Nova técnica para reduzir granulação no Blender Cycles

Os artistas digitais que usam o Blender Cycles ou qualquer renderizador baseado no algoritmo Path Tracing tem um “inimigo” em comum! A granulação das imagens no render. Para quem não está ciente desse problema, os renders baseados em refinamento progressivo precisam gradativamente “limpar” as imagens.

Esse processo é controlado pela quantidade de samples que o artista determina no render. Quanto maior for a quantidade, melhor será a qualidade da imagem gerada. Quanto mais samples, mas tempo de render é necessário para finalizar o processo.

Um valor bem razoável de samples seria algo como 1500 ou 2000.

Mas, uma técnica publicada em um artigo científico no mês passado promete renders sem nenhum tipo de granulação com apenas 1 sample. Isso mesmo, apenas 1 sample. A técnica se chama  Spatiotemporal Variance-Guided Filtering.

Quer ver um exemplo do seu funcionamento? Assista ao seguinte vídeo de demonstração:

No artigo os autores descrevem um método que permite renderizar imagens usando Path Tracing sem nenhuma granulação, aplicando apenas 1 sample em cada render. Isso em teoria iria permitir renders em tempo-real no próprio Cycles! Sem a necessidade de mudar os renderizadores.

Existe algum ponto negativo? Claro que sim! Observe com atenção o vídeo para perceber como os renders gerados com a técnica perdem muitos dos detalhes. Por exemplo, ao aplicar texturas que possuam mapas normais nos modelos 3d é bem provável que essas informações acabem se perdendo.

Para os projetos em que esse tipo de detalhe não é importante, o processo pode ajudar e muito na criação de animações.

Por enquanto, o processo é apenas um artigo científico mas o algoritmo para realizar o filtro já está descrito e documentado.

Como o Blender é de código aberto, basta um desenvolvedor aplicar o conceito no software para que você possa aproveitar o mesmo tipo de rapidez.

Para mais detalhes, consulte o artigo em PDF seguindo o link.

Usando o Blender Cycles para renderização

Quer aprender a usar o Blender Cycles para renderizar seus projetos? No EAD – Allan Brito você encontra diversos cursos e treinamentos relacionados com o uso do Blender Cycles. Seja para usar em arquitetura ou em animação:

Textura gratuita de concreto em 4K para arquitetura e jogos

Nos primórdios da computação gráfica e dos softwares que permitiam criar ambientes 3d, era preciso apenas ter uma simples imagem representando as cores visíveis de uma superfície para formar um material. Com um pouco mais de desenvolvimento era possível usar mapas de bump para simular relevo.

Os renderizadores modernos permitem o uso de uma gama bem maior de mapas de texturas no dias atuais. Para conseguir efetivamente representar texturas realistas, é preciso adicionar junto do mapa que representa a luz visível, imagens para reflexões e relevo.

Possuir apenas dois mapas para representar superfícies pode não ser mais suficiente. Você quer fazer o download de uma textura de concreto em 4K, que oferece múltiplos mapas de texturas?

Um artista digital chamado 3DPhilipp compartilhou no Gumroad texturas para superfícies de concreto. As imagens estão em 4K (4096 x 4096) e podem ajudar nos mais variados tipos de projetos.

Aqui está uma lista com os mapas disponíveis para essa textura:

  • Albedo
  • Normal
  • Metalness
  • Roughness
  • Ambient Occlusion
  • Height

São ao todo seis mapas diferentes que ajudam na composição de texturas para arquitetura, jogos ou design.

Como superfícies de concreto são comuns em projetos de arquitetura e também aparecem em ambientes urbanos, os artistas especializados em jogos digitais podem usar o material.

Você só vai precisar configurar os mapas de maneira correta no seu renderizador preferido. Como cada perfil de configuração para materiais muda de acordo com o render, é preciso fazer uma configuração única para cada caso.

O único ponto negativo da coleção é a ausência de uma licença de uso por parte do artista. Na verdade ele não deixa claro se o material é livre de direitos, ou se você pode usar as texturas de concreto em projetos comerciais. Portanto, recomendo usar o material com cautela em projetos com fins comerciais.

Aprenda a usar mapas de texturas

Quer aprender como é possível usar esses mapas de texturas nos mais variados softwares? No EAD – Allan Brito você encontra diversos cursos e treinamentos que ensinam a usar essas texturas no Blender, SketchUp, Unity e outros softwares. Seja para arquitetura, design ou jogos você vai encontrar um curso que pode ajudar você:

Blender e Corona Render: Cena gratuita

Uma pergunta que recebo com certa freqüência dos artistas digitais interessados em migrar para o Blender, é a quantidade de renderizadores externos que oferecem suporte ao software. Essa dúvida está relacionada ao fato dos artistas desejarem mudar sua base para modelagem 3d, mas manter o renderizador.

Para a surpresa de muitos a lista de renderizadores comerciais que oferecem suporte ao Blender envolve V-Ray, Corona, Octane, Indigo e diversos outros.

Entre essas ferramentas o destaque fica para o Corona Render, que ganhou uma grande legião de fãs nos últimos anos. A empresa que desenvolve o Corona Render foi comprada pelo ChaosGroup, que é responsável pelo V-Ray.

Quer um exemplo do que você pode fazer com o Corona Render no Blender? Observe a imagem a seguir.

Caso você esteja migrando de outros softwares para o Blender e gostaria de usar o Corona Render, os autores dessa cena compartilharam o projeto completo. Sim, todos os ajustes e configurações do Corona dentro do Blender.

Os autores da cena são os artistas digitais do estúdio AZR que é baseado em Amsterdã.

Assim você pode abrir o arquivo e estudar como eles chegaram nesse resultado. É o tipo de recurso perfeito para pessoas interessadas em aplicar os mesmos conceitos em outras plataformas.

Por exemplo, se você já tem o hábito de renderizar projetos usando o Corona Render no 3dsmax e gostaria de migrar para o Blender. A cena vai ajudar você a confirmar se todos os ajustes aplicados no software podem ser aproveitados no Blender.

Na maioria das vezes tudo funciona da mesma forma, apenas o local em que as opções de configuração estão mudam entre as ferramentas 3d.

Se você não tem experiência com renderização de interiores no Corona Render a cena se mostra ainda mais útil, pois ela mostra os ajustes necessários para criar esse tipo de cena no Blender.

Já mencionei que o download da cena é gratuito?

Aprenda a renderizar no Blender

Quer aprender a renderizar projetos no Blender? Mas, usando o Blender Cycles que já está disponível por padrão em todas as instalações do Blender? No EAD – Allan Brito você encontra diversos cursos relacionados com o uso e configuração do Cycles. Seja para arquitetura, design, animação ou jogos:

Modelagem com Add-ons no Blender

O uso de ferramentas adicionais para ajudar na modelagem de objetos para jogos ou arquitetura é algo comum, pois isso pode acelerar a criação de objetos 3d. Quando você possui uma grande quantidade de elementos como esquadrias ou objetos repetidivos faz sentido usar scripts.

Existem ferramentas próprias para criar os mais variados tipos de objetos como esquadrias, escadas e até personagens inteiros.

Você só precisa tomar cuidado com a geometria adicional que algumas dessas ferramentas acabam adicionando no modelo 3d. Como não temos controle sobre o resultado final, podem surgir algumas partes dos objetos que necessitem de uma “limpeza” posterior.

Mas, ainda assim é uma ajuda que a maioria dos artistas digitais não pode negar. Será que um projeto criado com Add-ons no Blender pode atingir bons níveis de realismo?

Conheça o trabalho de um artista Russo chamado Volden que compartilhou um projeto chamado Cottage nos fóruns BlenderArtists. Além de ter sido renderizado com o Blender Cycles, o artista fez uso de diversos Add-ons para conseguir finalizar o projeto.

