percebeu essa diferença.

A próxima tendência é permitir que os clientes confiram os projetos nos seus próprios dispositivos, sem a necessidade de visitar um stand.

Nesse ponto esbarramos na distribuição e também disponibilidade de headsets VR. Nem todos possuimos em casa um equipamento caro como o HTC VIVE ou Oculos Rift.

Já pensou se fosse possível compartilhar esse tipo de experiencia pela Web de maneira semelhante a um website? Isso é possível graças a uma tecnologia chamada WebVR.

Você consegue criar projetos VR usando a Web e pode distribuir para seus clientes em qualquer local do mundo! Eles podem conferir a experiência VR em praticamente qualquer dispositivo, inclusive celulares.

Para ajudar os artistas interessados em começar a fazer esse tipo de projeto, o EAD – Allan Brito está com um novo curso. No curso sobre VR para arquitetura usando WebVR você aprende a produzir esse material para arquitetura.

Quer um exemplo? Visite essa página. Use seu celular com os navegadores Chrome ou Firefox para ativar os recursos do WebVR. Basta clicar no pequeno ícone dos óculos para entrar no modo VR.

O suporte para a tecnologia é melhor no Android, pois nos dispositivos iOS ainda não é possível executar páginas web em tela cheia, o que limita a experiência. Para usar o Gear VR você deve abrir o link no próprio navegador da Samsung.

Visite a página do curso para conhecer mais sobre a tecnologia e conferir a primeira aula do curso.

Aprendendo modelagem 3D e VR

Quer expandir seus conhecimentos relacionados com a produção de material para VR usando softwares como Blender e Unity? No EAD – Allan Brito você encontra vários cursos que ajudam você a criar modelos 3d, animações e mais material relacionado com VR:

Nvidia oferece US$ 30.000 para criação de aplicações VR

A Nvidia está organizando uma conferência em Maio para falar especificamente sobre aplicações aproveitando GPU. Como forma de incentivar as pessoas e grupos que trabalham com VR, a empresa está com um painel sobre projetos não relacionados com jogos usando VR.

Esse painel oferece um prêmio de US$ 30.000 para um desses projetos, e potencial investimento da própria Nvidia no material para futuro investimento. É uma excelente oportunidade para pequenas empresas, grupos ou startups que estão apenas começando.

Além de ganhar um espaço na área do evento, que acontece no vale do Silício a equipe terá a oportunidade de expor o seu trabalho para empresas e profissionais de todo o mundo. Como forma de incentivar ainda mais o desenvolvimento de projetos, a empresa ainda coloca como benefício um potencial investimento no aplicativo VR.

O que é preciso fazer para participar? A primeira coisa é fazer a inscrição para submissão, até o dia 15 de março (2017).

Depois você precisa focar na criação do projeto. Alguns dos requisitos:

  • Usar placas da Nvidia com as tecnologias embarcadas;
  • Não ser relacionado com jogos
  • Aproveitar alguma das plataformas da Nvidia

Como não é possível usar dispositivos VR baseados em celulares, será necessário investir em equipamentos como o HTC Vive ou Oculus. É um investimento considerável, principalmente quando levamos em consideração que os dispositivos necessitam de um poderoso computador para serem usados.

Vale a pena participar? Claro que sim! Esse é o tipo de projeto perfeito para Startups e pequenas empresas. Se você está participando de um curso de graduação que possa aproveitar a estrutura da instituição, é o momento de correr para criar o projeto.

Pode parecer complicado no início do processo, mas talvez essa seja a oportunidade que você estava esperando para conseguir apresentar seu projeto para uma ausência disposta a “comprar” a idéia.

Aprendendo a usar VR

Quer aprender a desenvolver material para ambientes VR? No EAD – Allan Brito você encontra diversos materiais relacionados com o desenvolvimento de material VR. Seja com o uso do Unity para criar aplicações ou então animações VR com o Blender:

Exemplo de VR para arquitetura na web

O mercado de visualização para arquitetura está cada vez mais abraçando novas tecnologias e recursos para apresentar seus projetos, seja por meio de dispositivos móveis ou então sistemas em VR. Mas, apesar de ser uma demanda crescente do mercado, algumas pessoas ainda sentem falta de ter um exemplo para uso no seu aprendizado.

Quer visualizar um projeto criado em 360 graus para arquitetura que pode servir de exemplo? Nesse link, você pode conferir um ótimo exemplo online de visualização para arquitetura otimizado para navegadores web. O mesmo sistema pode ser adaptado para dispositivos como óculos VR.

Um dos segredos para conseguir produzir esse tipo de material está na organização do projeto com um todo. Você vai reparar que a câmera está em pontos fixos no cenário, então apesar de parecer um projeto único são três rendera diferentes. Cada um com pontos de vista específicos.

arquiteturavr_exemplo_500_px_85

Outro aspecto importante da navegação como um todo é que a “regra de ouro” da modelagem para arquitetura, que determina a criação apenas do que será enquadrado na câmera não vale nesse caso. Como a visão será de 360 graus será inevitavelmente necessário trabalhar na estrutura do modelo 3d como um todo.

O segundo aspecto que seve ser planejado é a navegação por meio do “teleporte”. Ao acionar os links nas imagens você percebe que a câmera “pula” para a posição especificada. Isso evita que sejam criados ambientes totalmente 3d no navegador, economizando recursos e mantendo a visualização compatível com múltiplos dispositivos.

É preciso escolher os pontos que devem servir de base para os links em cada ambiente. Depois é só montar a estrutura de navegação, seja ela usando qualquer software. O futuro da visualização para arquitetura é a aplicação dessas tecnologias, e os dias em que imagens renderizadas seriam suficientes para vender projetos estão contados.

Criando visualização para arquitetura

Quer trabalhar com projetos semelhantes a esse e arquitetura? No EAD – Allan Brito é possível encontrar diversos recursos que ajudam a criar e produzir esse tipo de material no Blender, Unity ou Unreal Engine. Os cursos recomendados para esses projetos são os seguintes:

GeForce GTX 1060: Nova opção para render e VR

Você está procurando por uma nova placa de vídeo para seus projetos de VR? A Nvidia respondeu a AMD com a sua placa de vídeo mais barata para esses projetos. Aqui no blog já comentamos sobre o lançamento da Radeon RX 480 que oferece suporte para aplicações VR com o menor custo do mercado. Agora você também tem a GeForce GTX 1060.

Em minha opinião essa seria a opção com melhor custo benefício, principalmente se você planeja usar a placa para algo a mais do que simplesmete jogos e VR. Quer usar o equipamento para fazer renderização por GPU? Como a GeForce GTX 1060 é compatível com a tecnologia CUDA, você poderá aproveitar mais velocidade no Blender Cycles, V-Ray, Unity e Unreal.

GeForce GTX 1060

Algumas pessoas ainda ficam em dúvida sobre a escolha das placas de vídeo para projetos relacionados com computação gráfica e render. Por qual motivo as GeForce são melhores? Simples, a tecnologia adotada para acelerar o render em softwares gráficos na maioria das vezes é CUDA. Essa tecnologia é da Nvidia e está incorporada nessas placas.

Portanto, ao escolher equipamentos da família GeForce você automaticamente estará habilitado para aproveitar os múltiplos núcleos. Quais as especificações da placa? Para mais detalhes, visite a página oficial:

  • Memória: 6GB GDDR5
  • CUDA cores: 1280
  • GPU: Pascal (mais moderna)

E o melhor de tudo, a placa é “VR Ready” então ela já está preparada para aguentar a grande carga computacional de equipamentos como o HTC Vive ou Oculus Rift. Caso você não saiba, ao adquirir alguns desses equipamentos você precisa conecta-los ao um computador que tenha suporte ao processamento de VR. E a placa de vídeo assume papel importante nesse contexto.

Qual o preço dessa placa? A melhor parte é que ela custa apenas US$ 290,00 dólares nos EUA. Em um mundo justo, o preço dela no Brasil deveria ser próximo de R$ 1.000,00. Mas, como você já deve estar acostumado não deve chegar nem perto disso.

Pelo menos, é bom saber que temos uma opção mais em conta para aproveitar não só o render de projetos, e também VR.

Usando render por GPU e VR

Quer aproveitar para aprender o funcionamento de alguns renderizadores por GPU ou começar seus projetos com VR? No EAD – Allan Brito você encontra diversos cursos que podem ajudar você:

VR para arquitetura: Demonstração de projeto

As maneiras existentes para vender projetos em arquitetura estão evoluindo bastante nesses últimos anos, e isso acaba interferindo diretamente no mercado. Assim como a tecnologia avança para oferecer produtos de entretenimento, os artistas digitais sempre encontram forma de aproveitar a tecnologia para potencializar seus projetos. É o caso do VR para arquitetura.

Quer um exemplo da aplicação de VR para arquitetura? No vídeo que ilustra esse artigo você pode conferir a apresentação de um projeto usando VR. Nesse caso o artista faz a demonstração virtual de um ambiente interno que pode ser visualizado de maneira extremamente realista.

No caso dessa demonstração de VR para arquitetura é usado o HTC Vive. Esse equipamento é uma das plataformas premium de VR disponíveis para consumidores. Entre as inúmeras vantagens em usar equipamentos como esses, está a qualidade das imagens geradas. É possível conferir os ambientes internos com boa resolução de imagens.

O usuário é capaz de andar pelos ambientes e ter a sensassão de estar realmente no projeto finalizado, e perceber a organização espacial de forma bem realista. É algo que transcende as simples imagens renderizadas de forma estática, e até mesmo as aplicações interativas. E dependendo da forma com que os projetos são realizados, é possível até mesmo fazer opções de mobiliário e materiais diferentes.

Como o usuário pode fazer essas trocas de materiais e móveis, o projeto ganha um nível próprio de interação. Pois é possível pegar o que já está pronto e fazer mudanças de acordo com o gosto do futuro morador ou habitante do espaço. É uma forma mais interativa de fazer arquitetura e até mesmo gerar novos negócios.

VR para arquitetura

Uma das fontes de renda de projetos para arquitetura de interiores são as comissões e vendas sobre móveis, objetos e acabamentos. Ao oferecer dentro das aplicações VR para arquitetura os produtos das empresas para as quais você já possui contatos comerciais, a comissão em vendas pode ficar facilitada.

Para os casos em que você pretende também fazer a venda dos móveis, as aplicações ainda podem oferecer informações como preço e acabamentos dos produtos. Apesar de usar uma plataforma relativamente cara, é possível conseguir excelentes resultados com dispositivos VR baseados em celulares também. A interação fica por conta de joysticks Bluetooth.

VR para arquitetura

Ficou interessado em desenvolver VR para arquitetura? No EAD – Allan Brito você encontra diversos cursos relacionados com a produção de VR para arquitetura e aplicações interativas: