Projeto de arquitetura: Centro artístico projetado com SketchUp

O uso da ferramenta certa para executar projetos de design sempre é motivo de dúvidas para profissionais e empresas, pois uma escolha errada pode trabalhar todo o desenvolvimento e estratégia. Quando você escolhe uma opção como o SketchUp, pode até ficar em dúvida sobre as capacidades do software em resolver projetos complexos.

Esse não foi o caso do escritório LAW Architects, que escolheu o software para desenvolver todos os estádios de uma edificação multiuso. O novo edifício será o centro de artes do Viewbank College.

O primeiro passo foi trabalhar na localização e acessos do projeto usando o SketchUp, assim como ajustar a posição dos volumes em relação ao que existe de topografia.

Isso foi possível graças a reprodução da curvas de nível dentro do SketchUp nos estágios iniciais do design.

Com a posição e layouts definidos a equipe conseguiu gerar uma visualização tridimensional do projeto, que posteriormente deu origem aos desenhos técnicos necessários para trabalhar o resto do desenvolvimento.

O material é um excelente exemplo de como uma ferramenta que aparentemente não possui tanto poder de modelagem, pode se transformar em uma opção poderosa para desenvolver projetos.

Esse é o caso do SketchUp que se for aliado com uma boa opção de renderização, pode também gerar excelentes visualizações.

Quer aprender como funciona o SketchUp para arquitetura? Recomendo visitar o EAD – Allan Brito e conferir o nosso pacote SketchUp COMPLETO.

Fonte: SketchUp Australia

Análise do livro SketchUp Pro aplicado ao projeto arquitetônico

O SketchUp está se tornando a ferramenta padrão para desenvolver projetos de arquitetura, devido a diversos fatores. Entre esses fatores estão a facilidade de operação do software, que realmente é um grande diferencial, e o fato de existir uma versão gratuita muito robusta e completa. Só por isso, podemos aformar que a ferramenta é muit atrativa para a maioria dos usuários. Mesmo com toda essa facilidade, ainda existem operações e ferramentas que demandam um pouco de trabalho e estudo para que possamos criar elementos mais complexos.

Por isso, algumas vezes é interessante recorrer a livros. Já escrevi resenhas sobre livros de SketchUp aqui no Blog, E hoje o artigo tem como objetivo analisar mais um desses livros. A editora Novatec lançou um titulo chamado SketchUp Pro aplicado ao projeto arquitetônico. Nos últimos dias estive lendo o livro para fazer essa analise, e anotando os pontos principais da obra.

O livro é bom? Posso afirmar que é um excelente livro. Mas, ele apresenta uma particularidade em relação as outras obras já comentadas aqui no blog. O seu foco não é em usuários iniciantes. O próprio autor já deixa esse aspecto claro no inicio do livro, recomendando para os leitores iniciantes a consulta aos videos basicos de SketchUp que o próprio autor produziu e colocou no seu web site pessoal.

SketchUp

Um ponto positivo para o livro é que ele tem uma abordagem focada em projeto, tanto que o autor utiliza o mesmo projeto desde o início do livro até o final, permitindo acompanhar o processo de desenvolvimento do projeto arquitetônico como um todo até a sua apresentação ao cliente. Além disso, a apresentação tem como foco a explicação do projeto e não a produção de material que servirá de apoio as vendas, especialidade de outras ferramentas e renderizadores que não são abordados nessa obra. Portanto, a parte de apresentação do livro é destinada a demonstrar o projeto arquitetônico para avaliação final.

O livro tem aproximadamente 210 páginas distribuídas por oito capítulos que são diretamente relacionados com o projeto para arquitetura. Essa é a lista com os títulos dos capítulos:

  1. Introdução
  2. O que esperar desse livro
  3. Desenho auxíliado por computador ou projeto auxiliado por computador?
  4. Criação e concepção
  5. Modelagem de terrenos
  6. Modelando elemtentos estruturais e arquitetônicos
  7. Apresentação do projeto
  8. Google Layout

Pode parecer pouco, mas alguns desses capítulos tem mais de 50 páginas cada um principalmente quando chegamos no final do livro, em que os assuntos são mais complexos.

Avaliação final?

O livro é um excelente companheiro para quem quiser conferir todos os passos da aplicação do SketchUp em projetos para arquitetura, tanto para quem já conhece e quem não tem experiência com o SketchUp. Ele será de grande ajuda para estudantes de arquitetura e design para interiores, pois mostra na pratica o que fazer no SketchUp para representar partes importantes do projeto no software.

Download gratuito de extensão para cálculo de insolação no Revit 2010

O mundo dos softwares relacionados com projetos em CAD é dominado por uma sigla chamada BIM, que você deveria conhecer caso seu ramo de atividade seja o de desenho técnico. O BIM designa as técnicas de projeto em CAD que usam informações reais dos objetos, para deixar a fase de planejamento dos projetos ainda mais próxima de quando o objeto projetado estiver criado. Podemos fazer uma analogia entre o método de modelagem BIM e a chamada modelagem paramétrica em que os elementos criados nos softwares 3d possuem propriedades e características próprias dos elementos criados. Por exemplo, uma parede criada usando esse método apresenta características como espessura, revestimento, altura e outros próprios da parede e que não estão mais relacionadas a um sólido geométrico.

Um dos softwares que aproveita esse tipo de tecnologia está recebendo um interessante plugin que pode ser copiado de maneira gratuita no web site da Autodesk. O Revit na sua versão própria para arquitetura ganhou uma ferramenta chamada Solar Radiation preview, que permite visualizar na mesma interface do projeto os efeitos da projeção da luz solar e como isso afeta a eficiência energética do projeto. Isso é extremamente importante para que os arquitetos e engenheiros possam trabalhar em estudos e projetos sustentáveis.

Como funciona esse plugin/extensão? Antes de começar a usar a ferramenta, é necessário visitar esse link para fazer o download gratuito do plugin para o Revit Architecture 2010. Depois que você instalar a ferramenta, uma pequena aba chamada Add-on vai aparecer na interface do plugin, como mostra o vídeo abaixo. O vídeo é uma demonstração produzida pela própria Autodesk para mostrar o funcionamento a ferramenta.

No tutorial é possível acompanhar a configuração da ferramenta para visualizar a insolação de um projeto que envolve diversas edificações, o que é muito interessante para acompanhar a projeção das sombras dos edifícios entre si, o que pode influenciar bastante o consumo energético do conjunto como um todo.

Entre as opções disponíveis no plugin temos:

  • Possibilidade de fazer a localização geográfica do projeto
  • A projeção da sombra pode ser feita para um momento do dia, um intervalo de vários dias ou meses
  • Cálculo da eficiência energética em diversas unidades
  • Projeção dos resultados direto na interface do Revit ou de maneira própria para impressão

Além do vídeo de demonstração, ainda é possível fazer o download de um arquivo PDF com um guia de aproximadamente 7 páginas que ensina de maneira detalhada o funcionamento do plugin. Se você usa o Revit para seus projetos, essa é uma ferramenta obrigatória!

Realidade aumentada e visualização de projetos arquitetônicos

O uso de realidade aumentada está cada vez mais presente em todos os projetos que envolvem algum tipo de visualização, que podem variar desde visualização de produtos em campanhas publicitárias até projetos arquitetônicos. Mas, o que é essa realidade aumentada? Esse é um termo que designa experiências em que elementos reais são mesclados com objetos virtuais para gerar novas interfaces e visualizações dos objetos. Uma das áreas que pode se beneficiar bastante da realidade aumentada é a visualização arquitetônica, como mostra o exemplo em vídeo que estou mostrando aqui nesse artigo.

Nesse caso, o projeto foi o trabalho de graduação de um estudante de arquitetura da Faculdade de arquitetura de Valle Giulia na Itália. O trabalho envolveu o uso de tecnologias para composição de vídeo digital e animação 3d, para mostrar como seria a experiência de um estudante de arquitetura que estivesse imerso em ambientes de realidade aumentada para o aprendizado da arquitetura.

Esse é o vídeo:

Realtà Aumentata – Augmented Reality from soryn on Vimeo.

O trabalho envolveu os seguintes softwares, como é possível conferir nos créditos do vídeo:

  • 3ds Max
  • After Effects
  • PFTrack
  • Photoshop
  • Adobe Moca para After Effects
  • PFTrack
  • Adobe Flash
  • Sony Vegas

O autor do trabalho se chama Sorin Voicu e ele não é o personagem que aparece no vídeo, que no caso é um ator que participou apenas da produção.

Quer conferir algumas imagens que mostram o projeto sendo produzido? O autor disponibilizou um ótimo vídeo que demonstra o processo de composição e pós-produção do vídeo com as fases de correção de cor e o alinhamento dos planos para a animação.

Augmented Reality – VFX Breakdown from soryn on Vimeo.

Isso mostra como os recursos de composição e edição de vídeo digital está mais próximo de pessoas com a necessidade de produzir material multimídia de alta qualidade, como é o exemplo desse vídeo que demonstra muito bem a realidade aumentada na arquitetura.

Boa parte do projeto foi realizado no software de composição, para mesclar a animação 3d com o vídeo. Nesse ponto uma boa solução de tracking para a câmera é fundamental para alinhar e ajustar os materiais produzidos em ambas às ferramentas. O PFTrack é um software famoso para esse propósito, mas poderíamos muito bem usar o Voodoo câmera tracking para o projeto também.

Ainda lembro-me do meu projeto de graduação, que naquela época há quase dez anos atrás ainda foi apresentado unicamente em painéis impressos e sem a possibilidade de projetor. Hoje em dia o projeto seria bem diferente em termos de apresentação!

Renderização interna com Blender 3D e YafaRay: Cena para download

A escolha de um renderizador externo para o Blender 3D está sempre dividida entre o YafaRay e o Indigo Renderer, basta fazer uma visita rápida a galeria de imagens no web site do Blender, que a maioria das imagens usando renderizadores externos usa um desses dois softwares. No caso do YafaRay, a quantidade de usuários ainda é pequena, devido a um pouco de resistência dos usuários mais antigos ao novo modelo de funcionamento do YafaRay. Se você ainda não está sabendo, o suporte ao antigo YafRay 0.0.9 será encerrado no Blender 2.50, e a versão 2.49 será o último Blender que apresentará a opção de renderizar com o YafRay integrado no painel de renderização.

Uma das melhores maneiras de aprender o processo de configuração de cenas internas com o Blender 3D e YafaRay é com a análise de um exemplo, e para isso um artista publicou uma excelente imagem nos fóruns de usuários do Blender, o Blenderartists.org.

O artista se chama xelptic e a imagem é essa:

room15_by_xelptic

A imagem foi modelada no Blender 2.48 e renderizada no YafaRay. Devo confessar que essa mensagem estava aqui na fila para publicação, pois você vai perceber que a mensagem foi publicada no fórum em meados de fevereiro.

Deixando a parte do atraso de lado, podemos partir para a análise da cena! Sim, para ajudar ainda mais nos estudos do YafaRay, a cena completa no formato do Blender 3D está disponível para download, com todas as configurações e ajustes da cena e também do YafaRay.

Essa é uma seqüência de imagens da cena, inclusive com a parte de configurações e ajustes do YafaRay.

blender3d-yafaray02

blender3d-yafaray03

Como você deve perceber pela imagem original, que está em excelente resolução, a cena ainda apresenta alguns pequenos problemas de aliasing. Existem também alguns artefatos nas sombras dos objetos. Depois de conferir o tempo de render da cena, que foi de 5 horas em um computador quad-core, ainda não me animei para fazer o teste e tentar reproduzir e encontrar o melhor ajuste para a cena.

Mas, sem sombra de dúvida é um excelente exemplo de iluminação com iluminação global. A imagem pode inclusive ser usada como forma de apresentar uma das características de renders usando iluminação global, que é o fenômeno conhecido como Color Bleeding. Você pode perceber que devido à cor dos materiais e paredes, a imagem apresenta grande quantidade de tons de cor vermelha. Se isso não estivesse acontecendo, a mesma imagem teria caráter mais artificial.