Na parte inferior do último screenshot compartilhado pelo autor você encontra a lista com os Add-ons utilizados. Entre as ferramentas usadas pelo artista você encontra o Archimesh, JARCH e Plancher.

Com o uso dessas ferramemtas o artista pôde criar de maneira rápida os seguintes elementos para seu projeto:

  • Esquadrias
  • Deck de madeira
  • Telhado

Na imagem você consegue identificar todos os pequenos detalhes existentes em cada um desses elementos arquitetônicos. Seria possivel criar tudo isso sem o auxílio de Add-ons? Claro que sim! Mas, o tempo necessário para que tudo fosse criado seria muito maior. Os Add-ons permitem com que em apenas alguns cliques de mouse você tenha tudo isso pronto para renderização.

O resultado final do projeto renderizado com o Cycles não deixa dúvida que modelos 3d criados com Add-ons, podem ser bem competitivos no que diz respeito ao seu aproveitamento.

Aprendendo a usar Add-ons para modelagem no Blender

Quer aprender a usar Add-ons para fazer modelagem em arquitetura? Ou quem sabe desenvolver suas próprias ferramentas 3d? No EAD – Allan Brito você encontra diversos cursos e treinamentos que ajudam você a usar ou elaborar esse tipo de ferramenta:

Render distribuído com Blender Cycles

As recentes atualizações do Blender Cycles trouxeram diversas melhorias e novidades para os artistas 3D que adotam o software, mas algumas ferramentas e recursos ainda não chegaram nas versões “finais” do software. Um recurso pelo qual sempre perguntam no Cycles é a possibilidade de renderizar imagens usando vários computadores em rede.

Hoje isso é possível para projetos que estejam renderizando múltiplas imagens, em que cada imagem é distribuída para um computador único na rede. Mas, se o seu objetivo é renderizar uma única imagem o Cycles ainda não permite esse tipo de distribuição. Você vai encontrar o render distribuído na lista de desenvolvimento do Cycles (roadmap), mas nada oficial no momento.

Mas, devido à natureza aberta do Blender um desenvolvedor conseguiu encontrar no código fonte do Blender Cycles uma implementação preliminar do render distribuído, que está desabilitada por padrão. Esse mesmo desenvolvedor alterou o código do Blender para ativar a ferramenta, e você pode testar o recurso em um build personalizado chamado Blender Pigeon.

Aqui está uma tela mostrando o render distribuído na interface do Blender.

O Blender Pigeon não foi criado para o propósito de mostrar essa ferramenta em particular, mas servir de base para diversos tipos de testes experimentais no Blender. Seja para interface ou com ferramentas.

Mas, por qual motivo o Blender Cycles teria esse código desabilitado? É bem provável que a ferramenta no estado atual seja instável ou simplesmente apresente problemas de usabilidade. O fato de alguém ter encontrado o código pode apenas significar que alguém já começou a trabalhar no desenvolvimento da ferramenta.

Considerando que o Blender 2.79 está para receber uma versão estável e no começo do próximo ano a versão 2.80 deve aparecer com um código renovado, isso deve fica para as versões 2.8x.

Caso você ainda assim esteja cusioso(a) para testar o recurso recomendo alguns cuidados:

  • Nunca utilizar arquivos importantes sem antes fazer backup
  • Comece com uma cena simples, para avaliar o funcionamento da ferramenta
  • Esteja preparado(a) para instabilidades no render

Pelo menos já temos a certeza de que o trabalho no render distribuído já começou.

Aprenda a renderizar usando o Blender Cycles

Quer aprender a renderizar cenas usando o Blender Cycles? No EAD – Allan Brito você encontra diversos cursos e treinamentos relacionados com o uso da ferramenta nos mais diversos contextos. Seja para projetos de arquitetura ou animação: