Tutorial Maya: Animação com nParticles e polígonos

As animações usando partículas são sempre algo muito interessante de observar, seja pela complexidade que algumas dessas animações podem atingir, ou mesmo pelo simples fato de serem extremamente complexas de configurar em algumas situações. A complexidade nas animações com partículas aparece quando precisamos criar algo que exige o uso de muitos parâmetros desse tipo de objeto em softwares de animação 3d, e quem já teve a oportunidade de trabalhar com partículas sabe que não são poucos esses parâmetros e opções.

E quando o software possui mais de um sistema de partícula e física? Esse é o caso do Maya que possui basicamente partículas “normais” e outro sistema chamado de nParticles que faz parte do chamado módulo Nucleus Animation que é um pacote de animação avançada baseada em física que acompanha o Maya já faz um bom tempo. Dentro desse pacote encontramos opções para simular partículas, tecidos e outros. Um dos pontos positivos do nParticles no Maya é que podemos trabalhar com opções realmente avançadas de animação baseada em física.

Para ter uma idéia de como converter partículas em polígonos usando o sistema nParticles do Maya, e ainda aprender a criar uma animação muito interessante que usa como recipiente para um sistema simples de fluido a cabeça de um personagem, você pode assistir ao tutorial abaixo. Os usuários que já conhecem o Maya não devem ter dificuldades em seguir as opções apresentadas no tutorial, para reproduzir esse mesmo efeito.

Shaping NParticles in Maya from Pat Imrie on Vimeo.

A parte realmente interessante do tutorial é a possibilidade de converter o sistema de partículas com todo o seu movimento em polígonos, o que gera um efeito muito interessante no final. Em outros softwares é possível fazer algo parecido, mas seria necessário muito mais trabalho e até mesmo retoques na pós-produção para conseguir efeito semelhante.

Ainda me recordo do tempo em que ministrava aulas sobre o Maya, e da aplicação no nParticles e outros sistemas em projetos de animação. Apesar de ser muito bom e avançado, o sistema não está livre de bugs e outros pequenos problemas na criação de cenas complexas. Mas, é sem dúvida um sistema que gostaria de ter a disposição sempre que fosse necessário criar algum tipo de animação usando física avançada. E felizmente isso é a exceção!

Sparta: Software permite trabalhar com escultura de partículas

O trabalho com escultura digital sempre está entre os mais complexos para quem fica responsável pela parte de modelagem 3d, pois envolve boa parte de trabalho e conhecimentos técnicos, além de conhecimentos e habilidades artísticas na parte de escultura. E acredite em mim quando digo que é necessário um mínimo de habilidade para trabalhar com escultura, caso contrário é melhor se dedicar apenas a modelagem poligonal. Isso não é demérito para nenhum artista 3d, pois a parte de escultura é realmente algo de difícil domínio e que exige bom nível de subjetividade nas decisões que envolvem a modelagem.

O conceito de escultura é geralmente baseado na construção de um modelo 3d poligonal base, que depois é exportado para softwares como o ZBrush ou Mudbox. Nessas ferramentas são adicionados os detalhes com base em ferramentas de escultura, que são semelhantes ao que temos no mundo real ao trabalhar com argila.

Mas, já pensou em extrapolar o conceito da modelagem baseada em estruturas poligonais para a escultura de partículas? O conceito é inédito, e realmente desconheço qualquer tipo de software ou script que se proponha a trabalhar com escultura de partículas. Essa é a proposta de um novo software chamado de Sparta. A idéia é gerar um sistema de partículas e depois esculpir a forma gerada pelo volume das partículas é muito interessante, pois a volumetria das partículas é geralmente definida com base em inúmeros fatores como velocidade, quantidade de partículas, vida e outros. A possibilidade de esculpir as partículas é flexibiliza um pouco esse tipo de criação.

O vídeo abaixo mostra um pouco do funcionamento do sparta:

Para os que gostariam de testar o Sparta, o software pode ser copiado de maneira gratuita até o dia 31 de Outubro de 2012. Até essa data é possível usar e aplicar o Sparta em vários projetos envolvendo partículas no Maya, 3ds Max ou Softimage. No mesmo endereço em que é possível fazer o download do Sparta, você encontra diversos tutoriais e exemplos em vídeo sobre como usar o Sparta para modelar em 3d as suas partículas. O conceito é diferente e estranho a princípio, mas é só pensar nas inúmeras possibilidades que teremos para moldar a forma de sistemas de partículas para perceber o quanto esse software pode ser útil.

Tutorial Maya 2011: Animação com partículas e Goals

A animação usando partículas é sempre assunto para projetos que envolvem grandes quantidades de objetos em movimento, ou então para situações em que precisamos trabalhar com simulações físicas. A escolha do software para trabalhar com esse tipo de animação é de fundamental importância para o sucesso de qualquer iniciativa, pois nesse tipo de animação a quantidade de parâmetros e opções é que determina a facilidade com que o movimento é ajustado. Como estou preparando muito material para minhas aulas com o Maya, resolvi gravar um pequeno tutorial em vídeo mostrando como trabalhar com uma ferramenta extremamente interessante das partículas no Maya.

O vídeo abaixo mostra como trabalhar com uma opção chamada de Goal, que nada mais é que determinar que as partículas precisam perseguir um determinado objeto. Esse é o vídeo:

O primeiro passo para trabalhar com esse tipo de ferramenta é, evidentemente, adicionar um sistema de partículas na viewport do Maya. Isso é feito com a seleção do Shelf Dynamics e no menu Particles escolhemos a opção Create Emitter. Isso adiciona um emissor de partículas na viewport que podemos usar para interagir com outros objetos.

Um aspecto importante da gestão de partículas no Maya, é que as partículas e os emissores são objetos completamente diferentes. No vídeo isso é bem ressaltado, mostrando que para trabalhar com interações relacionadas com partículas é necessário selecionar as partículas e não o emissor. O truque para fazer isso é avançar um pouco a timeline para conseguir clicar sobre os pontos que representam as partículas. Nesse caso não foi feita nenhuma alteração no emissor, resultando em emissão do tipo omni. As partículas são emitidas para todos os lados.

Para criar um Goal é preciso adicionar um objeto qualquer a cena a depois selecionar primeiro as partículas, e depois o objeto. No mesmo menu Particles encontramos a opção Goal, que ao ser acionada com os objetos selecionados na ordem indicada, faz com que as partículas sigam o objeto 3d. A força com que as partículas perseguem esse objeto é controlada usando o Goal Weight.

Essa é uma opção extremamente interessante para adicionar dinamismo as animações com partículas, pois os alvos das partículas podem ser animados e criar movimentos caóticos na cena.