Casa em São Paulo usando SketchUp e Blender

Uma quantidade considerável de projetos em arquitetura são desenvolvidos incialmente no SketchUp, devido não só a sua facilidade em criar objetos 3d mas pelas opções próprias para modelagem de elementos geométricos. Mas, apesar dessa facilidade o SketchUp não possui um bom renderizador realista que seja gratuito.

Para os artistas que trabalham com o SketchUp e precisam renderizar seus projetos, é preciso recorrer a opções externas que na maioria das vezes são caras e complexas de usar.

É nesse ponto que o Blender Cycles pode ser um grande aliado! Como é possível pegar projetos oriundos do SketchUp e importar para o Blender sem grandes problemas, você pode renderizar os projetos usando os recursos avançados do Cycles.

Quer ver um exemplo de projeto que foi criado no SketchUp e renderizado no Cycles?

Um artista digital chamado henriquebg88 compartilhou nos fóruns BlenderArtists um projeto em São Paulo, em que a modelagem foi totalmente realizada no SketchUp e renderizada com o Cycles.

Entre as vantagens dessa plataforma para desenvolver projetos de arquitetura está o custo. Com o SketchUp Make você pode fazer a modelagem de elementos arquitetônicos como paredes, telhados, esquadrias e muito mais. Assim que tudo estiver pronto, basta salvar o arquivo no próprio formato do SketchUp e importar para o Blender.

O projeto é a visualização externa de uma edificação que ficou excelente!

Até pouco tempo atrás seria preciso possuir a versão PRO do SketchUp para integrar os dois softwares, mas o desenvolvimento de um Add-on para o Blender que importa arquivos SKP diretamente mudou esse cenário.

Aprenda a usar o Cycles com SketchUp para arquitetura

Quer aprender a usar o Cycles com SketchUp para arquitetura? No EAD – Allan Brito você encontra um curso específico sobre o uso do Cycles para modelos oriundos do SketchUp. Você encontra todos os passos necessários para exportar os arquivos do SketchUp até o render final com o Cycles:

Aprenda a usar o Blender Cycles para render de interiores

O Blender Cycles é sem sombra de dúvida um dos melhores recursos adicionados ao Blender nos últimos anos, e que está revolucionando o acesso à tecnologia de renderização realista. Você não precisa adquirir assinaturas ou licenças de uso caras para ter acesso a um poderoso render. Está tudo disponível de maneira gratuita no próprio Blender.

Entre as áreas que se beneficiam com o Cycles é a arquitetura, em particular a visualização de interiores. Com o uso de uma GPU apara acelerar o render, você pode conseguir resultados impressionantes com o Cycles.

Você quer aprender como funciona o render de interiores com o Cycles? Agora no EAD – Allan Brito você conta com o curso de renderização para interiores com Blender Cycles.

No curso você aprende todos os passos necessários para criar imagens realistas de interiores, aproveitando todos os recursos do Cycles. Como o poderoso algoritmo de renderização path tracing e o incrível perfil de cor filmic.

Aqui está a lista com os tópicos abordados no curso:

  • Modelagem de ambientes internos
  • Uso de Add-ons para modelagem
  • Configuração do Cycles para arquitetura
  • Ajustes de iluminação para interiores
  • Simulação de ambientes com luz do dia
  • Uso de materiais e texturas no Cycles
  • Otimização do render para remoção de granulação

O curso começa com a modelagem completa de um ambiente interno, aproveitando as ferramentas de modelagem com precisão do Blender e passando para a criação de elementos como esquadrias. Depois que todos os elementos arquitetônicos estão criados, é apresentada a configuração de materiais e texturas.

Para finalmente renderizar o projeto usando aceleração por GPU e recursos do Cycles para reduzir a granulação das imagens. O algoritmo do Cycles funciona com base em refinamento progressivo, o que acaba gerando imagens com granulação.

Quanto mais tempo você deixa o render processando, menos granulação residual fica visível. Um recurso adicionado na versão 2.79 permite reduzir essa granulação em renders curtos, usando uma técnica chamada denoising.

Para completar, você ainda pode fazer o download de todos os arquivos usados no curso. Inclusive uma biblioteca de móveis e objetos com aproximadamente 400MB em tamanho.

Aprendendo mais do Blender Cycles

Caso você queira complementar ainda mais seus conhecimentos com o Cycles, é possível aprender ainda mais sobre o software usando os seguintes cursos do EAD – Allan Brito:

Blender 2.79 disponível para download

Uma das versões mais aguardadas do Blender nos últimos tempos acaba se chegar na sua versão estável! Você já pode fazer o download da versão 2.79, que é a última antes do aguardadíssimo 2.80 que só deve aparecer em versão estável em 2018. Para fazer o download da versão 2.79 é preciso visitar esse endereço.

Mas, o que existe de novidade nessa versão do software? A lista completa de atualizações para essa versão do software pode ser encontrada nesse endereço.

Para ajudar você a entender como essa atualização é importante, acabei selecionando alguns pontos que provavalmente se destacam entre os recursos para o Cycles:

  • Melhor suporte para OpenCL: Isso significa que os artistas 3d que utilizam placas da AMD com a linha Radeon agora podem acelerar o render no Cycles! Algumas pessoas ficavam frustradas em saber que o Cycles basicamente só funcionava com quipamentos da Nvidia, mas agora é possível usar placas Radeon também!
  • Novo perfil de cor filmic: Quem renderiza imagens no Cycles vai encontrar um novo e incrível perfil de cor chamado filmic, que aumenta o dynamic range do Cycles. O resultado é uma imagem com mais luz, usando os mesmos ajustes no Cycles.
  • Ferramenta Denoising: Com a ferramenta chamada Denoising no Cycles é possível aplicar um filtro nas imagens renderizadas, para reduzir a quantidade de granulação gerada por renders no Cycles. Isso significa que você pode usar menos samples em renders mais rápidos.

Gostou das novidades? Esses são apenas alguns dos novos recursos que você vai encontrar no Blender 2.79.

Agora precisamos apenas aguardar pela versão 2.80 que deve trazer ainda mais novidades relacionadas ao software, principalmente com o aguardadíssimo Eevee.

Só para reforçar uma informação relevante em relação ao Blender, que algumas pessoas ainda tem dúvida! O software é totalmente gratuito, sendo de código aberto. O material que você produz com o Blender pode ser comercializado sem nenhuma restrição. Você pode trabalhar com ele sem nenhum problema.

Por mais incrível que pareça, algumas pessoas ainda acham que você não pode vender arte digital criada com o Blender.

Aprenda a usar o Blender

Ficou interessado(a) em usar o Blender? No EAD – Allan Brito é possível encontrar diversos cursos e treinamentos relacionados com o Blender nos mais diversos assuntos e tópicos:

Cycles com suporte melhorado para OpenCL

Quando o assunto é a escolha de uma plataforma de hardware para acelerar a renderização com o Blender Cycles, sempre fui bem claro em relação ao uso de equipamentos da Nvidia. O suporte para tecnologia CUDA sempre foi melhor no Cycles deixando muitos proprietários de placas Radeon decepcionados.

Mas, isso não era culpa dos desenvolvedores do Blender. Muito dessa falta de suporte para OpenCL se devia exatamente pela pouca ajuda da própria AMD em prover as opções e ferramentas necessárias para melhorar o suporte.

Depois de muita espera e uma ajuda merecida de uma equipe de engenheiros da própria AMD, o Cycles está com um Kernel paralelo com suporte melhorado para OpenCL. Na próxima versão do software que deve ser lançada em breve teremos melhoras significativas na performance.

Em alguns casos, o uso de placas AMD como a Radeon RX 480 pode trazer performance melhor do que equipamentos da Nvidia! Isso quando fazemos comparação de placas na mesma faixa de preço.

Como geralmente as placas da AMD possuem excelente competitividade em comparação com as GeForces, isso pode significar uma melhor relação entre custo e benefício para cada equipamento.

Se você tem um computador em casa ou no escritório com placas AMD, pode preparar o mesmo para receber a versão 2.79 do Blender! Ele será capaz de renderizar cenas usando todos os núcleos da GPU e OpenCL.

É o momento de abandonar a Nvidia? Calma! Isso é apenas o começo de uma longa reaproximação entre a AMD e os usuários do Blender. Se tudo funcionar de acordo, você deve começar a considerar os equipamentos da empresa para futuras atualizações ou aquisições.

Quem já investiu na Nvidia deve permanecer com os equipamentos por algum tempo. Você também precisa considerar os outros softwares que funcionam em conjunto com o Blender. Todos eles se beneficiam com placas AMD?

É uma excelente notícia, sempre é bom ter mais opções.

Aprendendo a renderizar com o Cycles

Quer aprender a renderizar projetos com o Cycles? No EAD – Allan Brito existem diversos cursos que ajudam você a usar o Cycles para renderizar projetos com os mais variados temas:

Comparando Cycles e Corona Render em arquitetura

Quando você está trabalhando com renderizadores comerciais como V-Ray, Maxwell ou Corona render é preciso escolher uma plataforma para gerar os modelos 3d que posteriormente são transformados em imagens. Uma boa parcela dos artistas 3D acaba escolhendo plataformas igualmente comerciais como o 3dsmax, Cinema 4D e outras.

Mas, você sabia que o Blender é capaz de gerar a geometria 3D necessária para a maioria desses renderizadores comerciais? Já houve um tempo em que era difícil integrar o Blender com outros renderizadores externos, e você acabava tendo que escolher ferramentas como o YafaRay ou LuxRender para seus projetos.

São softwares excelentes, mas que boa parte dos artistas digitais não conhece. Então sempre acabavam me perguntando se era possível usar o Blender com renderizadores comerciais.

Hoje em dia o cenário é bem diferente! Você pode usar o Blender com V-Ray, Corona Render e outros. Depois que o Cycles surgiu, a demanda por renders externos no Blender foi reduzida de maneira significativa. Mas, ela ainda existe.

Quer ver um exemplo de projeto modelado no Blender e renderizado no Corona? E depois comparando o resultado com o Cycles? Um artista do estúdio alemão xoio-air resolveu fazer esse experimento.

O artigo é bem longo e cheio de detalhes fazendo um relato da experiência em usar o Blender como base para exportar 3D para o Corona. Além de comentários sobre a comparação de performance com o Cycles.

O resultado muito positivo em ambos os aspectos. Tanto na exportação do modelo 3D para o Corona usando o Add-on próprio para isso, e também a renderização da mesma cena com o Cycles.

Como ponto negativo em relação ao Cycles o artista citou o tempo de render, que sempre demandava períodos maiores para conseguir gerar imagens com menos granulação.

Isso mostra como o software evoluiu em termos de compatibilidade com ferramentas externas. Se você usa hoje algum desses renderizadores, o Blender surge como alternativa para gerar os modelos 3D e economizar na necessidade de manter uma assinatura com a Autodesk.

Aprendendo modelagem 3D com Blender

Ainda não sabe usar o Blender para produzir modelos 3D? No EAD – Allan Brito existem diversos cursos relacionados com modelagem que podem ajudar você: