OpenCue agora é de código aberto

Quando você possui uma grande quantidade de quadros para renderizar é necessário fazer a gestão desses processos, para conseguir terminar os projetos no prazo. Nesse momento entram em cena os chamados gerenciadores de renderização.

Você já ouviu falar do OpenCue? Esse é um gerenciador de renderização usado na Sony Imageworks já faz 15 anos. É uma ferramenta desenvolvida internamente para fazer a gestão dos projetos relacionados com Render.

Agora todos podem começar a usar a mesma tecnologia em projetos pessoais ou comerciais, pois a Sony liberou o OpenCue como um projeto de código aberto.

Já é possível fazer o download dos executáveis e começar a fazer render distribuído usando essa mesma tecnologia. O recurso é mais útil para projetos relacionados com animação, pois ele faz o Render distribuído de quadros para múltiplas máquinas.

É possível estipular prioridades no Render e até mesmo fazer atribuição de acordo com o hardware dos computadores. Como o projeto foi lançado faz pouco tempo, ainda falta uma documentação mais extensa ou tutoriais.

Um dos aspectos positivos desse tipo de projeto é a possibilidade de ver o material implementado no Blender. Caso você não lembre, um dos shaders mais usados no Blender atualmente foi originário de projeto semelhante da Disney.

O Principled BSDF que funciona no Cycles e Eevee foi concebido como um projeto de código aberto pela casa do Mickey e depois incorporado ao Blender.

Quer aprender animação e render? No EAD – Allan Brito você encontra diversos cursos gratuitos que podem ajudar entender animação e render.

Simulação de oceanos com Eevee

A simulação de oceanos ou grandes superfícies de água é sempre um desafio para qualquer tipo de renderizador, seja ele proprietário ou de código aberto. O Blender já possui uma poderosa engine capaz de simular os mais diferentes e complexos efeitos relacionados com líquidos.

Com o surgimento do Eevee as possibilidades e velocidade com que você pode criar simulações baseadas em fluidos aumenta de maneira significativa. Quer um exemplo? Veja essa animação publicada pelo REYES Digital Studio, em que eles mostram como fica a simulação de fluidos renderizada com o Eevee.

O material foi compartilhado no Twitter do estúdio e funciona mais como uma prova de conceito do que o Eevee pode fazer em termos de animação com física.

Só para lembrar que é provável que o render seja em tempo real, mas as animações e movimento do fluido no Blender precisa ser processado com antecedência.

Quem já precisou criar esse tipo de animação sabe que o Bake da física pode demorar tanto quando o render. Mas, pelo menos agora o render pode ser realizado de maneira instantânea.

Quer aprender a usar o Blender? No EAD – Allan Brito você encontra diversos cursos gratuitos sobre o Blender, que podem ajudar você a começar com o software.

Interiores no Cycles com apenas 250 samples?

A renderização de interiores no Cycles é uma das opções que mais atraem artistas digitais para o Blender, principalmente quando você acaba migrando de ferramentas proprietárias. Que muitas vezes não entregam tudo que o Blender Cycles oferece.

Quem já usa software para renderizar interiores no Cycles, precisa conhecer um projeto de um arquiteto Italiano que conseguiu criar interiores sem granulação com apenas 250 samples. Sim, apenas 250 samples para cada imagem.

Interiores no Cycles

O conjunto completo de renders está disponível nesse link que leva até os fóruns BlenderArtists. Qual o segredo? Nesse caso é o uso de um plano de fundo branco com luzes do tipo área. Só isso!

Um dos segredos para conseguir renderizações de interiores no Cycles, apenas com 250 samples é a ausência de uma mapa HDR como plano de fundo. Isso acaba ao mesmo tempo gerando uma iluminação relativamente difusa e também remove o risco da criação de granulação excessiva no render.

Desde o Blender 2.79 o Cycles dispõe de uma opção chamada Denoiser, que permite reduzir a quantidade de granulação das imagens. Basta acionar a ferramenta para que seja aplicado leve efeito borrado nos pixels da imagem. Esse efeito borrado ajuda na redução da granulação.

Por qual motivo o Cycles gera granulação?

Essa é a forma com que o software gera as suas imagens, em um processo chamado de refinamento progressivo. As imagens aparecem com grande quantidade de granulação, e ao longo do tempo ficam mais limpas.

O que vai determinar o nível de granulação das imagens é o tempo que cada uma fica renderizando e o seu limite. Esse limite é estabelecido pela quandidade de samples que são usados para processar cada render.

Nesse casom o autor das imagens usou apenas 250 samples, mas com o auxílio do Denoiser para ajudar na renderização. O processo pode parecer simples, mas ajuda a relacionar ideías que podem auxiliar os mais diversos projetos de interiores no Cycles.

##Aprenda mais sobre interiores no Cycles

Quer aprender mais sobre interiores no Cycles? O EAD – Allan Brito possui diversos cursos relacionados com render de interiores e material sobre o uso do Cycles para arquitetura:

Ghost in the Shell recriado no Blender

Quando estamos aprendendo a trabalhar com softwares gráficos sempre ficamos em dúvida sobre os próximos projetos, principalmente quando ainda não existe grande demanda por conteúdo comercial. Sempre recebemos esse tipo de pergunta dos nossos leitores e alunos, qual a melhor forma de desenvolver habilidades em softwares como o Blender?

Uma excelente forma de fazer isso é escolhendo um tópico para o qual você tenha ao mesmo tempo afinidade e conhecimento. Esse foi o caso de um artista que acabou escolhendo um assunto para o qual ele tinha ao mesmo tempo afinidade e conhecimento para criar arte digital.

Como forma de fazer uma homenagem ao estilo gráfico e visuais apresentados no recente filme e universo do Ghost in the shell um artista sueco chamado PascalDeraed, recriou parte da abertura do filme no Blender.

Para ser mais preciso, o artista ainda está desenvolvendo boa parte do material relacionado com animação, mas o modelo 3D que apresenta à ciborgue logo no começo do filme já está pronta!

Ghost in the Shell recriado no Blender

Você pode conferir todas as imagens, inclusive com algumas imagens próximas do modelo 3D que mostra todo o nível de detalhes atingido pelo projeto. As imagens mostram não só a habilidade do artista no desenvolvimento do projeto, mas também o potencial do Blender como ferramenta para criar conteúdo realista.

As imagens estão todas disponíveis nesse link que leva até os fóruns BlenderArtists, que é a maior comunidade de artistas usando o Blender do mundo.

Quer ver uma amostra do vídeo que está sendo criado pelo autor das imagens, usando o modelo 3D com a personagem do Ghost in the shell? Essa é uma pequena amostra do projeto, que ainda está nos estágios iniciais de desenvolvem e deve receber mais conteúdo nas próximas semanas.

Para quem não conhece, o Blender é um software 3D gratuito e de código aberto. Você não precisa de licenças ou assinaturas para usar a ferramenta. Basta fazer o download e começar a usar.

Aprenda a usar o Blender

Quer aprender a usar o Blender para trabalhar em projetos usando os cursos e treinamentos do EAD – Allan Brito. Você encontra diversos assuntos abordados no site que envolvem desde modelagem 3D até mesmo render avançado com Blender Cycles:

Cycles com suporte melhorado para OpenCL

Quando o assunto é a escolha de uma plataforma de hardware para acelerar a renderização com o Blender Cycles, sempre fui bem claro em relação ao uso de equipamentos da Nvidia. O suporte para tecnologia CUDA sempre foi melhor no Cycles deixando muitos proprietários de placas Radeon decepcionados.

Mas, isso não era culpa dos desenvolvedores do Blender. Muito dessa falta de suporte para OpenCL se devia exatamente pela pouca ajuda da própria AMD em prover as opções e ferramentas necessárias para melhorar o suporte.

Depois de muita espera e uma ajuda merecida de uma equipe de engenheiros da própria AMD, o Cycles está com um Kernel paralelo com suporte melhorado para OpenCL. Na próxima versão do software que deve ser lançada em breve teremos melhoras significativas na performance.

Em alguns casos, o uso de placas AMD como a Radeon RX 480 pode trazer performance melhor do que equipamentos da Nvidia! Isso quando fazemos comparação de placas na mesma faixa de preço.

Como geralmente as placas da AMD possuem excelente competitividade em comparação com as GeForces, isso pode significar uma melhor relação entre custo e benefício para cada equipamento.

Se você tem um computador em casa ou no escritório com placas AMD, pode preparar o mesmo para receber a versão 2.79 do Blender! Ele será capaz de renderizar cenas usando todos os núcleos da GPU e OpenCL.

É o momento de abandonar a Nvidia? Calma! Isso é apenas o começo de uma longa reaproximação entre a AMD e os usuários do Blender. Se tudo funcionar de acordo, você deve começar a considerar os equipamentos da empresa para futuras atualizações ou aquisições.

Quem já investiu na Nvidia deve permanecer com os equipamentos por algum tempo. Você também precisa considerar os outros softwares que funcionam em conjunto com o Blender. Todos eles se beneficiam com placas AMD?

É uma excelente notícia, sempre é bom ter mais opções.

Aprendendo a renderizar com o Cycles

Quer aprender a renderizar projetos com o Cycles? No EAD – Allan Brito existem diversos cursos que ajudam você a usar o Cycles para renderizar projetos com os mais variados temas: