AutoCAD 2010: Como criar blocos para uso em desenho técnico?

Assim como acontece com a maioria dos softwares 3d, o AutoCAD pode usar vários desenhos e elementos prontos para acelerar o processo de criação de uma prancha técnica. Essas entidades de desenho que usamos para acelerar o design dos projetos são chamadas de bloco, que identifica tanto os desenhos 2d como os 3d até mesmo em ferramentas como o 3ds Max e Blender 3D. Nos softwares 3d não é necessário nenhum tipo de preparação especial para criar esse tipo de bloco, basta salvar o arquivo apenas com o objeto desejado que ele automaticamente já possa ser incorparado em qualquer biblioteca de modelos 3d.

No AutoCAD e na maioria dos softwares de CAD o processo é bem diferente, e precisamos necessariamente converter um elemento desenhado no projeto, para que seja possível aproveitar o mesmo objeto em outros projetos. Para isso existe um comando especial associado a uma ferramenta chamado de Block. Se você, assim como eu, tem interesse em softwares de CAD para usar como possível base de projetos para modelagem, é interessante manter uma boa base de conhecimento, principalmente sobre os blocos.

Como a maioria dos projetos que recebemos para usar de referência na modelagem 3d é composta por grande quantidade de blocos, o conhecimento de como esse tipo de elemento funciona é fundamental. No tutorial abaixo é possível acompanhar a criação de um bloco no AutoCAD 2010, que é relativamente simples em termos de funcionamento, mas requer um pouco de atenção.

Repare no vídeo que o autor precisa preencher diversas opções para conseguir criar um bloco no AutoCAD 2010. Entre as opções que precisam ser preenchidas estão:

  • Nome: Esse é um nome único para o bloco que vai identificar o objeto
  • Ponto de inserção: Todos os blocos precisam ter um ponto de inserção definido, para ser usado junto com comandos de modificação ou mesmo quando
  • Escala: Como o AutoCAD trabalha com base em escalas, é interessante escolher uma escala que represente bem o objeto desenhado. Por exemplo, para elementos que fazem parte de projetos para arquitetura a escala usada geralmente é Meters.
  • Objetos: Aqui é necessário escolher os objetos que devem fazer parte do bloco.

Com esses passos concluídos é possível adicionar novas entidades do bloco no projeto.

Qual a vantagem em usar blocos?

Existem várias vantagens em usar blocos nos projetos desenvolvidos no AutoCAD. Por exemplo, existem comandos como o Divide e Measure que podem distribuir blocos sobre linhas usando espaçamentos definidos. Também é possível controlar as alterações realizadas nos blocos, que são reproduzidas em todas as suas cópias como se fossem instâncias em softwares 3d.

AutoCAD 2010: Exemplos de desenho técnico usando constraints

O desenho técnico é uma área renegara pela maioria dos artistas envolvidos com criação visual, muito pelo fato de ser um tipo de produto visual que tem grandes limitações e precisa seguir inúmeras regras e padrões, caso contrário o desenho não será muito útil. Mas, mesmo sendo de pouca popularidade entre os artistas 3d, ainda considero muito importante para qualquer pessoa, principalmente se o seu trabalho envolver modelagem 3d, conhecer algumas convenções e técnicas de desenho. Um exercício que sempre passo para meus alunos, quando o assunto é modelagem de cenários, é o desenho técnico de um pequeno ambiente e determino que o exercício é modelar o ambiente em 3D.

Isso não está longe da realidade, em que várias vezes já tive que socorrer colegas que trabalham com modelagem para interpretar partes de uma planta ou elevação. Nada melhor que estudar o software mais usado no Brasil para esse tipo de trabalho, que é o AutoCAD. Ele é mais usado devido à grande massa de usuários criada desde as primeiras versões do software, ainda rodando em ambiente DOS. Esses usuários acabam passando as suas experiências em cursos e faculdades e está formado um ciclo vicioso em torno do formato DWG.

Esse artigo aborda o uso de um dos recursos novos no AutoCAD 2010, que são os contraints de desenho que remontam pelo nome as ferramentas de animação existentes na maioria dos softwares 3d. Nos softwares 3d é possível encontrar contraints que controlam e limitam os movimentos dos objetos em 3d. No AutoCAD o seu objetivo é ajustar as entidades de desenho, como linhas, arcos e círculos.

O primeiro vídeo é uma excelente demonstração de como essas ferramentas ajudam na manipulação de linhas, com opções para deixar as mesmas paralelas, perpendiculares e muito mais.

O segundo vídeo aborda exatamente as mesmas ferramentas, mas com um pouco mais de brevidade nas explicações o que deixa ele bem mais curto. Serve como demonstração de como essas ferramentas podem ajudar na criação de um design mais organizado.

As ferramentas de constraint para desenho 2d estão localizadas na aba Parametric, e são uma ótima adição para os usuários já acostumados com desenho no AutoCAD. É o tipo de opção que deveria estar presente em todos os softwares de ilustração 2D.

AutoCAD 2010: Array em 3D para distribuir objetos

Existem algumas ferramentas específicas da modelagem 3d e da ilustração vetorial que são referencia na modificação de objetos. Com esse tipo de ferramenta é possível usar vários softwares diferentes e aplicar os mesmos conceitos com um mínimo de trabalho necessário, apenas para aprender a maneira de interagir com o software usado. Um ótimo exemplo disso é o comando Array, que está presente na maioria dos softwares 3d como o 3ds Max, Maya e Blender 3D. O Array é usado também como opção para ferramentas de ilustração 2d e desenho técnico como o AutoCAD. Caso você queira conferir o funcionamento dessa ferramenta no AutoCAD 2010, o tutorial abaixo vai descrever o processo de configuração e ajuste dessa ferramenta.

Assim como acontece em outros softwares 3d, o Array tem como objetivo distribuir modelos 3d no espaço 2d ou 3D. O seu funcionamento é baseado em matrizes, com linhas e colunas que podem posicionar de maneira repetida os objetos no espaço. A interação com os parâmetros do Array é exatamente idêntica ao que acontecia em versões anteriores do AutoCAD, com a facilidade de acompanhar as perguntas do comando logo ao lado do cursor do mouse.

Quando acionamos a ferramenta Array, no ícone indicado abaixo:

AutoCAD-2010-Array-3D-01.jpg

Devemos fazer uma série de escolhas para configurar as cópias:

  • Rectangular Array: Cópias distribuídas em forma de matriz
  • Polar Array: Cópias distribuídas usando um eixo de rotação

Caso a escolha seja por um Array do tipo Rectangular, será necessário ajustar os seguintes parâmetros:

  • Levels: Cópias distribuídas no eixo Z
  • Rows: Cópias distribuídas no eixo X
  • Columns: Cópias distribuídas no eixo Y

Com a ferramenta Array 3D é possível criar composições complexas de objetos para formar modelos 3d formados por múltiplos objetos. Veja na imagem abaixo, como é possível criar apenas usando opções básicas do Array, com poucos cliques de mouse uma composição em 3D.

AutoCAD-2010-Array-3D-05.jpg

Para o Array polar, podemos usar opções bem mais simples, que se resumem a selecionar o objeto que participa do Array, escolher a quantidade de cópias e determinar o eixo de referencia que será usado para realizar o Array. O resultado é algo parecido com a imagem mostrada abaixo:

AutoCAD-2010-Array-3D-06.jpg

A modelagem 3D no AutoCAD ainda é vista por alguns artistas 3d como a solução para evitar as ferramentas de precisão das suítes 3d, que já foram muito complicadas, mas hoje em dia já se apresentam como opções viáveis para trabalhar o processo de modelagem 3d completamente no software 3D.

Uma das coisas mais interessantes para as pessoas ainda sem a prática e costume de usar o AutoCAD, é aproveitar as opções de interação na própria Viewport. Esse é um recurso que vai gradar muito os usuários mais antigos e que estão migrando para o AutoCAD 2010 agora.

AutoCAD-2010-Array-3D-08.jpg

AutoCAD 2010: Fazendo arremate de linhas com o comando Fillet

Um dos comandos mais úteis em termos de projeto para arquitetura, no AutoCAD, para fazer o que é conhecido entre profissionais de desenho técnico como arremate de paredes, é o comando Fillet. O uso do Fillet já foi bem trabalhoso, pois era necessário acionar o comando a cada vez que o mesmo fosse executado. Imagine um projeto com dezenas de linhas precisando de arremate, o desenhista tinha que acionar o atalho F para acionar o comando e confirmar as opções de edição todas as vezes que fosse realizar o ajuste nas linhas.

Para quem não conhece o termo, a palavra arremate é sinônimo de acabamento ou limpeza de linhas. Quando temos duas linhas próximas umas das outras, que precisam de acabamento, como uma simples junção. Leia o resto desse tutorial para entender e visualizar o que é o chamado arremate.

Onde encontrar o comando Fillet? No AutoCAD 2010 é possível encontrar o Fillet na tab Home, como mostra a imagem abaixo.

autocad-2010-comando-fillet-01

Outra maneira de acionar o comando Fillet no AutoCAD 2010 é pelo seu atalho de teclado, que é a letra F. Depois de digitar a letra F na linha de comando, você poderá escolher as opções do comando Fillet da mesma maneira que no ícone. A maioria dos desenhistas ou pessoas mais experientes com o desenho técnico em softwares de CAD, preferem usar a linha de comando, por ser mais rápida de acionar. O fato de ser mais rápido de acionar faz com que o profissional seja mais produtivo e termine os projetos em CAD com menos tempo.

Assim que o Fillet é acionado, podemos começar a editar os seus parâmetros. Mas, o que faz o Fillet? As imagens abaixo são um ótimo exemplo de como o Fillet pode ajudar a conectar linhas representando paredes. Imagine que temos os desenhos de paredes em planta, que precisam de uma ligação entre elas:

autocad-2010-comando-fillet-02

Com o comando Fillet podemos fazer exatamente esse tipo de tarefa. Essa não é a única opção do comando Fillet, com ele também é possível fazer a mesma ligação usando arcos.

autocad-2010-comando-fillet-03

Para usar a ferramenta, basta clicar sobre as linhas que precisam ser editadas uma vez. Só isso? Se você clicar sobre as linhas uma vez, verá as linhas se conectarem sem nenhum arco. Isso é feito assim devido ao fato do raio do Fillet sempre começar com zero. Se o raio estiver como zero, não haverá arco na ligação das linhas. Para alterar esses parâmetros do Fillet, basta usar as opções mostradas na linha de comando pelo Fillet.

autocad-2010-comando-fillet-04

Repare que cada uma das opções está escrita usando uma letra em caixa alta. Isso por padrão no AutoCAD identifica as letras que podemos usar para alterar os parâmetros do comando. Por exemplo, para editar o valor do raio do Fillet, acionamos a tecla R que é a letra maiúscula do Radius. Depois de acionar a letra, pressione Enter e será possível determinar o valor numérico do Fillet. Isso serve para todas as outras opções.

Se você quiser fazer o arremate em múltiplas linhas sem a necessidade de acionar o comando Fillet repetidas vezes, escolha a opção Multiple com a letra M. Isso permitirá fazer o arremate de várias linhas, acionando o Fillet apenas uma vez.