Cycles com suporte melhorado para OpenCL

Quando o assunto é a escolha de uma plataforma de hardware para acelerar a renderização com o Blender Cycles, sempre fui bem claro em relação ao uso de equipamentos da Nvidia. O suporte para tecnologia CUDA sempre foi melhor no Cycles deixando muitos proprietários de placas Radeon decepcionados.

Mas, isso não era culpa dos desenvolvedores do Blender. Muito dessa falta de suporte para OpenCL se devia exatamente pela pouca ajuda da própria AMD em prover as opções e ferramentas necessárias para melhorar o suporte.

Depois de muita espera e uma ajuda merecida de uma equipe de engenheiros da própria AMD, o Cycles está com um Kernel paralelo com suporte melhorado para OpenCL. Na próxima versão do software que deve ser lançada em breve teremos melhoras significativas na performance.

Em alguns casos, o uso de placas AMD como a Radeon RX 480 pode trazer performance melhor do que equipamentos da Nvidia! Isso quando fazemos comparação de placas na mesma faixa de preço.

Como geralmente as placas da AMD possuem excelente competitividade em comparação com as GeForces, isso pode significar uma melhor relação entre custo e benefício para cada equipamento.

Se você tem um computador em casa ou no escritório com placas AMD, pode preparar o mesmo para receber a versão 2.79 do Blender! Ele será capaz de renderizar cenas usando todos os núcleos da GPU e OpenCL.

É o momento de abandonar a Nvidia? Calma! Isso é apenas o começo de uma longa reaproximação entre a AMD e os usuários do Blender. Se tudo funcionar de acordo, você deve começar a considerar os equipamentos da empresa para futuras atualizações ou aquisições.

Quem já investiu na Nvidia deve permanecer com os equipamentos por algum tempo. Você também precisa considerar os outros softwares que funcionam em conjunto com o Blender. Todos eles se beneficiam com placas AMD?

É uma excelente notícia, sempre é bom ter mais opções.

Aprendendo a renderizar com o Cycles

Quer aprender a renderizar projetos com o Cycles? No EAD – Allan Brito existem diversos cursos que ajudam você a usar o Cycles para renderizar projetos com os mais variados temas:

Blender Cycles: Render de anime e mangá

Você quer ver um exemplo de como o Blender pode ser usado para a criação de projetos como histórias em quadrinhos, usando estilo de mangá? Um artista chinês chamado congcong009 compartilhou nos fóruns Blenderartists um projeto muito interessante, que tem como objetivo criar uma pequena publicação em formato híbrido mangá e anime.

O estilo é híbrido pois o mangá é originalmente apenas em preto e branco, e sem nenhum tipo de cor. Já as animações orientais possuem cores e aquele estilo tradicional com bordas pretas e aquele aspecto de célula de animação. Além de diversas imagens relacionadas com o projeto, o artista também fez uma pequena descrição sobre como eles criaram os visuais.

Blender Cycles

Na época em que a equipe responsável fez a produção do 3D e render para o projeto, os recursos do Blender para criação de imagens estilizadas ainda não estavam totalmente finalizados. O FreeStyle não era uma realidade e a solução foi uma composição entre o Cycles e o Render Interno do software.

As superfícies foram geradas usando o Cycles para fins de volumetria e iluminação, e para as linhas e contornos dos objetos nas imagens o render interno foi usado. É algo usado até os dias de hoje, quando é possível criar render em wireframe mesclando as duas imagens.

É uma pena que não existem mais imagens relacionadas com as técnicas de composição adotadas pelos artistas, ou então os arquivos do projeto no BlendSwap. Mas, ainda assim o fato de existir esse tipo de projeto é uma inspiração para as diversas pessoas que tem intenção de criar suas próprias publicações nesse estilo.

Hoje o FreeStyle já está muito melhor desenvolvido e integrado dentro do Blender, o que deve facilitar bastante o processo de criação desse tipo de material. O Cycles pode nem ser mais necessário para conseguir gerar esse tipo de projeto, pois os shaders e recursos do FreeStyle já conseguem suprir as suas necessidades.

Ao visitar o endereço do projeto, você pode conferir mais imagens relacionadas com o projeto.

Aprendendo renderização com Blender

Você já sabe usar o FreeStyle ou o Cycles no Blender? No EAD – Allan Brito você encontra diversos cursos e treinamentos relacionados com o uso dos dois renderizadores para gerar tanto imagens realistas, como também material estilizado:

Blender Internal Render para arquitetura

Os renderizadores internos da maioria dos softwares 3d não oferece nenhum tipo de suporte a tecnologias que possam ajudar na criação de imagens realistas. É preciso ter um pouco de habilidade para conseguir criar as cenas e iluminação dos projetos. Esse é o caso do chamado Blender Internal render.

Quer ver um exemplo de renderização para arquitetura criada apenas com o o Blender Internal render? Nos fóruns Blenderartists um artista chamado easydream compartilhou um mostruário de móveis. As imagens não deixam claro que foi usado o renderizador interno do Blender, mas na descrição do projeto o artista detalha o uso desse render em particular.

Um dos desafios em trabalhar com o Blender Internal na parte de renderização é que ele não possui nenhum suporte para algoritmos como o Path Tracing. Caso você não saiba é com base nessa tecnologia que diversos renderizadores como o Cycles funcionam, e o suporte para GI é um dos destaques. Essa é a sigla para Global Illumination.

Blender Internal Render

Ao usar essa técnica nos seus projetos é possível emular o comportamento da luz no mundo real, em que as superfícies dos objetos rebatem e espalham a luz. Os resultados das renderizações acabam sendo mais “fáceis” de criar, já que a própria natureza do ambiente ajuda na iluminação.

Quando não tínhamos a possibilidade de trabalhar com o Cycles ou renderizadores externos no Blender, era necessário simular esse tipo de comportamento. Os artistas 3D chamam isso de Fake GI, que nada mais é do que a criação do resultado visual sem necessariamente aplicar tecnologias ou ferramentas para esse propósito.

Nesse projeto em particular você pode conferir o resultado da aplicação estratégica de luzes, materiais e texturas que emulam o resultado do que seria o Cycles. Para qualquer pessoa observando a cena é difícil distinguir o a configuração final da iluminação.

Um dos principais benefícios desse tipo de técnica é o tempo de render, que segundo o próprio artista nesse caso é de aproximadamente 15–20 por imagem. Para conseguir esse mesmo tipo de render usando o Cycles, seria necessário usar uma boa quantidade de núcleos e o hardware apropriado. Como ponto negativo em relação ao projeto, o artista não compartilhou mais detalhes sobre a sua técnica.

Ainda assim é muito interessante saber que usando apenas o render interno é possível conseguir esse tipo de resultado.

Aprenda a renderizar com o Blender

Caso você queira aprender o funcionamento do Blender Cycles para trabalhar com seus próprios projetos de visualização, recomendo visitar os seguintes cursos do EAD – Allan Brito:

Render farm gratuita para alunos do EAD – Allan Brito

O uso de uma render farm pode ajudar de maneira significativa o desenvolvimento de qualquer projeto, e sempre estou recebendo pedidos de informação sobre esse tipo de serviço voltado especificamente para o Blender. Existem render farms dedicadas ao Blender? Sim! E como forma de ajudar as pessoas que pretendem desenvolver projetos que necessitem de grande poder computacional, estive negociando nessas últimas semanas uma parceria exclusiva para os alunos do EAD – Allan Brito! Junto com o Lion Render, que é uma render farm dedicada ao Blender, consegui uma condição exclusiva para o EAD – Allan Brito.

A parceria oferece para todos os alunos inscritos desde hoje 20/11/2015 acesso a renders ilimitados na estrutura do Lion Render, por um período de 6 meses. Sim, você não leu errado eu disse ilimitados. Para ser elegível a participar da parceria, a sua inscrição deve ter um valor mínimo de R$ 120,00. Isso equivale a um combo com 2 cursos ou uma oficina relaiconado com Blender ou outra ferramenta. Só lembrando que existem algumas regras para manter o acesso por 6 meses na estrutura do Lion Render:

  • Você ganha o acesso por 6 meses, ao realizar a inscrição em um ou mais cursos com valor mínimo de R$ 120,00 (pode ser um combo)
  • Você terá acesso ilimitado a estrutura do render farm
  • Você não pode cancelar a inscrição aos cursos
  • Na hipótese de cancelamento, o acesso a render farm no modo gratuito será revogado
  • Ao longo da parceria entre o EAD – Allan Brito e Lion Render você terá os 6 meses renovados sempre que realizar uma nova inscrição

Esse é um benefício exclusivo para os alunos inscritos nos cursos do EAD – Allan Brito, e pode ser o diferencial que faltava para você criar seus projetos de animação ou render que demandam muito poder computacional. A grande vantagem de usar uma render farm para criar seus projeto é que você pode jogar a parte pesada para a estrutura deles, e detonar em aspectos relacionados aos efeitos e qualidade de imagem no render.

Render farm gratuita com Blender

Por exemplo, quando você cria uma animação usando o Cycles e cada imagem demora 10 minutos para ser gerada no seu computador. Se esse mesmo projeto se tornar uma animação com 30 segundos com taxa de reprodução de 24 frames por segundo. No final você precisaria renderizar 30*24 = 720 frames. E para saber o tempo médio de render 720*10 min = 7200 minutos (120 horas).

Já pensou precisar deixar seu computador ligado por 5 dias inteiros para renderizar esse projeto? Na render farm você consegue reduzir de maneira significativa esse tempo de render, e não usa a sua infraestrutura para gerar o projeto. É possível fazer a parte de animação em computadores bem simples, e depois jogar a parte pesada do render para a render farm. Estive inclusive renderizando projetos usando nada mais do que a conexão que eles oferecem com o Dropbox e gerenciando as cenas com o Trello para que tudo fosse criado da maneira mais sincronizada possível.

Quer começar a usar a estrutura do Lion Render? Faça a sua inscrição em qualquer dos cursos do EAD – Allan Brito e comece a usufruir da estrutura deles. Essa é uma parceria exclusiva do EAD – Allan Brito.

Renderização por GPU no Cycles com placas AMD

Uma das novidades mais aguardadas por alguns artistas e usuários do Blender 2.75 consistia no suporte ao uso de placas de vídeo AMD na renderização por GPU no Cycles. Isso fica evidente pela quantidade de pessoas decepcionadas ao adquirir um computador novo, e ao instalar o Blender e começar a tentar renderizar uma cena com placas da AMD recebiam uma mensagem de erro ou simplesmente telas pretas. Algumas dessas pessoas só descobriam muito tarde que precisavam trocar a placa de vídeo para conseguir renderizar seus projetos.

Assim que o Cycles foi lançado junto com o Blender 2.61 a quantidade de pessoas que pedia por suporte as placas da AMD era bem razoável, e isso acabou gerando muitas mensagens e comunicados da Fundação Blender em relação aos problemas com o suporte ao Open CL. Isso foi em 2011 e depois de todo esse tempo a própria AMD resolveu tomar as rédeas do desenvolvimento e colocou uma equipe de engenheiros de software para trabalhar no suporte do Cycles ao seu hardware. O resultado dessa empreitada pode ser conferido no blog de desenvolvimento da empresa, e o resultado por ter beneficiado até mesmo os artistas usando equipamento da Nvidia.

blender-amd-gpu

De acordo com o relato no blog da AMD a equipe de engenharia fez propostas de alteração na estrutura e funcionamento do Cycles na renderização por GPU.

Mas, por qual motivo você deveria se importar por renderizar cenas com a sua GPU? A razão é muito simples e está relacionada com a velocidade com que as imagens são renderizadas! Vamos fazer uma conta de padaria rápida! A sua CPU (processador) deve ter provavelmente algo entre 2 a 8 núcleos dependendo da marca e modelo. Algumas placas de vídeo podem ter mais de 1000 núcleos! Quando as tarefas de renderização são jogadas para esse tipo de equipamento, o tempo para finalizar o render acaba sendo bem pequeno!

Renderização por GPU no Cycles

Ainda não sabe aproveitar tudo que o Cycles tem a oferecer para renderização por GPU? No EAD – Allan Brito você encontra uma série de cursos que abordam uso do renderizador com GPU: