Clicky

Palestra e análise sobre usabilidade da interface do Blender 3D

Na conferência Blender 2008, a palestra que foi apresentada logo depois da abertura foi a do William Reynish, sobre interface do Blender em comparação com outros softwares 3d e os principais conceitos de usabilidade de softwares. A interface do Blender é um assunto extremamente controverso, mais ou menos da mesma maneira que a interface do Gimp. Para algumas pessoas ela é perfeita, mas para outros é confusa e atrapalha o início dos trabalhos para usuários menos experientes.

A palestra começa fazendo uma análise sobre as vantagens e compara a interface do Blender com ferramentas comerciais como o Modo 302, Apple Motion e o Photoshop CS4. Sim, até o pessoal da Adobe se inspirou em alguns conceitos usados na interface do Blender para reformular a maneira com que o Photoshop trabalha. Não acredito que a inspiração da Adobe tenha sido o Blender, mas o conceito usado na interface foi o mesmo.

Ainda na primeira parte da palestra, um ponto importante é levantado sobre o Blender; ele foi criado para ser a ferramenta de animação da NaN, por isso os conceitos de usabilidade e facilidade de uso não se aplicam a ele. Seria mais ou menos, como se a Pixar disponibilizasse para o público o seu Marionette. A ferramenta é feita para servir aos propósitos da empresa e não aos usuários de maneira geral.

Depois disso aparecem as vantagens do Blender:

  • Interface modulada, livre de janelas
  • Alto nível de personalização

Esses conceitos foram “copiados” pelas ferramentas comerciais citadas no início do artigo.

Agora, a parte que deve interessar a maioria dos usuários é a sugestão feita para a interface do Blender 2.50. Sim, é apenas uma sugestão, mas já nos deixa animados em ver uma concepção artística do que pode vir a ser o Blender 2.50.

A proposta se baseia na correção de alguns dos problemas da interface atual do Blender, que é a falta de organização e posicionamento de alguns elementos na interface. Por exemplo, as propriedades e os controles para algumas ferramentas estão espalhados por vários menus e muitas vezes, isso pode atrapalhar usuários com menos experiência.

Uma das propostas é fazer desaparecer o painel de botões, sendo que ele será substituído por um painel de propriedades, semelhante ao que é exibido na imagem que ilustra esse artigo. Esse novo painel reuniria as principais propriedades dos objetos selecionados, para facilitar o processo de edição.

Caso você tenha interessem em estudar o design de interfaces de softwares 3d, recomendo o download essa palestras, principalmente para as pessoas que estão escrevendo trabalhos acadêmicos sobre usabilidade de software ou computação gráfica, a interface do Blender pode ser um ótimo tema para sua monografia ou artigo. Para fazer o download dos vídeos, visite esse endereço.

Esse artigo é parte da cobertura sobre a conferência, amanhã continuo falando sobre mais apresentações.

Sobre o Autor:

Arquiteto que trocou as construções baseadas em tijolos pelas que utilizam pixels! Sim, os pixels também precisam ser devidamente construídos, e quem melhor do que um arquiteto para planejar construções?

9 Comentários

  1. fortunato lima 28/10/2008 em 9:08 am

    o que me confundia muitas vezes no blender nao era a interface e sim a logica de organizaçao dela (algumas ferramentas que eu pensava que estaria em lugar estava em outro lugar), outra coisa que confundia era os icones muitos deles confundem em vez de ajudar (se tive opçao converter icones em texto ajudaria como no gimp) outra fator que confunde um usuario é os submenus ou menus-pop voce tem que ir fuçando para ver se tem mais coisa ou paramentros em botao.
    Sobre essa nova interface vou ver o video, mas acho que seria melhor manter a anterior e dar uma evoluçao gradativa ate chegar nessa para o pessoal nao ficar perdido

  2. Henrique 28/10/2008 em 1:56 pm

    vi todos os 6 videos ontem e esse é um dos melhores!
    vale a pena!
    só senti falta de uma coisa na palestra:
    me lembro de há uns anos ler sobre o uso de elementos radiais nos menus para agilizar as escolhas.
    O exemplo usado era no menu de escolha entre vertics, edges e faces, onde o menu que é apresentado em lista, seria substituido por um menu radial, onde conforme o angulo do gesto seria escolhida a opção. muito mais agil na escolha.
    Alguem se lembra disso?

  3. cristo 30/10/2008 em 9:07 am

    @Guilherme Henrique

    Então você não quer um blender, você quer um 3D Studio Max e neste caso é melhor continuar com o 3D Studio Max, pois no Blender existem muitas ferramentas que automatizam muita coisa é só saber procurar.

    Sem contar os plugins que todo dia alguém sempre faz uma coisa nova.

  4. fortunato lima 30/10/2008 em 5:43 pm

    So agora que eu vi os videos, essa ideias da interface foi dada por dois usuario no site do blender quando eles abriram espaço para discutir a interface, eles basearam na interface no cinema 4d, modo e houdini mas é bacana.
    Tinha outras ideias boas la; uma delas era de pegar “ideias” que deram certas no gimp e usar no blender, o povo tambem estava discutindo em organizar as areas que envolviam Materias e Render porque estava dando muita confusao aos usuario novos e quando era usado “render externos” .

    Que eu me lembre o pessoal do site tinha colocando a conversa online e gerado um pdf para download sobre esse feedback mas nao sei se ainda esta no site, mas é bacana das uma procurada e ver.

  5. Eisenhower Silva 30/10/2008 em 6:00 pm

    Nao sou usuário de Blender, ja tentei usar e essa total desconformidade com os padroes de interface é um problema complicado, eu uso o Wings e fiz minha monografia tratando do tema interface voltado para ele.

    Os softwares livres estao ficando cada vez mais poderosos e cheios de recursos, e os trabalhos de interface se tornam vitais, pois visam justamente a organização lógica destas ferramentas e suas opções, para que nao tenhamos softwares abarrotados de recursos e que vão contra os padrões mentais de organização da mente humana, como os softwares de antigamente.

    Espero ver mais trabalhos como este daqui pra frente!!

  6. Henrique 31/10/2008 em 2:10 pm

    Esse assunto de buscar conformidade com os padrões é meio delicado de se discutir.
    Eu por exemplo acho mais um problema de adaptibilidade do que de eficiencia da interface.
    Eu, como usuário, aprovo-a e acho muito mais inteligente do que alguns outros programas, como maya por exemplo.

  7. Ricardo Barbosa Ribeiro 03/11/2008 em 10:12 pm

    Eu uso o Blender a algum tempo e ja estou acostumado com a interface do programa, mas fiquei muito feliz com essa noticia, que pode trazer alguns usuarios para o blender.

    eu procurei em sites de busca mas n achei, talvez n tenha saido pra download, eh que eu queria saber se existe para download uma versão de teste da nova interface?

    abraço

  8. Allan Brito 04/11/2008 em 10:28 am

    Oi Ricardo,

    Ainda não existe versão para testar a nova interface. Precisamos esperar.

    Abraços

  9. Marcelo 16/02/2009 em 5:33 pm

    Sou usuário do Blender a pouco mais de 1 ano, estou longe de ser um expert no programa, mas me sinto a vontade para expor minha opinião sobre o tema proposto. Sempre ouvi dizer que o Blender era muito difícil e por isso era gratuito. Depois que assisti “Elephants Dream” do Estúdio Orange (www.elephantsdream.org) passei a me interessar mais sobre o Blender. Tempos mais tarde ainda me familiarizando com o programa, o que mais me chamou atenção foi a interface e usabilidade do programa, acho “indiscutível” essa questão até pq modelar, animar e etc, todos os programas 3D fazem, afinal foram criados para isso, mas a liberdade que o Blender oferece em poder personalizar as janelas sejam elas verticais, horizontais, quantas vc quiser… considero única. Para quem trabalha com character animation por exemplo o programa oferece ao usuário ferramentas desde o esboço do personagem (pesquisem sobre a nova ferramenta “Grease Pencil”) até a renderização de forma muito particular, isso sem mencionar que é gratuito, completo, leve…. e por aí vai. Creio que seja por esse conjunto de qualidades que faça tanta diferença. O que adianta o Maya ou 3D Studio serem mais intuitivos (a primeira vista) e vc não puder comprar o software para realizar seus projetos? Uma dica para o problema da interface ou onde fica essa ou aquela ferramenta no Blender é facilmente resolvido adquirindo o livro do nosso “Guru” Allan Brito “Blender 3D: Guia do Usuário” ou também minha recente aquisição que descobri aqui no site, dica do Allan “Modelando Personagens com o Blender 3D” do José Fernando Reinicke.

    Que venham as atualizações, renovar é preciso sim mas que fiquem longe os olhos desconfiados ao redor do Blender. Encarem o Blender de frente sem medo.
    Abraço a todos e espero ter contribuído para esse tema que tanto assustam os iniciantes nessa maravilhosa ferramenta 3D.

Deixar Um Comentário